Política

MDFM-PL tenta sair da crise mas tende a tombar em mais uma crise

Tudo por causa das eleições presidenciais de 17 de Julho. Membros da direcção do partido juram de pé juntos que no encontro de reflexão do último fim-de-semana, ficou decidido por aclamação que o MDFM-PL apoia a candidatura de Delfim Neves, ao cargo de Presidente da República. Mas na hora da declaração pública para a imprensa, o líder espiritual do partido terá preferido ficar em cima do muro.

Alguma tensão começa a tomar conta do MDFM-PL, partido que ressurgiu no último fim-de-semana com novo rosto, com o objectivo de recuperar o tempo perdido, depois da humilhante derrota nas eleições legislativas do ano passado, que fez o partido saltar de 12 assentos para apenas 1 assento no parlamento.

Frederico Ferreira, Secretário Distrital do partido no distrito de Lembá, que também desempenhou as funções de Secretário-geral do MDFM, garantiu que a reunião de reflexão do último fim-de-semana, elegeu Delfim Neves por aclamação como candidato do partido às eleições Presidenciais de 17 de Junho.

Carlos Semeão, secretário-geral adjunto do MDFM e em simultâneo secretário do partido para o distrito de Cantagalo, que assistiu a entrevista de Frederico Ferreira, dada diante da sede do partido, confirmou todas as palavras do seu colega de partido e acrescentou mais. «Foi o Pires Neto quem colocou a candidatura de Delfim Neves em debate. Quando ele falou de Delfim Neves, foi uma explosão na sala. Toda gente gritava, Delfim..Delfim…foi por aclamação», explicou Carlos Semeão.

Pires Neto, antigo deputado do MDFM-PL e membro da direcção do partido, também garante que Delfim Neves é o candidato do MDFM-PL ao cargo de Presidente da República. «Na sala ficou claro que o candidato que o MDFM vai apoiar é Delfim Neves. Agora o problema é o facto do partido ter dois militantes como candidatos às eleições. Isto talvez provoca uma certa dificuldade de se assumir este facto publicamente», referiu Pires Neto.

A alusão de Pires Neto, sobre a dificuldade em anunciar publicamente para a imprensa o nome do candidato do MDFM-PL, tem a ver com as declarações do criador do partido, o actual Presidente da República Fradique de Menezes. Numa primeira declaração a imprensa nacional, logo a seguir a reunião de reflexão, Fradique de Menezes, terá dito que por falta de consenso no seio do MDFM-PL em relação aos membros do partido concorrem às eleições presidenciais, nomeadamente Carlos Bené e Manuel de Deus Lima, o partido decidiu dar liberdade de escolha aos seus militantes.

Pires Neto em declarações ao Téla Nón diz não compreender a dificuldade do líder espiritual Fradique de Menezes, em anunciar o nome consensual que saiu da reunião “Delfim Neves”.  «Este é o problema de se querer estar de bem com deus e com o diabo, para talvez garantir a estabilidade no seio do partido», desabafou Pires Neto. O membro da direcção do MDFM-PL foi mais longe e avisou que «a decisão que foi tomada na reunião de reflexão de apoio a Delfim Neves não poderá ser alterada», precisou.

Por sua vez, Carlos Semeão explicou que dos 6 secretários distritais do MDFM-PL que tomaram parte na reunião apenas 1 não apoia Delfim Neves, no caso Orlando Fernandes secretário distrital do MDFM-PL para o distrito de Mé-Zochi. Orlando Fernandes é mandatário da candidatura de Carlos Bené. «Por isso entende-se a posição dele», sublinhou Carlos Semeão.

Segundo ainda Carlos Semeão, os secretários distritais e as respectivas estruturas do partido nos distritos, estão mobilizados no terreno para apoiar a candidatura de Delfim Neves. «Não sei como é que eles vão fazer, para mudar esta posição. No terreno é que vamos ver de que lado está a massa eleitoral do MDFM», reforçou Carlos Semeão.

Numa altura em que o MDFM-PL, tenta ressurgir com força na cena política nacional, depara-se com mais uma crise interna. Os militantes Carlos Bené e Manuel de Deus Lima, não pretendem abdicar da disputa presidencial. Recorde-se que Manuel de Deus Lima foi eleito em Congresso Secretário Geral do MDFM-PL e pouco tempo depois, ou seja 3 meses depois, foi demitido do cargo, por decisão do conselho nacional que se reuniu na Quinta da Favorita. Este episódio ocorreu no ano 2008.

