Gabinete do Primeiro-ministro confirma assalto a residência do Chefe do Governo, mas desmente que o assaltante tenha levado 500 mil dólares conforme os rumores postos a circular em São Tomé e Príncipe

Publicado em 20 Out 2009
Comentários; fechado

gabinete-do-primeiro-ministro.jpgNuma nota de imprensa, o gabinete do Primeiro-ministro, diz que a notícia publicada pelo Téla Nón sobre o assalto na residência do Chefe do Governo tem incorrecções, e presta alguns esclarecimentos.

A nota de imprensa do Gabinete do Primeiro Ministro, assinada pelo assessor de imprensa Deógenes Cravid, diz que no artigo sobre o assalto a residência do Chefe do Governo, o Téla Nón de forma «insidiosa envolve o nome de um país amigo com o qual São Tomé e Príncipe detém as melhores relações».

O Gabinete do Primeiro-ministro, diz também que a notícia é incorrecta, e faz o seguinte esclarecimento: «1 – O roubo a que se faz menção ocorreu antes da viagem de S.E. o Primeiro Ministro à Angola. Com efeito o roubo foi descoberto a 27 de Agosto e comunicado às autoridades competentes logo de seguida, tendo sido o infractor confesso detido no dia 10 de Setembro. A viagem do Primeiro-ministro a Angola teve lugar no dia 6 de Outubro, isto é, mais de um mês depois da descoberta do furto. O processo está a ser devidamente investigado pelas autoridades competentes», explica a nota de imprensa.

O gabinete do Primeiro-ministro, esclarece também a questão do valor roubado. «A notícia avança o montante roubado como sendo de 500 mi dólares americanos, o que não corresponde nem de perto, nem de longe à verdade. Foram roubados jóias e dinheiro pertencentes à esposa e á filha do Senhor Primeiro-ministro, com um valor estimado de cerca de 50 vezes menor do que o indicado na notícia», conclui a nota de imprensa do gabinete do Primeiro-ministro.

Note-se que a notícia do Téla Nón foi feita com base em declarações de uma fonte do sector que garante a segurança do Primeiro-ministro a UPDE. O valor de 500 mil dólares, é indicado na notícia como sendo rumores postos a circular em São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga