00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

FIDA anuncia um donativo de seis milhões de dólares para apoiar a agricultura

O Fundo internacional de desenvolvimento agrícola, FIDA anunciou esta sexta-feira um donativo de seis milhões de dólares para apoiar o desenvolvimento da agricultura nacional. A informação  foi transmitida pelo presidente do FIDA ao ministro de agricultura que participou esta semana em Roma/Itália numa conferência organizada por este organismo internacional.

É este valor que o fundo internacional  de desenvolvimento agrícola  vai colocar a disposição de São Tomé e Príncipe para a implementação de projectos no âmbito da agricultura  e desenvolvimento rural. « Já no próximo mês  vai uma missão a São Tomé e Príncipe que vai poder trabalhar com o ministério da agricultura de forma que possamos já   definir as áreas do projecto e isso vai correr os seus trâmites, segundo o FIDA  vai ser preciso qualquer coisa como dezoito meses até a aprovação do BOR e quer com isso dizer que a partir de Julho  de 2014 até Dezembro de 2018 nós teremos um projecto ligado a agricultura e desenvolvimento rural  num valor de seis milhões de dólares» avançou António Dias Ministro da Agricultura e desenvolvimento Rural.

Trata-se de um donativo deste organismo internacional que surge como prémio pela forma como São Tomé e Príncipe tem aplicado os recursos colocados a sua disposição. A vinda desta missão ao país está prevista para   Março e até la o governo já começa a fazer o seu trabalho para definir áreas concretas onde o referido montante será empregue Uma primeira componente seria de reforço as cooperativas no âmbito agrícola e pesqueiro, a segunda componente seria no domínio de segurança alimentar e nutricional a terceira componente no âmbito da redinamização do sector   pecuário, estaríamos a falar do bovino mais o caprino e mais outras componentes. Por essa razão que isto vai ser uma matéria que vamos discutir ao nível do ministério e no mês de Março vamos ter as duas equipas a do ministério e do FIDA para que possamos chegar ao consenso» explicou António Dias Ministro da Agricultura e desenvolvimento Rural.

Embora com o anúncio deste donativo de seis milhões de dólares, António Dias mostra-se preocupado com o facto do país  não estar a honrar os seus compromissos no que toca ao pagamento das suas cotas  junto desta organização que segundo o ministro da agricultura muito tem feito pelo desenvolvimento da agricultura no arquipélago O Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola  FIDA os países têm uma contribuição simbólica que anualmente devem fazer e São Tomé e Príncipe  a última contribuição que se fez foi em 1999 já la vão catorze anos, uma contribuição de dez( 10) mil dólares. Por essa razão é que eu assegurei ao presidente do FIDA que este ano vou envidar esforços para que São Tomé e Príncipe honre mais um compromisso de dez mil dólares, porque nós temos tido muito boas mas seja como for isso nos entristece sobretudo quando se fala da questão da contribuição» afirmou António Dias Ministro da Agricultura e desenvolvimento Rural.

Recorde que São Tomé e Príncipe esta no grupo de três países mundiais seleccionados pelo FIDA como exemplo a seguir na gestão e aplicação dos fundos colocados a sua disposição. A propósito disto  o ministro da agricultura e desenvolvimento rural esteve em Roma /Itália a representar São Tomé e Príncipe esta semana  numa conferencia organizada  pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agricola FIDA.

Sónia Lopes


  1. img
    zeme Almeida Responder

    Caso muito para me admirar,o Jornal Tela-Non tambem atualiza os capitulos aos domingos?Com a chegada do XV governo as coisas mudaram de certa maneira, sem criticas a pessoa de Gabriel Costa.Com o tempo estamos a perceber que existe uma grande inclinacao deste jornal.Somos todos Saotomense e teremos que dar o mesmo tratamento a todos.Sera que esta noticias sera suficiente para dar credibilidade a este governo?Nao.

    • img
      Nando Responder

      Meu irmão. Se o Tela Non nao quizesse, o teu comentário nao teria passado. Pense nisso.

  2. img
    Barão de Água Ize Responder

    Se esse dinheiro chegar a STP, deverá ser encaminhado para as zonas de produção agricola. Melhoria e recuperção dos acessos viários; rede energia eléctrica; rede de águas e apoio (ferramentas, adubos, infraestruturas fisicas, etc.. às cooperativas que tenham trabalho efectuado
    e a garicultores individuais com obra feita. Esperemos que esse dinheiro não venha para pagar ordenados na função pública ou aos deputados e ministros.

  3. img
    neto Responder

    ó zeme almeida vc é um estúpido, comentar coisa que não tem haver com a noticia. deves ser um dos talibans do patrice trovoada.

  4. img
    sem futuro Responder

    “… Por essa razão é que eu assegurei ao presidente do FIDA que este ano vou envidar esforços para que São Tomé e Príncipe honre mais um compromisso de dez mil dólares…”

    Eu assegurei, vou fazer esforços; um ministro nunca deve ter um discurso colocando-se na primeira pessoa. Afinal ele trabalha sózinho ou em equipa?

  5. img
    E. Santos Responder

    Se vocês perceberam bem a notícia, só vão efectivamente financiar estes projectos dentro de 18 meses. O que significa que nesta altura já este GOVERNO está de saída.
    Claro, eles não sõ parvos, não iam dar dinheiro na mã de um governo de gestão. Para já vão andar com os trabalho a ver como correm as coisas. Em Julho de 2014, com o novo governo legítimo (seja ele qual for) aí sim, soltam a massa.
    Até lá o Governo de Gabriel Costa vai ficar a ver navio. Portanto, isto não o legitima em nada, pois nada disso vai de imediato mudar a situação das pessoas.
    Deviam se preocupar em ao menos manter o trabalho que o ADI já tinha começado…mas nem isso estão a fazer. Coisas pequenas como controlar a especulação no mercado por exemplo. Já vos ficaria bem…mas nem isso.
    É muito fácil criticar o trabalho dos outros. Triste mesmo é sermos postos a prova e não conseguirmos fazer nem o pouco que o outro fazia.

  6. img
    ANCA Responder

    Para um País(Território/População),São Tomé e Príncipe, seria bom cumprir seus compromissos, com a comunidade internacional, das quais é membro, parte integrante, e jamais somente ficar de braços estendido a esperar de donativos para referir que vai solucionar o problema das quotas.Dá Impressão que o Estado São Tomense, jamais sabe, nem conhece, nem assume os compromissos que assina.

    Por outro lado, haver vamos se este donativo de seis milhões de dolares chega, aos verdadeiros destinnatários, ás cooperativas agricolas, ás cooperativas dos pescadores, aos agricultores, e pescadores nacionais, com um projecto estruturado e estruturante para o futuro, se jamais haverá desvios de fundos de donativo de seis milhões de dolares, de modo a que agricultura, a pecuária e o sector pesqueiro nacional, possam produzir, para colmatar a carência alimentar da população, e assim assegurar a tal falada segurnaça alimentar, pois que mais de metade da população vive com menos de um dolar, na pobreza extrema, com fome e na miséria, basata ver os dados do País, com reflexo na alimentação infantil.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençõe São Tomé e Príncipe

  7. img
    ANCA Responder

    Antes de implementar um projecto desta natureza, necessário se torna a implementação de um Plano de Ordenamento do Território, um plano de uso do solo, do mar, do rio, do ar, da água,etc,etc.. que seja respeitado na íntegra pela as autóridades competentes, de modo a controlar, coordenar as actividades da população, em prol do bem estar, da organização das actividades comercias, económicas, agrícolas, mercantis, pesqueiras, pecuárias, etc, etc… a bem sustentabilidade futura, dos rescursos para as novas gerações.

    Pois corremos o risco de gastar rios dinheiro, e donativos e os problemas persistirem a longo prazo.

    Façamos as coisas com cabeça, tronco e membro, já é mais que altura, de nos organizarmos.

    • img
      ANCA Responder

      Deixemos de andar cacharambados.

      • img
        ANCA Responder

        Pois o pior cego, é aquele que jamais vê, e pior coxo é aquele que jamais anda.

  8. img
    inteligencia Responder

    Meus senhores, o senhor ministro de agricultura deveria juntamente com o seu grupo de apoio preocupar em elaborar projecto viável para beneficiar deste apoio, invés de vir ao televisão dizer que STP beneficiou de 6 milhões de dólares.
    É para dizer que não temos dinheiro nenhum. E essa mensagem deve ser passada de melhor forma, porque dá-se entender que já temos dinheiro o que não é verdade. Possivelmente o projecto será materializado de Julho de 2014 a Dezembro de 2018 num valor de 6 milhões de dólares.

    Estamos agora a espera de o Orçamento Geral de Estado para este ano económico. E fica claro que o dinheiro que o ministro refere não tem nada a ver com este orçamento que estamos a espera.

  9. img
    O Analista e Censurador Responder

    Que o valor em causa seja bem aproveitado na área indicada pela FIDA e não para área de bens pessoais.Aguardamos o resultado final.

  10. img
    Vane Responder

    Plantar é preciso para manter pelo menos o mercado interno e assim tornar as coisas a preços reais para população. Lembrar que plantar para exportação também é uma mão na roda visto que STP fica geograficamente localizada próximo de países que precisam comprar produtos de outros países devido seu baixo poder de produção alimentar e o alto número populacional…é bom refletir!

Deixe um comentario

*