Presidente da República lança desafios ao Governo

Na sua mensagem a nação por ocasião do ano novo, o Presidente da República, lançou vários desafios ao governo, no sentido de melhorar as condições de vida da população. Apoio financeiro aos agricultores por causa da seca prolongada é uma das exigências do Chefe do estado.

O Presidente Fradique de Menezes, considerou a seca prolongada que marcou São Tomé e Príncipe, em 2010, como um dos pontos negativos do ano que termina e com reflexos no novo ano. «A fragilidade ou precariedade alimentar pode ser facilmente espelhada, por exemplo, nos preços de dois produtos alimentares muito consumidos pela nossa população. Uma banana pão que passou a custar entre 7 e 8 mil dobras e um quilo de peixe salgado rondando 100 mil dobras», afirmou o Presidente da República.

Uma situação difícil para um país onde 52% da população vive com menos de 1 dólar por dia. Fradique de Menezes considera que o governo deve agir e rapidamente. «Continuo a insistir que o governo deve procurar todos os meios possíveis para subvencionar de imediato a agricultura alimentar, a pesca artesanal, e a pecuária, a fim de aumentar a produção a muitíssimo curto prazo», declarou.

2011 é o ano internacional da Juventude, por isso o Presidente da República adverte o governo a encontrar soluções imediatas para problemas inadiáveis. «O governo deve chamar a si a na+alise de algumas preocupações que afligem a nossa juventude como a política de formação, a política de emprego e inserção social, a política de habitação, a política de prevenção e repressão do uso e abuso de substâncias psicotrópicas, dentre outras» sublinhou.

Na sua última comunicação a nação são-tomense por ocasião do ano novo, Fradique de Menezes, disse que aos olhos dos cidadãos a classe política são-tomense está descredibiliza.

Num ano em que a Crise Financeira marcou a conjuntura internacional, São Tomé e Príncipe não conseguiu cultivar consenso e unidade no seio dos seus filhos para enfrentar a crise. «Em São Tomé e Príncipe preferimos mais uma vez, recapitular os nossos problemas, desavenças e crises. Acentuamos as nossas contradições, demos margem às crises em nome de inconfessáveis interesses políticos e foi num clima de um contraditório político crispado que realizamos as eleições autárquicas, regional e legislativas cujos resultados todos sabemos», referiu o Chefe de Estado.

São Tomé e Príncipe entrou em 2011 com índice da pobreza a subir, e o desemprego sobretudo no seio dos jovens cada vez mais crescente.

Abel Veiga

  1. img
    CELSIO JUNQUEIRA Responder

    Meus Caros,

    Esse PR tem em bom português “uma lata”!

    Então só agora o PR despertou para os problemas, a menos de 9 meses de sair da PR e não voltar nos proximos 5 anos?

    E consegue falar de substâncias psicotropicas, descredibilização da classe politica,a politica de emprego.

    Então vejamos, para viver em STP com essa classe politica só é possivel com substâncias psicotropicas. Descredibilização, humm, é mais acreditarmos que aquilo é um Circo cheios de Palh…. Politica de emprego é convidar os Santomenses a sairem do seu próprio país porque os empresários nacionais (incluindo o Sr. FM) não investem em unidades de negócio geradora de postos de trabalho.

    Estamos conversado vossa Excelência, olhe ao espelho primeiro e depois fale. Aconselho-o a ler, ouvir e ver tudo sobre o seu mandato dito por si.

    Bem haja!

  2. img
    O Gabonês Responder

    Fradique,como de “costume”, lança desafio ao Governo e o Gabonês,dessa vez, lança desafio ao Fradique:
    O Gabonês pergunta ao Fradique:
    Quais os motivos que levaram o Haití a situação q hoje se encontra(independente do abalo sísmico recente)?
    Quais são os presentes e óbvios motivos q tende a levar STP para uma situação idêntica, a curto prazo?
    O senhor como “bom viajante”,já esteve no Haití?E o PR do Haití já esteve em STP p/troca de depoimentos e experiência?
    O que,de marcante, STP e o Haití têm em comum?
    PR,lhe dou nota 10 se acertar todas as questões!!!
    Pouca questão para um bom entendedor!!!

  3. img
    Nelson Capela Responder

    O Sr esta a exortar o governo a fazer isso a fazer aquilo.E O Sr como chefe do estado o que tem feito para ajudar esse povo?O Sr por acaso fez o balanco desses anos de governacao?Sera que a sua participacao na presidencia da Republica ao longo desses anos beneficou ao povo Santomense?Ao longo desses anos uns tornaram mais ricos,mais fazendeiros com quintas, fazendas e gados, e outros mais pobres e pauperimos que nem um simples pequeno almoco de pao com cha de folha de abacate ou charela conseguem ter acesso.Se o sr Chama a responsabilidade ao governo para os mais dificieis problemas do pais,penso de que nao precisanos de Presidente da Republica nem tao pouco da Presidencia.Ter presidente para fazer “Ingles ver”melhor nao ter.Esse monstro de terreno que o sr apoderou na Madalena dava para varias familias.O Sr diz ser amigo e nataural da freguesia de madalena,o que fez durante esses dois mandatos para aquela freguesia e a sua populacao?nada e nada.Continua na sombra sr Presidente

  4. img
    suspeito de sempre Responder

    por não dão oportunidades aos novos empresarios apoiando eles, uma vez k são ele quem cria postos d trabalhos e os emigrantes com suas remeças ajuda e muito o pais, mas áte hoje não um estudo da remesa anual dos emigrantes.. como ouvem pais emergente sao a remesa dos emigrante k os ajuda desenvolver o pais sao fundamentais mas no nosso nao ve emigrante com bons olhos..

  5. img
    suspeito de sempre Responder

    ve no caso cabo verde india brasil quanto milhoes ele metem no pais por ano muitos, pa oportunidade aos emigrante e reconhecelos e apoia los ….

  6. img
    E.Santos Responder

    Apoiado Sr. Presidente. Faço suas as minhas palavras.

    O governo deve sim procurar dar resposta as questões que nos afligem porque foi para isto que foram eleitos.

    Não é um favor, é uma obrigação, um dever moral.
    Só precisam que lhes deixem trabalhar…tudo ao seu tempo. Blu blu blu na ça lutafa.

  7. img
    BLAGA PENA Responder

    Gosto de comparar muito Cabo Verde com STome por serem insulares, mais ha uma coisa que temos que pensar para STome é a Cartografia do Censo Agro-pecuario.
    Cabo Verde esta a incentivar os seus emigrantes no estrangeiro a investir no país, existe um gabinete para apoiar no desenho do projecto e no financiamento, STomé nao porque? Porque a politica é a forma de uma classe politica muito restrita enrequecer e auto valorizar rica a custa do povo
    fui…

  8. img
    justiça Responder

    Com todo o respeito, gostaria de fazer algumas questões ao Presidente:
    1) Quem são os empresários em STP, quem monopliza o mercados dos produtos básicos, e até têm eclusividades?
    2) Quem tem a propriedade das roças, ou seja da produção agrícola?

    Creio que nem é necessário reflectrimos muito para darmos nome as pessoas responsáveis pela promoção de um mercado muito ineficiente que é STP.

    Acho revoltante, estar a fazer este discurso político e enganador, como se não tivesse responsabilidade nenhuma em problemas sociais que o país atravessa.

    Rebato a mesma situação de sempre: deve-se separar de uma vez por toda a política da economia. Os interesses da nação não podem estar condicionados por vínculos ao mercado. Temos o Sr. Presidente que é um empresário, temos muitos Srs na Assembleia que também são empresários, e o país não tem mercado competitivo e consequentemente baixa dos preços porque estes Srs não querem concorrencia.

    Já falei muito. Obrigado

  9. img
    nelson pontes Responder

    Só agora é que este presidente lança todos estes desafios ao governo! quando é ele a causa do aumento do índice da pobreza e da desgraça do país nos últimos dez anos…este homem é um louco.
    Abaixo fradique de menezes, o pior presidente que já tivemos em todos os sentidos.
    Um dia venceremos santomenes meus irmãos, tenham esperança,
    felicidades.

  10. img
    Edson Costa Responder

    Esta pessoa não tem nenhuma legitimidade moral para prôpor o que quer que seja ao governo. Quando o sr Fradique de Menezes (com todo o respeito) assumiu o cargo de PR havia afirmado que em um ano mudaria o rumo desse paìs, mas a verdade é que jà se passaram 10 anos e pessoalmente acho q as coisas se agudizaram. Um PR deve ser um homem coerente nas suas ideias, deve propor soluções ao Governo quando este se encontra perdido, deve ser uma espécie de “àrbitro” de modo a controlar as querelas politicas, deve fazer prova de fidelidade para com o povo, deve ser não simplesmente um espetador politico, mas sim um agente activo e determinado nas politicas da nação. O sr Fradique lança desafios, mas nunca propõe solução alguma, eu sou santomense e sinceramente não me revejo nas palavras desse senhor. Um bem haja a todos!

  11. img
    Ivens pontes Responder

    Obrigado Sr.Presidente,o Senhor tem razão.
    O Governo deve sim trabalhar com maior e melhor clareza e convicção.É para isso que foram eleitos. Trabalhar para melhorar a vida dos cidadãos.Se houver colaboração mutua, é claro, obteremos respostas no futuro que é o desenvolvimento do nosso país que é S.Tomé e *Príncipe

Deixe um comentario

*