“Desejo um Gabão isento da corrupção e da injustiça”

Publicado em 19 Out 2009
Comentários; fechado

ali_bongo.jpgFoi um dos desejos manifestado pelo novo Presidente do Gabão, Ali Bongo(na foto). Investido para um mandato de 7 anos na última sexta-feira o filho do defunto Presidente Omar Bongo, reconheceu que a missão é espinhosa e por isso mesmo conta com o apoio e solidariedade de todos os gaboneses e da comunidade internacional. No discurso de investidura que o Téla Nón teve acesso, o Chefe de Estado do vizinho mais próximo de São Tomé, descreve uma série de desejos que quer ver materializados.

Ali Bongo foi investido como presidente do Gabão, após a confirmação da vitória eleitoral pelo Tribunal Constitucional. Os 9 candidatos as eleições presidenciais cujos resultados foram publicados no dia 3 de Setembro, apresentaram ao Tribunal 11 recursos para anulação do escrutínio. Recursos que foram rejeitados pelo Tribunal Constitucional, que fez a recontagem dos votos.

Diante de vários Chefes de Estados africanos, e de membros do governo dos países europeus, Ali Bongo jurou na última sexta- feira perante deus e a nação defender os interesses do Gabão. O novo Chefe de Estado tem muitos desejos. «Desejo um Gabão isento da corrupção e da injustiça, desejo um Gabão onde a justiça esteja ao serviço de todos, desejo um Gabão onde as empresas prosperam e criam empregos», declarou Ali Bongo.

Rico em petróleo e madeira, Gabão enfrenta graves problemas sociais. A questão salarial tem estado na ordem do dia. O novo Presidente indicou os três pilares que vão sustentar a diversificação da economia do país. «Primeiro Gabão Verde, com a protecção do ambiente, a promoção do ecoturismo e a valorização da floresta. Gabão Industrial, valorizando as nossas matérias-primas. O Gabão de serviços com acento particular sobre as competências e as potencialidades do nosso país. O homem estará mais do que nunca de toda a nossa política. Ele será o principal actor e o único beneficiário», precisou Ali Bongo.

Na véspera da tomada de posse do novo Presidente, a República do Gabão, deu pela primeira vez passo importante na política internacional. O país vizinho de São Tomé e Príncipe, foi eleito membro não permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, para o período 2010 – 2011.

São Tomé e Príncipe, marcou presença ao mais alto nível, através do Presidente Fradique de Menezes,  na investidura do Presidente Ali Bongo. No Gabão vivem e trabalham cerca de 15 mil cidadãos são-tomenses. O sucesso das políticas preconizadas pelo novo Chefe de Estado a fim de transformar Gabão num país emergente acaba por ser um contributo para o bem estar de milhares de são-tomenses, e porque vizinhos são vizinhos, São Tomé e Príncipe poderá aproveitar a boleia.

Aliás antes de participar na cerimónia de investidura de Ali Bongo, Fradique de Menezes realçou mais uma vez a importância da cooperação sul-sul. Deu exemplos de países vizinhos como Tchad e os Camarões que são grandes produtores de bens alimentares, e outros serviços, podendo assim serem bons mercados para a importação são-tomense, com a grande vantagem da proximidade. No entanto  a ausência de meios de comunicação e de transporte entre os países da sub-região compromete este esforço de cooperação sul-sul, referiu o Chefe de Estado são-tomense.

Abel Veiga