MLSTP/PSD que foi o primeiro a pedir maioria absoluta nas eleições legislativas de 2010 afinou estratégia de vitória com militantes de base de várias localidades do distrito de Água Grande

Publicado em 16 Nov 2009
Comentários; fechado

mlstp.jpgSob a liderança de Rafael Branco, o MLSTP/PSD, começou no último fim-de-semana a afinar a estratégia política para com os seus militantes de Água Grande, para vencer as eleições de 2010. O partido que governa São Tomé e Príncipe, em coligação com o PCD e o MDFM/PL, já anunciou publicamente que quer ganhar as eleições legislativas com maioria absoluta para conquistar estabilidade governativa.

Reunido com os militantes de Boa Morte, Chácara, Ponta Mina, Água Porca, e Madre de Deus, a liderança do MLSTP/PSD, traçou estratégias para manter viva a sede da vitória eleitoral no seu dos núcleos de base.

Com 34 anos da independência, São Tomé e Príncipe, foi governado em mais de 30 anos pelo MLSTP/PSD e de diversas formas. Com governos de maioria absoluta, com executivos de coligação e até mesmos em governos de unidade nacional.

Num país de instabilidades e de coligações traiçoeiras, o partido tem a convicção que só com uma maioria absoluta poderá governar com estabilidade. Por isso mesmo, o Presidente do partido que é também primeiro-ministro e chefe do governo, pediu ao povo maioria absoluta nas eleições legislativas de Abril de 2010.

Na reunião com os militantes do distrito de Água Grande, a liderança do partido, anunciou que os sociais democratas estão prontos para tudo. «O MLSTP/PSD, esteve, está e estará sempre preparado para qualquer evento. É tradição, trimestralmente termos contactos com os nossos militantes de base. As bases estão mais do que consolidadas. Não temos razões para dizer que as bases não estão organizadas, ou desmotivadas», declarou Marçal Lima, um dos membros da comissão política do partido.

Note-se que a o pedido de maioria absoluta feito por Rafael Branco, numa das reuniões com os jovens do partido, acontece depois do militante histórico do partido e antigo Presidente Manuel Pinto da Costa, ter dito que o país só poderá encontrar estabilidade governativa de algum partido ganhar as eleições com maioria absoluta.

Abel Veiga