Fradique de Menezes o líder espiritual do partido que prometeu assumir definitivamente a Presidência do MDFM-PL depois da tomada de posse do novo Presidente da República no dia 3 de Setembro próximo, parece estar de mãos atadas, e com dificuldade de anunciar publicamente, a decisão tomada pelo partido em relação ao candidato a apoiar nas presidenciais.

Talvez para evitar mais uma convulsão no seio do partido, o Téla Nón apurou que os três candidatos presidenciais cujas propostas foram apresentadas na reunião de reflexão do MDFM-PL, nomeadamente Carlos Bené, Manuel de Deus Lima e Delfim Neves, estiveram reunidos no último fim-de-semana em negociações.

Abel Veiga

    26 comentários

26 comentários

  1. Trindade

    20 de Junho de 2011 as 14:13

    Arrumem a casa, por favor.
    Trindade

    • Malapetema

      20 de Junho de 2011 as 14:40

      Ja ganhou!

    • Comboio dos Bois

      21 de Junho de 2011 as 16:03

      Ké limpo a ca konçê giná xicada !!!

      Se estes senhores do MDFM não conseguem arrumar o próprio partido como podem constituir alternativa ou oposição ao governo?

      O partido nem sequer consegue respeitar a si próprio, desrespeitando de forma descarada os seus militantes na praça pública.
      Os senhores Carlos Bené e Manuel de Deus Lima mereciam com certeza mais respeito.

      Por isso é que o país está no estado que está, o governo governa sozinho, sem uma oposição responsável, firme e forte.

      Será que o Sr. Delfim Neves pode considerar esta salganhada como apoio?

    • Comboio dos Bois

      21 de Junho de 2011 as 16:40

      Já vi que foi erro meu não ter esperado tempo suficiente.

      Obrigado
      CB

  2. Macabeu FM

    20 de Junho de 2011 as 14:33

    héh…credibilidade meus senhores…assumem barrulho. delfim ou ninguém… éné ké muée a ka samé suba.

  3. MÉ SOLO

    20 de Junho de 2011 as 15:12

    Há razões muito forte para o Pires Neto defender a candidatura do srº Delfim Neves;

    Quem era o Srº Pires Neto antes da criação do MDFM/PL, todo o povo sabe,

    Qual foi seu papel no MDFM/PL para além de ir ao Parlamento, era levar queixas para o Fradique de Menezes

    Qual é a sua ocupação para além de estar atráz do FM, Zero, pq também n sabe fazer mais nada, o q fazia antes de entrar no partido de certeza q já n tem dotes.

    O Pires Neto apartir de Setembro é quase certo q irá ser guarda costa o FM, ou vender cimento ou comprar cacau nas glebas.

    Por esta razões quer apoiar o Delfim Neves para continuar com o mesmo tacho de a dez anos a esta parte.

  4. Jose Antonio Loureiro

    20 de Junho de 2011 as 15:16

    ca para mim o MDFM PL volta a perder a pouca credibilidade que ainda lhe restava.

  5. MÉ SOLO

    20 de Junho de 2011 as 15:29

    Há razões muito forte para o Carlos Simião defender a candidatura do srº Delfim Neves;

    Nunca fez outra coisa senão a vida partidária, tem andado de partido em partido.

    Como já não é, deputado, tem tido problemas sérios porque não sabe fazer outra coisa, esta habituado a vida fácil.

    Quando o MDFM/PL perdeu as legislativas ele e os outros que só vivem do partido ficaram doentes

    Este é o Papagaio e Lambe Botas do FM, foi ele que numa encenação com FM lançou a candidatura do João Cavalo para dirigir o MDFM/PL.

    Isto posso afirmar publicamente.

    O Carlos Simião e os outros Secretários Distritais deviam dizer quanto é q receberam do Delfim Neves

  6. Orlando Fernandes

    20 de Junho de 2011 as 16:02

    O facto de terem citado o meu nome leva-me a reagir a toda esta mascarada.

    A lingua portuguesa por vezes é dificil de ser entendida e assim essas situações acontecem.

    Os colegas que citaram o meu nome deviam ter a humildade de pedir desculpas a milhares de militantes e seguidores que militam nas fileiras do MDFM/PL, desde 2001 a esta parte.

    Sou fiel aos meus principios e valores, defendo a legalidade e a ustiça, e de maneira alguma poderia alinhar-me a uma situação que não foi discutida comigo, e muito menos abordada em poucas reuniões que fui convidado a paticipar. Aliás, fui posto a margem de todo este processo.

    Não posso compreender que interesses e motivações podem levar a este comportamento.

    O Senhor Dr. Carlos Bené do Espirito Santo e muitos outros quadros foram levados por mim a militar no MDFM/PL e uma vez, tendo este manifestado ao Partido a sua vontade em se candidatar a mais alta Magistratura do País, sinto no dever moral, etíco e por principio próprio de honestidade em dar a minha contribuição a alguém que connosco milita desde o ano 2006 e que contribuiu finaceiramente e intelectualmente para os valores e as causas defendidos pelo Partido.

    A jornada de reflexão realizada no último sabado foi um bom exercicio, embora extra temporal, uma vez que os pré candidatos já haviam formulado as suas respectivas candidaturas junto do Supremo Tribunal de Justiça. Era um exercicio que deveria ter tido lugar a mais tempo e não nas vesperas das eleições.

    Mais grave ainda, quando excluem nos vários encontros realizados alguém que tem uma opinião a dar sobre o assunto. (Os Mezochianos também têm direito a opinar sobre esta e aquela candidatura).

    Não podemos aceitar que as coisas sejam cozinhadas nos bastidores e impostas
    sem que a nossa voz fosse ouvida.
    Também demos sangue para o Partido.

    Para além disso, o MDFM/PL é um Partido com história, é um Partido que já foi poder, pode e muito bem preparar um candidato que saia do seu interior.

    Não tenho nada contra o candidato Senhor DELFIM NEVES, aliás damo-nos bem, mas considero ser uma traição e desonestidade o comportamento de certos elementos.

    Que me expliquem que motivações, que interesses estarão, por detrás deste comportamento lamentável, isto é um suicidio total. A agir asim, o Partido e seus responsáveis não estariam a ter um comportamento eticamente louvavel.

    • António Veiga Costa

      20 de Junho de 2011 as 20:42

      Tremendo desrepeito com o Dr. Carlos Bené, Minho – candidatos do partido.
      Não existe mais ideologias de partido, só interesses próprios.
      O MDFM deveria começar de baixo, expulsando esses elementos traidores. Só assim poderá levantar-se respeitosamente.
      Perdeu credibilidade.
      Lamento muito.
      Onde já se viu: apoiar aquele elemento.

      • Celsio Junqueira

        21 de Junho de 2011 as 9:06

        Meu Caro António Veiga Costa,

        Concordo consigo na questão da falta de ideologias nos partidos e nos interesses que transformaram os partidos politicos Santomenses.

        Discordo na medida de expulsão que propõe aos supostos “elementos traidores”. Existe democracia dentro dos partidos politicos, e as pessoas são livres de escolher, independentemente da escolha da estrutura partidária, sobretudo numa eleição presidencial isto é normalissimo e frequente, mesmo além fronteira.

        Obviamente, que um partido organizado e credivel as coisas não passariam desta forma.

        Infelizmente é o país, e os partidos que temos, muito improviso e “gincana” politica nos jogos de bastidores.

        Abraços,

        • António Veiga Costa

          21 de Junho de 2011 as 19:04

          Amigo Celsio,
          gosto de ver seus comentários lúcidos, mas reforço minha opinião sobre a “expulsão”: um partido tem seu regimento, tem suas bases ideológicas. O fato de um filiado estar com um pé no partido e o outro disponível para pisar em qualquer outro partido que abra-lhe vantagens é, no mínimo, desrespeito às bases ideológicas do partido. Fugiu às regras. Até banda de música tem regras.
          No meu entender, a democracia não é a democracia que tenho visto ser praticada hj em dia. A minha liberdade política acaba quando esbarra no respeito ao meu próximo, ao meu povo. Aos partidos santomenses falta fidelidade partidária, respeito aos seus eleitores.
          Infeliezmente é o país que temos, mas recuso-me a aceitar essa situação.
          Um abraço amigo.

    • Malapetema

      21 de Junho de 2011 as 2:13

      Sr. Orlando Fernandes,

      Roupa suja, lava-se em casa. Acho que ha espaco proprio para expor a sua preocupacao. Vir a este espaco por em causa a sua proprio reputacao. Os seus colegas do partido foram claros, e nunca mostraram estar contra si.

      O senhor eh um homem de muita reputacao, por isso lhe aconselharia nao vir comentar, mas em vez disso chamar o telanon a uma intrevista, e trazar o seu desabafo em jeito de noticias.

      Fui…

  7. Minu yéé

    20 de Junho de 2011 as 16:10

    Qem vos vê qem vos viu MDFM, um gato qando corre atrás de dois ratos é o qe da…agora escolhe ou vai directamente ao inferno ou espera a leitura da vossa centença, mais condenados vocês ja estão….

  8. Olhos de Tartaruga Tartaruga

    20 de Junho de 2011 as 17:03

    Agiu muito bem o lider espiritual do MDFM/PL. Ficou bm na fotografia!Assim pelo menos vai estar de bem com membros do seu partido e equilibrado com o seu homólogo na área comercial o Delfim Neves.

  9. Paterson

    20 de Junho de 2011 as 20:19

    Concordo plenamente consigo Orlando Fernades. E uma desonestidade por parte dos seus companheiros. Para lhe dizer fui militante do MDFM/PL ate as eleicoes de Agosto passado. Arrependi em fazer parte desse colectivo. Esse partido enquanto o FM estiver afrente jamais estara organizado. O homem e um trocatinta. Recordo bem numa das reunioes na sua quinta que se falou das traicoes e da queda do governo do MDFM e que o Delfim Neves tbem foi um dos mentores com os senhores Albertino Braganca, Cosme Rita e outros? Porque e que agora o Delfim Neves e Santo. Enquanto o Dr Carlos Bene sempre esteve connosco, apoiou financeiramente o partido. Neste partido so ha malandros. Todos os secretarios distritais que apoiam o candidato Delfim Neves , tenho a certeza absoluta que receberam ferro para isso. Quem sabe o proprio FM tem algum acordo com o DSN. Sao dois malandros.

  10. imparcial

    20 de Junho de 2011 as 20:41

    que vença o melhor e que Deus abençôe a todos.

  11. Digno de Respeito

    21 de Junho de 2011 as 1:56

    É motivo para dizermos: …

    “cabecinha pensadooouuura” onde estás, como estas e para onde vais…
    Já o nosso saudoso Camilo Domingos cantou:

    “N´Gá Dêcê, n´gá dêcê pá um bá pósson, n´gá decê…”

    … o registo que o tempo e a memória não conseguem apagar porque o povo sabe o que quer para si…

  12. alegria

    21 de Junho de 2011 as 6:56

    tudo é possível

  13. MÉ SOLO

    21 de Junho de 2011 as 8:14

    Muito embora ser novo na Politica, sei que cada Partido Politico tem e defende uma idiologia.

    O que tenho notado desde últimos temos é que estas idiologias deixaram de ser respeitadas, hoje estamos no partido A e amanhã no partido B, assim não é ser politico porque deixamos de ser coerentes.

    Hoje grande parte dos nossos políticos estravazam aquilo q é a disciplina partidária e vão atrás doutros interesses.

    O que tem acontecido no seio do MDFM/PL, que já foi poder,tem valores e uma história, cheira alguma coisa e tdo leva a crer que o partido que já esta morto acabará por se enterar.

  14. MÉ SOLO

    21 de Junho de 2011 as 10:04

    Senhor Malapetema,

    o Senhor de certeza que não é militante do MDFM/PL. Se fosse de certeza q sairia na defesa do senhor Orlando Fernandes por razões apontadas por ele.

    O MDFM/PL apresntou dois candidatos ambos militantes do partido. A disciplina partidária implica apoiar um deles. Quem não quizesse apoiar q não o fizesse de forma pública na presença dos candidatos.

    Esta atitude demonstrou falta de SOLIDARIEDADE para com os Candidatos apresentados.

    Meu caro amigo DEMOCRACIA tem REGRAS

    Pelo q sei, o Sr Orlando Fernandes, nunca antes tinha feito um comentário neste jornal sobre o assunto do partido nem outro qualquer, só o fez pq os seus colegas Secretários Distritais mencionaram o seu nome.

    Todos temos direito de defesa.

    O Srº pode me explicar porquê q o Sr. Orlando Fernandes não foi convidado para fazer parte da NEGOCIATA.

  15. alegria

    21 de Junho de 2011 as 20:50

    queremos sangue novo no país

  16. Kua sca bi

    22 de Junho de 2011 as 7:17

    Meus caros amigos se é que posso chamar disso.
    Sou como o Filósofo Demóstenes. Ando a procura de amigos e não os vejo.

    Para quem acompanhou a trajectória do Sr Orlando Fernandes e mais alguns. Mas principalmente ele, Sr. Orlando.

    Nas ~penúltimas eleições, qual foi o seu comportamento perante muitos elementos? Peça aos membros do MDFM/PL de Mé Zóchi que desabafem um pouco caso queiram.

    O Sr Orlando não carregou todos os materiais de mais lhe interessevam de Favorita para sua casa na Praia Francesa, sem contudo atender aos outros membros seus?
    O que fez das chapas de zinco? Distribui todas? Deu mesmo aos seus compoanheiros aquilo que os competiam? Tinha uma sede na Trindade. Como leva os materiais para Praia Francesa.
    Depois da eleições Legislativas de 2006, qual foi o seu comportamento em plena reunião com os outros membros da coligação? Não foi traição? Ajudou os seus companheiros na campanha para as Autárquicas? Diga.
    Como um Secretario Distrital, alto dirigente do Partido depois de uma eleição e ter outra logo a seguir e numa reunião de coligação abandonar o cargo, pegar no dinheiro que ganhou na capamha a custa dos outros e entrar no avião com a família e ir de férias? Já sae esqueceu disso? Responda tb.
    O Sr Carlos Bené, há tempos que vem preparando a sua candidatura e pelo que sei o Senhor Fradique nunca apoiou claramente essa candidatura, pelo que sei.
    O Sr. M de Deus Lima, dormiu, sonhou, falou com alguns Embaixadores no Gabão e aí tufas. Pediu atempadamente opinião do Sr. FM?
    Apresentrou essa preocupação junto do seu Partido? Responda meu caro amigo.
    Qdo ele colocou essa preocupação ao Sr. FM antes de apresentar a candidatura, qual foi a resposta do Sr. FM? Esse Minho é maluco.
    Investigue essas acusações e responda.
    Não leve a mal, só são verdades.
    O Delfim é tudo o que é, mas preparou bem o terreno e soube trabalhar e ele vai ganhar. Vamos bater por ele VIVA O DELFIM, HOMEM DO POVO E PARA SERVIR AO POVO, VIVA o nosso OBAMA.
    Nbé zá êêêêêê

  17. MÉ SOLO

    22 de Junho de 2011 as 8:33

    Meu Caro Amigo Kua Sca Bi,

    Quando o Senhor quizer difamar alguém e tem provas, aconselho-lhe a dar a cara e não fazê-lo em anonimato.

    O Srº Orlando Fernandes por não temer represálias e ter falado verdade, deu a cara e não usou nome fetício como o Senhor, logo a diferença entre os dois é abismal.

    Meu Amigo deve ter Memória muito CURTA.

    Meu amigo, esqueceu-se de falar dos CINCO MILHÕES DE DÓLARES(caso STP TRADING) q o seu candidato e os seus comparças devoraram e ainda puzeram em perigo a saúde publica do povo.

    Num país onde as instituições funcionam,o seu candidato estaria é a cumprir a sua pena atráz das grades, lhe valeu as cadeiras do parlamento, hoje não seria Candidato nenhum.

    Meu caro amigo fica sabendo que o dinheiro das campanhas não tem dono e não se presta conta a ninguém mas o dinheiro do povo, Cuidado, não se deve IONOR

  18. bom gosto

    22 de Junho de 2011 as 8:48

    O partido deve ter uma orientação, mas não é no mínimo razoável, um partido com dois candidatos as presidenciais, optem em apoiar um candidato doutra fileira.Isto traduz-se numa ganancia, ambição exagerada.Não e disto que precisamos em STP. Sejamos coerentes.

  19. Nando Vaz (Roça Agostinho Neto)

    1 de Julho de 2011 as 16:47

    Bandos de Lumpem de sentimentos fraco!..

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo