O MLSTP E O PAÍS

Amaro Couto, candidato desistente a liderança do MLSTP/PSD no congresso de Janeiro último, decidiu desabafar num artigo que liga o seu partido o MLSTP/PSD e São Tomé e Príncipe.

O MLSTP E O PAÍS

Por: Amaro Couto

Estima-se hoje que o MLSTP/PSD congrega em si cerca de 15 mil militantes. No país é hoje estimada uma população global de cerca de 164 mil habitantes. Dentre a população total de S. Tomé e Príncipe é estimado que cerca de 67 mil pessoas têm de 0 a 14 anos, o que projecta em menos de 97 mil pessoas o número da população maior de idade. Os cerca de 15 mil militantes do MLSTP/PSD representam mais do que 15% da população adulta do país.

A comparação entre a situação social do Partido e a realidade, aproximada, da situação populacional do país, é importante para a ilustração da forte implantação do MLSTP na sociedade. Representando mais do que 15% da população adulta do país, o MLSTP é um Partido que permanentemente influencia o dia-a-dia da vida em S. Tomé e Príncipe.

Todo mau exemplo proveniente deste Partido tem repercussões negativas imediatas em toda sociedade. Ao contrário, toda posição saudável assumida pelo Partido tem repercussões positivas na mentalidade e na formação das pessoas. Mais do qualquer outro Partido, neste país é o MLSTP que pode mais consistentemente influir no comportamento das pessoas. Daí a grande responsabilidade que tem este Partido na condução dos assuntos nacionais e na formação do cidadão em S. Tomé e Príncipe.

A consciência desta situação parece não estar mais plenamente penetrada nas mentalidades dos responsáveis pela gestão do Partido. Disto decorrem razões de vária ordem. Com o advento da democracia multipartidária o Partido viu acelerado o enfraquecimento da política para a formação dos seus militantes ao ponto de hoje objectivamente constatar-se o abandono completo pelo Partido de medidas para a formação dos seus militantes.

Estes estão largados a sua sorte e no geral vêem-se com uma formação política muito débil. Por outro lado, a disposição para a defesa do Partido e dos seus interesses bem como a disposição para o desenvolvimento de uma cultura de Partido, foram cedendo progressivamente lugar, num processo de inversão completa de valores, a tal ponto que os dirigentes do Partido raramente se preocupam com os interesses do Partido, privilegiando quase que exclusivamente os seus interesses próprios.

Compreende-se assim que esforços e habilidades tenham sido empreendidos para a introdução do banho no interior do MLSTP/PSD, sendo que, por via disto, expandiu-se largamente a não cultura, sustentadora da prática para se aproveitar do Partido, nas mais largas esferas de militância interna. Não admira pois que a situação do país reflicta acentuadamente hoje essas práticas nada saudáveis para o desenvolvimento da sociedade e o bem-estar moral e material das pessoas.

Aspectos recentes da vida do Partido vêm reincidir numa gestão que eleva a importância dos interesses próprios para daí se afirmarem os procedimentos que a cada momento melhor se adequam a satisfação desses interesses. Agora, após a realização do Congresso, que os ânimos estão mais serenados, as opiniões podem vir ao de cima sem o risco de se alegar atropelos ao processo de preparação do Congresso.

Na preparação do Congresso, finalmente realizado a 15 de Janeiro de 2011, não se respeitaram os procedimentos estatutários, sendo assim que os Delegados ao Congresso não foram eleitos, nas estruturas de base, como manda o artigo 22º dos Estatutos vigentes. Preferiu-se contornar os Estatutos para se reconhecer poderes a dirigentes distritais, regionais e aos Coordenadores de Zona para escolherem as pessoas que melhor correspondiam ao perfil que se entendia necessário para formação da vontade, soberana, a assumir pelo Partido no Congresso. Por outro lado, a maioria da Comissão Política aderiu, silenciosamente, a posição do Presidente do Partido para reconhecer validade do banho nas actividades de campanha no interior do MLSTP/PSD para a preparação do Congresso.

Perfila-se com isto uma tendência que não augura boa saúde política para o Partido nos próximos tempos. E, no entanto, é já a partir de hoje que o país precisa de um MLSTP forte, com capacidade elevada de intervenção na sociedade para empreender iniciativas e propostas que melhorem a qualidade de vida do povo e a situação de S. Tomé e Príncipe.

É dever de todos os militantes do Partido posicionarem-se numa atitude, edificante, de apoio ao Partido para que este consiga rapidamente contornar as dificuldades que se colocam ao seu desenvolvimento e fortalecimento. Pelo país, todos os militantes do MLSTP/PSD devem se unir de modo a ficarem mobilizadas todas as capacidades e forças de que o Partido dispõe para que a sua volta a unidade se construa, no seu interior a democracia se pratique e o seu fortalecimento finalmente se afirme.

Nisto, é importante que o patriotismo e o gosto pelas independência e desenvolvimento nacionais primam nas escolhas que cada um deve fazer entre os interesses próprios e os interesses do país no seu todo. É também de grande importância que os rancores e as intolerâncias, que tanto mal vêm fazendo ao MLSTP/PSD, sejam banidos dos discursos e práticas de dirigentes do Partido.

O país está mal. A responsabilidade por isto não é singular. Ela é antes colectiva. O estado em que se apresenta o país hoje é o resultado de um acumulado de acções produzidas por uns e da inércia de outros, gerada pela indiferença ou pelo oportunismo para a satisfação de próprios interesses, que se foram amontoando ao longo dos tempos.

Os custos de bens e serviços passaram a subir “livremente”. Consequentemente, os salários já de si baixos, entraram em declive contínuo e acentuado. O país está cada vez mais dependente da importação e de todas as perversidades daí decorrentes. A produção interna e a exportação vão baixando. As necessárias reformas institucionais, várias vezes invocadas nos sectores da justiça, da administração pública e do sistema eleitoral, tardam a se fazer. A qualidade do ensino estagna e a qualidade da saúde decresce. A segurança social não é condigna.

Algumas actividades em curso permitem perspectivar uma situação relativamente optimista, apontando para um aumento da produção e da exportação, especialmente no que se refere a indústria de óleo de palma. O turismo tem perspectivas, sendo que neste sector são necessárias reformas integradas para baixar os custos dos serviços e aumentar as receitas do Estado.

Contudo, as melhores perspectivas que se abrem para S. Tomé e Príncipe têm consistência a partir da situação que geograficamente o país ocupa na África Central e na região do Golfo da Guiné. S. Tomé e Príncipe está estrategicamente situado em relação aos outros países da região central de África e em relação a circulação marítima através do Golfo da Guiné. Por outro lado, o Golfo da Guiné é uma zona reconhecidamente rica em petróleo e há informações que apontam também o país como produtor de petróleo nos próximos anos.

Estes factores fazem de S. Tomé e Príncipe um país atractivo para as grandes e as menos grandes potências mundiais. Estas posicionam-se em consideração dos seus próprios interesses. À S. Tomé e Príncipe de identificar e estabelecer também os seus próprios interesses, criando políticas e instrumentos para a salvaguarda e satisfação dos interesses nacionais.

O patriotismo, o gosto pelas independência e desenvolvimento nacionais que devem guiar as acções do MLSTP/PSD devem também ser eleitos como políticas pelos outros partidos políticos, em especial por aqueles que receberam do povo o mandato para o representar no parlamento. O que estará em causa será a formação de uma verdadeira unidade nacional, geradora de políticas que protejam a independência país, promovam o seu desenvolvimento e garantam um bem-estar crescente para as suas populações.

A iniciativa, a condução e a gestão da unidade nacional, serão seguramente mais eficazes se forem empreendidas por uma liderança esclarecida, de estatura reconhecida ao nível nacional, regional e até mesmo internacional, com capacidade para unir forças, forjar laços de fraternidade e de solidariedade, distanciar os rancores e as intolerâncias. Trata-se de uma liderança facilmente reconhecível como acima dos interesses pessoais e de grupos, realmente preocupada com o país no seu todo e respeitadora das regras de gestão dos recursos do Estado, incluindo o património público.

S. Tomé, 5 de Fevereiro de 2011

Amaro Couto

  1. img
    Ovumabissu Responder

    Xxxxiiiii…muito cheiro a naftalina!!!!
    Tem demasiada cultura de partido único neste texto. Há pessoas que ainda vivem da “glória” dos 15 anos da ditadura.

    Meus senhores da “brigada do reumático”, só vocês têm saudades dos tempos da ditadura. Chega de quererem passar a ideia de que no nosso tempo havia lei, ordem, não havia corrupção (buá só…!!!!) e outras tangas. Já agora não se esqueçam de dizer que, no vosso “magnífico” tempo para tudo tinha-se que fazer bicha. Dificlmente se conseguia fazer um bolo porque quando havia farinha não havia açucar, manteiga, nem ovos. Quando vinha o açucar e a manteiga, já não havia farinha e continuava a não haver ovos. Só uma masoquista poderia quereu voltar a esse vosso glorioso tempo.

    Se o RB e o Gibela recorreram a banho para ganhar o congresso, temos é estar agradecidos. A velha guarda comunista do MLSTP deve é ficar lá no cantinho a contar os dias para a reforma.

    Já agora, se o congresso teve assim tantas irregularidades por que não metem um processo de impugnação?

    Essa gente não se adapta à democracia. Que coisa!?

    • img
      Celsio Junqueira Responder

      Caro Ovumabissu,

      Independente de tudo o que diz e muito bem ser verdade, não deve apoiar o fenomeno “banho” internamente no MLSTP/PSD para afastar os históricos.

      O MLSTP/PSD é um partido importante no cenário politico Santomense, é Oposição e para o bem da nossa Democracia, deve estar apto e a altura dos “embates”.

      Pasmo, não terem impugnado a eleição do novo líder! Muito “zun-zun” e no final faltou coragem para enfrentar o pessoal que “duchou”.

      Abraços calorosos,

      • img
        Ovumabissu Responder

        Celsio,

        Antes de mais, peço desculpa (a todos) pelas gralhas da msg anterior, nomeadamente “Só um masoquista poderia querer voltar a esse vosso glorioso tempo.”

        Quanto ao banho/duche não posso aceitar que o impoluto dirigente venha dizer que é aceitável/admissível para ganhar eleições fora de portas e inaceitável “intra-portas” (para ganhar a liderança do partido). É uma forma distorcida de “vícios privados, públicas virtudes”.

        Confesso que entre controlo de consciências (leia-se lavagem cerebral) muito a gosto da velha guarda do PU e a compra de consciências… venha o Diabo e escolha.

        Já agora, a luta contra o “banho” deixou de ser tema em STP. Só um processo de crescimento económico e de redistribuição da riqueza poderá inverter esse processo de angariação de votos. Isso não invalida que se mantenha na agenda enquanto objectivo a atingir (valor a defender) a médio e longo-prazo.

        Abraço

        • img
          Celsio Junqueira Responder

          Concordo em absoluto com o seu ultimo paragrafo.

          Mas leia estas frases do Amaro Couto:

          “Todo mau exemplo proveniente deste Partido tem repercussões negativas imediatas em toda sociedade. Ao contrário, toda posição saudável assumida pelo Partido tem repercussões positivas na mentalidade e na formação das pessoas.”

          Isto quer dizer alguma coisa!?!

          Confesso que o MLSTP/PU arrepia-me na totalidade, mas reconheço a importância do MLSTP/PSD para a nossa Democracia.

          Agora, a preferência que tem por Rafael Branco em detrimento de Amaro Couto, discordo. Porque em politica prefiro ideologia a “sound byte” improvisado e populista. Se aprofundarmos os fundamentos, teremos debate sine die.

          Um Grande Abraço,

        • img
          Fala Ceto Responder

          Esse discurso vem de paixão do Partido – MLSTP/PSD, apenas foi adicionado o banho e não fez qualquer mensão a inplantação da cultura do MLSTP/PSD, de corrupção, da indisciplina da anarquia, que afectou o não funcionamento da Polícia e dos Tribunais, para permitir a impunidade dos dirigentes que tanto roubaram bens e coisa pública de S. Tomé e Píncipe.
          Espero que a nova liderança se rodea de novo sangue para mudar este estado de coisa em prol do bem estar do Povo de S. Tomé e Príncipe. Por as mãos na ferida é difícil, mesmo poara quem não tem culpa no cartório.
          VIVA S. TOMÉ E pRÍNCIPE

  2. img
    Bili wé Responder

    Muito bom Amauro Coutó, goxtaira k vcs os veterranos de M.L.S.T.P/PSD, deixa-se de lado as divergençias pessoais, e uni-se por um M.L.S.T.P/PSD,forte para alcansar os objectivos, esse é novo, tempo, nova visão, nova administração, vamos todos unir e trabalhar que um partido e país k sai a ganhar…. Vamos unir a juventude e os veteeranos numa causa nobre, M.L.S.T.P/PSD, cada vez mais forte, rumos as proximas conquistas

  3. img
    S.T.P no coração Responder

    Meu camarada, Amaro Couto, congresso do dia 15 de janeiro, demostrou a todos os militantes e simpatisantes do M.L.S.T.P/PSD, k o partido não tem dono, e k militantes kerem mundaça, keremos tempo novo, novas estrategias,nova politica,vamos dar um voto de confiança a novo presidente k ele pode faser o melhor para o partido, ele demostrou ser homem de visao, trabalho, e uniao, viva M.L.S.T.P/PSD

  4. img
    A vila condenada Responder

    Parabens, Sr. Amaro Couto; chamou as coisas pelo seu nome, mas a origem de tudo isso, está lá no MLSTP, foram eles que criaram toda essa situação e eu estou convencido que o MLSTP a curto prazo não terá um lider capaz de inverter essa situaçao porque todos ahi devem favores a outros, então como poderá actuar?
    Saudações

  5. img
    João Responder

    Mais claro do que isto? Acho difícil. Até por ser uma voz de “dentro”…
    João

  6. img
    Celsio Junqueira Responder

    Caro Amaro Couto,

    O último paragrafo do seu artigo é um hino para os militantes do MLSTP/PSD.

    Meus parabéns e sinceras felicitações.

    Vamos ver se a actual liderança envolverá todos (incluindo os candidatos desistentes/derrotados) no contributo do MLSTP/PSD ao país.

    O MLSTP/PSD tem de reflectir intensamente e profundamente se pode dar-se ao luxo de ter como actor secundário uma pessoa do seu “calibre”.

    Concluíndo, está mais que visto por este artigo, que a sua ausência na disputa a liderança enfraqueceu o debate interno.

    Abraços e boa sorte,

  7. img
    Alberto Nascimento Responder

    14 anos? esses ja sao maiores?

    Telanon devia tambem publicar sobre outros partidos.

  8. img
    madalena Responder

    Este era o discurso preparado, caso vencesse o congresso, quero acreditar nas suas palavras. O Partido tem forum proprio onde as ideias devem ser lançadas e discutidas.
    Não deve haver ressentimentos.
    A vida esta continua.
    O presidente do partido, certamente que vai tomar boa nota destas suas palavras. Quem está a governar é o ADI e o MLSTP não a unica força politica na oposição.

  9. img
    Carlos Ceita Responder

    Tem razão o Amaro Couto porque será que em Angola (MPLA) Moçambique (Frelimo) Guine Bissau (PAIGC) e Cabo Verde (PAICV) todos da família política do MLSTP merecem a confiança dos cidadãos destes países? Não é que Angola, Moçambique e Guine seja uma democracia digna desse nome mas a verdade é que STP meu querido país também não é. Ao contrário de STP todos esses partidos continuam firmes no poder pelo voto popular (poderá ser discutível se são ou não legítimos ) muito embora eu prefiro alternância do poder.
    O MLSTP apesar de ter acumulado experiencia ao longo dos 15 anos de independência e com uma militância fiel não soube tirar partido das asneiras dos governos do PCD e MDFM?
    Sinceramente gostava de ver um MLSTP ao nível do PAICV de Cabo Verde mas isso é lá com os militantes e simpatizantes deste partido.

    Abraços a todos

  10. img
    José Manuel Triste Vencedor Responder

    Dr. Amaro,
    És um dos grandes Quadros do MLSTP mas só pecas por seres um homem íntegro e puro.Actualmente neste partido só há lugares para oportunistas, traidores,mafiosos e pouco iluminados. Nada que se compara com o PAICV. A vitória do PAICV é mais um atestado de incompetência passado a anterior Direcção do MLSTP/PSD que continua a liderar o Partido depois do pobre e falço congresso realizado no dia 15 de Janeiro,que permitiu uma nova Comissão Política com pessoas que contribuiram para derrota do Partido. Não tenha dúvidas daqui pouco vão entrar em guerras intestinais.

  11. img
    mano Responder

    CAros Leitores do Tela Nom.
    De algum tempo a esta parte tem-se soado nos nossos ouvidos a nomenclatura de que o MLSTP é um partido histórico e que tem muita experiência. Sabem o que qer dizer histórico? Sabem o que qeur dizer ter muita experiência? Experiência em quê? (des)Governar?

    Ora se é táo histórico e experiente, tem responsabilidades no passado, presente e futuro do país. O que não se pode admitir são falácias. O MLSTP para que seja respeitado como partido histórico deve dar provas disso. Como?

    Em vez de estar a lançar-se aos buatos e a envenenar as populações com desinformação de que ADI é isto, Patrice é aquilo, o MLSTP deve discutir e criticar publicamente o que está mal e propor soluções. Um partido experiente não devia estar a fazer campanha 24/24h desinformando as populações. Um partido experiente devia estar a formar os seus jovens, capaci~tá-los, moralizá-los em termos de cultura política.

    Alguem que é experiente tem escola. Escola é um espaço de aprendizagem. Um espaço onde se coloca feramentas. O que MLSTP tem ensinado aos seus jovens? Num país pobre o MLSTP devia ensinar e cultivar nas suas bases em em todo o país o gosto pelo trabalho. O contrário, anda a sustentar um grupo de jovens a não fazer nada a troco de algumas notas semanais e que não lhes ajuda a ter uma vida decente e formar construir ele próprio o seu futuro.

    Joventude do MLSTP que futuro quereis? Safar a vossa vida e que se dane a dos outros? Ser iguais aos seus mestres? MLSTP deve aprender a ser partido. O MPLA(Angola), FRELIMO (MOçambique), também são histórico. Em Angola e MOçambique constroi-se pontes e estradas.

    Quantas pontes foram construidas ou destruídas durante os 36 anos de independência? Nunca ouve dinheiro? Será? Auantas casas no campo de milho foram construídas? Quantas quintas têm os lideres do MLSTP? E Quantas casas têm os jovens são-tomenses? Partido histórico? Experiente? Governa-se para quém e pra quê?

    Chegou a hora do MLSTP se transformar de facto no partido histórico, contribuindo para o progresso e desenvolvimento do país, fazendo politica e não politiquices.Mostra quanto vale. Apareça na praça pública e critica. Não ande nas grotas, nas tendas de vinho, nos bares, nas praias a desinformar sobre o preço de combustível que o Governo nem se quer pronunciou sobre o seu aumento.

    A politica tem palco. Para além do parlamento, há imprensa. Não sou do MLSTP, mas felicito ao Amaro Couto por este nobre gesto em escrever e publicar a sua posição. Isso sim é fazer política em tempos modernos contrário das velhas práticas que se aproveita na humildade do povo.

    Fui

  12. img
    Só a Reflectir Responder

    Ao referir a praga que é o banho, pode-se pensar que o país está em queda livre apesar de já não sabermos por onde continuar a cair.
    Quem ouve com fome julga que os doadores são os salvadores. Quem der banho com recursos vindos do estrangeiro estará a se comprometer ou a comprometer o país?
    A população estará a altura de fugir da desgraça que senhores do banho ameaçam vir a ser?
    Se se preocupam com o país, o senhor Amaro e outros militantes que possam ter uma visão tão conscienciosa como a que o senhor revelou ter, não se sentirão minimamente culpados por terem permitido que as coisas chegassem ao que agora está?
    Quem se preocupa com problemas partidários em vez de se preocupar primeiramente com os problemas do país deixará de sentir que age apenas por interesse próprio?

  13. img
    fruta com coco Responder

    A. Nascimento
    si outros partidos não fazem só andam a pensar na politiquisses e vingança. o telanon não pode la ir rogar-lhes que façam reflexões!!!
    bye.

  14. img
    Luis Sebastiao Responder

    Ovumabissu,
    O Rafael Branco foi um dos principais conselheiros e actores do nosso sistema político durante todo o período de partido único (em que aponta as dificuldades das bichas).
    Abraços.

  15. img
    Luis Sebastiao Responder

    Ovumabissu,
    Rafael Branco é Ministro a partir dos seus 25 anos de idade. A partir daí ele nunca mais deixou as esferas do poder e nunca mais consegue viver sem as mordomias do poder.
    Até

    • img
      Ovumabissu Responder

      Sebas,

      O cerne da questão é que o Rafas, bem ou mal evoluiu no pensamento e na forma de ver o mundo. Nunca virou cara a desafios, bem ou mal trabalha, faz coisas, tem iniciativas (algumas boas, outras nem por isso). Nestes 36 anos ele terá tirado bem mais ao Estado do que deu. Mas arriscou, deu a cara, manobrou, combateu… fez o que se pede a um político. Não posso criticar o Rafas, ou qualquer outro político, por gostar do Poder e trabalhar para isso, enquanto faz outras coisas! Critico sim quem cultiva o imobilismo e retórica de bom samaritano.

      O Couto (não ponho em causa o seu bom e comprovado carácter) mantém um dicurso de 198… e troca passos!!! Saudosismo de uma coisa que não deixou saudades a ninguém. Discurso paroquial, sem ambições, não galvaniza, não motiva, sem chama. Típico relatório de Comité Central, de Bureau Político. As coisas vão de mal a pior e o discurso nunca muda!

      É gente que sabe que para fazer omoletes tem que partir os ovos, mas que não o faz porque os ovos são… sagrados.

      Se é honesto mas não resolve e só empata, então é melhor ficar quieto no seu canto. O nosso problema é que os desonetos também não resolvem, mas é verdade que não empatam tanto!

      O país precisa é de honestos, que resolvem e que não empatam.

      Mas, se for esta a deriva (voltar ao MLSTP/PU) que os militantes do MLSTP querem… quem sou eu para meter o bedelho.

      • img
        Joaquim Trindade Responder

        Mentira de você senhor Ovumabissu

        O problema do país é que quem arrisca, como o senhor diz, não empata e dá a cara é a maior desgraça do país. São eles que impedem que os honestos não possam resolver e fazer alguma coisa.
        O senhor como está fora do país, com certeza, que não acompanha nem sabe nada da política de S.T.P.
        Como o senhor está quieto no seu canto e vive lá fora, e não passa aquilo que as pessoas que estão cá dentro passam, deve pensar que todos que são honestos devem ficar quietos no seu canto para que o senhor e os outros que estão cá dentro que são desonestos possam roubar o povo, viver a custa do povo e dar cabo deste país.
        Eu percebo perfeitamente o seu pensamento. É por isso que o país está como está cheio de gente da sua estirpe: ladrões, corruptos, preguiçosos, intriguistas, má índole…
        São aqueles que têm medo dos honestos e daqueles que querem fazer alguma coisa.
        Fui

        Joaquim Trindade Aleluia

  16. img
    N.C Responder

    Feito as contas e achando as percentagens nos calculos e numeros ilustrados por Amauro Couto.o MLSTP e a origem de todos os males,corrupcao e egoismo a que vivemos.Foi bom reconhecer esses factores todos no seio do partido,mas o melhor ainda seria bana-los todos.Esse partido vem vivendo de varias alas a que se pode equiparar a ala esquerda,direita e centrista.Como podera uma forca politica resistir a tantas faccoes?Cada um a puxar brasas para sua sardinha e ninguem a pensar no propio bem do partido e quica da sociedade em geral.O facto de existir varios militantes do partido a se candaditarem as proximas eleicoes presidencias, e mais um sinal desse egoismo,falta de coesao e sobretudo de rivalidades.Qual sera o candidato do partido as proximas eleicoes presidencias?Sendo um partido historico e com maior congregacao da massa popular bons exemplos,deveriam ser dados por vos.Mas infelizmente nao vejo um horizonte rizonho nem uma luz a brilhar la no fundo para esse partido nem para o pais,enquanto persistirem todos esses factores acimas referenciados

  17. img
    luisó Responder

    mas voçês querem comparar cabo verde e o PAICV com STP e o MLSTP ?
    CV tem nove ilhas e 5oo.ooo almas e vejam onde está e o crédito que tem; STP tem duas ilhas e 150.000 e ninguém lhe dá crédito, porquê ?
    porque em CV trabalha-se para o país e para o povo, basta ver a RTP ÁFRICA e em STP dá-se banho e cada um enche os bolsos rápido antes que chegue o outro para fazer o mesmo.
    um país com duas ilhas que nem ligação de barco de jeito tem; em CV das nove ilhas sete têm aeroportos internacionais; vejam o aeroporto internacional que STP tem e vejam a espectacular pista com gravilha solta e mato que o príncipe tem; vergonha…
    35 anos de independência para quê ? para dizer somos livres ? meus amigos voçês estão mais amarrados do que no tempo do branco, e o que está feito,á excepção da assembleia nacional, foi feito nos tempos dos terríveis colonos…
    e agora choram…

  18. img
    Paulo Vasconcelos Responder

    Ovumabissu,
    Tente ver a gestão do Rafael Branco para ver no quê é que ele transformou o MLSTP/PSD. Pergunte ao Aurélio o que ele recebeu do RB para gerir o partido. Quantas dívidas ele (o Aurélio) encontrou por pagar, qual o saldo financeiro transmitido (0). Pergunte ao Aurélio se os dinheiros do Partido não estavam nas contas e em casa pessoais do RF. Pergunte ao Aurélio se alguém mais para além do RB sabe alguma coisa da situação financeira do partido. As respostas demonstram que RF empregou todo o seu tempo e energia unicamente para se servir do partido. É este o exemplo que você quer que seja seguido? E procure ficar calmo porque sobre o RF o rol da podridão não tem limites.

    • img
      Ovumabissu Responder

      Ora, aí está!!
      É sempre a velha e gasta questão do “comeu dinheiro” do “nhonó”.

      Se as coisas se passam como você diz, não posso culpar exclusivamente o Rafas. Isso só vem revelar que o partido não está minimamente organizado, não tem órgãos de fiscalização, não tem normas de procedimentos, não há segregação de funções… enfim, o chefe manda e controla tudo!!! Não há formas de exigir o Rafas que preste contas?

      Ou será que a origem duvidosa dos fundos obriga a que apenas o chefe tenha acesso?

      É esse o partido, desorganizado, atabalhoado… que dizem que é o farol do país?

      Não sou apoiante, nem meio apoiante do Rafas (pessoa que conheço razoavelmente bem, seja o seu lado bom seja o mau), mas quer parecer-me que o que se pretende não é esclarecimento mas sim linchar o homem. Não querem justiça, mas sim vingança. Vingança é simples, justiça é mais complicado.
      Será que se o MLSTP tivesse ganho as legislativas haveria todo esse reboliço em torno do Rafas?

  19. img
    J. Maria Cardoso Responder

    Parabéns Dr. Amaro Couto pela reflexão com k quem quer ter paciência e amabilidade de leitura possa daí retirar ilações.
    Todavia, pk aqui passamos mascarados para k o nosso esconderijo não seja iluminado, é de aceitar quem aparece para nada dizer e depois no fim ensudecer-nos com disparates, prova do desconhecimento ou conforto no abrigo k lhe protege.
    A democracia tb é isso. A incapacidade de mostrar a cara para engolir a própria palavra.
    O MLSTP/PSD não dispensará do seu contributo para os grandes embates da Nação.
    Bem-haja!

  20. img
    madalena Responder

    Luisó!
    Quem não conhece Cabo Verde, não pode falar.
    Sete aeroportos internacionais?
    Estás a faltar a verdade. Embora seja o País no mundo com mais aeroportos internacionais, mas sete não.
    Acho que são 4.
    Obrigado.
    Se calhar digo-lhe as ilhas :
    Sal, Boa Vista, Santiago, São Vicente.

  21. img
    kwatela Responder

    meu caro camarada ja la vao os tempos em que para ser militante do meu MLSTP nao era quem quisesse mais merecesse.contudo os ventos mudaram e infelizmente as pessoas estao como como “pema longo ni liba d’oque” indo ao sabor do vento. como stp è um pais democratico e de direito, o camarada deveria impugnar o congresso atraves das instancias judiciais.era seu dever pedir uma providencia cautelar ate que cumprisse a legalidade estatutaria.ainda vai a tempo de salvar o MLSTP tomando tal iniciativa. CORAGEM CAMARADA. Bem haja!

  22. img
    Flogá Responder

    Déjà vu!

  23. img
    boca calada Responder

    Este partido devia acabar, disgraçou o país totalmente…

  24. img
    BARAO DE AGUA'-IZE' Responder

    Finalmente o codigo decifrado:
    MLSTP( Morte Lenta e Saque Total do Povo).

  25. img
    Lêde Ça Aua Responder

    Esse discurso reflete paixão pelo Partido Único, mas não fez menção a cultrura de corrupção, de anarquia e egoismo implantado por MLSTP/PSD que afectou ao funcionamento da Polícia e dos Tribunais, que permitiu aos seus dirigentes a perpetrar roubo e usurpação dos bens e da coisa pública mas nunca foram punidos.
    Faço votos para que nova liderança se rodeia de novo sangue que não seja sanguessuga do Povo de São Tomé e Príncipe.
    Tomar novo rumo é difícil mas não é impossível.
    O que é preciso é a coragem e que não tenha culpa no cartório.
    Viva, S. Tomé e Príncipe!!!

  26. img
    Paulo Vasconcelos Responder

    Ovumabissu,
    foi você que começou com o Rafas. Leia o seu 1º comentário. E você vem agora lamentar “reboliço” que você próprio provocou. É mesmo preciso ter cara de pau. Aliás, para defender o que defende: ser normal aproveitar-se das pessoas, do partido e do país é preciso ser mesmo sem vergonha para depois de fazer tudo isto vir ainda dizer que tem razão. É melhor que você urbanize a sua linguagem, porque como já, disse sobre o Rafas, o rol da podridão é imenso.

Deixe um comentario

*