Patrice Trovoada está no Gabão no quadro da implementação da nova política externa

Reforço da cooperação entre São Tomé e Príncipe e os países da sub-região da África Central e do Golfo da Guiné, é o principal eixo da política externa do novo governo. O primeiro-ministro escolheu Gabão para a sua primeira visita oficial ao estrangeiro.

Cooperação empresarial, com ênfase para o fomento das trocas comerciais e económicas entre São Tomé e Príncipe e a sub-região da África Central, é um dos objectivos da visita de Patrice Trovoada ao vizinho Gabão. «Há alguns anos que os dois governos não têm tido encontros a esse nível. Por isso vamos passar em revista o que existe a nível da cooperação bilateral e discutirmos novas pistas sobretudo no domínio empresarial», afirmou o Chefe do Governo antes de deixar a capital são-tomense.

Patrice Trovoada acredita que a sua visita de 48 horas ao Gabão abrirá espaço para definição de acções concertadas para o incremento da cooperação bilateral. «É uma visita que se inscreve na tomada de contactos que estamos a fazer a nível da sub-região e penso que será seguida de negociações e de discussões sectoriais para ver se avançamos a nível das trocas económicas e comerciais, já que a nível político acho que não há qualquer problema», reforçou.

A integração económica de São Tomé e Príncipe no seu espaço natural, a África Central, é a meta a atingir. «É evidente que a integração regional e a cooperação a nível do golfo da Guiné é uma prioridade. Nesse âmbito vou ao Gabão, mas irei também a Angola, a Nigéria, a Guiné Equatorial também está prevista», frisou o Chefe do Governo.

Segundo Patrice Trovoada para além do Gabão, os outros países da sub-região africana serão visitados antes do final do ano. Para garantir uma maior integração económica e comercial do arquipélago são-tomense no espaço centro africano, Patrice Trovoada, destacou a criação de linhas aéreas e marítimas para facilitar o intercâmbio económico e desencravar as ilhas de São Tomé e Príncipe. «A situação no domínio marítimo é muito deficiente e do ponto de vista aéreo, temos algumas dificuldades com a aviação civil são-tomense e com as infra-estruturas do próprio aeroporto. Mas é também nesse âmbito que poderemos encontrar soluções, parcerias no que diz respeito sobretudo a questão da aviação civil. É preciso apoiar-nos nas relações que temos com outros países e instituições da aviação civil, para ver se o mais rapidamente saímos desta situação», pontuou.

Note-se que a nova diplomacia são-tomense projecta dinamizar as acções da embaixada de São Tomé e Príncipe no Gabão no sentido de transformar a representação diplomática em Libreville como a principal rampa das acções diplomáticas do país na conquista da sub-região da África Central.

Abel Veiga

  1. img
    sydnei Responder

    O Gabão é um parceiro ja muito antigo, e o Primeiro Ministro é gabones é uma boa oportunidade para STP,com ….só assim ganharemos ..

  2. img
    Madalena Responder

    Estas nossas origens, em nada revertem em nosso favor.
    Gabão é um parceiro qualquer? Se calhar anda a explorar o nosso petroleo a seculos.
    O presidente Fradique foi Portugues, renunciou a nacionalidade para se presidente. Qual é a vantagem para o sao tomense?
    Injurias que passamos na embaixada para obter um visto.
    Gabão até genero alimenticio, fardamento e motorizadas para escolta, ofereceu sao tome e principe, nos anos 75/80.
    Perguntam ao Tchocoló!!!
    passooo

    • img
      jaka doxi Responder

      Eu diria mais.
      A maioria dos ex dirigentes do País.sobretudo do MLSTP e PCD sempre tiveram duas nacionalidades:A Santomense e a Portuguesa.
      O problema é que muitos perderam últimamente a nacionalidade portuguesa. Quando o STOCK era director dos Registos as autoridades Portuguesa descubriram que muitos tinham a nacionalidade de forma ilegal e exigiu que mostrassem provas. Como não conseguiram provar foi lhes retirada a Nacionalidade Portuguesa.
      Já viu.

