Pescadores da cidade de Angolares beneficiados com canoas do tipo PRAO

Depois de vários anos usando canoas tradicionais, ou seja, a vela  agora cerca de dez pescadores  da zona sul concretamente  a cidade de Angolares e da comunidade de Iô Grande,  viram melhorar as suas condições  para a captura do peixe.

A entrega das canoas é a título de crédito. Os pescadores deverão pagar 33 milhões de dobras, em prestações mensais de 2 milhões e quatrocentas mil dobras.

Para os pescadores  com a entrega  destas embarcações, com os seus respectivos acessórios,  vem melhorar as suas condições de trabalho. « Receber uma canoa tipo PRAO e um motor  é para nós  os pescadores de Angolares  e Iô-Grande  mais de uma vitoria rumo  ao desenvolvimento da Pesca Artesanal no nosso pais. Este equipamento vai permitir  uma melhoria  das nossas  condições de trabalho». Disse o Representante  dos pescadores e palaiês  de Angolares e Iô-Grande.

A acção insere-se no quadro do programa do governo  que visa a melhoria das condições piscatórias no pais. «A entrega dessas embarcações enquadram-se  no quadro do esforço que o governo tem vindo a fazer em prol de melhoria  das condições das comunidades piscatórias, com estas embarcações os pescadores poderão navegar  em melhores condições de segurança e ir também mais longe  aumentando assim a captura do peixe que poderá traduzir num aumento de rendimento as famílias». Explicou Wilson Bragança Secretario Geral do Ministério do Plano e Desenvolvimento.

A entrega aconteceu na presença da directora do   programa de apoio participativo á agricultura familiar e pesca  artesanal (PAPAFPA)  ONG MARAP e o governo e financiada pelo  Fundo internacional de Desenvolvimento Agricola(FIDA).

Ainda no mesmo dia  a população da comunidade de Mestre António  viu  resolvido um dos problemas que  mais os afligiam. Depois de anos e anos percorrendo longa distancia em busca  de agua potável .o Programa de Apoio Participativo á Agricultura e Pesca Artesanal  inaugurou esta  semana  o sistema de abastecimento de agua e um armazém  destinados aos produtores de cacau  desta comunidade do distrito de Cantagalo.

Cerca de 600 milhões de dobras é quanto esta  avaliados estas obras financiadas também pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agricola FIDA.

Sónia Lopes

  1. img
    Jucumbinha Responder

    Excêlente aposta.
    Parabéns São Tomé e Príncipe.

  2. img
    Quase la Responder

    Parabéns aos pescadores beneficiados. Que seja uma grande ajuda financeira para a família beneficiada e maior segurança para os pescadores. Que a população possa ter maior número de pescado e consequentemente menor preço a medio/longo prazo.
    Que tenham um maior rendimento familiar, progresso na vossa labuta e que consigam pagar as vossas dividas para que outros pescadores também venham a ser igualmente beneficiados.

    Me alegro por vós, pescadores, e pela iniciativa do governo efetivando projetos que favoreça as famílias em particular e o povo em geral.

    Bem-haja a todos.

  3. img
    Biboss Responder

    Bem haja, quem pensa no bem estar do povo.
    Tenho dito.

  4. img
    Quase la Responder

    Ao Tela Non, obrigado pela notícia.

    Entretanto, se puderem ir colocando uma ou duas fotos temáticas de pessoas ou objetos noticiados, seria uma grande ajuda a muitos leitores. Nesta notícia em concreto, uma foto da tal canoa PRAO, ajudaria imenso, aos leigos como eu, a ter melhor ideia do objeto noticiado, canoas do tipo PRAO, sem ter que recorrer a Google. Essas fotos poderiam ajudar a ter melhor ideia dos benefícios bem como a dimensão do projeto em curso.
    Uma vez mais, obrigado Tela Non.

