França vai ajuda Hospital Central a minimizar carências em materiais clínicos

Por ocasião da festa nacional da República da França assinalada quinta-feira 14 de Julho, o encarregado de negócios francês em São Tomé e Príncipe, Jacky Cuzzi(na foto) , anunciou apoio do seu país a favor do hospital central Ayres de Menezes no valor de 60 mil euros.

Para um hospital de referência, que em Junho último não tinha fio de sutura para garantir cirurgias ambulatórias, nem tão pouco reagentes para várias análises clínicas, a ajuda anunciada pelo encarregado de Negócios da França chega em boa altura.

Segundo o encarregado de negócios da França em São Tomé e Príncipe, Jacky Cuzzi o seu país disponibilizou materiais clínicos no valor de 60 mil euros, para o hospital central Ayres de Menezes.

A ajuda hospitalar concedida pela França, junta-se à outros parceiros como Portugal que através de duas ONG, entregou esta semana ao hospital central, um lote de materiais para melhorar o atendimento aos pacientes, destacando-se o fio de sutura que estava em falta.

O mesmo gesto foi feito por empresas privadas e pelo candidato às eleições presidenciais, Aurélio Martins. A ajuda solidária ao hospital Ayres de Menezes, surge após a notícia veiculada pelo Téla Nón, através da denúncia feita por Edelvina Garrido, uma jovem cuja tia estava a beira da morte, por falta de fio de sutura no hospital Ayres de Menezes.

Mas a cooperação entre a França e São Tomé e Príncipe, não se resume ao sector da saúde. A embaixada da França, tem ajudado o Estado são-tomense a atrair investidores para o país. Jacky Cuzzi recordou que foi assinado acordo no valor de 700 mil euros, entre a empresa  privada francesa Malongo uma das maiores distribuidoras de café no mercado internacional, e o Governo são-tomense, que abriu as portas para investimentos na reabilitação do cafezal na roça Monte Café e suas antigas dependências.

Café de qualidade já começou a ser produzido em Monte Café e arredores, para abastecer o mercado francês e não só, através da companhia Malongo.

O encarregado de negócios da França, anunciou por outro lado, que o Governo de Nicolas Sarkozy, abriu uma linha de financiamento no valor de 100 mil euros, para financiar programas de desenvolvimento a favor das populações mais desfavorecidas em São Tomé e Príncipe.

Por ocasião dos festejos do dia nacional da França, celebrado quinta – feira Jacky Cuzzi manifestou o desejo de ver instituída uma associação de quadros são-tomenses formados em França. Deu o exemplo do actual Governo, que conta com alguns ministros formados em França.

O Téla Nón toma a liberdade de anunciar alguns nomes, como o influente Ministro Secretário do Governo Afonso Varela, jurista formado em França e também Agostinho Fernandes Ministro do Plano e Desenvolvimento. Este ministro que tutela vários sectores, como agricultura, comércio, turismo, pescas, transportes, portos e aeroportos, tem como assessores directos alguns quadros formados em França.

Não se pode esquecer da antiga Ministra da Defesa Nacional e actualmente candidata presidencial, Elsa Pinto também jurista formada em França, o engenheiro Aguinaldo Garrido e o economista Emery d´ Alva ambos quadros ao serviço da CST, e o único doutor em Direito que o país tem, Pascoal Daio, antigo Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, formado na Universidade de Sorbonne, dentre outros.

O empenho da cooperação francesa na formação de quadros nacionais, deverá ganhar maior evidência nos próximos anos, uma vez que a cooperação francesa é parceira do Instituto Superior Politécnico na formação de quadros nacionais.

Pela importância da cooperação francesa, o Presidente da República Fradique de Menezes, numa mensagem endereçada ao seu homólogo Nicolas Sarkozi, manifestou interesse em fortalecer as relações entre os dois países.

Abel Veiga

  1. img
    Anca Responder

    Bem haja

    Estas ajudas é sempre bem vindas,desde não nos condiciona a estar sempre de mão estendidas e por baixo.

    Porque cooperar, significa ajuda mutua,esforço mutuo, em prol dum objectivo comum e partilhado, logo gostaria também que o governos ou futuros Governos, instituições,entidades responsáveis e Sociedade civil Santomense,
    todos pudessem contribuir,em consciência com empenho,competência,humildade,solidariedade,espírito de ajuda e esforço mutuo, de modo a podermos ultrapassar, as dificuldades, miséria e pobreza que assolam a sociedade Santomense.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem fica-nos

    Bem a todos

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  2. img
    Mé-Zocheano Responder

    Ainda bem que o Téla Nón fez questão de salientar “O único DOUTOR em Direito que o país tem, Pascoal Daio”. Eu sabia que eles cabiam nos dedos de uma mão. Todo o resto sãoLicenciados? Talvez alguns Msrados.

  3. img
    Tribério Responder

    A utiliação desse materiais ofertados devem ser supervisionado pelos doadores, caso contrario, muitos serão desviados.

  4. img
    peacocks Responder

    ohhhh pa la vem mais uma ajudinha………….raios parta o pais que tem sempre ajuda e n vai a lado nenhum.

Deixe um comentario

*