São Tomé e Príncipe marcou presença na investidura da Presidente Dilma Roussef

Entre os convidados de honra, Patrice Trovada, primeiro-ministro e chefe do executivo de São Tomé e Príncipe (STP) representou o país à solenidade de tomada de posse da primeira mulher eleita presidente do Brasil.

Dilma Roussef, a primeira mulher eleita presidente do Brasil assumiu a presidência do país  no dia 01 de janeiro de 2011. Ela substituiu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que cumpriu dois mandatos consecutivos (2003-2010).

A cerimônia de tomada de posse, realizada em Brasília, capital do Brasil, foi testemunhada por presidentes e chefes de Governo de vários países do mundo. Patrice Trovoada, chefe do governo santomense fez parte do leque de autoridades africanas convidadas ao evento.

Sem qualquer pronunciamento à imprensa brasileira, Patrice foi visto em companhia da esposa durante a cerimônia, cumprimentando a presidente eleita do Brasil e seus respectivos ministros. Na ocasião, Patrice  manteve uma breve conversa com Dilma Rousseff.

Fonte  ligada ao  Ministério das Relações Exteriores do Brasil disse que, a presença do chefe do governo santomense na referida cerimônia representa sinais de que a presidente Dilma Rousseff  tenciona solidificar e reforçar os laços de cooperação com STP.

Foi apenas um convite de cortesia, não houve qualquer negociação ou assinatura de acordos. Doravante, após o novo ministro das relações exteriores do Brasil iniciar suas funções, irá rever todos os acordos, propondo obviamente, a assinatura de novos acordos com os países africanos, incluindo STP”, disse a fonte.

Essa intenção do governo brasileiro em reforçar a cooperação Brasil-África surge numa altura em que Lula da Silva, presidente cessante, manifestou publicamente o desejo de realizar trabalhos de caráter social, visando o combate à fome e a miséria, a SIDA, melhoria da educação e dos serviços de saúde nos países africanos. Para esta missão, Lula conta com o suporte do “Instituto Lula”, organização social criada pelo ex-presidente brasileiro.

Sobre as áreas de cooperação em que poderão incidir os novos acordos, a fonte disse que em função do Brasil ter uma agenda internacional diversificada, São Tomé e Príncipe  deve tomar a iniciativa de propor ao governo brasileiro a negociação de alguns acordos. “A diplomacia brasileira estará empenhada em questões de maior visibilidade, como o reforço da democracia na região, a paz no médio oriente, a guerra cambial e a conquista de posições em agências e organismos internacionais e multilaterais. Certamente, STP poderá tirar vantagem disso, porque o Brasil precisará de apoio de outros países para conquistar seus objetivos. E São  Tomé  pode representar um apoio a mais,”  garantiu a fonte.

Na curta visita oficial de Patrice Trovoada realizada ao Brasil, não constou a realização de nenhum encontro com a comunidade santomense residente no Brasil, que inclui estudantes e residentes permanentes.

Carllile Alegre – Jornalista São-Tomense /Brasil

  1. img
    GXP Responder

    Esse é Homem que falatava como 1º ministro, só é pena que ele n vê alguns podres que trabalham com ele.

  2. img
    MASCARADO Responder

    enganei-me Queria eu dizer PT N Fradique.

  3. img
    Nelson Capela Responder

    Por acaso o sr 1 Ministro levou o Cheque dos 5 milhoes para liquidar o credito da S.T.P Trading?Quanta hipocresia e falta de vergonha.Dever alguem e ir com cara de sem vergonha e par…a procura de mais esmola e triste e lamentavel

  4. img
    Sulila Miranda Responder

    Que bom, termos estado presentes, só que esteve tanta gente, que não conseguimos ver o nosso representante, que pena!

  5. img
    STP Responder

    STP precisa de uma “MULHER” a comandar o país.
    Viva as MULHERES, que acordam cedo, cuidam dos filhos, dos maridos, que por vezes são autênticos “boa-vida”, trabalham, cuidam da casa e do lar, são solidárias com o proximo e ……ainda têm tempo para o amante.

  6. img
    zeme almeida Responder

    Excelente cronica senhora jornalista Carlile Alegre.Um verdadeiro jornalista deve ser imparcial e nao demonstrar a face da sua moeda.So de viver em Brasil pra mim tem um grande significado.Meus parabens.Viva a imparcialidade.Viva S.T.P

  7. img
    Agosto Responder

    devemos acabar com a figura do presidente da republica em STP. nao serve para nada.

  8. img
    Polvo Paul Responder

    Minha cara jornalista os nossos governantes quando desloca para estrangeiro nunca mais nunca dá confiança aos demais concidadão que se encontra na diáspora, quando reúnem é só com um grupinho chamada elite, fazem os jantares zinhos e almoços e nada mais.
    Pois é muito triste essa atitude, políticos de outras paragens fazem contrario.
    Assim vai a arrogância e a prepotência, esquecem que poder nos países democrático é rotativo

  9. img
    zeme almeida Responder

    Que pena senhora Sulila de viver num Pais que so tem uma estacao televisiva.Mesmo que a senhora tenha visto nunca viria ca dizer que viu.No canal record do Brasil todo mundo viu o senhor Pactrice Trovoada a saudar a senhora Dilma.Sabemos de todas essas vingarisses,so porque esteve presente o senhor primeiro ministro Pactrice Trovoada.Estas imagem a TVS deve estar compremetida de as passar para a populacao ver que tristeza que se vive neste Pais!Viva S,Tome and Principe

  10. img
    Só sei que nada sei Responder

    Só mesmo na Record, porque n Globo não vi nada…Até pq nossos dirigentes não são tão importante e todos nos sabemos disse…

    • img
      coblo Responder

      passou pela Globo e todas emissoras que faziam parte do pool de emissoras que transmitiam a posse

  11. img
    Gabonês Responder

    Se fosse Patrice Lumumba(o nacionalista africano que lhe emprestou o nome),esse sim teria manifestado interesse em realizar um encontro com a comunidade de seu país,mas o que veio ao BR representar STP,é um Patrício.Para bom entendedor pouca palavra basta.

  12. img
    Mimi Responder

    Eu so espero que o PM tenha prestado bem atencao ao discurso CONCILIADOR da nova presidente do Brasil na sua tomada de posse. Sem rancores nem favoritsmos, as eleicoes ficaram para tras e o pais para a frente. Por outro lado, ela “prefere o barulho da imprensa ao silencio das ditaduras”

Deixe um comentario

*