Política

Partidos políticos reúnem-se com o Primeiro-ministro para acalmar a turbulência governativa

Apoio togov.jpgtal ao décimo terceiro governo constitucional, foi a mensagem transmitida pelas três forças que sustentam o governo, nomeadamente o MLSTP/PSD, PCD e o MDFM-PL. Numa altura em que se regista alguma turbulência na acção governativa, as três forças políticas reuniram-se terça-feira com o Primeiro-ministro Joaquim Rafael Branco, no palácio do governo, para dissipar dúvidas sobre a unidade e coesão no seio do executivo.

O posicionamento político do MDFM-PL, nos últimos dias não dava sinais de um partido que sustenta o governo, mas sim de uma força da oposição. Nas últimas semanas nenhuma força política na oposição teceu tantas críticas ao governo como o MDFM-PL.

Sinais de crise, que tinham que ser dissipadas. Terça-feira, o Primeiro-ministro Rafael Branco, convocou a reunião inter-partidária, para acertar os passos do seu governo. O PCD aliado importante do MLSTP/PSD na criação do décimo terceiro governo constitucional, reafirmou o apoio total. Albertino Bragança líder do PCD, reconheceu que tem havido desacerto dos partidos no que concerne a tomada de posição em relação a actividade governativa. «Foi dito também que as questões relevantes que se colocam na vida política e que dizem respeito aos três partidos e ao governo, passassem a ser previamente discutidas entre nós de modo a evitar a sua propagação em circunstâncias de vez enquanto pouco abonatórias para o governo e para a coligação que o apoia», afirmou o Presidente dó PCD.

Por outro lado José Viegas secretário-geral do MLSTP/PSD, sublinhou o apoio pleno ao governo, e esclareceu que doravante os problemas governamentais deverão ser tratados no âmbito da concertação entre as três forças políticas. «Ficou claro e aceite que os três partidos deverão ter esta postura, que é de apoio, de acerto e concertação», frisou.

O Presidente do MDFM-PL, partido que tem lançado duras críticas ao governo, desde que o seu secretário geral Agostinho Rita foi exonerado do cargo de ministro dos recursos naturais, energia e meio ambiente, por proposta do primeiro-ministro, devido a alegadas irregularidades no pagamento de propinas a sua universidade, considera que estão criadas as condições para que os assuntos que dizem respeito ao governo sejam resolvidas a três antes de sair a praça pública.

O caso do ex-ministro dos Recursos Naturais, foi trazido a baila pelo próprio conselho de ministros, e o MDFM-PL, contra-atacou imediatamente trazendo a baila outros casos considerados como ilegais, e violares da acção programática do primeiro-ministro, que pretende resgatar a confiança do povo na classe política dirigente.

Num país de casos, para além de denunciar o negócio de bolsa de estudo para militares, que foi tratado de forma particular pela ministra da defesa nacional, membro do MLSTP/PSD, o MDFM-PL, trouxe também a baila a questão de gratificações mal paradas e facturas falsas que envolvem o director da ENAPORT, sector que está sob administração do partido PCD.

O barco governamental estava a ser açoitado por grande tempestade, após a reunião de terça-feira, as águas tendem a acalmar-se, resta saber até quando.

Abel Veiga

Recentemente

Topo