  3. img
    J.B Superfino Responder

    Segundo as declarcoes do senhor PM Trovoada,o cofre do estado estava vazio.E pelo que sei a Assembleia ainda nao entrou em funcoes,o Orcamento do Estado ainda nao foi elaborado, o Programa do Governo ainda nao foi apresentado mas ja se comecou as viagens ao exterior e segundo o mesmo PM mais e outras semelhantes serao feitas ate ao fim do ano.
    Onde apareceu o dinheiro? Se nao tinhamos como disse o senhor PM e o pouco que aparece ou apareceu ja eh esbanjado em viagens? Fui

    • img
      jaka doxi Responder

      O meu caro J.B Superfino anda muito destraido ou finge que mão sabe das coisas.
      Por acaso o orçamento já foi elaborado e vai ser apresentado brevemente no parlamento.
      O cofre está vazio mais o governo tem que lutar para conseguir dinheiro.
      Se estas viagens trazem beneficios para o país penso que devem ser feitas.
      abraços.
      abraços.

      • img
        J.B Superfino Responder

        Caro Jaka doxi.
        Nao que eu tenha estado destraido ou fingindo que nao sei das coisas. Realmente nao tive ate ao momento nenhuma informacao publica que dissesse de que o orcamento ja tivera sido elaborado. Porem nao era essa minha pretensao talvez eu nao tenha sabido explicar pois nao estando ainda a Assembleia em funcionamento e ainda que exista o Orcamento elaborado devo considerar que o mesmo neste momento eh nulo no tocante a cobertura das despesas.
        Muitas vezes o exagero ou a vontadede a atacar torna-se contraditoro pois todos conhecemos dos roubos efectuados pelos nossos anteriores (des) governantes mais devo dizer que falar de um cofre do estado vazio possa ser um exagero. Acredito que tenho ou esteje muito mas muito abaixo do que se esperava mas Vazio?
        Para mim o vazio eh = zero e se isto constituir a realidade entao antes de dar-mos algum passo o primeiro seria prender todos mas todos os infractores.
        Concordo consigo se as viagens trazem beneficios que realmente devem ser feitas.
        Repare que o meu raciocinio foi apenas e tao somente ver o contraditorio nas palavras do PM e poder dizer k nao se faz amoletes sem ovos.
        Um grande abraco

        • img
          cereno Responder

          Meu caro J.B Superfino, o mais prejudicial para STP nos anos tranzatos foi a existencia de tanto governo, sabemos que o nosso país é pobre e depende das ajudas externas para suportar a maior parte do seu orçamento, se um PM começa as suas fonções e não realiza contactos com os nossos parceiros extratégicos e buscar outros para areas específicas poderemoster problema para sustentar o nosso orçameento. Mas digo, ha que faze-lo de forma mais racional possivel.
          obrigado…

  4. img
    jp Responder

    Não acredito que se ganhe grande coisa priorizando a relação com Países como o Gabão ou a Guiné Equatorial…. S. Tomé e Príncipe deve aliar-se aos melhores, pelo que sei os melhores não se encontram alí…..

  5. img
    INCOMODADO COM ISTO Responder

    AMMMM SÓ AGORA É QUE O SENHOR ESTÁ DISER ISTO NÉ, MAS NO PERIODO ELEITORAL O SENHOR A HAVIA DITO QUE A COOPERAÇÃO NÃO PODIA LITAR-SE APENAS COM ANGOLA E _________???

    MUITO BONITO

    • img
      jaka doxi Responder

      Meu caro incomodado.
      Eu também acho que a cooperação não deve limitar-se apenas a Angola e Portugal.
      Já vamos com 35 anos de independencia e pelo que sei sempre tivemos cooperação com Aangola.Agora pergunto o que é que o povo ganhou em concreto com isso?Pelo que sei apenas foram feitas muitas negociatas entre amigos e mais nada.E os exemplos da ENCO,ROSEMA,ENAPORT,etc..etc são prova desta cooperação vergonhosa.Agora pergunto:É esta a cooperação que devemos sempre apostar?que só beneficia os corruptos do MLSTP e seus amigos?
      Fui.

  6. img
    Digno de Respeito Responder

    Pelo que me parece o Gabão sempre esteve do lado favorável para STP. Segundo os ditos á voz corrente, mesmo na história processual da descolonização, o País vizinho sempre foi uma referência digna para STP. E, deixe-me dizer-vos que tudo o que acontece, depende sempre das nossas vontades. E é preciso olhar para o interesse do “bem comum” e segundo uma máxima popular de “boas intenções está o inferno cheio”.

    Quando me referia á voz corrente no parágrafo anterior, justifico desconhecendo qualquer obra literária sobre a nossa história socio-cultural e política de autoria dos intervenientes santomenses que influenciaram a luta de libertação antes e depois da CLSTP até aos nossos dias. A cultura de pesquisa e a promoção de intelectualidade santomense parece um assunto questionável, logo faz prevalecer muitas dúvidas populares e cada um de nós diz o que pensa que sabe que outro sabe o que diz ….. Resta sim, é trabalho e muito trabalho por isso mãos á obra.

    Em questão de nacionalidade, tenho muitas dúvidas que muitos dos antigos representantes da praça pública tenha sido e continuam ou não sendo única, só e sómente santomense. Aliás, sem provas parece-me que o povo santomense é de origem meseginado. Alguém pode confirmar isso?!! Já agora, séticamente qual é a origem de nós santomenses?
    (desculpem-me a santa ignorancia, se pergunto é porque quero aprender)

  7. img
    Digno de Respeito Responder

    Digo: “messeginado”

  8. img
    osvado pinheiro Responder

    dichanos trabalhar é o lema da campanha de patrice, e estamos a espera mais desse trabalho ardo q não é só passear no avião com ele gosta para tratar de seus negocios,por isso o P M tem q deixar de fuxuaria em viajar com tapete vermelho porque se for para vir nós inteter com isso ira ter grandes dicepção,o q povo quer é comida quem amolça não janta ect; COFRES NÃO TEM dinheiro vai viagar até finais desse anos para mais de 4 paises como ele proprio falou, angola, quiné, nengeria mali,libia.

    • img
      cereno Responder

      Meu caro, não estive no pais a quando do inicio do mandato do anterior PM, mas acredito que não o fizeram tanta pressão em tão pouco tempo, digo te que votei para o ADI, mas nem por isso sou sego, vomos dar tempo ao Homem, são pouco menos que um mês de poder deixem trabalhar ao PM como não incomodaram o Man Rafa, passado algum tempo não se vê sinal de melhoria serei o primeiro a crucificar-lo
      Tem calma.

  9. img
    kua muntu Responder

    Meus amigos como ja sabemos o Patrice investiu milhoes na campanha por isso diz que o cofre esta faziu,por que o que envestiu tinha que ir buscar no cofre,todos nos sabemos (eu dou dez tenho que receber 20)kua iska bi…

    • img
      cereno Responder

      Não sejamos dramático.

  10. img
    Madalena Responder

    O sao tomense tem magoa daqueles que têm tripla nacionalidae ou dupla. Faz para da psicose, eu tabem era assim. Em portugal os tugas adquirem varias nacionalidades, basta aparecer, toca andar. MAs o foro, acha que é vender a Pátria e coisa de género. Sistema de Fidel Castro. Só agora é que sabe que o modelo economico de Cuba não serve a Nínguem, pena antes tarde do que nunca.
    Se eu fosse portugues, teria subsidio de desemprego, etc casa, e outras regalias. Teria ido a LOndres, como muitos foram, por isso, basta ser, santola

  11. img
    Madalena Responder

    O jornal o parvo
    Faz umas referencias a governação do Patrice, resta saber qual será a 1º baixa deste governo, sendo certo que o jornal se identifica com actual liderança do ADI, logo a sondagem de 1 de Agosto.
    General Joâo Seria, recebeu moto, deve vendê-la imediatamente, sob pena de ter problemas fisicos, sou um amigo.
    Queremos Patrice no Governo. O MLSTP vai encontrar um lider jovem e cheio de vontade de ajudar as populações mais carenciadas, um amigo do povo com provas dadas e amar esse povo e sofrer com ele.

  12. img
    ze cabra Responder

    isto esta mesmo amu com essas trocas de acusaçoes que eu sei os dirigentes ja eram aliados do gabao antes da independencia pois lá é que era o quartel gueneral dos que vieram encher de riqueza. Quanto a dupla nacionalidade acho bém se podessemos ter a nossa e a portuguesa embora tenhamos sido colonizados pelos portugueses e estarem também a viver um pouco apertados mas ainda conseguem viver melhor que nós sao boas pessas e la somos bem tratados se quizerem investir ca´acho bém mas é preciso que deixemos de falar e trabalhemos mais .outra coisa nos até deviamos estar caldos porque olhando para as nossas propriedades como esta ao abando deviamos ver que estamos nesta situaçao porque fomos os maiores culpados em nao sabermos gerir o que é nosso agora ja nao os caboverdianos para trabalhar nos toda a vida nao quizemos trabalhar nas roças resumindo e cocluindo somos malandros e parasitas bém fazia eu quando estava ai na terra em roubar umas cabrinhas de vez em quando olha aqui no inferno trabalhase muito os ladroes das dobras que se preparem para quando ca chegarem trabalhar sol a sol e nao a cadeiras nem bons carros para andarem

  13. img
    cereno Responder

    Meus caros leitores. Não se esueçam que estamos num mundo globalizados temos que seguir a modernidade, nos dias de hoje ter dmais de uma nacionalidade não é despreso muito menos crime, quem é de negocio que não deseja ter varias, além do mais, muitos dos antigos dirigentes ditos mais nacionais que os outros, não têm uma só nacionalidade o que pior roubam o que é nosso e vai instalar empresas estes países, nestes anos não fizeram nada para o país… agora digo ver o que vai fazer um dito “não nacional”
    Dar tempo a tempo.
    Obrigado.

  14. img
    Zé Mulato Responder

    Apostar no Sector Privado

    Cuba despedirá cinco cem mil empregados.
    O que está São Tome e Príncipe a espera?
    Eu não pretendo escrever um discurso, mas apenas apresentar alguns tópicos para a discussão enquanto nós esperamos que os Tribunais: Criminal e de Contas punam aqueles que roubaram o nosso país e enviar-lhes para o penitenciario (cadeia ou prisão). Nós devemos começar a discutir soluções possíveis de muitos problemas que a nossa nação enfrenta. Nós devemos apresentar, acima de tudo, soluções! Soluções e soluções, e, põr de lado o que não incentiva o novo governo fazer seu melhor para o povo Santomense. Os assuntos intrínsecos que dizem respeito a nossa sociedade não devem ser ocultados. Já notei algumas possibilidades de plêiades neste forum com pessoas célebres pelo talento demonstrado e messagens deixadas nesta peleja de ideais enfáticas com tom vigoroso.
    Tema sobre o sector privado e tópicos como: latrinas, saneamento básico, praias limpas, trabalho voluntário, energia: nuclear, hidráulica, energias eólicas e solar; hospital e a saúde da nossa população; estradas; limpeza e manutenção de rios; Feira de ponto (mercado), táxi dos motociclos (motas), transporte público, água potável, distribuição de água nas áreas rurais, malaria ou paludismo; escolas; modernização de cadeias e prisões; preparação, treinamento, e instrução de nossa crianças; produtos de géneros alimentício e problemas sobre a nutrição; produção para exportação; o turismo, agricultura para o consumo interno, proteção maritima, segurança interna. Ordem e disciplina para que todos obedeçam e respeitem; trabalho árduo, entre outos topicos relevantes. Temos que debater solucoes para tudo isso e chegar a um consenso!

    Figuras de autoridade de Estado têm que dar bons exemplos para a populacao os seguir.

    Com relação as pessoas que vendem na rua, uma solução seria, enviar algumas para escola ou centro de instrução a custa de Estado para se tornarem pequenos empresarios, outras, poderão vender os seus produtos a uma estação financiada com capital estatal e privado onde os produtos seriam vendidos em retalho, e por sua vez, essa instituição se responsabilizaria em vender os produtos ao publico em grosso depois de uma inspecção rigorosa feita. Evitar-se-ia conglomeração de pessoas a vender nas ruas. Posso dar mais detalhos e explicar melhor numa outra altura.

    Animais abandonados, cães à solta, entre outros, podem ser apanhados e depositados num centro veterinário sob direcção do Estado ou Organização Não Governamental. Esses animais poderão ser eventualmente adoptados e devolvidos aos donos.

    Não existem soluções que não nos ira custar dinheiro e sacrifícios. Por isso, temos que tomar medidas firmes e executá-las. Nada na vida deve ser fácill.

    Apertar o cinto, comer safu, jaka, fruta, peixe salgado, azeite de palma, zequentxi zete cu zequentxi doxi, banan npon sa bua. Temos hortaliças e frutas saudáveis e são produtos orgânicos caríssimos em vários países do mundo.

    Cuba e muitos outros países despedem funcionários públicos e transferem-nos para o sector privado, então, o que STP está a espera?

    http://www.dailyfinance.com/story/taxes/cuba-government-workers/19632696/

    http://www.voanews.com/english/news/americas/Cuba-to-Lay-Off-500000-Public-Sector-Workers–102802109.html

    http://www.independent.co.uk/news/world/americas/cuba-to-lay-off–500000-state-workers-2078462.html

Deixe um comentario

*