Economia

ENCO investiu 4,5 milhões de dólares na modernização de bombas de combustiveis

É a única importadora de combustíveis no mercado são-tomense, também única distribuidora, e agora decidiu avançar também para a revenda de combustíveis. ENCO que domina o mercado nacional de energia, investiu 4,5 milhões de dólares na construção de 3 postos de abastecimento.

É o fim de postos de abastecimento, sem mínimas condições de segurança e de higiene em São Tomé. A única empresa de combustíveis, no mercado decidiu construir novos postos de abastecimento que oferecem segurança e conforto aos utentes. Mais de 77% do capital social da ENCO, pertence a petrolífera angolana Sonangol.

Talvez por isso, o Primeiro Ministro Gabriel Costa que inaugurou os postos de abastecimento na cidade de Guadalupe e outro em O-que-del-rei, nos arredores da capital São Tomé, sublinhou a importância da cooperação estratégica entre São Tomé e Príncipe e Angola, que permitiu a construção de infraestruturas com alto padrão de qualidade. Um exemplo segundo Gabriel Costa de sucesso na cooperação sul – sul. «Estou esperançado que nós trilharemos novos caminhos para o bem estar de todos os são-tomenses», declarou o Chefe do Governo são-tomense.

Um terceiro posto de abasceimento será inaugurado na ilha do Príncipe. Segundo a administração da ENCO, cada unidade de revenda de comsbustíveis custou 1,5 milhões de dólares. O Director Geral Osvaldo Vaz anunciou que um quarto posto de abastecimento está a ser construído na cidade de Neves no norte da ilha de São Tomé. «A revenda de combustíveis faz parte do objecto social da ENCO. São postos modernos e o investmento é alto exactamente para manter a qualidade. Simplesmente estamos a desenvolver os nossos negócios. A ENCO precisa cada vez ser mais rentável», afirmou o Director Geral.

Na sua intervenção, Osvaldo Vaz, explicou que o investimento feito pela empresa visa dar qualidade a prestação de serviços na revenda de comsbustíveis, uma vez que operadores privados nacionais, parecem não ter capacidade financeira para edificar infraestruturas tão modernas como as que a ENCO, construiu. Com o tempo, a empresa pretende paulatinamente, envolver o sector privado nacional na gestão dos tais postos de abastecimento.

Domínio cada vez maior da ENCO no mercado nacional de energia.

Abel Veiga

    12 comentários

12 comentários

  1. O OLHO

    7 de Maio de 2013 as 12:38

    Para vc Abel muito lindo isso, coitado, vai vangloriando essas besteira , enquanto o nosso povo mesmo fica de tanga, isso é so mesmo pra mostar que os chefes do partido estão trabalhando, enfim

    • O OLHO

      7 de Maio de 2013 as 15:37

      E querem ver mais um dado curioso , ha dias li aqui nesse espaço que a SATOCAO convidou os orgãos de comunicação social, pra tomarem parte numa dada inauguração das suas instalações falando em 9 milhoes de dolares em investimentos direto no projeto, esses caras qs nem falaram , falaram do assunto com disdem, e vêm falar da enco que esta manopolizando a venda de combustivel como se isso fosse benefico para a economia do país??? Olha ou vcs parem com isso ou afundamos todos

  2. Alberto Silva

    7 de Maio de 2013 as 13:23

    Em Angola envolve-se o privado, pois so assim é que qualquer Pais pode ir pra frente. Ca em S.Tomé é ao contrario. Entregam tudo à estranhos depois ficamos ca a comer os restos/espinhas e ficamos satisfeitos. Tudo para um operador privado, ENASA, ENCO, PORTOS, etc e para santomenses?

    • Gustavo

      8 de Maio de 2013 as 16:16

      Sr. Alberto

      Mas o que se pode fazer? se São Tomé depende exclusivamente do dinheiro dos estrangeiros? tem que se submeter as regras deles. Não Acha? Ainda bem que tem estrangeiros a querer investir aqui no país, de outra forma, como seria?

  3. E. Santos

    7 de Maio de 2013 as 13:45

    Primeiro Ministro inaugurou Bomba de Combustível? Grande coisa Gabriel Costa. País pequeno, gente pequena, ambição pequena.
    Noutros países a Bomba de combustível é Franchising…investimento de particular. Cadê os empresários deste país? AH, pois, coisa séria, trabalho não é com eles. Se fosse para ganhar dinheiro a custa de estado, eram os primeiros. Como o negócio de arroz por exemplo…em que se ganha dinheiro sentado em cima do rabo sem fazer nenhum.

  4. santa catarina

    7 de Maio de 2013 as 15:29

    Coitado de STP sempre a lamber a Sonagol e os Angolanos. Que tristeza!
    Falta inaugurar a Empresa Santa Fé de Francisco Cabral em que o Gabi é gerente.
    Cadê Cacau do francisco Cabral. As conta estão em dia? olha paraece que não! Uma pessoa que mal sabe gerir um empresa de exportação de caucau quer liderar um país.
    O Fradique tinha muita razão na altura em dar um chuto ao gabi agora voltou na mão do pinto, vamos ver se o pinto tem a mesma coragem.Pode ser que não ambos são Costas.
    Mais meus senhores pinto/gabi o país está mal e cada dia pior.
    O pinto foi ao morro para reparar a casa o que não conseguiu fazer nos 20 anos de hibernação mais só num ano de mandato já faz obra.Gabi fez remodelação na casa de guarda para futuro gabinete de advogado por quando sair que fazer advogacia.
    Assim vamos e o povo é que sofre!

  5. Bêtodo

    7 de Maio de 2013 as 15:32

    Seja como fôr, julgo pertinente acompanharmos a evolução Tecnológica mundial.As empresas que têm modernizado o seu paradígma de venda de combustível em STP, devem ser parabenizados. Estamos habituados com pequinisses, e já a alguns tempos essa situação parece ser contornada, principalmente a nível da indústria revendedora de Combustível no País. Começou-se com a Sonangol, depois veio a CEDEC e agora temos a ENCO que fornecem a sociedade actual infra-estruturas ao rigor de novas exigências modernas. É bom isto, a com esta situação os clientes estarão melhor atendidos nas suas necessidades, evitando assim grandes enchentes como de outrora.

  6. Trinta Mil

    7 de Maio de 2013 as 19:25

    Também não é bem assim, mas é como disse.

  7. Qua Tela

    8 de Maio de 2013 as 5:06

    A minha tristeza nisto tudo é que o investimento não é vender aos santomenses, mas sim comprar aos santomenes e produzir em S.Tomé e Principe e vender ao mercado externo.
    O Sonangol monopolisou,vende aos santomenses que revende aos santomenses.
    Por outro a noticia na TVS esta virado numa noticia de agradar e não de realidade,A TVS deveria ter o Jornalista economicos, pscologo, sociologo e jornalista investigador. Não é sentar a espera de noticia para publicar, tira a copia da SIC, TV4,RTP, e outros.
    Achemmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm nunca.

  8. Nora

    8 de Maio de 2013 as 9:07

    SÓ PORQUE É SONANGOL QUE TEM CAPITAIS ANGOLANO JÁ ESTÃO A FAZER RUIDOS.
    DIGA-ME POIS QUANDO VEIO A SATOCAO, CKDO, AGRIPALMA, HB – VIDA BOA, TÊM CAPITAL NACIONAL. SE TEM SÓ PODE SER MESMO UM “PATRICE TROVOADA”.

  9. mé pó feladu

    8 de Maio de 2013 as 15:19

    deixemos de querelas não nos leva a lado nenhum sempre andar para tras como se faz politica em stp, viva povo, viva stp

  10. Sum Mengwana

    8 de Maio de 2013 as 19:05

    Cada posto de combustivel custou UM MILHÃO E QUINHENTOS MIL DOLARES!!!!!
    Poderá alguem me dizer se a moeda aqui referenciada trata-se mesmo de dolares amérianos? aquelas notas verdes que custam por unidade cerca de 19 mil dobras? Se for o caso, é questão de se gritar KIDALÊ ÔÔÔÔOOO!!! Como é que uma bomba de combustivel pode custar tanto dinheiro????? É evidente que alguns Chico espertos ja mamaram centenas de milhares de dolares com cada bomba! Auó!!! Haja gatunice e descarramento!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo