Política

Aberta mais uma crise governamental; o Primeiro-ministro Rafael Branco pede cabeça do ministro dos Recursos Naturais, Agostinho Rita, que por sua vez recebe voto de confiança do seu partido o MDFM-PL

O Chefrafael-branco-bom.jpge do Governo já apresentou ao Presidente da República e Chefe de Estado, Fradique de Menezes o pedido de demissão do ministro dos Recursos Naturais, Energia e Meio Ambiente, Agostinho Rita. Tudo por causa de uma ordem de pagamento de propina pela empresa de electricidade (EMAE), no valor superior a 30 milhões de dobras, pouco mais de 1500 euros, a favor de 3 funcionários da empresa que há alguns anos estudam no Instituto Universitário de Contabilidade, Administração e Informática (IUCAI), propriedade do ministro dos recursos naturais. O MDFM-PL que sustenta o governo de coligação defende o ministro que é secretário-geral do partido, reiterando toda confiança em Agostinho Rita.

A polémica a volta do pagamento da propina dos três quadros da EMAE que estudam no IUCAI, há alguns anos evoluiu nos últimos dias até desembocar em mais uma crise política de desfecho para já imprevisível.

Uma ordem de pagamento de factura de 10 meses adiantados de propinas emitida pela administração da EMAE, sem o aval da coordenadora financeira da empresa, acabou por gerar polémica. O governo em conselho de ministros, instou o Ministro dos Recursos Naturais a clarificar a situação.

A nova administração da EMAE, veio a imprensa mostrar documentos e provar que o pagamento era legal e dentro das normas de formação dos seus três funcionários. No entanto o Primeiro-ministro Rafael Branco, nunca se convenceu da legalidade do acto, tendo mesmo afirmado que o ministro cometeu irregularidades.

O Téla Nón sabe que os contactos entre as três forças políticas que sustentam o governo, para esclarecimento do caso, evoluíram de forma positiva. O afastamento de Agostinho Rita do cargo já estava quase garantido. À redacção do jornal digital, já tinham chegado alguns nomes como prováveis substitutos do Ministro Agostinho Rira.

No entanto a reunião da comissão política do MDFM-PL da última segunda-feira, provocou um completo volte face. Por unanimidade a comissão orientou o Presidente do partido, Manuel de Deus Lima, a reconfirmar a confiança no ministro dos recursos naturais. «Não tendo a comissão política constatado qualquer envolvimento deste governante nos assuntos inerentes ao pagamento da dívida dos estudantes da EMAE à IUCAI, a comissão política decidiu reiterar confiança política ao seu membro o Senhor Agostinho Inácio da Silveira Rita, Secretário-geral do MDFM – PL, para continuar a exercer as funções de Ministro dos Recursos Naturais, Energia, e do Meio Ambiente», assegurou o Presidente do MDFM-PL.

Posição determinada do partido no mesmo dia em que o Primeiro-ministro Rafael Branco, fez chegar ao Palácio presidencial o pedido de demissão do Ministro Agostinho Rita. Crise aberta, o MDFM-PL aproveita para lançar advertências contra o Primeiro-ministro. «Preocupada com a permanente falta de de produtos da primeira necessidade como o sal, petróleo, farinha de trigo e sabão, o que infelizmente nos tem conduzido a memórias do passado inglório em que as nossas populações eram violentadas nas bichas, a comissão política apela ao senhor Primeiro Ministro para que fique mais atento aos problemas que realmente afligem as nossas populações e não se preocupe com questões de somenos importância», referiu o Presidente do partido Manuel de Deus Lima.

Os episódios decisivos da crise política vão ser conhecidos nos próximos dias. Esta quarta-feira a Assembleia Nacional reúne-se para debater também o relatório do inquérito feito pela segunda comissão especializada em torno da questão do pagamento das propinas do IUCAI, pela EMAE.

Abel Veiga

Recentemente

Topo