Governo suspende funções de Michele Sciurba como cônsul honorário de São Tomé e Príncipe em Roma

Publicado em 26 Nov 2009
Comentários; fechado

michele-sciurba.jpgO Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Carlos Tiny, foi quem anunciou a suspensão do Cônsul de São Tomé e Príncipe na capital italiana. Tudo por causa de um processo judicial alegadamente movido pela justiça alemã contra o representante diplomático são-tomense. Michele Sciurba(na foto) chegou mesmo a ser detido na Alemanha por alegada prática de burla qualificada.

Segundo o Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Carlo Tiny, o caso do cônsul de São Tomé e Príncipe na Itália, detido pela polícia alemão por alegada prática de burla qualificada e outros crimes em valores que ascendem os 7 milhões de euros, está a ser analisado pelo estado são-tomense, que não tem tido muitas informações sobre o caso porque o processo está em segredo de justiça.

Enquanto procura mais elementos para entender o que se passou com o representante diplomático em Roma, o governo decidiu suspender as funções de Michele Sciurb. «Face a situação temos que preservar a imagem do país, e preservar isso, passa por no mínimo suspender essa situação, analisa-la com cabeça fria e tomar as medidas de fundo que se impõem», declarou Carlos Tiny.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros diz que o governo ficou surpreendido com a informação da detenção do cônsul honorário. «Fomos surpreendidos com a informação de que ele foi preso ou detido, estaria em prisão preventiva. Nós procuramos saber o que é que se passava, confirmou-se essa situação, e a orientação que nós baixamos era para que se suspenda no imediato a situação dele. Precisamos de informações detalhadas que nós não temos, uma vez que o processo está em segredo de justiça», acrescentou.

Questionado pelo Téla Nón, sobre a alegada acusação de Burla Qualificada que recai sobre o cônsul, o Ministro respondeu que «todo o homem é suposto inocente até que provado culpado».

Michele Sciurba foi nomeado cônsul de São Tomé e Príncipe em Roma, há cerca de 5 anos. Faz parte de uma empresa Italiana, a Italbrevetti, que assinou com o governo são-tomense acordo para o fornecimento de energia eléctrica. A central térmica de Bôbô Fôrro, é um dos projectos realizados pela empresa Italiana.

Acordo que inclui também a cedência ao grupo italiano da central hidroeléctrica do Contador, para reabilitação e aumento da produção de electricidade. «O cônsul de Roma, é preciso dizer que é cônsul já há muitos anos, muito antes da chegada do nosso governo. É uma pessoa que sempre se revelou aos nossos olhos como uma pessoa que tem dado contributo para São Tomé e Príncipe, mas como dizia um responsável, vêem-se os olhos, não se vê os corações, tem nacionalidade são-tomense que lhe foi conferido, nem se quer discutimos isso», afirmou Carlos Tiny.

Segundo apurou o Téla Nón a polícia alemã já libertou o cônsul Michele Sciurba, que deverá aguardar o desfecho do processo em liberdade.

Abel Veiga