Partidos sem representação parlamentar defendem aprofundamento do diálogo

Após encontro quarta-feira com o Presidente da República Manuel Pinto da Costa, os partidos políticos que não têm representação na Assembleia Nacional, saudaram a iniciativa do Chefe de Estado de promover diálogo com todas as forças vivas do país. Segundo as forças políticas só assim se poderá vencer a instabilidade política e social.

Carlos Neves, membro da Direcção do partido UDD, foi o porta-voz do grupo. Reconheceu a importância do diálogo aberto com todos os partidos políticos e a sociedade civil, para convergir forças no sentido de dar um rumo ao país.

Numa altura em que a conjuntura internacional é extremamente negativa, sobretudo para um país dependente da ajuda financeira internacional, os partidos sem assento parlamentar, consideraram que só o diálogo e a concertação nacional, poderá ajudar o país a enfrentar os graves problemas que enfrenta. «A situação neste momento é grave não só em termos económicos como sociais, os diagnósticos já estão feitos e é preciso passarmos a fase de implementação. Para que a curto a médio prazos possamos resolver esses problemas que nos afligem para que a população possa conhecer a tal estabilidade que é desejada por todos», afirmou Carlos Neves.

O porta-voz, acrescentou que a instabilidade que o país vive, não é só política. «Também a estabilidade social. Se não conseguimos resolver o problema económico será muito mais difícil conseguir a estabilidade social», precisou Carlos Neves.

Os sindicatos também forma recebidos esta quarta – feira por Manuel pinto da Costa. Carlos Costa secretário-geral da UGT-STP, falou em nome do grupo. Segundo o porta-voz, a reunião com o Presidente da República, permitiu definir um compromisso de diálogo permanente na busca de soluções para os diversos e complexos problemas sociais do país. «Ficou o compromisso da nossa parte de manter esse diálogo. Um diálogo verdadeiro e que se resgate os valores socioculturais dos são-tomenses. Verificamos que há muita indisciplina. É preciso que o são-tomense volte a ser o homem que sempre foi», pontuou.

Abel Veiga

  1. img
    HLN Responder

    Dialogo realmente é muito importante para entendimento entre as pessoas, organismo ou instituições que se querem entender, para atingirem objectivos preconizado. Não querendo ser pessimista mas o dialogo na minha terra é principio de uma grande confusão.

  2. img
    Helves Santola Responder

    Discordo com o Senhor Carlos Neves quando diz que “os diagnósticos já estão feitos e é preciso passarmos a fase de implementação.” É preciso também se fazer um planejamento, um Plano Nacional de Desenvolvimento….e só depois passar-se à implementação. Mas mais do que tudo, é necessário manter a população informada, é preciso que o Poder Legislativo exija transparência por parte do Executivo, é necessário que se crie leis de combate à corrupção… só assim poderemos sair do “buraco negro”. Mas o artigo todo vai de acordo com o que a população espera neste momento, o diálogo entre todas as esferas políticas do país e tbem com a esfera social….abraços!

Deixe um comentario

*