Política

Recenseamento eleitoral de raiz registou menos 7 mil eleitores do que em 2006

As contas e as perspectivas da Comissão Eleitoral Nacional para o recenseamento eleitoral de raiz resultaram-se num grande fracasso. Na perspectiva de recensear cerca de 90 mil eleitores, tendo em conta o registo de 2006 que apontava para a existência de 83 e 500 eleitores a CEN, só conseguiu registar cerca de 76 mil eleitores.

Numa altura em que a comissão eleitoral nacional afixou os cadernos eleitorais, para que os eleitores possam confirmar os dados inscritos, ou então, reclamar caso o nome do eleitor não esteja na lista, o distrito de Água Grande o mais populoso do país regista uma acentuada redução de eleitores.

Hernane Viegas, Presidente da Comissão Eleitoral do distrito mais populoso, Água Grande, deu o exemplo da circunscrição número 2 que envolve a capital do país, onde até 2006 existiam 1200 eleitores. Com o recenseamento eleitoral de raiz o número baixou para metade, 600 eleitores. O Presidente da Comissão Eleitoral Distrital, garante que a fraca aderência da população ao recenseamento explica a redução significativa de eleitores em Água Grande. Em 2006 o distrito tinha mais de 33 mil eleitores, agora regista cerca de 30.

O Presidente da Comissão Eleitoral Nacional, promete para breve uma conferência de imprensa para divulgar os dados do recenseamento eleitoral de raiz, e responder as críticas do partido MDFM-PL, em relação aos alegados casos de falsificação de documentos de identificação por parte de alegados estrangeiros, que foram inscritos como eleitores.

No entanto o Téla Nón apurou que o número de eleitores inscritos não passa de 76 mil, quando para as eleições de 2006 existiam mais de 83 mil e 500 pessoas com direito de votar.

Abel Veiga

    6 comentários

6 comentários

  1. Mutante de Bem

    20 de Junho de 2010 as 18:32

    Não é de estranhar… estão a morrer tds de miseria

  2. Falar não,poded

    21 de Junho de 2010 as 9:01

    O povo fez muito mal em ir se recencear. Da maneira em que o pais se encaminha não deveria haver nenhuma só eleição.De modo a que o mundo exterior compartilha-se como o nosso sofrimento.

  3. cesarjesus

    21 de Junho de 2010 as 17:45

    Bom, o que esperava a estatistica!!! Que o numero de eleitores crescessem para dobro!!! Nao se esquecam que o numero de desempegado e muito grande STP, as pessoas procuram a sobrevivencias noutros Paises, como Angola, Gabao, Portugal etc…de forma a poderem sobreviverem e sairem desta miseria! A insatisfacao que gera no Pais tambem contribui muito para este numero, sem contar com as mortes k tem aumentando cada dia no Pais!
    Ainda mais agora que nao temos agua putavel nem no hospital, no proximo recenseamento vamos chegar so os 50 mil!!!

    Forca Povo STP…

  4. "Nós por cá e a nossa Maneira"

    21 de Junho de 2010 as 18:24

    ……pois é…..isto já era de esperar…….como se diz “eis uma morte anunciada”…………..

    ………o recenseamento de um povo, não deve ser feito, as preças e nem nas vesperas de eleições……………..
    todos nós sabemos e consequentemente sabiamos que o final era mais do que esperado…………………….

    ……..portanto…….reclamações porquê????………é esse o espeirito dos dirigentes santomenses….

    • "Nós por cá e a nossa Maneira"

      21 de Junho de 2010 as 18:26

      …..acrescento…”fazer mal…para parecer bem feito”……

  5. Mamum

    24 de Junho de 2010 as 10:20

    Mais recensear – eleição- pra kê se o pais não muda sempre a mesma coisa. as caras que estão no poder ja vem desde dos tempos da independência. são sempre os mesmos por isso acho k deveriam ficar ai enternamente ou deixar o poder dar oportunidade a pessoas que realmete kerem o melhor para o pais pessoa com o sentido patriota pessoas k gostam deste pais k ama o seu povo… e mais n digo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo