Política

Jorge Amado defende coesão no seio do MLSTP/PSD

Candidato a liderança do MLSTP/PSD no congresso deste sábado, Jorge Amado, promete uma liderança forte, baseada na unidade e solidariedade no seio do partido. Jorge Amado diz que vai até ao Congresso, porque até agora não verificou qualquer irregularidade na preparação da reunião magna.

O ainda embaixador de São Tomé e Príncipe em Taiwan, está no terreno a convencer os militantes do MLSTP/PSD, sobre a importância do seu projecto eleitoral para a liderança do maior partido da oposição.

Os argumentos que motivaram a desistência de Amaro Couto da corrida eleitoral, não convencem Jorge Amado. «Há coisas que outro vê e que eu não vejo. Acho que o processo até o momento evolui normalmente», afirmou, rejeitando qualquer irregularidade na preparação do congresso deste sábado.

Jorge Amado manifestou-se no entanto preocupado com alguns rumores postos a circular, que apontam para a interferência de alegadas forças externas ao partido na sensibilização dos militantes para favorecer uma das candidaturas. «Talvez há ameaças de forças externas ao MLSTP que está a despejar dinheiro para conduzir à liderança alguém, que mais lhes convém. Essas forças externas, são partidos outros, não vou dizer se é o partido A ou B. É voz corrente que isso está a acontecer, e por isso não posso fazer fé nestes rumores», declarou.

Antigo Ministro da Economia, deputado eleito no círculo de Cantagalo, Jorge Amado, anunciou para o Téla Nón a composição da lista da sua candidatura. Para além de ele como Presidente do partido, pretende ter 4 vice-presidentes. Dois já estão identificados, nomeadamente o economista Alcino Sousa, e Olímpia Aguiar.

Segundo Jorge Amado, os outros dois vice-presidentes serão conhecidos no congresso. Celestino Andrade antigo Ministro do Comércio, é indicado para o cargo de Secretário-geral e a Doutora Elga para o cargo de Secretária Geral Adjunto. «O que mais nos move é a necessidade de união e solidariedade no seio do partido. O MLSTP tem enfrentado momentos difíceis com falta de unidade e coesão. A instabilidade no seio do MLSTP/PSD não garante o crescimento do partido. Queremos preparar o partido para recuperar os tempos de glória, e abrir o MLSTP aos são-tomenses», assegurou, o candidato a liderança.

Porque Amaro Couto desistiu da corrida, Jorge Amado apela aos apoiantes do candidato que desistiu a concentrar votos na sua candidatura. «É um apelo que faço», pontuou.

Vitória no congresso deste sábado, anima o candidato que promete oposição construtiva ao actual governo. «Acredito que sim. Devo dizer que nunca perdi uma batalha no MLSTP/PSD, quer no parlamento quer nas organizações de base. Acredito que desta vez com os olhos fitos no horizonte esta sorte não me fugirá», concluiu.

Abel Veiga

    15 comentários

15 comentários

  1. CELSIO JUNQUEIRA

    11 de Janeiro de 2011 as 15:25

    Caro Candidato J. Amado,

    E para quando uma separação de actividade entre a diplomacia (embaixador em Taiwan) e liderança do MLSTP/PSD???

    São questões como essa de clarificação politica que se pede aos novos actores da vida politica nacional.

    E já agora, disponibilize no Tela Non as linhas orientadoras da sua proposta politica!

    Não se pode fazer politica com palavras vãs. O povo já não cai na “conversa fiada” dos politicos.

    Boa Sorte para o Congresso,

  2. E.Santos

    11 de Janeiro de 2011 as 20:21

    Se os militantes do MLSTP estão a aceitar banho, bem se vê em que este partido se transformou e o que pode vir a ser no futuro.
    Penso que o esforço do MLSTP deve se centrar no resgate de alguns valores fundamentais para a sociedade. Mais um vez, persiste a ideia de um partido sem qualquer orientação, onde a política não é feita por convicção e onde prevalece o oportunismo e a ambição a qualquer custo. Espero sinceramente que o povo esteja atento a todos estes sinais para perceber bem com quem está a lidar. Isto é muito importante na hora de escolher quem nos governa. Se nem conseguem governar o próprio partido…..

  3. N.C

    11 de Janeiro de 2011 as 21:52

    Sem ser derrotado ja aranja uma desculpa.Imagino entao se perde,a sede do partido se transformara num ringue.Aurelio Martins” Biliue vija banssa e”

  4. pantufas

    12 de Janeiro de 2011 as 11:05

    Com estes lideres,o MLSTP caminha para o afundanco.Igual ao barco Micau.

  5. c.silva

    12 de Janeiro de 2011 as 12:43

    Se este partido não tiver um lider capaz de realmente mudar a política actual,pensando realmente no partido, haverá séria ameaça para o MLSTP/PSD, como maior partido e histórico.

  6. Adriano Málé Bobo

    12 de Janeiro de 2011 as 16:11

    Eu não sou do Partido MLSTP/PSD,mas aconselho os delegados que vão ao congresso que esteja muito atento com as manobras delatórias, porque o Sr.Aurelio Martins não está em condições de assegurar o maior partido histórico de STP, só se os militantes são um grupos de malucos,
    obrigado,
    fui,

  7. maria chora muito

    12 de Janeiro de 2011 as 17:56

    Pelos candidatos que se apresentam é melhor deixar o meu querido Rafael, como lider do MLSTP. Eu fui pioneira do MLSTP no tempo do partido unico. Não quero esse bruto de Jorge Amado a liderar o meu partido. Ele parece ser mais bruto que o proprio Fradique. O Estado de São Tomé e Príncipe durante este anos da presidencia do Frdique resume-se a NADA. Já basta o Fradique. Não vamos repetir com o Jorge Amado.

    • jona

      13 de Janeiro de 2011 as 11:58

      muito bem!

  8. maria chora muito

    12 de Janeiro de 2011 as 17:59

    Senhor Doutor Patrice demite essse Jorge Amado como embaixador já e imediatamente. Ele nem para embaixador serve, quanto mais, lider do MLSTP. Abaixo os ambiciosos do poder.

    • Alexandre Coelho

      12 de Janeiro de 2011 as 23:54

      Nenhum país do mundo consegue resistir, em termos de alteração das suas condições intrínsecas, rumo ao desenvolvimento, se os partidos políticos continuarem a ser encarados com tanta irresponsabilidade. Em qualquer democracia, os partidos políticos constituem pilares de suporte ao regime. São neles que se começam a preparar, discutir, avaliar estratégias que, mais tarde, dão corpo e sustentação a um programa político para ser implementado na organização do nosso estado.
      Agora, se os partidos políticos não sentem o peso desta responsabilidade, não dão importância a esta tarefa, escolhem os piores dos seus quadros para a missão de os representar, estão reunidas as condições para a bandalheira e irresponsabilidade quando estes partidos conseguirem ganhar as eleições e passarem a ter responsabilidades nas funções do estado.
      Como é que a elite do MLSTP consegue estar tão desatenta que aceita que os candidatos à liderança deste partido sejam estes indivíduos, tão pobres em termos de ideias, projecto, percurso pessoal e profissional de vida, etc.
      Ninguém conhece uma obra, uma tarefa profissional de excelência realizada por estas pessoas, uma ideia sobre o país, um acto político de excelência realizado por estas pessoas que dignifique-os e os credibiliza para a tarefa que se auto-propõem. Pelo contrário, são pessoas que estimularam a escola do banho, da trapaça, da intriga, da filantropia com objectivos políticos de escravizar os adversários políticos, que apresentam um percurso pessoal e político pouco recomendável e que não têm condições políticas intrínsecas para unir um partido que está totalmente partido.
      Quem vai respeitar esta gente? Quem vai seguir esta gente? Quem vai acreditar nesta gente? O que é que esta gente vai fazer? Que valor político e pessoal esta gente vai acrescentar ao partido? O que é que esta gente sabe fazer? A elite política do MLSTP tem consciência do desastre que os espera com este tipo de gente na hierarquia do seu partido? É este o contributo que a elite do MLSTP dá ao país? É este o respeito que os militantes do MLSTP merecem, da sua elite, depois de tanto trabalho e serviço histórico prestado? O país não está como está porque as elites partidárias estão mais preocupadas com os seus interesses pessoais e de grupo? Como é que o país pode dar a volta a tudo isto?
      Saudações revolucionárias
      Viva S.Tomé e Príncipe
      Viva a democracia
      Viva a Liberdade
      Alexandre Coelho

    • jona

      13 de Janeiro de 2011 as 8:27

      muito bem!vai chorando,que eu gosto maria.abra,bem os olhos.eles sao tao orgulhosos que nen si quer olham para suas iguinorancias.

  9. Adriano Málé Bobo

    13 de Janeiro de 2011 as 11:50

    No fim de semana vamos estar presente no palco assistir duas peças de teatro, com dois actores diferentes,
    obrigado,
    fui,mas no Partido MLSTP/PSD, não mais ninguem, será

  10. Adriano Málé Bobo

    14 de Janeiro de 2011 as 11:33

    Qualquer que seja o resultado do congresso, eu acredito na vitória do Sr.Jorge Amdo, independentemente, da sua forma ser, embora muitos criticam, o que não é justo tendo em conta cada um é como cada qual, não estejam ai a julgar o homem, porque cada tem os seus defeitos.

  11. záuá dhomé

    14 de Janeiro de 2011 as 18:11

    Nê buê nê piadô nê códó cu malá buê.Nem Jorge Amado nem Aurélio Martins muito menos o Rafael Branco estão em condições de comandar este Partido. Chamem o Pinto da Costa. FUUUUIIIIEEEE

  12. camuenda

    14 de Janeiro de 2011 as 19:25

    Come é possivel o chefe do Governo viaja para Taiwan e o seu representante não se encotra porque luta pela ambição do poder? Meus caros vem que tipo de dirigente é esse que quer ser lider partidario.
    Camarada deixa a juventode governar para melhor de S. Tomé e seu povo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo