Política

PCD vai a congresso no dia 26 de Fevereiro

Terceira força política são-tomense, o partido até agora liderado por Albertino Bragança, vai reunir-se para eleger uma nova direcção e definir a estratégia de acção para os próximos desafios eleitorais. O PCD tinha 11 assentos no anterior parlamento. As eleições legislativas de 1 de Agosto de 2010, trouxeram derrota para o PCD, que perdeu 4 assentos no parlamento. Actualmente ocupa 7 lugares na Assembleia Nacional. É a terceira força política são-tomense. Com as eleições presidenciais previstas para Junho próximo, o PCD decide dinamizar a sua liderança, através do sexto congresso onde ao que tudo indica será eleito um novo Presidente no dia 26 de Fevereiro próximo.

    21 comentários

21 comentários

  1. José Manuel Triste Vencedor

    25 de Janeiro de 2011 as 9:30

    Espero que os homens e as mulheres honestos assumam a liderança deste Partido. Não cedam lugares aos corruptos que deram cabo da imagem do Partido. Não vou dizer quem são porque todos os conhecemos muito bem. Não vale a pena utilizarem o dinheiro da máfia para ganharem congresso. Vamos denunciar-vos. Seus malandros|

    • jona

      25 de Janeiro de 2011 as 17:22

      cncordo consigo grande santomense…

    • xaroco

      26 de Janeiro de 2011 as 7:31

      é o delfim e compania limitada,mas é verdade, dinheiro da mafía!não sei porquê que o delfim não vai pra o mlstp.

    • luis noronha

      27 de Janeiro de 2011 as 9:53

      quero saber o que se passa afinal!
      e ate onde vamos chegar, deixão de coisas aleias, Se não decharem de fazer palhassada, povo vai-se Revoltar e culpado vai ser quem responder primeiro.
      São bons mas não são boros.

  2. paulo coelho

    25 de Janeiro de 2011 as 11:48

    Espero que delfim Neves assuma a liderança do partido e que seja o candidato do partido a presidência da republica.. embora as chances de vitoria sao baixas, o partido tem que levar a sua figura mais importante para manter a confiança dos militantes…. força pcd levantar a cabeça e lutar pra melhor de stp

    • jona

      25 de Janeiro de 2011 as 17:19

      OPA! porquÊ que nao tas calado?vocÊ é mesmo, santomense?

      • paulo coelho

        25 de Janeiro de 2011 as 22:23

        sou santomense sim.. e tenho todo o direito de expressar a minha opinião… tamos a 32 anos a chamar todos os politicos d ladrões que ja não se vê quem é bom ou mal…qual seria o motivo pra estar calado???

    • no escuro

      25 de Janeiro de 2011 as 19:18

      só pode ser o próprio delfim neves ou o filho dele mascarado a escrever isso pra poder auscultar o que se pensa do delfim.

      opa, sejas lá quem tu fores, nao percas tempo, a sério. teu comentário é uma barbáridade e só se a burrice chegar ao extremo é que esse senhor será presidente do seu partido.

      • paulo coelho

        26 de Janeiro de 2011 as 17:02

        voce pensa o que quiser em relaçao ao delfim, eu nao ti estou a pedir para gostar dele. simplesmente eu estou expresando a minha opinião como militante do pcd, obiviamente que tens um partido diferente e apoias pessoas que sao do teu agrado.Isso é um espaço aberto onde cada um fala aquilo que acha certo, eu não quero entrar nesse campo de ofensas… campanha não se faz num blog online onde meia duzia de pessoas fazem comentarios, pra mim nem que todo mundo que passe por esse website odeie o pcd ou delfim isso não vai mudar nada porque as pessoas que realmente acreditam no nexe partido e nas suas figuras nem têm acesso a internet

    • aluno do Januario

      31 de Janeiro de 2011 as 3:35

      figura importate ?esqueceste da DOCA pesca,passeio(estradas) que nao foram concluidos que vergonha,tu nao sabes o que dizes ,ele ate poderia canidatar-se para aparecer no tribunal como reu…

  3. madalena

    25 de Janeiro de 2011 as 12:50

    O PCD!
    Meu partido, assumido.
    Espero o convite para o congresso.
    Desde logo digo que não me revejo na actual liderança.
    por uma questão de coerencia, sob pena de ser muito do mesmo.
    Ponto final

  4. SPC

    26 de Janeiro de 2011 as 9:51

    Meu Glorioso PCD,
    Espero que a nova Liderança, seja ela qual for seja capaz de nos levar aos bons momentos do PCD.
    Entretanto acho que é o momento para que o Partido seja liderado por uma mulher forte como a Alda Bandeira, Santa Tebús, Fernanda Pontifice ou mesmo pela a Camélia Barros.
    Por ter fé em S. Tomé e Príncipe tenho fé e acredito que o PCD.
    Viva PCD,
    Viva S. Tomé e Príncipe
    Que Deus abençõe a nossa Terra.

  5. Lilaschoo/C.Salopessa

    26 de Janeiro de 2011 as 11:24

    Façam o que acharem melhor para o vosso partido e para Sao-Tome e Príncipe.Olha que o nosso quer dizer o Glorioso ja se encontrou com novos ventos para tempos novos.Viva S.T.P
    Fuiiiiiiiiiiiiii.

  6. cua tela

    26 de Janeiro de 2011 as 16:52

    os santomenses têm uma mania mto feia de criticar à baixo nivel os comentarios dos outros, com insultos e insinuaçoes, seja la quer for que comentar e defender a sua opinaiao n significa que seja filho de fulano ou do sicrano…isso chama se falta de respeito e baixo nivel autêntico…é por isso que a nossa política é a palhaçada que é…tem pessoas que necessitam de chá de boa educaçao nesse país…

  7. jaka doxi

    26 de Janeiro de 2011 as 22:09

    Nem mano ê.
    A pêmu ni lugué tê kua ligui.
    Pouca vergonha.
    Brincadeira tem hora.
    Fui.

  8. suspeito de sempre

    26 de Janeiro de 2011 as 23:34

    temos liberdade de expressar o k nos apitece seja filho ou nao k seja cada tem requerer suas opinios sobre agora ficar zangado com isso é d loucos nao…povo complicado

  9. suspeito de sempre

    26 de Janeiro de 2011 as 23:36

    sempre com divisão até quando ? loucos todos os dias..

  10. Arlindo Pereira

    27 de Janeiro de 2011 as 14:57

    Força PCD, um Partido com provas dadas.
    Agora é momento de se posicionar,mudar a liderança.Como membro de C.N. aposto na candidatura de Delfim Neves:Homem dinamico, lutador.
    Deus abençoe STP e PCD.

  11. Dionísio Soares

    30 de Janeiro de 2011 as 21:25

    CAROS COMPATRIOTAS
    É certo que cada um dos nossos partidos tem o seu lado bom e o seu lado mau. Tem gente boa e gente má. Afinal de contas cada um deles é formado por gente santomense com personalidades mais ou menos semelhantes. O que se deve ter em conta, é que os partidos se destacam como bons, maus, melhores ou piores, de acordo com os tamanhos dos conjuntos bem ou mal rotulados, envolvidos na sua gestão e/ou na gestão do país, a sua liderança, a sua capacidade técnica, tanto em quantidade como em qualidade, os seus feitos e sobretudo a sua visão e as suas decisões estratégicas, para resolução das grandes questões nacionais para responder às ameaças e às oportunidades, desde as mais simples às mais complexas, com vista à satisfação e ao bem-estar socioeconómico das populações.
    Entre as várias forças políticas do país, o PCD parece ser a que está em melhores condições de fazer uma melhor política a favor do povo santomense tendo em conta as suas capacidades técnicas, o baixo envolvimento em questões menos claras relativamente aos demais.
    Espero que esse partido eleja como seu lema, o trabalho e dê menos importância ao populismo doentio que tem trazido consequências demasiado graves ao país, como por exemplo a desorientação na construção e consolidação da cidadania santomense. As teclas relativas ao compadrio, ao nepotismo, aos espíritos de deixar-andar e de não deixaR-fazer, devem ser substituídas por outras como a união entre todos os santomenses e a construção de uma cidadania em torno do patriotismo santomense.
    Importar referir, que o PCD cometeu erros graves na sua estratégia de Marketing, dos quais destaco dois:
    -o primeiro foi o de ter investido muito em maus candidatos à presidência. Se o seu Deus era o Povo, não devia ter apostado em diabo (passo o termo). O prémio que lhe valeu dessas apostas foi a sua própria fragmentação a favor dos diabos.
    -o segundo erro de Marketing tem a ver com a sua liderança. Nem sempre as apostas foram das melhores.
    Para terminar, gostaria de perguntar ao PCD: está ao mais alto nível, estudado o perfil da nova liderança? O líder proposto ou a propor trará a projecção que partido deve desejar como alguém em que o povo poderá confiar? Tem sido analisada com alguma equidade a questão de interesses de grupos internos sem enfoque na população?
    Uma coisa posso avançar: se o novo(a) líder vier a ser alguém de desconfiança dos militantes e do povo, o partido estará condenado a estagnação ou a morte.
    Não nos esqueçamos que existe pessoa no partido, com posicionamento, cuja imagem pessoal é bem aceite dentro e fora do país, a partir da qual o partido poderá vir a reconstruir a sua imagem com repercussões muito positivas. Uma mulher a liderar o partido seria uma boa estratégia para a projecção da imagem do partido e do país e consequentemente um bom suporte de Marketing que o partido precisa como pão para a sua boca.

    Dionísio Soares (Lisboa)

    • Conceição Vila Nova

      31 de Janeiro de 2011 as 13:31

      Mas porquê mulher? Começam por pedir união, coerência, respeito, e outras coisas, para no fim sugerir que seja uma mulher a chefiar o partido? Eu não me importo nada que seja mulher. Mas, destaco a importância da competência, técnica e política. Que interesse tem que o partido tenha na sua direcção uma mulher ou um homem que não seja capaz de dar conta do recado? Esta proposta está viciada, a partida. O problema não é ser homem ou mulher. O problema é ter capacidades e um bom projecto para o partido.
      Fui
      Conceição Torres Vila Nova

  12. Dionísio Soares

    31 de Janeiro de 2011 as 23:43

    Cara amiga Conceição
    Apesar de toda a sua clareza, lamento a senhora não ter entendido o sentido para o qual a minha mensagem aponta. Tentei ser claro sem ter deixado perder de vista, a capacidade técnica e estratégica bem como a confiança que um sujeito pode gozar diante dos militantes e do povo, como requisitos “si ne qua non” para liderar um partido. Como investigador na área da Comunicação e Marketing, achei importante alertar o partido no que toca a construção de uma imagem interna, ou seja, a soma das percepções dos colaboradores de todas as actividades a exercer no dia-a-dia pelo partido, versos o discurso que a mesmo poderá vir seguramente a praticar. Muitos partidos ainda não perceberam que os seus militantes tanto podem ser seus maiores fãs como seus maiores inimigos. Os militantes estão directamente ligados à realidade, a verdade nua e crua do que, de facto, esses partidos servem ou produzem. Importa falarmos de credibilidade. A imagem de um partido pode, e é abalada pela imagem que seus militantes expressam perante os seus amigos, colegas de curso, faculdade, familiares, conhecidos entre outros.
    Por outro lado, há a considerar a imagem externa, que é o rótulo de um partido, a acção promocional, o objecto concreto que ele pode usar. Essa imagem deve ser muito bem trabalhada. Devemos ter em qualquer organização uma acção de marketing, seja uma promoção, seja uma alteração de embalagem, seja a excelência do atendimento, ou seja como neste caso, a alteração das pedras do xadrez de um partido. Voltemos a falar da credibilidade ou da imagem que o partido gera junto aos seus clientes e que pode ser abalada, apesar de milhões de Dobras aplicados ou a aplicar em campanhas e dos melhores apelos políticos do mundo. Não havendo fidelização dos militantes todo o resto estará comprometido. Quem irá passar a palavra?
    Gostaria que a minha amiga Conceição chegasse a conclusão que: as imagens interna e externa são importantes, relevantes e têm tanta importância para os partidos, que é por isso que eles devem investir em pessoas íntegras para que as suas imagens interna e externa sejam “una”.

    Dionísio Soares (Lisboa)
    diosoares.com@live.com.pt

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo