Política

Luz verde para fomento das trocas comerciais entre São Tomé e Príncipe e Cabo Verde

rafael-e-maria-neves.jpgOs dois países assinaram esta segunda – feira 2 acordos que vão permitir o fomento das trocas comerciais. O Primeiro-ministro Cabo Verdiano, José Maria Neves, anunciou que o seu país vai elevar o consulado em São Tomé para a categoria de embaixada, e Rafael Branco prometeu abrir em Cabo Verde o primeiro consulado de São Tomé e Príncipe.

A cooperação entre São Tomé e Príncipe e Cabo Verde, não fica apenas pelo fomento das trocas comerciais. Aliás esta valência é a novidade que surge numa cooperação que se desenvolve nas áreas da agricultura, pescas, transporte, comércio, saúde educação, justiça, administração pública, assim como a nível empresarial e das Comunidades. Áreas de cooperação que os dois países se acordaram em elaborar programas exequíveis de cooperação para os próximos 2 anos.

Em alguns sectores a relação bilateral, tem tido êxito. O Primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, Joaquim Rafael Branco, salientou o sector da Educação onde Cabo Verde tem apoiado e com êxito a reforma do sistema nacional de ensino, através da formação dos professores. Rafael Branco pediu a José Maria Neves que para enviasse professores cabo-verdianos para leccionarem em São Tomé e Príncipe, o que foi aceite de imediato.

Por outro lado, o Chefe do Governo Cabo Verdiano, anunciou que dezenas de estudantes são-tomenses, estão a ser formados nas universidades e centros de formação profissional cabo-verdianas. Depois de ter-se reunido segunda – feira com o Presidente da República Fradique de Menezes, o Primeiro-ministro Cabo-Verdiano fechou a visita de 5 dias no salão nobre do Palácio do Governo, onde testemunhou a assinatura dos novos acordos de cooperação.

O Primeiro a ser assinado foi o acordo fitossanitário que permite a troca comercial de produtos entre os dois países. Seguiu-se o acordo no domínio das pescas marítimas. Segundo José Maria Neves, o referido acordo não implica apenas a exploração dos recursos piscatórios, mas também a investigação científica.

Os dois primeiros-ministros testemunharam também a assinatura do acordo de ligação marítima entre duas empresas privadas. Uma são-tomense ligada ao grupo Gibela e outra cabo-verdiana.

No comunicado final lê-se que José Maria Neves«anunciou para breve a elevação para o nível de embaixada da representação de Cabo Verde em São Tomé e Príncipe». Por outro lado o comunicado final adianta que «o Primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, Joaquim Rafael Branco, anunciou para breve a abertura de uma representação consular de São Tomé e Príncipe em Cabo Verde».

A visita de 5 dias de José Maria Neves a São Tomé e Príncipe, ficou marcada também por encontros com a comunidade cabo-verdiana tanto em São Tomé como na ilha do Príncipe.

Abel Veiga

    1 comentário

1 comentário

  1. Madalena

    2 de Setembro de 2010 as 12:36

    Joaquim Rafael Branco, não conseguiu colocar uma representação consular em cabo verde, tinha prometido para breve. Falta de visão.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo