Política

97º Aniversário da fundação da República da China – Taiwan, comemorado em São Tomé

Com a tercembaixada-de-taiwan.jpgeira maior reserva mundial em divisas, a República da China, mais conhecida por Taiwan, é um dos principais parceiros internacionais de São Tomé e Príncipe. A ajuda financeira em mais de 10 milhões de dólares anuais, garante a execução de vários projectos de desenvolvimento no arquipélago. O sucesso da cooperação taiwanesa na luta contra o paludismo no arquipélago, é um dos exemplos. Para dentro de 2 anos está prevista a construção de uma central térmica de electricidade em São Tomé. A representação diplomática de Taiwan projecta também o desenvolvimento a longo prazo de São Tomé e Príncipe, através da aposta no investimento na formação dos recursos humanos.

A opção do antigo Presidente da República, Miguel Trovoada, pelo estabelecimento a 6 de Maio de 1997 das relações diplomáticas entre São Tomé e Príncipe e a então desconhecida, para a maioria da população, República da China-Taiwan, continua a produzir bons frutos.

11 anos depois e para além de várias acções de cooperação de âmbito económico, a parceria com a ilha formosa do continente asiático, deu as ilhas verdes do golfo da Guiné no continente africano, uma das maiores prendas. Trata-se da redução em apenas 4 anos do índice do paludismo de 40% para apenas 2,2%. Muitas vidas, sobretudo de crianças menores de 5 anos, estão a ser poupadas.

Detentora da terceira maior reserva mundial de divisas, Taiwan, que ocupa a décima terceira posição mundial em termos de desenvolvimento económico, contribuiu para o desenvolvimento de São Tomé e Príncipe com mais de 10 milhões de dólares anuais.

Mais de 100 milhões de dólares já foram investidos no desenvolvimento nacional, com impacto mais visível no sector social. Analistas são-tomenses consideram que o s sucessivos governos não tiveram esclarecimento suficiente para a devida aplicação dos fundos disponibilizados por Taiwan, uma vez que o impacto no progresso do país deveria ser mais acentuado.

O arquipélago que não consegue marchar em direcção do desenvolvimento por causa da falta de energia eléctrica, encontra também na ilha asiática apoio para vencer o desafio. Numa intervenção cirúrgica de primeiro plano 4 peritos taiwaneses já estão a trabalhar na empresa de electricidade, EMAE, na recuperação dos geradores de electricidade que cronicamente sofrem diversas avariais durante o ano.

Numa segunda intervenção mais profunda Taiwan vai financiar com mais de 10 milhões de dólares a instalação dentro de 2 anos de uma nova central térmica de electricidade. Projectos estruturantes, que deverão ganhar maior dimensão também no sector da saúde. O embaixador da República da China em São Tomé, John Chen, confirmou a vinda ainda neste ano de uma equipa de avaliação para conhecer in loco, a situação do principal hospital do país Ayres de Menezes. Um pedido feito pelo Presidente da República para que a ilha formosa passe a gerir o hospital de referência.

A ver para o futuro, o representante de Taiwan em São Tomé apontou a formação dos recursos humanos, como uma das áreas prioritárias para se projectar o desenvolvimento a longo prazo de São Tomé e Príncipe. Jonh Chen acredita que o seu país pode jogar papel importante no processo, caso seja a vontade das autoridades são-tomenses. Aposta na educação foi a arma utilizada por Taiwan, para em 50 anos conquistar o nível de desenvolvimento alcançado pelas grandes potências mundiais como os Estados Unidos e Inglaterra. O embaixador garante que será também o caminho a ser seguido por São Tomé e Príncipe, ou qualquer nação do mundo que almeja o progresso.

Recentemente

Topo