  5. img
    ANCA Responder

    Muito bem

    Boa Iniciativa

    Para que o Programa tenha sustentabilidade, continuidade no futuro, é fundamental, que os Pescadores, possam cumprir as suas obrigações, pagando todos os meses, o que foi acordado, de modo a permitir, que mais Pescadores, de outras Comunidades, possam beneficiar, destes instrumentos e matérias(Canoas Prao, Motores, artigos de pescas, etc,etc).

    É primordial e urgente, as Camarâs Municipais, em parceiria estrátegca, com o Governo, com as Instituições, Organizações, de Cooperação e Desenvolvimento, com as Associações, ONGs, planear, organizar, e investir, nos Mercados e Locais de venda de Peixes, bem como Organizar a Legislação, correspondente a todo o Processamento, Tratamento, Higiene, Conservação e Venda do Pescado Capturado.

    Importante Planear, Organizar, Investir, na Formação dos Pescadores e Palaiês, no Processamento, Tratamento, Conservação, Higiene e Venda, bem como a formação dos Pescadores, nos novos metódos de Capturas de Pescadores, Planear e organizar, a reconversão de de Pescadores Artesanais, em Homens de Pescas Industrial, para no futuro o surgimento de uma verdadeira Industria do Pescado em São Tomé e Príncipe.

    O Ordenamento do Território é imprescindível, a definição de Zonas de Pescas e Conservação do Ambiente Marinho, é um passo importante para a sustentabilidade, das actividades das popilações, ligadas ao Ramo das Pescas, ligadas as actividades da Economia do Mar.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • img
      ANCA Responder

      Tendo como base o pensamento anterior, qualquer actividade económica, financeira, lucrativa, no sector da Economia do Mar, da Economia Agricóla, Pecuária, Florestal, á Banca, o Câmbio, a Industria de Transformação, de Produção, etc, etc,… deve ter subjacente á cobrança de imposto pelo Estado, Estado este da qual pertence á todos os cidadãos SãoTomenses.

      A cobrança de Imposto, IRC, por exemplo deve ser efectuada, sobre as actividades economicas, financeiras e jamais sobre os lucros dessaa mesmas actividades, pois os dividendos constituem rendimentos sobre o trabalho.

      Parte desta cobrança de imposto, sobre as actividades economicas, financeiras, deve reflectir, para medidas de Planeamento, de Organização, de Investimento e sobretudo, para a auto-sustentabilidade da actividade e protecção do meio ambiente, salvaguardando sempre os interesses das novas gerações, é Justo, e deve ser Equitativo, para melhor distribuição de rendimentos e riquezas do País,(Território, Mar, População), entre todos os cidadãos Sãotomenses.

      Pratiquemos o bem

      Pois o bem

      Fica-nos bem

      Deus abençõe São Tomé e Príncipe

  6. img
    zeme Almeida Responder

    Os partidos da oposicao nunca receberam esta noticia de bom agrado e tambem para alguns que pensam na queda do governo.Mesmo assim sempre havera alguem que tentara desviar a atencao da populacao.Abaixo os traidores.

    • img
      Quase la Responder

      zeme Almeida
      Não seriam traidores aqueles que colocam o partido acima da nação?

      Traidores não serão aqueles que ao ver uma notícia pensarão logo no governo ou oposição, partido A ou B, e só depois pensarão no real alcance da ação (positiva ou negativa) para o povo e o país?

      “zeme Almeida”, você é dos que pensa no partido ou no povo?
      Se reparar no meu primeiro comentário nesta página, verá o meu regozijo pela ação do governo nessa iniciativa mas não deixarei de manifestar a minha discordância sempre que achar justificável e que tenha disponibilidade para o bem das nossas pequenitas ilhas.

      O filho se alegra com um pão dado pelos pais mas isso não justifica que a responsabilidade do pai se limita em dar um pão de quando em vez mas sim, num cuidado continuo para com o filho. Semelhantemente, o governo assumiu uma responsabilidade para com o povo e foi por vontade própria que apresentaram as suas candidaturas.

      A todos os ”zemes Almeidas”, conseguem perceber isso? A nação deve estar acima do partido pois os partidos e o governo devem servir a nação e não o contrário.

      Mais uma vez felicito ao governo por tornar efetiva este projeto.

  7. img
    País Sério Responder

    Força STP. Un dia truinfaremos.

  8. img
    agua arroz Responder

    obrigado governo, muito obrigado patricio tamos contigo.

  9. img
    Manuel Trindade Responder

    Sr ZEME Almeida isto de entregas de materiais de pesca, de agricultura já vem de muito tempo. Fazia-se isto ainda no tempo do partido unico. Isto não é nenhuma novidade. Este governo não tem ideias novas para crescimento do país. Só sabe é fazer publicidade e perseguir as pessoas.

    • img
      Zugú-Zugú Responder

      Tens razão. O maior objectivo deste Governo, é copiar com êrro e fotocopiar quando tiver a máquina de fotocopiadora.

      Pena, são a maior parte da Juventude inocente incluíndo o Patrice Trovoada, que ninguém teve o tempo devido de lhes contar a histótia devidamente, como foi o tempo passado. Bem pouco tempo, o Sr. Dr. Carlos Tiny, e a sua equipa andaram a fazer este exercício e este Governo está dando continuidade. É mentira?

    • img
      E.Santos Responder

      De facto este Governo tem feito muita publicidade, porque se não o fizer serão acusados de esconder coisas ao povo, de falta de transparência.
      Mas como a publicidade é sobre a vida do Zé povinho, isto não interessa a ninguém, nem que seja para aproveitar a deixa e dar ao Governo mais ideias de melhoria.O Governo não é suprasónico, precisa do contributo de todos.
      Ao contrário,se fosse publicidade sobre transbordo nas nossas águas, como isso já envolve negócio maior a que estão habituados a “comer boca” e acreditam que o PT vai comer também sozinho, ou ele e o Varela como dizem, isso sim já seria de interesse de todos e já dava direito a manifestação se não publicitado, porque põe em causa a Democracia. Para depois virmos saber que afinal o significado da Democracia neste caso era “tachos de cada oportunista político nas coisas públicas”.
      A entrega de materiais de pesca de agricultura já vem desde o tempo do partido único,sem dúvida, e nos valeu de tanto que hoje 30 anos depois estes pescadores já são até milionários. Não costumam ver as roupas de marca que eles vestem, os carros que eles isibem lá na roça, as viagens que eles fazem de mar a mar?
      O governo não tem ideias novas realmente. Que interessa estar a dar barcos a quem já é milionário. Devia era dar barco a estes políticos oportunistas da nossa praça, a ver se eles deixam de uma vez o nosso parlamento e vão fazer alguma coisa de útil, trabalhar.
      E nós não estamos a lhes pagar dinheiro para eles defenderem exclusivamente os seus interesses. Nem é faz mel e lambe o dedo. É mesmo faz mel e come-o todo.
      Tomem juízo.
      Em vez de vir para aqui com esta boca fuleira, ficava-lhe muito bem trazer novas ideias para acrescentar a do Governo.
      Força o Governo a ter uma gestão participativa com vista ao bem estar de todos.
      Vamos deixar de ser desavergonhados, mesquinhos, maus, má indoles e fala barato.
      Deixar de conversa de quem não faz e nem se congratula com os que fazem. isto é mesmo de pessoa ruím.

      • img
        E.Santos Responder

        Quanto a perseguir pessoas, tem toda a razão. O governo anda a perseguir pessoas como você. Ruíns. E faz muito bem, porque desta espécie daninha a gente não precisa na sociedade. Ruís, preguiçosos, oportunistas, nesquinhos, maus e fala barato.
        Muito obrigado, a gente não vos quer mesmo a frente dos nossos destinos, pois pessoas dessas não nos vai acrescentar nada mais do que já tivemos nestes últimos 30 anos.
        Se não quiser ser perseguido “muda de vida”, aprenda a ser uma pessoa boa, que contribui para o progresso e para o bem da sociedade.

  10. img
    Acurcio Responder

    Ola Anca
    adorei tuas falas . Bom tomara que nossos dirigentes leem a sua opinião sobre pesca . è tudo desde estrutura,( embarcações adequadas) tecnologia,( forma de pescar ) segurança conservação, armazenagem e limpeza e treinamento para esse pessoal .

  11. img
    santo Responder

    Não está na horas dos nossos pescadores santomense comessarem a usar barcos de pesca a sério em vez de canoa?

  12. img
    João Rodrigues Serôdio Responder

    Qualquer iniciativa para o desenvolvimento económico de um determinado sector é sempre de louvar.Contudo,se atendermos para as verbas envolvidas,algo não bate certo.SE o salário mínimo em STP ,se situa mais ou menos em 1 milhão de dobras,o salário de um pescador artesanal,está sempre dependente de vários factores.Ora se o valor de 33 milhões em forma de crédito,e se cada pescador tem de pagar mensalmente 2 milhões e 400 mil,e estamos a falar para já de 10 pescadores,esta gente de certeza absoluta ou se mata a trabalhar para honrar os compromissos ou….. tirem as conclusões que quiserem.Se o meu raciocínio estiver errado,peço as minhas desculpas,senão tal como a notícia está explanada leva os leitores deste jornal ao erro.

  13. img
    zeme Almeida Responder

    A carapuca serviu e bem para o senhor Manuel da Trindade e outros.O Sr.deve ser uns daqueles que que nunca sabe dar valor trabalho dos outros.O Governo nao tem ideias e os sucesivos governos que estiveram a frente e Pais ate entao nunca conheceu o Norte.Os governos do MLSTP,PCD,MDFM sao os unicos com ideias,ou ideia para roubar o resto que falta.O senhor diz que as entregas ja vem de a muito tempo,isto significa que o governo so sabe e concluir ideias dos outros.As suas palavras, sao daquelas pessoas que nao sabem dar valor as ideias dos outros sao das que precisamente falei no meu comentario anterior.Gente ingratas e mesquinhas como estas,o Pais vai continuar neste poco que se encontra.Viva este povo sofredor.

  14. img
    E.Santos Responder

    O que realmente interessa na vida dos São-tomenses não merece quase comentários nenhuns. Se fosse para fazer politiquice, incentivar desordem e gatunisse, já todos tinham conselhos para dar.
    Vamos deixar de ser ruins, mesquinhos e má-indole. Vamos nos educar para a cidadania. Vamos contribuir todos para o bem comum. Vamos fazer valer a máxima “UNIDADE, DISCIPLINA e TRABALHO”. É disso que o país precisa neste momento.A ver se conseguimos pelo menos ficar ao nível do dedo mindinho de CABO VERDE. Que não tem grandes recursos, mas é um povo com orgulho, um povo trabalhador, inteligente e que sabe seguir e aprender com os melhores. E nós continuamos com olho comprido a invejar “Nhã bruga”, porque sabemos dar nomes a todos achando-nos melhores. E nem fazemos ideia do ridículo que somos enquanto políticos oportunistas, enquanto povo mesquinho, preguiçoso, pobre e mal agradecido.

  15. img
    Mimi Responder

    “A entrega dessas embarcações enquadram-se no quadro do esforço que o governo tem vindo a fazer em prol de melhoria das condições das comunidades piscatórias, ”

    Pergunto: O Governo tem vindo a fazer esforços ou a cumprir o seu dever e obrigaçao?

    • img
      E.Santos Responder

      Quando os recursos são escassos temos sim de fazer um esforço. A nossa despesa pública supera de longe a nossa receita. Temos uma terra fértil mas somos bons preguiçosos. Só sabemos é esticar a boca para falar mal. Isso realmente temos de sobra.
      Neste caso tem de haver um esforço por parte do governo (na busca de recursos financeiros para cobrir despesas)para cumprir com a sua obrigação de garantir o bem estar de todos os Santomenses. Deu para perceber ou quer que eu faça um desenho.

  16. img
    kl Responder

    a fa mem guá

Deixe um comentario

*