Avanços financeiros podem vir da Guiné Equatorial num negócio que envolve petróleo

O Primeiro Ministro Gabriel Costa, anunciou que está a negociar com a Guiné Equatorial, a exploração de um bloco de petróleo na fronteira marítima entre os dois países. São Tomé e Príncipe pretende receber desde já avanços financeiros, em troca da futura partilha do  petróleo.

Desde o ano 2008 que o Presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Basogo, falou a imprensa sobre a existência de petróleo num bloco localizado na fronteira marítima com São Tomé e Príncipe.

O Primeiro Ministro Gabriel Costa, anunciou que no quadro da recente visita que efectuou ao país vizinho, negociou um acordo que visa a exploração do referido bloco de petróleo. São Tomé e Príncipe pretende assim receber avanços financeiros da Guiné Equatorial, que serão amortizados quando os recursos do referido bloco jorarem. « Agilizamos um acordo com a Guiné Equatorial para a exploração conjunta de petróleo, isso em relação ao bloco 5 da Guiné Equatorial, e o obejctivo da minha visita a Guiné Equatorial era exactamente discutirmos essa possibilidade de cooperação para que São Tomé e Príncipe possa ter receitas, avanços…», afirmou o Chefe do Governo.

Avanços financeiros, que deverão entrar nos cofres do Estado a partir de 2014 para sustentar projectos estruturantes inscritos nas grandes opções do plano de desenvolvimento do país. « A prospectividade a nível desse bloco é boa. Poderemos mais facilmente encontrar da parte dos parceiros disponibildade para poder conceder empréstimos a taxas concessionais. É preciso haver uma conjugação de esforços para não comprometermos a capacidade de endividamento do Estado são-tomense», acrescentou Gabriel Costa.

Através de avanços financeiros a taxas de juro concessionais, o Governo diz que evita derrapagens no programa de ajustamento que está a ser implementado em parceria com o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional. «Tudo indica que só serão aceites empréstimos a São Tomé e Príncipe a taxas extremanente concecionais…  É muito provável que isso aconteça com a Guiné Equatorial», concluiu Gabriel Costa.

Abel Veiga

  1. img
    Védé ça Libô Responder

    Arruma as malas Gabriel e deixa de vender ilusões! O tempo urge!

  2. img
    forro da terra Responder

    O Gabriel anda muito atordoado e não sabe para onde ir buscar dinheiro.

    Quem lhe vai dar dinheiro dos seus contribuintes quando no seu país o senhor tem empresas a deverem Estado milhões de euros e o senhor não lhes cobra?

    Porque os proprietários dessas empresas são deputados, e podem deixar o seu governo cair?

    Agora vai pedir dinheiro que os contribuintes de outros países pagam ao seu estado?

    Cresce e aparece Gabriel.

    Deveria ficar no seu escritório de advogados a ler papeis e a fazer barulho como sempre fez, enquanto bastonário da ordem de advogados.

    Como primeiro ministro o senhor não tem capacidades para tal. Flasóóóó.
    Fazer, naada.

  3. img
    Jornalista Amador Responder

    Sr Gabriel Costa, a ideia de negociar estes blocos ate é de louvar.
    Mas para quê receber avanço? O que vai fazer com este dinheiro?
    Não seria mais razoavel negociar primeiro e receber depois?
    Ja parou para pensar que a receber atecipadamente, fica refem de que o vai pagar?
    Qual moral e autoridade teria para negociar com alguem que lhe dá gorjeitas antes de negociar? Por favor, refleita como gente, como jurista e como primeiro ministro, e não reflita e age como mendigo.
    Por favor negoceia, e quando tiver tudo certo, se precisar de dinherio, ai pode recorer a uma instituição finaceira e dar estes blocos ou participação nos glocos como garantia…. seja homem e verdadeiro chefe de Governo.

  4. img
    edu Responder

    Haver vamos!!!!

  5. img
    Abençoado Responder

    Receber avanços!!!!!!! Só querem receber dinheiro?

    E o dinheiro de venda do petróleo do navio confiscado, quanto rendeu ao Estado Santomense? Vai servir também para financiar o OGE 2014? Que projetos?
    O que fizeram com dinheiro da atribuição da 2ª Licença a UNITEL e da venda da parte de ações de STP Cabo, cerca de 8 Milhões de dolaraes? Para quê serviu este dinheiro?

    Param de receber dinheiro antecipado de petróleo, com a zona conjunta com a Nigéria, foi mesma coisa muita expectativa e até agora a montanha só pariu ratos. Só se ~vê grandes carros, grande casas dos senhores que trabalham nesta zona conjunta e o povo só está a empobrecer, a chupar os dedos.

    • img
      ferpenapandopo Responder

      Mas a onde é que estão os DINHEIRINHOS???

  6. img
    Barão de Água Izé Responder

    Receber avanços de dinheiro sem trabalho, dará bons resultados para o povo Sãotomense? Advogados longe da realidade do trabalho e da produção, nunca serão bons governantes.

