África é o futuro da Francofonia

Ao celebrar a semana da Francofonia e da Língua Francesa, em São Tomé e Príncipe, o encarregado de negócios da França no arquipélago, Jacky Cuzzi(na foto), mostrou dados que indicam que o continente africano representa o futuro da Francofonia.

Dos 700 milhões de falantes da língua francesa que o mundo terá em 2050,  85% estarão a viver na África subshahariana, assegurou o encarregado de negócios da embaixada da França em São Tomé e Príncipe, país que é um dos países membros da comunidade francófona.

Na celebração da semana da francofonia e da língua francesa, Jacky Cuzzi, disse que este ano a celebração teve «grande sucesso” em termos de envolvimento da população. Actividades culturais e desportivas, marcaram as celebrações da semana da francofonia e da língua francesa em São Tomé e Príncipe.

Na intervenção feita por ocasião da semana da francofonia, Jacky Cuzzi, realçou o papel desempenhado pelos professores de francês no ensino básico e secundário na promoção de uma das línguas mais falada no continente africano e no mundo.

Dezenas de países dos quatro continentes são membros da Organização Internacional da Francofonia, criada em Março de 1970, e actualmente liderara pelo ex-Presidente do Senegal, Abdou Diouf. Segundo o encarregado de negócios da França, a organização inaugurou a sua uma nova sede em Paris. «A francofonia tornou-se também ao longo dos anos, um espaço de solidariedade política, que permite ajudar na prevenção e na saída das crises no espaço francófono nomeadamente africano e de trabalhar no respeito da democracia e dos direitos humanos», declarou Jacky Cuzzi.

O futuro da língua francesa está seguro. «A língua francesa vai bem. Em 2050 haverá cerca de 700 milhões de falantes do francês, 85% viverão em África subsariana», precisou o encarregado de negócios.

A representação diplomática da França em São Tomé e Príncipe, considera que a «francofonia não deve ficar na defesa. Eu creio que a francofonia estará em perigo no dia em que os francófonos gastem mais tempo e energia na sua defesa do que na sua evolução», concluiu.

Note-se que para além de programas de língua francesa emitidos pela Rádio Nacional de São Tomé e Príncipe, a Organização Internacional da Francofonia, instalou no país as emissões da TV5 Monde. A Rádio França Internacional também é escutada em São Tomé e Príncipe em frequência modelada.

Abel Veiga

  1. img
    benavides pires sousa Responder

    como o título da matéria bem alude, pois claro! espera-se outra coisa dos europeus ou ocidentaisß eles querem é´sacar recursos e explorar tudo, nem deixando o dedo pra se lamber….
    quem nao sabe disso?

    ademais, o acima declarado pro esse senhor é quase improvável, pois a maioria dos africanos que sao pobres e filhos de quem nao tem, estudam na america latina, dominada por falar espanhol como em cuba, venezuela, re. dominicana, etc… e mesmo nos estados unidos da america, muitos sao hoje me dia os falantes de espanhol e a tendencia cresce pela beleza e sonoridade do idioma o que motiva a muitos europeus a estudarem dita lingua com muito prazer, e nao portugues nem francés, que em termos musicais, geralmente sao vistas como linguas “meio bloco”, porque sao duras de levar-se a diversas cadencias e entoacoes. pelo que o francés nao tomara abarcará nenhum 85& da africa, “jamais”—-

    !jamás eso sucederá, pues la gente le gusta es hablar espanol!

    • img
      Colomba Responder

      Meu caro ou “cara”, que linda voz tem para pedir fiado… realmente é melhor falar ou escrever em espanho pois “en portugués se expresa muy mal”

      • img
        Colomba Responder

        Corrijo: espanhol e não espanho

        • img
          benavides pires sousa Responder

          escrevi em espanhol, a lingua espanhola como tal e nao em portugues a palavra espanhol, por isso a sua correcao aqui é inusitada e dispensada. obrigado!

          • img
            professor

            Caro Benavides,

            O senhor não disse que 85% da África vai falar francês, disse que 85% dos falantes de francês viverão na África subsahariana, onde se encontram a mairo parte das ex-colônias francesas.

            Abraços, obrigado

          • img
            professor

            corrijo, “maior”

  2. img
    Atenção Investiga Responder

    Alguns pontos para, juntos, reflectirmos:
    a)Os Judeus são os mosquitos mais perigosos contra interesses e contra desenvolvimento D’Africa e dos Africanos!

    b)Exercitos privados (Private Army) das Multinacionais invadiram Africa!

    c)Temos que nacionalizar os recursos naturais e riqueza d’Africa porque os governos puppets do nosso continente cometeram erros gravissimos ao darem ou venderem os seus filhos e filhas, terenos, propriedades e riquezas d’Africa para os brancos!

    d)Os Sul-Africanos sentiram na pele a invasão no seu território. O pessoal d’America Latina e do mundo Arabe ja aprenderam o castigo. Agora, todo continente; Africa e os Africanos serao victimas. Tudo começa na Guine Equatorial onde o presidente corrupto ditador reina! Filho desse presidente puppet ditador de Guine Equatorial tem propriedade no Estado de California, Estados Unidos. O ignorante ainda nao apredeu a licao que um dia qualquer no futuro, o bem do povo da Guine Equatorial, o dinheiro que ele e a famila dele rouba tambem serao congelados?

    e)Com medo da Energia Nuclear, o petroleo da regiao do Golfo da Guine, Africa, sera cobiçado pelos brancos!

    f)Sera Angola o proximo pais africano para ser atacado pelo Ocidente?

    g)Os brancos estao a usar o Obama, assim como a Susan da ONU, da mesma forma como usaram o preto Powell. O que aconteceu com Powell? Bush correu com ele para fora e Powell ficou desempregado! O destino do preto Obama e preta Susan sera o mesmo!

    Os brancos têm agenda deles, essa agenda não é desenvolvimento económico d’Africa, mas sim, tirar e roubar Africa e os Africanos, objectivo número um do brancos que é: apoderarrem-se da riqueza que sai d’Africa, sobretudo, o petróleo!

    Acorda! Lutar até o fim!

  3. img
    Fla dialeto Responder

    Eu acho que o francês é muito bem aceite porque foi as primeiras emgrações dos Santomenses a Gabao.
    Podiamos aceitar o francês como a segunda lingua oficial em São Tomé.
    Uma vez que o português é pouco reconhecido mundialmente. As pessoas sabem o francês. Mas se perguntamos a um santomensse mais velho acerca de outra lingua poucos sabem flar.
    Por isso acho uma iniciativa de lovar. Mais uma coisa é certa temos que deixar de pedir sempre ajuda. Mas sim ter as coisas proprias pk dia mais dia somos propriedade dos outros países q andaram a nos financiar.
    STP tem que evoluir a todo nivel.
    abraços.

    • img
      Câmara Lenta diz Responder

      Vivam todas as fonias e as bantufonias!

Deixe um comentario

*