Governo decidiu pela venda do Barco Príncipe

Publicado em 19 Fev 2010
Comentários; fechado

pmrbse.jpgA decisão foi tomada na reunião do conselho de ministros desta quinta – feira. Segundo Jorge Bom Jesus, Ministro da Educação e Cultura e Porta-voz da Sessão do Conselho de Ministros. Após auscultação do Ministro das Infra-estruturas sobre a situação do barco, o Governo decidiu lançar um concurso público para privatização do navio que foi comprado pelo estado são-tomense há cerca de 4 meses.

O Governo regional do Príncipe, exigiu que fossem apuradas as responsabilidades pela avaria que paralisou o navio Príncipe, há mais de dois meses, pondo em causa a ligação marítimas inter-ilhas.

O Governo Central, reagiu a situação depois da reunião do conselho de ministros. O governo decidiu «contratar uma equipa externa para proceder a uma peritagem sobre a situação do barco. De acordo com o relatório da peritagem, abrir imediatamente um inquérito para apurar responsabilidades», afirmou o ministro da educação e cultura, Jorge Bom Jesus enquanto porta-voz do conselho de ministros.

 O conselho de ministros foi mais longe. «Lançar um concurso público para gestão privada do barco», precisou o conselho de ministros pela voz do ministro da educação.

Note-se que em Setembro de 2009, a quando da inauguração do barco Príncipe que mereceu honras do estado, o Presidente da República Fradique de Menezes e o Presidente do Governo Regional do Príncipe José Cassandra, defenderam que a gestão do navio fosse entregue as autoridades do Príncipe.

Antes mesmo do navio fabricado em Espanha ter chegado a São Tomé, já as forças vivas da ilha do Príncipe punham em causa a possibilidade do navio vir a ser gerido por entidades privadas.

Barco Príncipe, inicialmente considerado como uma bênção para a ligação entre as duas ilhas, pode transformar-se agora num ponto de discórdia e de tensão.

Abel Veiga