Destaques

Nova Dobra

Foi lançada oficialmente no dia 25 de Agosto. Numa cerimónia que decorreu na capital São Tomé, o Primeiro-ministro Patrice Trovoada, presidiu o lançamento da nova dobra, com menos 3 zeros. As 6 denominações de notas, são mais resistentes. Isto segundo as explicações dadas num vídeo produzido, pela empresa que cunhou a moeda. 5 novas denominações de moedas, fecham o ciclo da nova moeda.

nova dobraO rosto do Rei Amador, continua a ser marca da nova dobra, exibe também alguns pássaros da fauna são-tomense.

A circulação no mercado financeiro nacional está marcada para 1 de Janeiro de 2018. «Não haverá problema no que diz respeito a paridade, nem haverá questões ligadas a inflação ou a desvalorização da moeda», assegurou o Primeiro-ministro.

O Governo foi o principal artífice da nova família da dobra, e Patrice Trovoada, garantiu que «vai permitir um melhor manuseamento das notas e melhor segurança. As notas que temos em circulação há mais de uma década, têm sido objecto de muitas tentativas de fraude. A nova dobra traz maior segurança ao sistema e facilitará as transacções», explicou.

Maria do Carmo Silveira, actual secretária executiva da CPLP, ex-Governadora do Banco Central de São Tomé e Príncipe, principal arquitecta da montagem da nova dobra, também marcou presença no evento de lançamento.

O novo Governador do Banco Central, Hélio Almeida, situou a reforma monetária como medida importante para dinamização do mercado financeiro nacional.

Abel Veiga

    8 comentários

8 comentários

  1. EX

    29 de Agosto de 2017 as 9:57

    Queira Deus que tudo que estão dizendo se concretize, já que tudo esta cozinhado, agora só temos que engolir e conviver com nova realidade que isso não crie inflação e empobrece mais o povo, pk o Governo diz que não haverá inflação, mas não consegui controlar o Mercado Informal.

  2. Reflexão

    29 de Agosto de 2017 as 11:19

    É uma boa medida da parte do governo, pois irá valorizar a nossa moeda na ótica dos câmbios com as moedas estrangeiras. Entretanto não irá reduzir nem aumentar o poder d compra da população, pois aquilo que vinha custando por exemplo mil dobras passará à uma dobra, o d cinco mil à cinco e assim por ai fora. A nossa moeda só será valorizada quando passarmos a produzir mais, consumirmos mais os nossos produtos de produção, o q por conseguinte teremos q aumentar a nossa produtividade bem como na melhoria da mentalidade da população, em especial dos governantes para q não delapidem a nossa economia em seu proveito único. E se cada vez q viaja leva o dinheiro do país, procurar reduzir consubstancialmente esta atitude pq ela também contribui para o enfraquecimento da nossa economia.

  3. Martelo da Justiça

    29 de Agosto de 2017 as 18:29

    O ADI e o seu Governo trata São Tomé e Príncipe como se fosse roça dos Trovoadas. Já habituou-nos a preparar tudo sem debater os assuntos, sem dar satisfação ao povo e impingem-nos a sua vontade. Nem o Parlamento é tido nem achado nos assuntos fundamentais da vida do Pais. Isto não é Governar em democracia. Essa governação tem sido um autentico fracasso justamente por falta desse debate publico. Já vamos no 3ª ano e pergunta-se: O que é que mudou? Na minha opinião muita coisa está pior do que há 3 anos sobretudo em relação a liberdade de expressão com enfase para a liberdade de imprensa. Eu nunca cheguei a entender porque que o Primeiro-Ministro tem que excluir jornalistas que não é do seu agrado quando dá uma conferencia de imprensa. Fico com a impressão que estamos na Correia do Norte.

    • Ralph

      4 de Setembro de 2017 as 2:22

      Concordo com os seus pensamentos. Mesmo eu estando de longe, o seu governo parece estar muito sensível a crítica e inclinado a tentar restringir a liberdade da imprensa a relatar notícias que sejam críticas do governo. Em vez de recuar da imrpensa, o governo seria melhor servido por admitir as suas fracassas e procurar solucionar os problemas levantados pelo seu povo.

  4. Nuno Miguel De Menezes

    29 de Agosto de 2017 as 22:09

    Advinha:
    Guess:

    Quantas Dobras foram necessarias para mandar imprimir Essas Dobras?

    Nuno De Menezes
    Reino Unido,Lincoln

  5. Inadelcio Freitas

    30 de Agosto de 2017 as 12:18

    Era uma confusão de zeros que passava na mente dos turistas. Por outro lado espero que haja a deflação da moeda, mas com a entrada dessa nova moeda na circulação espero que o governo aproveita muito na agricultura e casas sociais para os funcionários públicos nas zonas abandonadas que existe muito no país.

  6. margarida vieira

    30 de Agosto de 2017 as 21:18

    espero que essa nova dobra nao se dobre tanto frente äs outras moedas…

  7. Jezz FJ

    11 de Setembro de 2017 as 16:29

    So espero que os santomenses conservem bem essas notas pq ta a nos custar muito dinheiro para fabricar as msm

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo