00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

Depositantes do BE procuram pelo seu dinheiro

Os depositantes do falido Banco do Equador, exigem que as autoridades governamentais e judiciais encontrem soluções para que possam reaver as suas poupanças. Na tarde de terça – feira, os lesados do Banco Equador reuniram-se com Hélio Almeida o novo Governador do Banco Central.

Em Janeiro do ano 2015, o Banco Central de São Tomé e Príncipe, decidiu assumir a gestão do Banco do Equador, para garantir a sua recuperação financeira. Após cerca de 2 anos de gestão, o próprio enquanto entidade gestora do Banco Privado, veio anunciar o encerramento do Banco Equador, e pediu ao Tribunal que a instituição bancária fosse liquidada.

Como gestor do Banco Equador, o Banco Central, prometeu reembolsar as poupanças dos clientes. Em Agosto de 2016, Maria do Carmo Trovoada Silveira, enquanto Governadora do Banco Central, assegurou o reembolso faseado das poupanças. Segundo a ex-Governadora, a primeira parte do reembolso seria feito imediatamente e a segunda parte logo após o a decisão do Tribunal em liquidar o banco privado.

Na terça – feira, após encontro com o novo Governador do Banco central, Hélio Almeida, os clientes lesados do Banco Equador, desmentiram a ex-Governadora. «Nós não recebemos nenhuma parte. O que é verdade é que a governadora cessante do Banco Central, sempre nos garantiu que o dinheiro dos clientes estava seguro, e que poderíamos contar com o nosso dinheiro. A quem pedir responsabilidade não sabemos, mas esperamos ter a colaboração de todos», declarou Manuel Martins na qualidade de porta-voz dos lesados que se reuniram com o Governador do Banco Central.

 Segundo os clientes até o momento não houve nenhuma decisão do Tribunal sobre a falência do banco equador. Nem sequer foi nomeado o fiel depositário. «Sendo dinheiro de cada um, trabalhado com sacrifício, esperamos que o Tribunal leva isso a um bom porto, e que cada um receba os seus valores. O dinheiro não está mais lá. Tudo está parado», acrescentou o porta-voz do grupo.

Segundo ainda os lesados, o valor do depósito dos clientes que deve ser ressarcido está avaliado em cerca de 20 milhões de dólares.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    saco azul Responder

    Este dinheiro foi utilizado na campanha Presidencial para EVARISTO CARVALHO

  2. img
    Jose Rocha Responder

    Então já não é o ex PR Pinto da Costa o maior defraudador do referido banco? Lembro-me de ter lido uma notícia algures que citava esse facto.

Deixe um comentario

*