Política

Promessa do Primeiro-ministro não evitou corte de electricidade durante a festa do natal

Com afinco no início de Dezembro, o Primeiro-ministro Rafael Branco, declarou que o fornecimento de electricidade em todo o país estaria garafael1.jpgrantido na quadra do natal. A agudização da crise energética logo após ao seu anúncio tirou ímpeto ao Chefe do Governo que no parlamento preferiu apenas anunciar aos deputados que os grupos de geradores que estavam em manutenção já estavam em funcionamento. Rafael Branco evitou dar como certo que todos iriam ter electricidade. Prudência acertada uma vez que durante a festa do natal registaram-se cortes de electricidade em várias localidades do país. Mesmo assim o Primeiro-ministro manifesta-se satisfeito com a sua prestação no governo tripartido.

Atípico, foi a designação que Rafael Branco deu ao ano 2008. Atípico porque o seu partido o MLSTP/PSD que não ganhou as eleições passou a chefiar o décimo terceiro governo de São Tomé e Príncipe. Atípico porque enquanto líder da oposição Rafael Branco, q  ue criticava as acções dos sucessivos governos teve que suspender o seu trabalho de terreno, para passar a provar a sua competência na resolução dos problemas para os quais, antes acusava outros de serem incompetentes.

A mudança positiva ainda não é visível para a maioria da população que continua a enfrentar os mesmos problemas desde 2006, com a diferença de a situação de vida ter ficado mais complicada do que no passado, por causa também da crise económica e financeira mundial.

No entanto reunido em comissão política o MLSTP/PSD, aplaudiu o desempenho de Rafael Branco na liderança do executivo social-democrata. O Chefe do Governo disse que encontrou obstáculos difíceis quando saltou da oposição para o poder. «Estou a referir a crise de abastecimento do mercado, ao pagamento da indemnização dos pescadores, a questão da energia enfim uma série de problemas que pareciam não ter fim», referiu.

O Chefe do Governo diz que conseguiu controlar a crise de bens da primeira necessidade no mercado, mas há um problema que persiste. «Os produtos estão caros. Vamos tentar lutar para que os produtos sejam mais baratos», prometeu, tendo proposto mais trabalho para aumentar a produção da banana, fruta-pão, mandioca, e outros.

No balanço o Chefe do Governo reconheceu o fracasso da sua promessa de que o Natal seria todo iluminado. «Energia houve com cortes. Vamos tentar melhorar a energia», afirmou.

Verdade seja dita em várias localidades de São Tomé o fornecimento de electricidade foi contínuo e sem qualquer corte desde a última quarta-feira até esta segunda-feira. Mas noutras localidades aconteceram apagões. Prova clara de que a crise energética são-tomense não tem solução rápida. Energia é um dos produtos de base em falta no país, e que não deve merecer esforço redobrado para o seu abastecimento apenas nas quadras natalícias.

O Primeiro-ministro já anunciou a construção de uma central térmica de raiz, e a chegada de mais geradores de electricidade para que a crise fique resolvida antes do fim do seu mandato em 2010.

Abel Veiga

Recentemente

Topo