PCD diz que Fradique de Menezes é o principal corrupto do país

Publicado em 08 Jan 2010
Comentários; fechado

pcd.jpgRespondendo as revelações feitas pelo Presidente da República, a propósito da compra dos deputados da ADI, e que o Téla Nón publicou com o título: Fradique de Menezes faz revelações escandalosas, o PCD desafia o ministério público a investigar o caso, e vai pedir a Assembleia Nacional a criação de uma comissão de inquérito para esclarecer a alegada compra de deputados. Para o PCD o Presidente da República e do MDFM-PL, Fradique de Menezes, é o principal corrupto do país.

«Na sua comunicação do ano novo, durante a qual as são-tomenses e os são-tomenses não chegaram a compreender se estava a falar o Presidente da República ou o líder do MDFM, o senhor Fradique de Menezes chegou ao cúmulo de dizer que se sentara à mesa com os dirigentes do PCD para se decidir sobre a compra de deputados do ADI, compra que ele próprio financiou», afirmou Jorge Correia Vice-Presidente do PCD.

Na leitura do comunicado da comissão política do partido, o Vice-Presidente Jorge Correia, anunciou que o PCD rejeita essas delirantes e incríveis declarações do «senhor Fradique de Menezes num momento em que ele próprio fala no combate cerrado à corrupção quando afinal, de acordo com as suas próprias declarações, é ele o principal corrupto do país», referiu o vice-Presidente do PCD.

O PCD levanta várias questões em torno do assunto. «Quem propôs ao senhor Fradique de Menezes a citada compra de deputados? A quem entregou ele o dinheiro? Como é que um Presidente da República, no seu juízo normal, pode chegar a tanta irresponsabilidade?», interroga o PCD, para depois questionar sobre o papel do ministério público neste processo. «O que fazem o procurador geral da república e as demais autoridades judiciais perante declarações tão gravosas e preocupantes, quando no passado recente o ministério público instruiu a prisão preventiva de cidadãos com base em meras suspeições de actos de corrupção, antes mesmo da conclusão das respectivas investigações?».

Jorge Correia, adiantou que perante o silêncio das instituições judiciais perante o facto do Presidente da República ter anunciado que negociou a compra de deputados do ADI na sua residência privada em Favorita, o PCD, «irá orientar os seus deputados no sentido de avançarem com uma comissão parlamentar de inquérito, de modo a se aprofundar sobre o assunto e agir em conformidade com o estabelecido no artigo 86 da constituição política».

Note-se que no seu discurso de passagem do ano o Presidente da República e do MDFM-PL Fradique de Menezes, faz a seguinte revelação. «Naquela altura tudo fizeram, compraram os deputados da ADI, vieram a mim para eu também pagar esses deputados mensalmente. E não era inconstitucional. Já sabem a forma como eu sou, eu já disse que iria dizer isso. Devemos cessar esta dupla atitude que nós temos. De uma vez somos uma coisa, e noutra ocasião já somos outra. Eu gostaria que os senhores do PCD, dissessem já naquela altura que era inconstitucional, o Presidente da República estar metido com os partidos políticos. Porque é que não disseram? É inaceitável que sejamos assim. Vamos tirar as máscaras e sermos honestos uns com os outros».

Abel Veiga