Política

Raul Cravid secretário-geral do MDFM-PL não tem carácter, para falar ou exigir carácter de outros

rc.jpgA constatação é do Primeiro-ministro Rafael Branco. Em declaração a imprensa o Chefe do Governo e Presidente do MLSTP/PSD, denunciou as acções do secretário-geral do MDFM-PL Raul Cravid(na foto), ainda no ano passado para conseguir entrar na lista de deputados do MLSTP/PSD a Assembleia Nacional. Por essas e outras razões, Rafael Branco, adverte Raul Cravid para ter cuidado quando fala de carácter.

«Em relação ao senhor Secretário Geral do MDFM-PL, eu quero aproveitar para dizer 3 coisas por enquanto. Primeiro para dizer que não falo sobre carácter do senhor Ministro da administração Interna, isto cabe a outros julgar», afirmou Rafael Branco, numa intervenção de resposta as recentes declarações proferidas por Raul Cravid na imprensa nacional e estrangeira.

Rafael Branco considera que o julgamento do carácter das pessoas deve ser feito com base em factos. Por isso apresentou um facto. «No ano passado o nome do senhor Raul Cravid foi apresentado a comissão política distrital de Caué, para integrar uma lista de deputados do MLSTP naquele distrito. Isso foi feito a pedido dele e de mais um outro cidadão que pertencia a outro partido. Ambos pretendiam integrar a lista de deputados do MLSTP. O nome do senhor Raul Cravid, foi rejeitado pela Comissão Política distrital de Caué. Isto no ano passado», pontuou.

Note-se que Raul Cravid, foi militante e membro dos órgãos directivos do MLSTP/PSD. Deixou o então partido do seu coração, onde começou a fazer política, após as eleições legislativas de 2006 que deram vitória a coligação MDFM-PCD.   

O Presidente do MLSTP/PSD, tentou também desmonstrar a imcompetência de Raul Cravid enquanto Ministro da Administração Interna e da Administração Territorial. «O senhor Ministro da Administração Interna, era quem tinha a tutela da comissão eleitoral nacional. Os senhores podem fazer um trabalho junto a comissão eleitoral nacional, para saber qual é a atenção que o senhor ministro deu a CEN. Mas eu posso confirmar isso e a CEN também. Quem constatou que as máquinas destinadas a fazer o recenseamento eleitoral não chegariam a São Tomé e Príncipe o tempo previsto, foi o Primeiro-ministro. Mas o ministro que tinha a tutela do sector não sabia. Não sabia porque não estava a fazer o seu trabalho», frisou Rafael Branco.

Porque em declarações ao Téla Nón, Raul Cravid, falou do caso Búfalo a luz dos dados recolhidos pelo serviço nacional de informação, que está sob tutela directa do Primeiro Ministro, Rafael Branco, disse o seguinte. «Quanto a questão dos búfalos ele fez uma referência no Téla Nón, de que ele deu a cara. O Primeiro-ministro dá cara a todos os actos que se fazem nesse país no respeito pela legalidade, pela manutenção do clima de paz e tranquilidade que nós todos desejamos neste país. O primeiro-ministro Rafael Branco, pelo menos não dá a cara para qualquer outro acto. Para já é isso que eu digo ao senhor ministro da administração interna, porque numa outra circunstancia eu poderei dizer ao senhor o Ministro da Administração Interna e certamente a todos os são-tomenses, porque é que eu não dei a cara como ele desejaria se calhar, na questão dos búfalos», acrescentou.

Acusado por Raul Cravid de não querer marcar as eleições, sobretudo as autárquicas, o Presidente do MLSTP/PSD e Primeiro-ministro, esclareceu que tinha apresentado uma proposta de datas ao Presidente da República, mas com razão diz Rafael Branco, o Chefe de Estado não anunciou a data das eleições autárquicas e regionais porque efectivamente as condições não tinham sido criadas.

Abel Veiga

Recentemente

Topo