“Esse orçamento vai estimular a crianção pelo menos de 1000 postos de trabalho”

Publicado em 09 Dez 2008
Comentários; fechado

O anúncangela.jpgio é da ministra do plano e finanças Ângela Viegas(na foto), na abertura esta terça-feira do debate parlamentar em torno do projecto do orçamento geral do estado para o ano 2009. No valor de 150 milhões de dólares, a mais alta cifra do orçamental do estado são-tomense desde a independência nacional em 1975, projecta um crescimento do produto interno bruto real em 8%. O primeiro-ministro Rafael Branco, que apresentou aos deputados o projecto do orçamento geral do estado para o ano 2009, mostrou a justeza do documento que pretende reanimar o sector produtivo nacional. Rafael Branco, acabou por dar a palavra a ministra do plano e finanças para a nível técnico demonstrar as vantagens financeiras que se projecta para o próximo ano.

Segundo a ministra, o OGE para 2009 pretende impulsionar o crescimento do produto interno bruto real em 8%. «Esse orçamento vai estimular a criação de pelo menos 1000 postos de trabalho no país e criar as bases de uma economia crescente e forte», assegurou Ângela Viegas.

No valor total de 150 milhões de dólares, o mais alto da história do país, o programa de investimento público atribui 20% do bolo para a dinamização do sector da agricultura. «Os postos de trabalho serão criados com a dinamização da agricultura para onde vai cerca de 20% do programa de investimento público», frisou a ministra do plano e finanças, tendo acrescentado a construção e reparação de estradas, a construção de edifícios escolares, bem como a construção de centrais eléctricas, como outras actividades que vão absorver muita mão-de-obra.

A nível macroeconómico os objectivos para 2009 estão bem definidos. «Os principais objectivos macroeconómicos para 2009 são o crescimento real da economia em 8%. Uma taxa de inflação de 16% e um nível de reserva cambial superior a 4 meses de importação», explicou Ângela Viegas.

Controlo máximo das despesas do estado foi indicado pela ministra do plano e finanças como sendo a assembleia.jpgmissão urgente. Segundo Ângela Viegas as despesas concorrentes, limitar-se-ão quase que exclusivamente ao pagamento de salários.

A nível da administração pública, o governo pretende reduzir as despesas ao máximo, sobretudo com o consumo de energia.

O orçamento geral do estado para 2009, dá prioridade aos sectores definidos no programa do executivo, nomeadamente a segurança alimentar, abastecimento de água e energia, infra-estruturas e o turismo.

O debate do orçamento geral do estado prossegue até quinta-feira.

Abel Veiga