Política

Frases e Ideias do V Congresso Extraordinário do MLSTP/PSD

Extractos das intervenções de 5 figuras políticas que marcaram o congresso do MLSTP/PSD no último fim de semana.

Aurélio MartinsO MLSTP/PSD é um partido da esfera do poder, temos responsabilidades históricas e vamos fazer uma oposição construtiva e alternativa, no respeito pelas regras democráticas, visando naturalmente o regresso ao poder nas próximas eleições, começando pelas presidenciais, seguindo-se as legislativas, autárquicas e regionais”.

Seremos todos responsáveis pelas decisões que forem sancionadas, maioritariamente, neste Congresso”.

Defendemos o diálogo franco e aberto para promover a unidade e a coesão interna; queremos dar uma atenção especial às organizações de massas do partido; defendemos a criação de um Secretariado Nacional que funcione de facto e uma maior autonomia administrativa e financeira dos distritos; julgamos  que é fundamental resolver a problemática da sustentabilidade financeira do partido; vamos fortalecer as nossas relações com os partidos amigos dos países da CPLP e do Golfo da Guiné”.

Manuel Pinto da Costa- 2011  é um ano decisivo para o futuro da família do MLSTP/PSD. O partido deve ser uma oposição séria e credível, mas não reúne condições para tal porque precisa primeiro de se reestruturar, aproximando-se  da sua base, o povo de S. Tomé e Príncipe”.

O novo líder deve ter um perfil aceitável e irrepreensível do ponto de vista do seu passado e da sua idoneidade

O partido envelheceu e não soube aproveitar os jovens quadros, muitos regressados do exterior, com potencial de renovação…nos últimos anos, o partido perdeu muito do seu capital…temos um verdadeiro programa para responder aos desafios do desenvolvimento?”

Não há desenvolvimento sem democracia e não há democracia sem desenvolvimento”.

Joaquim Rafael Branco- Os militantes e sobretudo dirigentes nacionais devem assumir de maneira inequívoca que a legitimidade para tomar decisões sobre a vida do Partido reside em lideranças eleitas, que seguem os Estatutos do Partido”.

O MLSTP não tem dono nem accionistas maioritários. Isto significa que grupo algum, liderado por quem quer que seja, tem qualquer direito de pôr em causa decisões e orientações maioritariamente adoptadas, em nome de agendas pessoais, sejam elas quais forem”.

Temos de estar absolutamente atentos a algumas manifestações que podem indiciar uma deriva autoritária e um estilo de governação muito semelhante a alguns que existem no nosso continente. Por isso, entendo que o MLSTP deveria  concentrar grande parte do seu esforço na defesa das instituições democráticas, na garantia do pluralismo político e no combate a toda a tentação autoritária”.

A questão das eleições presidenciais deveria ser abordada pelo partido numa perspectiva de interesse nacional…garantir que seja eleita uma cidadã ou um cidadão que se comprometa de maneira inequívoca com a defesa da Constituição e dos direitos e liberdades do cidadão”.

Jorge Amado– O MLSTP/PSD quer ser poder, mas não tem pressa. Precisamos de nos preparar devidamente para que quando o nosso povo olhar o MLSTP, veja um partido preparado para governar S. Tomé e Príncipe

Não sou a favor da corrente que quer a rotura. Rotura significa escorraçar, eliminar. Eu sou pela mudança e mudança, para mim, significa somar e nunca subtrair

Osvaldo Abreu  ( Porta-voz do «Movimento Espontâneo») – Para que servirá este congresso?  Para elegermos mais um Presidente? Para nos prometerem um futuro melhor e depois nos trazerem mais do mesmo?(…) Temos de dizer: basta!  (…)Estaremos aqui, vigilantes e alerta”.

    11 comentários

11 comentários

  1. CELSIO JUNQUEIRA

    17 de Janeiro de 2011 as 10:49

    Caros,

    Nesses extractos consegue-se entender a razão da eleição do cidadão Aurélio Martins. Foi o único a falar do futuro e do que queria para o MLSTP/PSD.

    O PC, o RB, o JA e o OA só falaram dos medos e das debilidades do Partido.

    Agora falta saber qual será o candidato do partido as eleições presidenciais.

    Bem haja!

    • ovumabissu

      17 de Janeiro de 2011 as 22:24

      Celsio,

      Nestas coisas de congressos cada um desempenha determinado papel. Creio que apenas o AM podia falar do futuro, porque ele já sabia que estava eleito. Sendo assim tinha que falar para fora do partido e ter discurso apaziguador para dentro.

      O vencido (JA) tinha que limitar-se a conter os danos e proteger a sua minoria de eventuais represálias.

      O RB, não sendo candidato mas apoiante do AM, preocupou-se em proteger a nova maioria dos supostos barões.

      O OA desempenha o papel de reserva moral, dos desalinhados, dos “enfant terrible”, do… tinga você!!

      N’bé mu ê

      • CELSIO JUNQUEIRA

        19 de Janeiro de 2011 as 11:11

        Meu Caro ovumabissu/ovubembissu,

        Obrigado pelos alertas, mas que tal invertermos o raciocionio e dizer que cada um faz o papel que quer no partido?!

        Sei que os Congressos também tem muito de teatralização e de circunstâncial, ou até jogadas de bastidores não visivel a olho nu.

        Convenhamos, o que conta é o oficial e o visivel a vista desarmada.

        Finalizando, entendi o que quiz dizer, e agradeço a gentileza.

        Abraços,

  2. De Longe

    17 de Janeiro de 2011 as 11:00

    Estive num grupo de santomenses em conversas informais e falávamos da nossa realidade e nessa altura um indivíduo humilde que tinha estado de férias pouco tempo antes em S.Tomé disse:
    – Santomé ficô uma tera pa jogá fora!
    Assusta-me que pessoas que tenham governado um país levando-o a ser uma terra de fogar fora continuem a apadrinhar e a influenciar a conduta de jovens dirigentes. Não estaremos a mudar só a idade?

  3. BLAGA PENA

    17 de Janeiro de 2011 as 13:57

    olá amigo de Longe
    Desde o dia em que o meu pai contou-me uma história de que tinha visto um leitão a andar de bicicletas, então acredito que tudo naquela nossa terra é possível.

  4. E.Santos

    17 de Janeiro de 2011 as 16:52

    “Temos de estar absolutamente atentos a algumas manifestações que podem indiciar uma deriva autoritária e um estilo de governação muito semelhante a alguns que existem no nosso continente. Por isso, entendo que o MLSTP deveria concentrar grande parte do seu esforço na defesa das instituições democráticas, na garantia do pluralismo político e no combate a toda a tentação autoritária”.

    Qualquer relação entre este comentário e o caso São Deus Lima vs Governo, supõe-se que seja uma mera coincidência…

  5. Fernando Augusto(Cocas)

    18 de Janeiro de 2011 as 8:18

    Pinto so esta a pensar na familia MLSTP/PSD.Seja um verdadeiro democata homem.Aurelio cuidado para o Pinto nao te atirar com a pedra e dizer que e barro.
    Pinto ja nao tem emprego porque sempre quiz ser Presidente da Republica como a sua profissao,ate esqueceu que fez economia,esta a ignorar a sua formaçao e so podera aplica-la na cadeira da presidencia,por isso Pinto nunca seras eleito como Presidente do STP.Descança a sua memoria e este pensamento e sonho que sempre tiveste.O Povo ja nao vive das falsidades.Estamos com os olhos abertos.Potanto nao sonhes mais com a cadeira da Presidencia da Republica STP,apenas ficara na lembrança do dia a dia o primeiro Presidente Ditador e Corrupto de STP.
    Saudades dos 15 anos ja chegou,crise economica,povo a comer milho cozido com o coco porque nao havia pao,mamao cozido,coscoz,etc.Deverias Pinto ser julgado antes do fim da sua vida…

  6. sara

    18 de Janeiro de 2011 as 10:33

    olá amigos vcs viram a diferencia entre a interveção do srº pinto da Costa e do srºRafael Branco? O srºPinta da Costa esta preocupado com quadros capacitados para a liderança desse partido e o srº Rafael esta preocupado com os seus interesses pessoais escolhendo qualquer um para lideraça do partido desde que faça o seu jogo para continuar a mandar nesse partido indirectamente. Esse homem gosta de poder, por isso, senhor Primeiro Ministro fica alerta com essa dupla na liderança do MLSTP pk por poder Rafaz faz tudo como o seu proprio nome ja diz……..

  7. Maria Piedade

    18 de Janeiro de 2011 as 11:39

    Meus caros amigos da diáspora. Sejamos mais esperançosos. Naquela nossa terra também contecem coisas muito boas. Não estejamos a crucificar, maltratar, porque estamos desse lado e as coisas nos parecem mais fáceis.Vamos dar o nosso contrinbuto positivo. Um dia estaremos a regressar as bases e nessa altura nos perguntamos. Que contributo demos para melhorar a nossa terra e preparar o nosso regresso? Pensemos todos, façamos esse pequeno exercício…

  8. José Manuel Triste Vencedor

    19 de Janeiro de 2011 as 10:11

    Cara Sra. Sara
    estou de acordo consigo. mas não se pode nunca comparar o Pinto da Costa com Rafael Branco. Pinto da Costa é um lider. Pensa no se povo nos militantes e no Partido. Enquanto o RB só pensa em si na sua Família comprou bens em nome de toda sua família é um larápio, sanguesuga, deste País. As 150 casas qe estão na Alfândegas prontas para ir a San Guembú?, Patrice toma medidas.

  9. Lucas

    19 de Janeiro de 2011 as 15:33

    humm….
    Zemé sá tamem de flá!
    um sá naí pam pia!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo