Na reforma geral da instituição militar Governo cria pela primeira vez cargo de Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas

As forças armadas de São Tomé e Príncipe, resumem-se ao exército. A patente mais alta é de Tenente-coronel. Idalácio Pachire Tenente Coronel de Artilharia é desde 2003 Comandante do Exército. Na política de reforma da instituição militar, o conselho superior de defesa decidiu criar mais dois níveis de patente, nomeadamente a de Coronel e de Brigadeiro. As forças armadas passam também a ter dois ramos, e um Chefe de Estado Maior General.

Segundo a ministra da defesa nacional, Elsa Pinto, a proposta de revisão da lei da defesa nacional e das forças armadas, já passou pelo crivo do conselho nacional de defesa, órgão Presidido pelo Chefe de Estado e Comandante Supremo das Forças Armadas, Fradique de Menezes, e foi depositado na Assembleia Nacional para efeitos de aprovação.

O projecto de lei que propõe reformas na instituição militar, exige a criação de mais dois níveis de patentes. Actualmente a patente mais alta é a de Tenente-coronel. «A proposta considera que devemos elevar mais dois níveis de patentes que são de Coronel e de Brigadeiro. Cabe a Assembleia Nacional ajuizar sobre a proposta que apresentamos», referiu a ministra da defesa nacional.

Elsa Pinto acredita que a proposta de lei possa ser aprovada ainda nesta legislatura, uma vez que a comissão permanente da Assembleia Nacional tem pela frente mais de 3 meses de mandato.

A elevação do nível das patentes para Coronel e Brigadeiro numa força armada pequena, que está longe de ter um efectivo de 2 mil homens, pode gerar comentários polémicos. Mas a Ministra da Defesa Nacional, mostra uma das razões que justifica a elevação das patentes. «É preciso elevar os níveis das patentes para que os nossos oficiais estejam a mesma altura dos outros oficiais aqui do continente, sobretudo as chefias. Quando por exemplo um comandante que tem uma patente de tenente-coronel vai-se assentar a mesa dos comandantes, normalmente temos os oficiais generais, que são coronéis, brigadeiros e generais e queríamos conferir essa dignidade as nossas chefias», explicou Elsa Pinto.

Necessidade de coronéis e brigadeiros nas fileiras das forças armadas, ainda mais quando a instituição militar vai conhecer reforma profunda. Pela primeira vez o país vai ter um Chefe de Estado Maior General de uma força armada com dois ramos. «Vamos elevar a guarda costeira a um ramo das forças armadas. Portanto a guarda costeira deixará de fazer parte do exército. Teremos a guarda costeira como um ramo das forças armadas, e teremos um estado-maior general das forças armadas. Haverão dois comandantes um para o exército e outro para a guarda costeira, e em cima o estado-maior. São substancialmente as grandes reformas que estamos a prever nesta proposta», reforçou Elsa Pinto.

A força aérea que é um dos ramos de qualquer força armada, é para São Tomé e Príncipe um sonho. «A força aérea é um sonho. Mas cada um faz o calúlu como pode. Na nossa estratégia vamos ver a possibilidade de criar uma componente aero – naval, e a guarda costeira terá essa componente», sublinhou a ministra da defesa nacional.

Elsa Pinto avisou que as promoções dos oficiais superiores, vão seguir a risca a lei vigente que rege o funcionamento da instituição militar. «Aqui nas forças armadas temos a lei da defesa nacional que define perfeitamente as carreiras, os critérios para ascensão de cada posto, a lei nesta matéria vai até os mínimos detalhes. No momento chegado saber-se-á que oficiais poderão ocupar estas patentes. Os critérios são claros, por exemplo a antiguidade no posto, e outros como os cursos de direcção e de defesa que são requisitos plasmados na própria lei», concluiu.

A reforma geral no seio da instituição militar começa em Setembro próximo com a promoção dos oficiais subalternos, nomeadamente capitães, tenentes e alferes, bem como sargentos.

Abel Veiga

  1. img
    gostei dessa..... abrigada Responder

    presisamos de ter esperança ..

  2. img
    edgar Responder

    Isto em breve vai parecer a nossa irma, a Guine Bissau. Onde todos querem alta patente.

  3. img
    Zagaia Responder

    Uma possível solução para isso está aqui.http://cascagoloso.gofreeserve.com/index.php?topic=23.0

    Pensar STP de uma forma diferente…
    Tela Non está altamente.
    Abel está de parabéns.

  4. img
    cesario verde segundo Responder

    depois das bacoradas e o mau génio que essa senhora tem e demonstra sempre, pois havia que inventar algo pra tentar ter os militares e os que se beneficiem de tal categoria militar. talvez seja mais um trunfo para que a amparem e a protejam a esta rainha que tem ouro na barriga. coitada da desgracada mulher, nem sei ainda é ministra, pois como diria o mangolé: “só mesmo em “san tómé”

  5. img
    cesario verde segundo Responder

    nem sei como ainda é ministra, dizia eu…

    • img
      vandino gomes Responder

      nem sei como deixam pessoas como você fazer acessar a sites como este…pelo visto não tem mínima cultura geral e es burro…se conhecesses a Ministra de perto saberias que tem mostrado grande competeênci na ocupação deste cargo que outrora só era exercido por homens…devias conhecer o seu trabalho de perto e só depois começar a reclamar ya?

      • img
        Pedro Responder

        Segundo o rapaz ficou ofendido!!! Mais um virgenzinho ofendido!lol

        • img
          vandino gomes Responder

          ya…menino, realmente fiquei ofendido, pq vcs clamam por melhoria e quando há sinais concretos dessa melhgoria, reclamam da mesma! vai você ocupar aquele cargo espertinho!

  6. img
    João nguê téla Responder

    Depois de simiarem tanto descontentamento no seio das FARSTP surgem agora com o sambapito para lhes calar os bicos. Resta saber se essas patentes pousarão nos hombros certos.Lool

  7. img
    Feliho de Deus Responder

    É JUSTO QUE SE FAÇA ISSO, MAS É COMO A MINISTRA JÁ DISSE A PROMUÇÃO TERÁ QUE SEGUIR AS RISCAS A LEI POIS O FACILITARISMO E CUNHAS NÃO PODEM FUNCIONAR NESTE CASO….
    JA BASTA NOS OUTROS CASOS…..

    • img
      Arnaldo Ramos Responder

      É de elogiar a capacidade desta senhora,corajosa,que vé as coisas num horizonte de progresso.
      É necessário que a nossa elustre Assembeia Nacinal dê um credito nesta substancial reforma que preve esta proposta hora apresentada.

  8. img
    eugenio cabinda Responder

    eu como um ex militar aplaudo esta iniciativa da ministtra mas resalvo que estas reformas nao devem ser so para os oficiais mas tambem tem ki ter em conta a classe dos sargentos ki tem uma grnde importancia no seio do exercito mas ki ao longo dos tempos tenhen sido marginalisada e tambem tem ki ter em conta o minhoramento das condiçoes de trabalho e de vida dos militares.

  9. img
    Pedro Responder

    http://cascagoloso.gofreeserve.com

    Existe uma proposta muito interessante nesse forúm para uma possível reformulação das nossas Forças de Segurança.
    Depois de entrarem no site, terão que clicar no tópico que diz mesa redonda, a seguir revisão constitucional.
    Fuiiiiiiiiiiiiiiii

  10. img
    YOAVI LADY DOS SANTOS Responder

    É pêna que só pensemos em chefia naquele país deviamos ser uma força de carrís estremamente humanitária ao em vez de pensarmos em dar poder a pessoas que talvez nem se quer sabem o que é poder, tirem o exemplo a nossa irmã guinê companheiros.abraços

  11. img
    Antonio Vaz Responder

    MINISTRA DA DEFESA, SRA. ELSA PINTO, EXPLICA-NOS SOBRE ESSE ARTIGO!

    http://www.jornaltropical.st/sociedade52.htm

    “Jovem baleado deixa família indignada
    24-05-2010 – Um jovem que residia em Oque-Del-Rei, de nome Abdulai Diogo, foi baleado por um elemento da guarda presidencial são-tomense, o mesmo acabou de falecer sexta-feira passada.
    Segundo familiares, disseram que ameaçam com manifestações de protestos nos próximos dias junto das autoridades locais.

    A confirmação da morte de Abdulai Diogo foi feita também por fonte médica do hospital central Dr. Ayres de Menezes, onde o jovem se encontrava internado alguns tempo.

    Os familiares prometem levar os protestos junto do Primeiro-ministro, do presidente da Assembleia Nacional e das autoridades judiciais, onde pretendem formalizar uma acusação por homicídio premeditado já que o segurança, “apesar do crime cometido, continua solto”.

    “Sabemos que à noite ele vai à discoteca e circula na rua em carro, mas nenhuma autoridade faz nada. Isto é que não entendemos”, frisou a mesma fonte.

    Os familiares sublinharam que o governo ainda não tem conhecimento do caso, daí que vão pedir um encontro com o Primeiro-ministro e com a ministra da Defesa para colocarem a questão.

    Membros da família disseram ainda a Lusa que contavam com uma posição firme do Presidente da República que acabou por não acontecer.

    Tudo começou com uma troca de palavras entre os adeptos dos clubes portugueses do Benfica e do Sporting. Na sequência da discussão, o segurança disparou sobre a vítima.”
    (Manuel Vaz)

Deixe um comentario

*