Política

São Tomé e Príncipe e Angola preparam reunião da comissão mista

bandeiras-de-angola-e-stp.jpgHá cerca de 30 dias atrás o Primeiro-ministro são-tomense, Joaquim Rafael Branco, realizou mais uma visita relâmpago a Angola, tendo recebido das autoridades angolanas ajuda financeira no valor de 5 milhões de dólares. Acto contínuo chega hoje a São Tomé uma equipa técnica do governo angolano, para começar a preparar a comissão mista, garantia do Ministro dos Negócios Estrangeiro, Cooperação e Comunidades, Carlos Tiny. As relações de cooperação entre os dois países, fortaleceram bastante após a ascensão do MLSTP/PSD de Rafael Branco ao poder. Um reforço de cooperação que contrasta com um facto importante. É que há cerca de 2 anos que Angola não tem um embaixador em São Tomé e Príncipe.

O último embaixador de Angola em São Tomé e Príncipe, foi Pedro Mavunza. Há cerca de 2 anos que Luanda não acreditou um novo embaixador em São Tomé. No entanto a cooperação entre os dois países, cresceu de forma exponencial. Quase 1 ano e meio como Primeiro-ministro e Chefe do Governo de São Tomé e Príncipe, Rafael Branco, já visitou Angola cerca de 5 vezes. De todas as vezes, Luanda colocou um jacto no aeroporto de São Tomé, para a visita relâmpago do primeiro-ministro são-tomense. Rafael Branco, foi sempre recebido pelo Presidente Angolano José Eduardo dos Santos, que é Chefe do Governo de Angola, e também pelo Primeiro-ministro angolano.

Em 1 ano e seis meses de mandato de Rafael Branco, a petrolífera angolana Sonangol, comprou a empresa nacional de Combustíveis e Óleos, ENCO, assinou acordo para reabilitação do porto de São Tomé, e conseguiu um outro acordo de entendimento para modernização e ampliação do aeroporto internacional.

Mais ainda, a Sonangol, assinou contrato com o governo de Rafael Branco, para construção de um porto petrolífero na cidade de Neves, norte de São Tomé. Na altura da assinatura do projecto no início deste ano (Fevereiro), o Governo anunciou ao país e ao mundo de que as obras de construção do Bunker de combustível para abastecer os navios que operam na zona do golfo da Guiné, iriam iniciar 15 dias após a assinatura do documento. Certo porém é que 2010 está a porta e ainda não se lançou a primeira pedra para a construção do Bunker-porto petrolífero.

A modernização e ampliação do aeroporto também não tem novidades, e a reabilitação do porto de São Tomé, continua a ser apenas matéria para discursos.

Tudo indica que a comissão mista angolano-são-tomense, que começa hoje a ser preparada entre os dois países, traga dinamismo para execução dos projectos estruturantes anunciados pelo governo.

Segundo o Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Carlos Tiny, as equipas técnicas dos dois países, vão projectar acções de importância social, como a construção de 200 casas sócias São Tomé e dois institutos de formação média. «Chegam amanhã(quinta-feira) e estarão aqui até sábado, e será realizada a reunião conjunta. O que está na agenda da comissão mista, é a construção de 200 casas sociais e dois institutos de formação média», sublinhou o Ministro, Carlos Tiny.

A delegação angolana é composta por 10 elementos.

Abel Veiga

Recentemente

Topo