    • img
      ferpenapandopo Responder

      Isto é o que os advogados mais gostam
      Dinheiro “Adiantado”…

  7. img
    PARABENS Responder

    Abel, não entendo o porquê da censura do meu comentário.
    Sinceramente, o Sr. Primeiro-ministro a negociar um bloco de petróleo do nosso país. Onde está a ANP-STP? Seguramente os quadros da agência nacional do petróleo estão a saber desta noticia via net. Onde está este acordo? Quais são os reais benefícios económicos para STP? Onde está a prova da existência do petróleo na fronteira com a GE? Qual é a quantidade da reserva? Agência nacional do petróleo tem estes dados? O Sr. Primeiro-ministro é experto na geologia e economia do petróleo ou assinou o acordo a cegas? Tenho esperanças que um dia seremos gentes serias neste STP.
    a GE? Qual é a quantidade da reserva? Agência nacional do petróleo tem estes dados? O Sr. Primeiro-ministro é experto na geologia e economia do petróleo ou assinou o acordo a cegas? Tenho esperanças que um dia seremos gentes serias neste STP.

  8. img
    Truque Velho Responder

    Okei, Guine Equatorial!!! Esse Paleio, para justificar a ultima visita a esse pais, da comitiva partidária. Truques velhos. Quem fala de democracia, transparência, basta tomar poder , estas palavras ficam azedas!!!!

  9. img
    José Antoniodrade Responder

    Onde está os 500 milhões que dizem que Angola quis dar ao Governo de Patricio e que ele não tinha aceite.
    Porque é que não vão buscar este dinheiro. Na altura o Patricio era muito criticado por MLSTP e PCD, porque não queria receber uma boa soma de Angola. E agora que os dois estão no poder, também estão a rejeitar este dinheiro ou andaram a mentir na altura.
    Na realidade, isto de querer avanços de dinheiro antes de iniciar qualquer negócio com qualquer parceiro, não nos leva a pate nenhuma. Temos que ter calma. Vamos negociar primeiro, buscar outras alternativas, de modo a permitir uma negociações com a cabeça levantada.
    Até quando Meu querido S.Tomé e Príncipe.
    Nunca mais aprendemos
    Bem Haja
    José

  10. img
    Odair Costa Responder

    Ola os meus CAMARADAS de S.TOMÉ E PRÍNCIPE todos os governante tem suas visões para o DESENVOLVIMENTO DO PAÍS,se o PRIMEIRO MINISTRO achou que esta é a melhor maneira de conseguir o DINHEIRO para INVESTIR NO NOSSO PAÍS temo é de louvar que consiga o DINHEIRO E QUE INVISTA NO PAIS.VAMOS DEIXAR DE CRITICAR OS OUTROS,TEMOS É DE UNIR PARA O DESENVOLVIMENTO DO NOSSO PAÍS,SE O GOVERNO ACHOU QUE É O MELHOR CAMINHO DEIXA O GOVERNO EXECUTAR.

  11. img
    Santosku Responder

    Eu percebo a fúria dos meus conterrâneos. mas é preciso entender um pouco de principios governamentais. Senhor 1.º Ministro não vai negociar o dossier petroleo com o Governo da Guiné Equatorial, mas sim negociar um acordo de principios, porque ANP-STP é que vai discutir/negociar de fundo com outra parte. O Governo tem e deve assinar um acordo de aceitação para que ANP-STP possa avançar. Se no acordo de aceitação/principio figurar alguma cláusuala que vai haver adiantamentos, porquê não. Como vamos financiar o OGE e não só, acordem.

  12. img
    António Menezes Responder

    Olhem só, quando Guiné quis nos fazer estrada, foram para Portugal fazer divida de 30 milhões de Euros.
    Sejamos Homens de Estado

  13. img
    zeme Almeida Responder

    Espero que nao se esquecam de pagar as dividas e nao atira-las ao proximo ao proximo governo.

  14. img
    abhdulay Responder

    Felicito a todos aqueles santomenses, que vivendo fora do pais STP, vêm sempre com palavras encorajadoras, para apoiar aqueles que se encontram no pais a laborar…eis uma atitude DIGNA, VALORISANTE,de ENTUSIASMO, que enviam aos familiares e demais pessoas que lutam no pais, dia à dia , para fazer avançar “léve, léve” a situaçao +, melhorar o cotidiano…embora admita-se outras opinioes (feitas no sentido de ajudar e sem ODIO , sem dirigir-se à uma pessoa em particular). Nao està em questao a pessoa do 1°M. Gabriel da Costa, mas sim STP , se cada um compreender assim, as criticas podem tornar-se mais ùteis.
    Gabriel, força, faz o que é bom e melhor para STP, avança com firmeza e coragem.

  15. img
    Florencio Santana Gomes Responder

    Oi manos de S.Tome e Principi, ja tenho 40 anos e depois de tanto analisar a situacoao do meu pais que tanto gosto, tenho a dizer que, enquanto os quegovernaram este pais deste 1975 ate 1996 estiverem vivos, non havera bem-estar para os povo de S.Tome e. pricipe… depois volto

Deixe um comentario

*