Jeune Afrique diz que Sonangol é a segunda maior empresa de África

A empresa angolana que tem vários investimentos em São Tomé e Príncipe, e garante o abastecimento do país em combustíveis, registou no ano passado lucros na ordem de 46,9 mil milhões de dólares. Um estudo da revista francesa Jeune Afrique diz que a Sonangol é a segunda maior empresa do continente africano.

A frente da empresa angolana de petróleo só está a argelina Sonatrach, também ligada a comércio de combustíveis.

A imprensa internacional que divulgou a notícia dá conta que «de acordo com a publicação, o estudo mostrou que as duas empresas apresentam resultados “bastante sólidos” que lhes permitem estar entre as 500 maiores empresas do mundo e o seu estatuto só não se consolida mais devido ao facto de não estarem cotadas em bolsas», lê-se.

A companhia angolana de petróleo registou no ano passado lucros na ordem de 46,9 mil milhões. Sonangol é accionista maioritária, mais de 80%, da empresa nacional de combustíveis, a ENCO. Único fornecedor de combustíveis para o mercado são-tomense, a Sonangol através da ENCO, é também o único distribuidor do produto no mercado nacional.

A mesma empresa angolana que é o número dois no continente africano, é detém 80% do capital da sociedade que administra o aeroporto internacional de São Tomé e Príncipe, tem contrato para administração do porto de São Tomé, celebrou contrato para construção de um bunker petrolífero no norte de São Tomé, no entanto sem qualquer acção concreta desde 2009, e é indicado como futuro accionista da empresa de água e electricidade EMAE, no quadro do processo de liberalização e privatização do sector de energias.

Abel Veiga

  1. img
    asd Responder

    Haver vamos. Assim estado os Srs. ministros já não vão a EMAE buscar gasóleo para suas viaturas pessoais

  2. img
    Africano Responder

    Esta nao é noticia “Tela Non”!

    • img
      kung fu Responder

      Noticia deveras importante meu caro Africano. Tendo em conta que Sonangol provem de Angola que e um pais com o qual trilhamos juntos, temos com Angola lacos de amizade, irmandade e ate de consanguinidade, etc… Este Sonangol deveria ter uma intervensao muito mais agressiva ca no nosso pais. Sem “loby”. Implementar nao so negocios de combustiveis mas tb muitos outros de forma a criar multiplos empregos. Quanto a mim antes preferia que fossem os angolanos a invadirem STP com negocios e investimentos, etc do que nigerianos, libaneses, etc. Mas esses investidores angolanos andam gozando de STP.

  3. img
    Boyo Responder

    Noticia sim è , sò que nao è do teu agrado. Pouco a pouco vao tirando as regalias dos politicos corruptos.

  4. img
    osvaldo pereira Responder

    penso que os investimentos da sonangol ainda são muito timidos em são tome,esperemos que haja mais e maiores investimentos a todos os niveis pois eles tem capacidade para tal.

  5. img
    Telavive Responder

    Os governantes santomenses ao longo da nossa história pós-independência habituaram-se à chupeta de Angola e divertem-nos, pensando que a prosperidade de S. Tomé e Príncipe está nas mãos de Angola.

  6. img
    CREDO Responder

    Acho que a Economia de São Tomé e Príncipe deveria ser mais descentralizada. Nunca seria aconselhavel, que quase toda a economia estivesse só entregue a uma Empresa ou a um Estado.

  7. img
    Zedo Responder

    Com tanto dinheiro não são capazes de cumprir o eu compromisso assinado, ara a reabilitação do aeroporto. pista continua escura, e as salas de chegada e partida continuam a parecer uma pequena pocilga. Os vizinhos o aeroporto como asa do avião e outras habitações até constroem piscinas e a casa de banho do aeroporto não tem água.
    O Porto? Já não se fala. Esta é a parceria que temos.
    A ver vamos

  8. img
    Barão de Água Ize Responder

    São Tomé e Principe habituou-se a viver das “cooperações”, das esmolas e quase todos os politicos tiraram o curso superior da pedinchice – pedir muitissimo – com vários argumentos, e um deles é a relação “especial” com Angola.
    A não ser que STP queira ser uma colónia ou provincia de Angola, é que se deve esperar que a seja esse País a tirar STP da pobreza. Se for assim, dever-se-á perguntar, o que aconteceu à Independência de STP?

  9. img
    congratulation Responder

    O nosso aeroporto depois de avantajados meses de reabilitação, já tem uma cobertura de chapa na porta de entrada principal que da para esconder do sol, agora ficou mais internacionalzinho…

  10. img
    Ignorante Responder

    senhor Zedo a culpa não é da Empresa Sonangol mas sim, penso eu, da incompetência dos nossos dirigentes (pseudos intelectuais)

  11. img
    aurelio Responder

    E em que nível esta a empresa josé eduardo dos santos?

  12. img
    nom molê Responder

    A Sonangol está instalado em São Tomé, apenas ao serviço da coligação MLSTP-MPLA. Anunciam inumeros investimentos ficticios. Na Pratica zero (o). O Sr. Zedú, por via da Sonangol tem um programa de ver o MLSTP no poder e Pinto da Costa como presidente. Enquanto isso não se concretizar vão nos enganando com obrinhas e nada mais. A onde é que está o aeroporto reabilitado? qua raios de luzes de pista que nao se coloca? que raios de Bunker em Neves que nao começa? que raios de porto que nao se transforma? EMAE? Compraram a ENCO, e pergunta-se. Não justifica construir um edificio novo para Enco e devolver a reliquia daquela velha casa ao país? São so jogadas. Fradique é que foi inteligente. Ao invés de ficar refém daqueles que conotamos como parceiros previlegiados, foi disbravar outros terrenos como a Libia, Guine Equatorial e outros.

  13. img
    Mlstpense Responder

    Bom para Angola e Angolanos.

  14. img
    Rogerio da silva Responder

    parabem sonagol e que o copercaos entre angola e sao tome tens que ser ecelantes

Deixe um comentario

*