Projecto de suinicultura chegou a ilha do Príncipe

O projecto que pretende produzir 800 leitões por ano, é financiado pelo Governo de Taiwan na ordem de 6 milhões de dólares.

Foi lançado no ano 2013 na Nova Olinda, distrito de Cantagalo em São Tomé. Os primeiros leitões importados da Inglaterra, adaptaram ao clima nacional, e estão a disseminar pelo país através do projecto de desenvolvimento da suinicultura.

Algumas cooperativas de produção de suínos foram instaladas na ilha de São Tomé, nomeadamente na roça Água Izé, e com resultados positivos.

Na última semana foi a vez da região autónoma do Príncipe inaugurar a sua primeira cooperativa de produção de porcos. Um projecto financiado por Taiwan, que para além da formação dos membros da cooperativa, assegura o fornecimento da ração e a assistência veterinária.

A cooperativa da ilha do Príncipe na localidade de Bela Vista, recebeu 59 leitões para engorda. Com dois meses de vida os leitões já pesam 60 quilos, e estima-se que até o mês de Novembro próximo, atingiram 90 quilos. Em Dezembro período natalício, a população da ilha do Príncipe, terá acesso a carne suína de boa qualidade.

O Embaixador de Taiwan Miguel Her, acompanhado por elementos da equipa técnica do projecto de suinicultura, fez a entrega dos leitões a comunidade de Bela Vista. O Ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Teodorico Campos marcou presença no acto assim como o Presidente do Governo da Região Autónoma do Príncipe.

Abel Veiga

  1. img
    Santola Responder

    É mesmo assim não esquecer dos nossos irmãos em Príncipe,
    Grande iniciativa.

  2. img
    ANCA Responder

    Muito bem

    Embora ao invés de andarmos a importar, Porcos, Vacas, Cavalos, Galinhas, Patos, Peru, Coelho, ovos etc, etc, deveria-mos aproveitar, estes investimentos projectos, para a criar-mos laboratórios nacionais de melhoramento de espécies raças/animais nacionais, técnicas inseminação reprodução artificial, Técnicas de criação, alimentação, higiene, conservação, assistência veterinária, designação de origem…

    Estas iniciativas devem e podem estender a outros animais como a vaca, galinha, coelhos, patos, produção de ovos-seu calibre e origem, de modo a diferenciar a oferta na alimentação à População, de proteínas de origem animal, a abastecer o mercado interno, bem como alternativa a criação de emprego e empreendedorismo.

    Permita-me Sr Jornalista!!!…

    “Em Dezembro período natalício, a população da ilha do Príncipe, terá acesso a carne suína de boa qualidade.”

    Que a carne é Suína, sabemos, se ela será de boa qualidade dependerá de outros requisitos, como por exemplo a higiene, a conservação, modo de alimentação dos porcos, etc, etc…

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • img
      costa Responder

      Projecto de suinicultura chegou a ilha do Príncipe:
      Sendo a suinicultura uma actividade cujo índice de poluição é dos maiores em termos de agropecuária, não sei se uma actividade menos poluente que gerasse a riqueza necessária para se importar carne de porco que bastasse a Ilha, não fosse melhor.
      Além de mais, estando a Ilha do Príncipe especialmente vocacionada para a actividade turística, não me parece que as duas se conjuguem bem.
      Apenas a minha opinião
      Saudações cordiais
      Manuel Costa

      • img
        MIGBAI Responder

        Caro Sr.”COSTA”
        A sua observação foi e é muito interessante.
        Contudo penso que a exploração de suínos (suinicultura) no príncipe, não deve ter um grande impacto no ambiente, atendendo á pouco população que a mesma irá servir.
        Contudo, é assunto que deve ser obrigatoriamente considerado e analisado pelas autoridades do governo autónomo do Príncipe.
        Mais uma vez os meus parabéns pela sua oportuna observação.

Deixe um comentario

*