Regresso arriscado do Presidente Fradique de Menezes e de outros antigos dirigentes do país da cerimónia fúnebre do malogrado Presidente do Gabão

Publicado em 18 Jun 2009
Comentários; fechado

Com alaviao.jpggumas dificuldades  e três tentativas falhadas por falta de iluminação na pista do aeroporto internacional, o avião que transportava o  chefe de estado santomense  conseguiu aterrar. Foi um alívio tanto para os militares da guarda presidencial, que patrulhavam o aeroporto, como para o corpo diplomático e os membros do governo que se encontravam na noite de terça-feira no aeroporto internacional de São Tomé.

Já na sala vipe,  Fradique de Menezes falou a nação santomense.«Foi uma cerimonia não simples mas triste , onde estavam presentes vários chefes de estado europeu s e africanos. Sentimos de facto que o povo e os dirigentes estão preocupados com a continuação. Nos ouvimos no discurso que se procura a paz, palavra que foi pronunciada varias vezes . Esperemos que as coisas corram bem de facto.» O ex – chefe de estado Miguel Trovoada falou da emoção que sentiu ao participar na cerimonia fúnebre de Omar Bongo.«Já há mais de 4 décadas que Omar Bongo vazia parte da vida do Gabao e também da  África central e todo o continente africano. Para nós os santomenses ele representa mais do que um amigo. Ele apoiou a nossa luta de libertação desde a primeira hora(…)em todos os momentos mais difíceis ele nos apoiou. Fica para mim uma imagem de um homem de paz, de concórdia e que se investiu muito na solução dos problemas em Africa.»

Carlos Graça que foi médico particular de Omar Bongo sublinhou que S.T.P tem uma grande gratidão pelo presidente gabonês e falou do panorama encontardo naquele país.« Eu encontrei  uma situação muito interessante no gabão: primeiro há uma situação de calma, não há tenção nenhuma, o povo manifestou-se bastante, mostrou a sua magoa. No lado politico a impressão que se da é que esta tudo a correr bem com muita serenidade. Eu tenho a impressão que a lição de paz que o presidente deu talvez inspire agora os dirigentes gaboneses a fazer uma transição»

De realçar que a comitiva santomense que tinha deixado o país na manhã de terça-feira, foi composta pelo chefe de estado Fradique de Menezes, o antigo chefe de estado Miguel Trovoada, o seu  filho e antigo Primeiro Ministro Patrice Trovoada e o também ex-Primeiro Ministro Carlos Graça.

Ectylsa Bastos