Política

Presidente da República Fradique de Menezes ainda não tem ideia do período em que poderá marcar as eleições legislativas

presidente-e-primeiro-ministro.jpgO Chefe de Estado que prometeu em Janeiro encontrar-se com o Presidente da Comissão Eleitoral Nacional para acertar o calendário eleitoral, disse no dia 3 de Fevereiro que ainda não tem ideia da altura em que o povo poderá ser chamado as urnas. Quem parece mais confiante, é o Primeiro-ministro Rafael Branco que prometeu para ter as condições reunidas para realizar as eleições ainda no primeiro trimestre de 2010.

Em Fernão Dias e a margem da celebração do 57º do massacre de 1953, o Presidente da República e o Primeiro-ministro, falaram a imprensa sobre a questão da actualidade, a realização ou não das eleições legislativas. O Chefe de Estado falou de indecisão sobre a marcação da data das eleições. «O Presidente da República não pode marcar as eleições sem primeiro haver um comprometimento da Comissão Eleitoral Nacional, isto é do Governo. Eu tenho que ter mais ou menos uma ideia do tempo. Uns falam de 3 meses, 4 meses, 5 meses. Mas estou a espera de um sinal do Presidente da Comissão Eleitoral nacional», afirmou o Chefe de Estado.

Fradique de Menezes disse que enquanto esteve ausente nos últimos dias, mais concretamente na Etiópia, contactou telefonicamente com o Presidente da Comissão Eleitoral Nacional em busca de esclarecimento sobre o ponto da situação com vista a marcação das eleições. O Presidente da República considera que depois da conversa ficou mais indeciso. «Pensei que os materiais iriam chegar no dia 30. Parece que não chegaram ou chegaram poucos materiais, o que não permite ainda avançarem para o terreno como gostariam e como está calendarizado pelo programa que fizeram. E aí põe-nos numa situação de indecisão, como fazer? Ou marcamos agora correndo o risco de as coisas serem feitas a pressa, em cima de joelhos e depois amanhã sermos acusados, que tomamos decisão de uma data sabendo de antemão que o país não estava preparado, o Governo e a Comissão Eleitoral não estavam preparados». Enfatizou.

Por outro lado o Primeiro-ministro, Rafael Branco, também presente no acto ripostou, garantindo que as eleições terão lugar ainda no primeiro trimestre de 2010. «Os materiais já estão em Luanda deviam ter chegado na semana passada. O avião não aterrou em São Tomé. Dizem-me que na quinta-feira (hoje) os materiais estarão cá. Teremos dois grupos de materiais que vão permitir acelerar todo o processo, e estou convencido que há condições para fazermos eleições até o primeiro trimestre deste ano», declarou o Primeiro-ministro.

O Presidente da República único órgão do estado que tem competência constitucional para marcar as eleições legislativas, prometeu tomar uma decisão dentro de uma ou duas semanas. «Acho que dentro de uma ou duas semanas teremos que tomar esta decisão», concluiu Fradique de Menezes.

As eleições legislativas que segundo o calendário eleitoral deveriam ter lugar em Março próximo acabaram por ser adiadas para Abril. O recenseamento eleitoral de Raiz que estava previsto para iniciar em Novembro de 2009, ainda não começou.

Abel Veiga

Recentemente

Topo