Partidos políticos reagem a decisão do Presidente da República

O partido ADI no poder, reconheceu a legitimidade constitucional da decisão do Presidente da República, em marcar as eleições presidenciais para 17 de Julho, mas não escondeu alguma preocupação em relação a capacidade financeira do país, para organizar as eleições na data anunciada. Idalécio Quaresma, líder parlamentar da ADI, deu o exemplo do recenseamento de raiz dos eleitores na diáspora que até o momento não foi realizado por falta de meios financeiros. O líder parlamentar da ADI, admitiu mesmo a possibilidade de se encontrar uma outra alternativa para a realização das eleições caso, não apareçam a tempo recursos para actualizar os cadernos eleitores na diáspora. Já o MLSTP/PSD e o PCD, os dois partidos que constituem a maioria parlamentar, saudaram a decisão do Chefe de Estado, e apelaram o executivo a disponibilizar meios financeiros e materiais a Comissão Eleitoral Nacional de forma a que as eleições presidenciais sejam realizadas na data marcada pelo Presidente Fradique de Menezes.

  1. img
    cesario verde segundo Responder

    Sao os que mais recebem os petro-dólares vindos de Angola, por isso que haviam de saudar á decisao, porque já estao todos armados até os dentes, já o ADI, que tem o padrinho Kadaffy de momento indispovnivel, certamente que havia de protestar.Esta é a história politica vaga e descarada de todos os partidos em STP.

    • img
      stptrading2 Responder

      meus amigos
      Eu descordo totalmente com as eleicoes assim tao em cima da hora.
      Ja justifico porque.
      Estava preparando a minha viagem de ferias a portugal com intencao de comprar uns bikinis novos para me mergulhar na piscina e tomar um bom banho e assim nao terei tempo para o fazer. Ena pa, que cena…Sr A. Martins, mesmo sem bikini estou contando consigo… alias ja estamos juntos desde que sr voltou a terra PATRIOCINANDO TODO E TODOS…portanto estou ca muito humildemente esperando por si. Ja que o sr vai levar o pais a falencia mesmo, assim como fez com Gibela, Fama etc…Outra coisa e o barco que vai ligar as duas Ilhas que o nosso humilde candidato prometeu fio a pique?

  2. img
    Ovumabissu Responder

    Cesário,

    O ADI não protestou, mas sim chamou a atenção para o atraso no recenseamento dos eleitores das comunidades da diáspora.

    Pareceu-me uma preocupação legítima e, acima de tudo, pertinente.

    • img
      cesario verde segundo Responder

      talvez tenha entendido mal, mas caso estejas certo, agradeco-te a correcao de bom grado. nada mais que me pareceu que ademais do que referes, pois nao lhes convém á data marcada para as eleicoes, na medida em que nao possuem financiamento compativel e suficiente, para entrarem no jogo do banho tal qual farao os outros demais partidos politicos com maior assento parlamentar (pcd e mlstp). na verdade é que nao confio em nenhum deles e sei que sao todos iguais, apenas com procederes as vezes diferentes e máscaras distintas tambem. (quando em vez).

  3. img
    João Pedro Responder

    Ovumabissu,

    Sim, é legítima e pertinente. Porém, alerto para um pormenor: já reparou que qualquer partido do Governo em STP levanta essa “preocupação” sempre que se convocam as eleições? Já reparou? É que são todos os partidos. Logo, só podemos tirar uma de duas conclusões: todos têm sido desinteligentes ou ignorantes ou … … … enfim. A democracia não pode nem deve estar sujeita ao factor “dinheiro”. ATENÇÃO: com isso não quero dizer que é possível organizar as eleições sem dinheiro.

    O ridículo de o governo vir, uma vez mais, com essa cantiga, ou melhor, preocupação, é que tanto este órgão como o Presidente da República sabiam e sabem que “não há condições financeiras desejáveis”. Num Estado sério, o PR ausculta os partidos políticos (e necessariamente o do governo) sobre a melhor altura para as eleições. Ora, desta auscultação, ficam todos a saber do estado das finanças públicas.Ficam especialmente o PR melhor dotado de informações para escolher uma data razoável e possível. Portanto, ou o PR não levou a cabo esta formalidade (atitude que não me espanta) ou levou e o fez ouvido de mercador quanto ao pormenor “falta de condições financeiras (atitude também que não me causa espanto).

    Ouviram a falar de “fazer política” e disseram: “epa vamos experimentar pah”.
    Tudo isso é uma autêntica fantochada que só serve para animar um conjunto de pessoas cuja consciência está a dormir. Esse conjunto são os são-tomenses, com as devidas excepções.

    P.S.De qualquer das formas, o apontamento de Cesario Verde Segundo é de se aceitar, sem embargo do correcto esclarecimento de Ovumabissu.

    Obrigado

  4. img
    João Pedro Responder

    CORREÇÃO: no lugar onde se lê ficam especialmente deve ler-se fica especialmente.

  5. img
    Pedro Lima Responder

    O ADI deveria iniciar os trabalhos e parar de falar dos outros!
    O que eles fazem?

  6. img
    Buter teatro esquecido Responder

    Se o Fradique não marcasse a data da eleição diziam que o presidente está agarrado ao poder. o nosso país nunca tem dinheiro para nada, nunca está organizado para nada.

    • img
      António Veiga Costa Responder

      Concordo,santomense reclama de tudo!
      Nosso país nunca tem dinheiro para nada, mas sai com o prato vazio nas mãos e, no final, acaba conseguindo o dinheiro necessário.

  7. img
    Dos Santos Responder

    Com esta noticia de nao haver meios financeiros ai que podemos dizer havera realmente “banho”;porque o banho em geralmente realiza com agua e,e este bem precioso e que nos falta.Nao duvido nada ,que em tempo de seca pelo menos uma pessoa a de aparecer com agua extra.E por ai que ira juntar banho + fraude =canidato indesejado.Estou pronto para ajudar o meu Pais se houver uma conta para nos contribuimos financeiramente.Temos que fazer algo para S.Tome e Principe e nao S.tome para nos.

  8. img
    Paulo Alves Lisboa Responder

    Salve ! Salve ! É com muita alegria que vejo o país respirando ares democráticos. Vamos juntos votar no nosso futuro jovem presidente – Aurélio Martins. Ninguém pode parar os ventos da mudança.

  9. img
    Paulo Alves Lisboa Responder

    Ora pah !! não me venham com essa cantilhena de falta de grana. E aliás , que papo é esse de se preocupar com o pessoal da bendita diáspora. Ora , o gajo sai do país, e ainda fica a merecer tratamento vip. Quem não se inscrever não vota. Tem é que ter uma lei que pegue o transfuga pelo bolso. Aí, vais ver o que é bichinho de cabelo aparecendo para votar.

  10. img
    Wilker André Responder

    O certo é: caso não se consiga fazer Recenseamentos na diáspora, não haverá as eleições. Mais do jeito que os políticos santomenses têm ganância para o poder é bem capaz de realizarem as eleições apenas com recenseamento de Raiz.
    O povo da diáspora devem – se preparar para não aceitarem esta ideia que possivelmente virá. Da parte de um Ganancioso qualquer

  11. img
    zeca diabo Responder

    Budo sa sono!!!

  12. img
    oldayr salgueiro Responder

    Gente , agora só vivemos a reclamar sejá oque for , aprende uma coisa se fazemos melhor porque não vamos la da nossa carra .
    olha seja oque e quem for desejo sorte e trabalho a quem ganhar porque precisamos muito para bem do nosso pais e rezar muito para que tudo corra bem para nossa terra , eu tenho esperança em dias melhores , haja fé Deus ajuda .Pensamento positivo .

  13. img
    santa catarina Responder

    Infelizmente o que falta no meu país é dialogo. Até quando estaremos nesta situação.Para compra arroz pedimos ao vizinho, para comprar carro pedimos ao vizinho, para fazer recenseamento tambem pedimos ao vizinho. Até quando ?

Deixe um comentario

*