00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

30 de Setembro – Irmãos Monteiro ressuscitam Roça Manuel Carroça

Data história, feriado nacional, 30 de Setembro permitiu a nacionalização das roças. O processo seguinte de partilha das terras agrícolas para exploração familiar na década de 90, contribui para a degradação das infra-estruturas que davam nome as roças. A falta de manutenção das infra-estruturas, é um dos factores.
casa-patrao-carrocaManuel Carroça. Localizada nas margens do maior rio do país o “ Yo Grande” foi abandonada na década de 90 e toda a sua infra-estrutura desmoronou.

O nome Manuel vem do português que administrava a roça e “Carroça”, relacionado com o meio de transporte muito utilizado na era colonial  para o transporte de cacau e outros produtos. Pois sim, até hoje o quintal da roça tem um esqueleto de uma das carroças do antigamente.

A sanzala, a casa do patrão e outras infra-estruturas desapareceram desde a década de 90. A floresta da zona sul da ilha de São Tomé, engoliu por completo o antigo terreiro da roça.

Há cerca de 10 anos os “Irmãos Monteiro”, uma família originária da zona sul de São Tomé, mais concretamente da roça Fraternidade, decidiu ressuscitar Manuel Carroça.

Sobre as ruínas da construção colonial os “Irmãos Monteiro”, reergueram novas infra-estruturas a base de madeira.  Construíram casas para os trabalhadores, e recuperaram a casa do patrão. A roça ressuscitada dá emprego a 30 famílias. Vital do Nascimento Lopes Moreira(na foto) é o feitor. «Aqui tinha chalés, a casa do patrão e outras casas para os trabalhadores. Era uma aldeia. Mas tudo desapareceu», confirmou.

feitorA empreitada para ressuscitar a roça começou em 3 hectares. Hoje a expansão da produção do cacau, de citrinos, café e ananás ocupa 70 hectares de terra. «A produção do cacau varia mas no último ano conseguimos 6 toneladas. No ano passado produzimos 70 mil laranjas, e mais de 5 mil cabeças de ananás», explicou o feitor Vital Moreira.

Os “Irmãos Monteiro” introduziram a criação do gabo bovino. A roça que é irrigada por chuva durante todo ano, tem uma rica pastagem verdejante. Vital Moreira, anunciou que periodicamente o gado é abatido para abastecimento do mercado, e que o desenvolvimento do gado bovino é satisfatório.

boiUm exemplo de sucesso, sustentado por pessoas cujo cordão umbilical foi enterrado na roça. Mesmo que residam na capital, são impulsionados pelo afecto da vida na roça.

Vital Moreira considera que a nacionalização realizada  no dia 30 de Setembro foi um acto político importante para o país. Um desafio ao trabalho que deveria ser agarrado com pulso firme. «Foi uma coisa boa para quem trabalha e tem noção do trabalho. Para os que não trabalharam resultou em ruínas. Aqui tomamos a roça em ruínas, construímos habitações, trabalhamos e temos confiança num futuro melhor», pontuou.

A Roça Manuel Carroça, renasceu e caminha para o futuro.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Stp Responder

    Parabéns irmãos Monteiro. STP fica a ganhar. Um bem haja.

  2. img
    Zé Facebook Responder

    Excelente notícia, adorei.

  3. img
    Frantz Cassandra will Responder

    poxa se existisse pelo menos 10 santomenses com essas iniciativas talvez que nem necessitavamos de ir procurar fora sejam bem sucedidos irmaos Monteiro se precisar do meu contributo é so seguir os meus endereços.

Deixe um comentario

*