Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação desmente crise no sector

Em reacção ao artigo publicado pelo Téla Nón no dia 9 de Julho, que apontava para uma série de irregularidades no funcionamento do ministério dos Negócios Estrangeiros, uma nota do gabinete do Ministro Carlos Tiny, desmente que o sector está em crise e dá explicação detalhada para cada situação denunciada no artigo.

«O Ministério desmente formalmente a existência de qualquer crise no sector», diz a nota do ministério dos negócios estrangeiros e cooperação. No que concerne a nomeação de Maria de Lourdes Salvaterra como adida comercial da embaixada de São Tomé e Príncipe em Angola, o Ministério dos Negócios Estrangeiros, esclarece o seguinte: «A senhora Maria de Lourdes Salvaterra, foi nomeada por despacho do ministro dos negócios estrangeiros, cooperação e comunidades de 16 de Abril de 2009, visado pelo Tribunal de Contas sob o número 02/2010 em Fevereiro de 2010 e em conformidade com o artigo 40º, ponto 1, alínea a) do estatuto de carreira diplomática em vigor que prevê o cargo de Adido Comercial, contrariamente ao que é afirmado na notícia».

O comunicado acrescenta ainda que Maria de Lourdes Salvaterra está ao serviço do ministério dos negócios estrangeiros, cooperação e comunidades há mais de 10 anos, apesar de não ser funcionária do quadro diplomático.

A presença do embaixador Jorge Amado no palco da campanha para as eleições autárquicas, regionais e legislativas, foi um dos assuntos reflectidos no artigo do Téla Nón. Segundo a nota do ministério de Carlos Tiny, o embaixador de São Tomé e Príncipe em Taiwan, solicitou por carta, autorização ao ministro dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Comunidades. «Para se deslocar ao país a fim de tratar de assuntos ligados ao seu agregado familiar», diz a nota.

É verdade que o embaixador Jorge Amado tem participado em acções de campanha do seu partido, o MLSTP/PSD, mas a nota do Ministério dos Negócios Estrangeiros não faz referência a essa situação. Se é contrária ao estatuto da carreira diplomática ou não.

No comunicado de imprensa, o Ministro Carlos Tiny, defende-se das críticas em relação a nomeação de embaixadores políticos. «A constituição da república não confere poderes ao ministro dos negócios estrangeiros, cooperação e comunidades para nomear embaixadores. A competência de nomear e exonerar embaixadores segundo o artigo 82º, alínea d) da constituição política é do Presidente da República sob proposta do Governo», explica o gabinete do ministro.

No entanto o estatuto da carreira diplomática não permite que os embaixadores exercem actividades políticas. O Ministério reconhece tal facto. «De conformidade com o ponto 1 do artigo 26º, alínea a) do Estatuto da Carreira Diplomática, é proibido aos funcionários da Carreira Diplomática o exercício de actividades político-partidárias e candidaturas a cargos electivos a nível central ou local quando em efectividade de funções», diz o estatuto.

O Ministério de Carlos Tiny, considera que o caso de Jorge Amado, é diferente. «Ao invés do que pretende fazer crer a notícia, o embaixador Jorge Amado, não é do quadro de carreira diplomática», precisa o gabinete do Ministro.

O caso de Francisco Carlos Fernandes, fecha o comunicado de imprensa do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Comunidades. «O artigo 24º do estatuto de carreira diplomática, Aceitação de Funções, diz que os funcionários de carreira diplomática não podem recusar o exercício de funções que por conveniência de serviço e de acordo com os princípios enunciados nos artigos 17º e 18º lhes sejam confiados nos serviços centrais ou externos, salvo evidente ilegalidade ou razões de força maior, caso em que lhes reserva a liberdade de aceitar ou declinar a nomeação».

Feita a introdução com base na lei, o ministério dos negócios estrangeiros, cooperação e comunidades, diz que «o doutor Francisco Carlos Fernandes, foi nomeado pelo despacho número 2 de 16 de Abril de 2009 para desempenhar o cargo de ministro conselheiro da embaixada da República de São Tomé e Príncipe, na República Portuguesa, situação em que se encontra quando participou no concurso para o preenchimento da vaga de Director Técnico do Projecto de Coordenação de Ajuda».

Segundo o Ministério dos Negócios, Estrangeiros e Cooperação, «ao apresentar a sua candidatura ao referido concurso, o Ministro Conselheiro Francisco Fernandes, omitiu o facto acima referido, e mais grave ainda, não preveniu o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento de que tinha sido exonerado do cargo de Director da Cooperação que vinha exercendo, o que induziu aquele organismo do Sistema das Nações Unidas em erro», refere o comunicado.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros termina a sua reacção com o seguinte esclarecimento. «O cargo de Director Técnico do Projecto de Coordenação de Ajuda foi preenchido mediante novo concurso público, tendo o seu actual titular sido seleccionado por um júri integrando, 1 representante do Ministério dos Negócios Estrangeiros Cooperação e Comunidades, 3 representantes do ministério do Plano e Finanças, e 2 representantes do PNUD».

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    manuel fernandes da trindade Responder

    É só conversa fiada de Tiny, cerca de 30 anos nesta conversa fiada para tratar da sua vida e dar cado da dos outros. Estes artigos podem ser todos contrariados mas, aqui e nem cabe a mim de o fazer. Tiny foi sempre sempre sempre autoritário e prepotente como rafael branco. são dois em 1.

    • img
      Ana Reis Responder

      Voces deviam conhecer primeiro as pessoas e o seu trabalho para depois falarem delas. Vamos deixar de uma vez por todas esse tipo de atitudes pre-concebidas em relação às pessoas. Se passarem no ministerio que esse homem superiormente dirige e falarem com alguns funcionarios, desde os directores aos empregados de limpeza, vão perceber o trabalho de excelencia que o Tiny tem feito.O mesmo digo em relação ao actual primeiro ministro.Deixem de má fé e uêcheismo. Tenho dito.

      • img
        socrates Responder

        ele deve estar a fazer algum tipo de manutencao pra seres a unica a respoder em seu favor

  2. img
    Mundo é de Deus Responder

    Uma vergonha

  3. img
    Dr.Amado(Vulgo Saca Papo) Responder

    AI ESTA OUTRA PALHAÇADA…CONCENTREM-SE NÃO PRECIPITEM,QUE AINDA NÃO ESTÃO ABULIR COM AQUELES QUE MEXERAM COM O SACO…ISTO JA SE TORNOU UM BRINCADEIRA POLITICO NESTE PAIS…CADA UM DEFENDE A SUA TESE…PEGUNTO QUEM DEFENDE O POVO?

  4. img
    Dr.Amado(Vulgo Saca Papo) Responder

    JA SE PASSOU O TEMPO DE CARNAVAL,AINDA SE O BUTTER ESTIVESSE VIVO AINDA HAVERIA ESPECTACULO NÃO VEÊM AI A CONTAR OU FALAR DA CRISE PORQUE NA HORA DA VERDADE A CRISE INSTALA-SE JA HA EXPERIENCIAS PROPRIAS COMO SE INSTALOU-SE NOS MANOS DA EUROPA PORTANTO NÃO TE DEFENDA FALA A VERDADE TINY SEI QUE AINDA ÉS UM ESPELHO DA DEMOCRACIA CASO QUEIRAS…

  5. img
    Alberto Nascimento Responder

    Este senhor é o melhor politico que ja tivemos em São Tomé.

    • img
      Alberto Nascimento Responder

      Eu Sarcàstico, gente!

  6. img
    Bili Uê Responder

    E por falar em desordem e falta de comprometimento e má gestão, como ficou o caso STP TRADING?
    Já colocaram os ladrões na cadeia?

    O Brasil está a espera de resultados.
    Afinal os 5 milhões representam o trabalho do povo brasileiro e tem que ser dignificado.

    • img
      Mercia Radicchi Responder

      E o meu dinheiro??????

      Quando recebo?????

      Afinal, vou ter duplo prejuízo?

      Não receber meus honorários aqui e ainda pagar o financiamento com meus impostos no BRASIL?????

      A “brasileira”!

  7. img
    Leonel de Sousa Responder

    Era bom que se soubesse a verdade verdadeira em todos esses e outros casos…

  8. img
    tagarela Responder

    Estará alguém acima da lei ou ela só serve quando nos interessa e nos favorece?Viva STP!!!

  9. img
    SN-FS Responder

    é obvio que este senhor não iria admitir a existencia de uma crise no sector, os actuais politicos santomenses têm muita pouca formação e têm medo da mudança, é nesta situação qua a justiça deveria funcionar….mas não é isso que acontece maioria das vezes

  10. img
    Mamador do leite do povo Responder

    A Diaspora nunca tem oportunidades de se candidatar aos concursos públicos, aliás não sao bem publicos. A maior ilha é a nossa diaspora, quer queiramos quer não.
    A nossa diáspora se encontra em: Angola, Guine Equatorial, portugal, cabo verde, Gabão, Reino Unido, para o vosso conhecimento senhor ministro.

  11. img
    Leopardo Responder

    “o embaixador Jorge Amado, não é do quadro de carreira diplomática”. Então porquê que Jorge Amado é Embaixador? Esta patente mais um tacho….!
    O Sr. Tiny deveria ter vergonha de pronunciar tais declarações. Começa a arrumar a mala pk o Sr não vai ficar por muito tempo. Farei questão de lhe tirar pessoalmente.

  12. img
    luisó Responder

    os que disseram que o tiny não era inteligente estavam enganados.
    este tipo sabe a história toda.
    é realmente um grande malandro.
    tem sempre resposta para tudo.
    mais um dos malandros de STP.
    fui…

  13. img
    GGA Responder

    OS ESPERTOS FALAM SEMPRE COMO BEBÉ. E S.TOMÉ TÁ CHEIO DELES, BASTA VER QUEM FALA COMO BEBÉ.

  14. img
    JACADOXI Responder

    ARRUME AS MALAS TINY,PREPARE MUITO BEM AS TUAS COISAS PORQ A ESSA CASA NAO VOLTARÁS TAO CEDO,É UMA VERGONHA TUDO ISSO, VOS FICARIA MUITO MELHOR SE FICASSEIS CALADO, E NAO VIR A PRAÇA PUBLICA TENTAR JUSTIFICAR O QUE ALGUMAS MENTES ABERTAS JA SABIAM HA MUITO.
    FORA MLSTP E SUAS CORJAS DE LARAPIOS

  15. img
    moreno Responder

    Creio que em STP todos os organismos estao em crise.Convenhamos que este senhor e um “inteligentudo” contorna bem as situacoes mas ha o velho dito – “um dia e da caca e outro do cacador”. haja paciencia.

  16. img
    lvingada Responder

    Entao o embaixador esta tratando de assuntos familiares?Que trete!

  17. img
    Boca de Mundo Responder

    Está na Boca de Mundo, só não vai sair mal porque as leis de stp só pune os que roubam banana e galinha.
    As verdades têm que ser ditas, não é que o sr. não tem feito nada, o mal é que o Senhor e outros embaixadores, p. ex. como que está fazendo campanha eleitoral, deveriam fazer outras coisas úteis para o país. Certo que, se o homem da campanha fosse diplomática de carreira, como manda os estatutos da carreira diplomática, ele estaria a velar pelos interesses da nação junto da país onde ele está credenciado como embaixador, desta forma é o país que estaria a ganha, as leis a funcionar, os eleitores poderiam até acreditar nos candidatos as diversas eleições. Ao contrário, fazem das suas, dão banho, violam os direitos fundamentais dos cidadão, violam constituição da república, os pactos internacional, as leis, põem povo na miséria e vem dizer que trabalha muito. Claro que trabalho para seu próprio benefício, dos seus familiares e amigo do partido, da população é que não.
    Olha gostei da música daquele cantor que disse:
    CAMPITEIRO MATA-PAU
    MOTOQUEIRO MATA-PAU
    POLíTICO MATA-PAU
    DEPUTADO MATA-PAU
    A experiência mostra que quando alguma coisa é feito por mata-pau, essa coisa durará para alguns dias, é feita de forma errada, é feita com intuito de enganar freguês. Disto pode-se concluir que se os políticos são mata-pau é porque só estão a enganar povo,
    Só enganar povo.
    Abaixo mata-pau,
    Abaixo banho,
    Viva STP!

  18. img
    perreia Responder

    Nao sei porque que o senhor minstro e sr embaixador e compainha toda do MLSTP não vão plantar e cultivar umas hortalçiças e frutas em vez de ocuparem esses cargos ondem ….e arruinam o pais. Tenham vergonha.

  19. img
    Jojó Responder

    Meus Senhores, Todos devem estar no seu lugar desempenhando as suas funções, só assim podem render algo.

    Engenheiros nas Fábricas,
    Agricultores no campo,
    Veterenário com os animais na pecuária,
    Médicos nos hospitais,
    Professores nas escolas,
    Pedreiros nas construções,
    Etc no seu lugar de etc..

    Trocou-se tudo em STP, por isso….

    Roberto carlos tem uma música com a letra:

    Todo mundo nesse mundo é alguém, o que significa que todas as profissões são úteis numa sociedade, apenas se deve dedicar a ela no seu local, não como acontece, desempenhando a função noutros lugares, por isso temos embaixadores que não são diplomatas e caem no ridiculo de estarem nestas épocas a fazer camapanha.

    Um diplomata de certeza, não faria isso. só mesmo estes chamados de embai/chadores.

    Bem haja, Viva STP

Deixe um comentario

*