Conselho Nacional escaldante este fim-de-semana na sede do MLSTP/PSD

simbolo-do-mlstp-psd.jpgO partido está dividido em duas ou mais alas“. Disse ao Téla Nón um dos membros da direcção que pediu anonimato. Sob a liderança de Rafael Branco o MLSTP/PSD tem conseguido nos últimos anos blindar a sua sede para que as contradições e guerras internas não ecoem na praça pública. Mas o barril de pólvora já atingiu um nível tal, que deverá explodir este fim-de-semana. A liderança de Rafael Branco é contestada por uma ala, que reivindica um congresso extraordinário exactamente para afastar o líder.

A parceria alegadamente tecida pelo Presidente do partido e Chefe do Governo Rafael Branco com o PCD, não foi bem aceite pelas diversas alas do MLSTP/PSD. O mal-estar interno é tão grande que o próprio Presidente do partido numa reunião com as mulheres do MLSTP/PSD disse que existem demónios no seio do partido. Demónios que estariam a criar problemas a sua liderança.

Adelino Izidro, deputado e membro da comissão política do MLSTP/PSD, confirma o conflito de alas no seio da família social-democrata. «É normal que haja divergências no seio de qualquer partido político. Eu faço parte desta ala contestatária que não concorda com a forma monolítica e ditatorial em que estão a dirigir o MLSTP», declarou.

A ala contestatária é composta por militantes que ao lado de Rafael Branco travaram nos últimos anos batalha renhida sem quartel, contra os sucessivos governos que nasceram após as eleições legislativas de 2006. Conseguiram derrubar dois governos, o de Tomé Vera Cruz e de Patrice Trovoada.

Na difícil travessia do deserto, quando encontraram o oásis, ou seja, quando Rafael Branco tomou o poder, a aliança política com os seus camaradas de partido começou a desfazer-se. A contestação interna começou a aumentar. Agora a ala dominada pelos militantes que batalharam ao lado do líder, é considerada como demónios. «Esta tentativa de conotar-nos como demónios não tem qualquer relevância política. Nós representamos uma ala discordante com a forma como o partido está a ser gerido. Nós divergimos totalmente pela forma como se faz a gestão do partido e da coisa pública no país neste momento», precisou Adelino Izidro.

Na sede do MLSTSTP/PSD o Téla Nón testemunhou os preparativos para o conselho nacional deste fim-de-semana. Com as eleições a porta a reunião pretende pôr fim a divergência interna e unir o partido para os desafios eleitorais de Julho e Agosto.  Um dos membros da direcção do MLSTP/PSD que está a trabalhar na preparação do conselho nacional, confirmou para o Téla Nón que o partido vive um momento de grande turbulência interna. «Mas acreditamos que esses problemas vão ser superados. Já tivemos outros casos no passado e conseguimos ultrapassar», afirmou o dirigente que pediu anonimato.

Segundo ainda a mesma fonte, a parceria política entre o MLSTP/PSD e o PCD, é um dos pontos que provoca divergência no seio do partido. Algumas alas consideram que o MLSTP/PSD está a ter desvantagens. A nível do governo os sectores estratégicos estão nas mãos do PCD, dizem os contestatários. «Por outro lado os fundos que os nossos parceiros tradicionais colocam a nossa disposição para financiar as acções políticas estão a ser partilhados com o PCD. E no terreno estamos a perder militantes para o PCD», concluiu a fonte.

Problemas que vão marcar a reunião escaldante do conselho nacional do MLSTP/PSD este fim-de-semana.

Abel Veiga  

Deixe um comentario

*