Primeiro-ministro está preocupado com o clima de CAOS que tende a dominar o país

Publicado em 31 Dez 2009
Comentários; fechado

chefe-gov.jpgRafael Branco, manifestou-se muito preocupado com a situação política e social que o país está a viver nos últimos tempos. O Chefe do Governo considera que a desestabilização e o caos, estão a tomar conta do arquipélago. A greve dos trabalhadores da ENASA, que está a comprometer a ligação aérea entre o arquipélago e o mundo é um dos exemplos apontados por Rafael Branco.

Segundo o Primeiro Ministro, o seu partido reuniu em comissão política pela segunda vez consecutiva esta semana, para analisar a situação interna, que tende a evoluir para o CAOS. «Há muitas coisas que nos preocupam, desde logo o clima de alguma confusão, alguns actos que quanto a nós não tem justificação», declarou para depois dar o exemplo da greve dos trabalhadores da empresa que administra os aeroportos, a ENASA. «Hoje os passageiros não embarcaram no voo de Angola. No entanto o senhor Ministro das Obras Públicas tinha concluído umas negociações com o sindicato. Não é normal, porque em todas as greves que são legítimas, porque é um direito dos trabalhadores, há aquilo que se chama serviço mínimo. O turismo é uma das grandes apostas deste governo e quando enviamos mensagens dessas estamos a comprometer o desenvolvimento do nosso país», frisou Rafael Branco.

A greve na ENASA, é apenas um exemplo. Rafael Branco, diz que têm acontecido actos preocupantes que põem em causa a estabilidade e a organização do estado. «Como esse há muitos outros actos recentes que tendem a apontar para um clima de desestabilização de criação de um caos que torna difícil o governo exercer a sua actividade e que põe em causa a tranquilidade que nós todos precisamos para em 2010 realizarmos o mais rápido possível as eleições legislativas e autárquicas», concluiu.

Ambiente de instabilidade social e de crise política a atingir o clímax em São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga