Corrupção não mora Aqui

É o lema de uma campanha inédita que vai ter o Téla Nón como palco principal de denúncias, debates e trocas de ideais. O logo tipo da campanha está disponível. Brevemente será dado o clique, para o início da campanha que une são-tomenses no país e no estrangeiro, no combate contra a corrupção em São Tomé e Príncipe. 

  1. img
    De Longe Responder

    Entendi que a campanha será só para denuncciar no Téla Nón os actos de corrupção. Vamos sugerir todos uma forma de encaminhar as denúncias públicas para processos judiciais e pressionarmos a justiça para que esses processos sejam juridicamente respeitados, com consequente reposição da decência em todos os casos.
    Boa ocasião para as pessoas mais formadas usarem os seus préstimos na protecção da defesa da justiça.

    • img
      Téla Nón Responder

      Entendeu mal, brevemente perceberá melhor o condão da campanha. O Téla Nón apenas e só vai dar suporte em termos de publicação. A campanha será conduzida ou promovida pela própria opinião pública. Breve perceberá a dimensão da bola de neve que esta campanha vai provocar. Objectivo número 1 é contribuir para a moralização da sociedade, o despertar da consciência nacional para o problema da corrupção.

      • img
        Horácio Will Responder

        Obrigado pela esperança que me transmite. Conheci país mais evoluído em que as arbitrariedades só começram a ser ser reconhecidas oficialmente e corrigidas a partir de meios de comunicação independente.
        Aguardo ansiosamente.

      • img
        Carlos Ferreira Responder

        Somos a favor dessas iniciativas. Os prevaricadores devem ser chamados a responder pelos seus actos em local próprio mas, receio que essa iniciativa não seja uma forma de julgamento na praça pública dos inocentes. Se ainda não tomou a devida medida, chamo a atenção do tela Nóm para as consequências nefastas e estigmatizantes que falsas acusações podem causar nos acusados inocentes.
        De todo resto acho que devem fazer parte da moderação pessoas isentas e capazes de verificar as falas denúncias.

  2. img
    kua li tassondu Responder

    Primeiramente temos k fazer com k o senhor Procurador Geral da Republica possa nos ouvir e levar em conssideracao as opnioes ou as nossas criticas!como todos nos sabemos combate a curopicao depende muito da Procuradoria Geral da Republica( JUSTICA ) realmente temos todos k unir e fazer com k esse aparelho da justica santomensse funcione!!!!

  3. img
    Luis Responder

    Optima ideia esta de provocar o debate sobre a corrupção em STP. Contudo gostaria de manifestar a seguinte preocupação que pode servir de alerta: não entendo em que molde as denúncias serão feitas; quer-se com a iniciativa incentivar os internautas a denunciar aqui os eventuais casos de corrupção de que tenha conhecimento? Como o telanon poderá distinguir denúncias sérias das calúnias e tentativas de difamação? Como certificar a identidade dos denunciantes? Será que qualquer um poderá vir sob a capa de pseudónimos lançar as denúncias que pretender? Agradeço antecipadamente pelos esclarecimentos.

    • img
      Téla Nón Responder

      Estas hipóteses foram tomadas em consideração. Não haverão actos irresponsáveis encobertos de pseudónimos. Breve verá o que será esta campanha.

    • img
      Bartolomeu Lêdesaua Responder

      Amigo Luis,
      A verdade é que tal como pode aparecer pseudónimos para lançar denuncias sem fundamento também pode aparecer pseudónimos que sob capa de denuncias falsas impedir combate a corrupção e outras enfermidades de que enfermam a sociedade santomense.
      Existe ou não existe essa horrível doença, de nome Corrupção em São Tomé e Príncipe? Uma vez que tem consciência de que ela existe, porque é que tenta desencorajar o seu combate? Vamos dar pelo menos apoio moral à iniciativa que promoverá o seu combate. Tem medo de combate a corrupção? Amigo Luis, quem não deve não tem que ter medo. Deixe que se faça alguma coisa contra corrupção. Ao não fazer nada, é pior ou é o que mais lhe interessa?
      Povo de São Tomé e Príncipe, força e coragem
      Vamos combater a corrupção, com vista no desenvolvimento, com
      JUSTIÇA E DIGNIDADE

      • img
        Luis Responder

        Amigo Bartolomeu,
        Leia o meu comentário com maior cuidado e verá de que lado me posiciono. Quiz apenas alertar ao Telanon, para tomar em consideração essas hipoteses. E a resposta do Telanon me satisfez.

  4. img
    paparazzi Responder

    bomba vai explodir em sao tome

  5. img
    ZE Mulato Responder

    E’ preciso deixar ficar claro e explicito o objectivo, prioridade, e valor desta campanha.

    Temos algumas duvidas! Sera que os corruptos criminosos serao apreendidos para servir tempo na prisao?

    Sera que depois de factos e evidencias consumadas em casos/processo crime os culpados irao retribuir ou devolver o que roubaram?

    Sera que os ricos, e alguns membros de governos do passado, e actual irao ser chamados para prestar contas na justica?

    Sera que os deputados involvidos em casos de corrupcao irao perder imunidade parlamentar e servir tempo na prisao?

    Existem muito mais perguntas que irei fazer mais tarde.

  6. img
    Colomba Responder

    “Corrupção não MORRA Aqui” ou MORA Aqui?
    É que se é para não morrer mais vale estar quieto!

    • img
      vice Responder

      leia o logotipo. foi um lapso do abel

  7. img
    Malapé Temá Responder

    Fico contente com mesmo sabendo que vai aparecer lá acusações sem fundamentos nem como provar o que vai ser dito, mas é de louvar essa iniciativa, iria mais longe, vamos tentar incentivar o cidadão comum (povo) a fazer manifestação (Pacifica) (ABAIXO CURRUPÇÃO), abaixo a imunidade parlamentar dos quais os deputados se escondem, o povo pode e deve exigir visto que é o povo que os colocam lá.

    • img
      Carla Responder

      Me desculpa, mas na minha opinião:’Fico contente com mesmo sabendo que vai aparecer lá acusações sem fundamentos nem como provar o que vai ser dito’(trechos do teu texto)= isso é FOFOCA e isso é FEIO, não podemos ficar nisso de falar atoa, temos que dizer as coisas que vimos, sabemos e que temos como provar, temos que mostrar cara e não ficar no anonimato, o povo não quer especulações, mas sim a verdade e essa mesma verdade tem der comprovada até porque para ter uma certa credibilidade.
      Ops..falar atoa e no anonimato toda pessoa consegue, e eu pelo menos acredito que não é isso que o Telanon propõe aqui nesse espaço.

      • img
        Malapé Temá Responder

        Só ti faço a seguinte pergunta.
        O que teria mais impacto para resolução do problema, um fórum na internet ou uma manifestação pacífica feita por todos nós (povo), apesar de achar louvável a iniciativa do telanón, você deve conhecer muito pouco a realidade do nosso país ou não sabes que menos de 2% da população em STP tem acesso a internet?

        • img
          Carla Responder

          muito bem colocada a tua questão, e agora eu te pergunto:serias capaz de participar numa manifestação onde NÃO se tem provas das especulações? se vc participaria,óptimo pra vc, saiba que eu não, não mesmo, eu participaria SIM depois de ja ter sido comprovado as especulações,ajudaria o povo a ir atrás da justiça, ajudaria o povo a acabar ou diminuir a impunidade que reina no nosso país, isso é apenas a minha opinião..e respondendo outra parte do teu texto,em momento nenhum disse que o debate deve ou não ser apenas na internet (e alias, não referi nada em relação onde deve ser o debate), podemos promover esse debate não só na internet como tv, rádio..mas uma coisa precisa ficar clara, em qualquer um desses meios de comunicação temos que dizer a verdade e prova-la, até porque o próprio povo ja deve estar cansado das especulações..pessoas sendo acusadas..e nada acontecendo..ou pq não houve prova..ou pq até houve prova, mas a justiça nao foi feita..e enfim..agora cabe a eu, vc e os outros que tenm acesso a esse espaço colaborar de uma forma positiva e/ou construtiva.Obrigada!!

  8. img
    Mê Paciência Responder

    É um pensamento fantástico, pelo menos reduzir ou desencorajar os fazedores e praticadores deste tão grande mal.

  9. img
    Anca Responder

    O termo corrupção;

    “Corrupção”

    “Corrupção significa etimologicamente deterioração, quebra de um estado funcional e organizado.”

    “A corrupção política é o uso das competências legisladas por funcionários do governo para fins privados ilegítimos.”

    “Desvio de poder do governo para outros fins, como a repressão de opositores políticos e violência policial em geral, não é considerado corrupção política.”
    “Nem são atos ilegais por pessoas ou empresas não envolvidas diretamente com o governo.” “Um ato ilegal por um funcionário público constitui corrupção política somente se o ato está diretamente relacionado às suas funções oficiais.”
    “As formas de corrupção variam, mas incluem o suborno, extorsão, fisiologismo, nepotismo, clientelismo, corrupção e peculato. Embora a corrupção possa facilitar negócios criminosos como o tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e tráfico de seres humanos, ela não se restringe a essas actividades.”
    “As atividades que constituem corrupção ilegal diferem por país ou jurisdição.” “Por exemplo, certas práticas de financiamento político que são legais em um lugar podem ser ilegais em outro.” “Em alguns casos, funcionários do governo ter poderes amplos ou mal definidos, o que torna difícil distinguir entre as ações legais e as ilegais.” “Em todo o mundo, calcula-se que a corrupção envolva mais de 1 trilhão de dólares por ano.” “Um estado de corrupção política desenfreada é conhecido como uma cleptocracia, o que literalmente significa “governado por ladrões”.”

    “Definição jurídica”

    “Corrupção, é o acto final e criminalmente punível, iniciado sempre por outro crime menor, nomeadamente falsidade, abuso de poder, abandono de funções, denegação de justiça (…), e cujo objectivo é, gestualmente, verbalmente ou sem respostas, intimidar, consentir, aguardar, aceitar, solicitar ou prometer uma vantagem patrimonial ou não-patrimonial indevida, para si ou para terceiro.” “O acto, se for habitual e continuado, se traduz em prejuízo grave para a economia e, em sequência, cria uma crise ao desestruturar a função utilidade ou a economia do investimento, que assegurariam a igualdade.”

    “Interpretação”

    “O crime de corrupção acontece normalmente quando um político, funcionário público realiza traição para obter proveito pessoal, omite o dever de assistir, protela por tempo indeterminado, ou abandona astuciosamente a assistência, ou recusa a atribuição do direito, através de falsidade ou qualquer outra forma astuciosas, de forma a obrigar o cidadão a oferecer-lhe vantagem patrimonial ou não-patrimonial, aproveitando a sua posição e os apoios ou direitos a atribuir e aproveitando sobretudo a necessidade de quem procura a Administração.” “A corrupção é promovida pelo próprio Estado porque os políticos e os funcionários vêm nela um modo de fazer renda fácil e rapidamente, mudando depois de cargo ou demitindo-se para ir trabalhar para o estrangeiro ou numa empresa, depois de realizar uma grande renda.”…

    “Corrupção do Estado e Corrupção Social”

    “Defende Calil Simão que não existe corrupção política sem haver corrupção social.” “Segundo o autor, primeiro a sociedade se corrompe para posteriormente corromper o Estado.” “Ensina ainda que a corrupção social se apresenta sempre que os indivíduos não possuem desinteresse individual, ou seja, quando não conseguem sacrificar um interesse particular em prol do interesse colectivo.”

    “Tipos formais de agentes de corrupção”

    “Os agentes que praticam a corrupção são classificados em dois tipos: os agentes de corrupção ativa (agentes que oferecem e/ou dão dinheiro) e os agentes de corrupção passiva (agentes que pedem e/ou recebem dinheiro).”
    “A corrupção é um crime biunívoco no sentido matemático do termo pelo fato de que para cada corrupto existente no domínio governamental existe um outro corrupto no contra-domínio privado.”
    “Agentes de corrupção passiva (ou “agentes públicos corrompidos”) são governantes ou funcionários públicos que utilizam o poder do Estado para atender às demandas especiais dos agentes corruptores.” “Governantes são funcionários públicos temporários eleitos democraticamente ou funcionários públicos colocados em cargos de confiança pelos que foram eleitos (em função da legislação).”
    “Agentes de corrupção ativa (ou “agentes privados corruptores” são ou empresários ou gestores de empresas ou gestores de grupos religiosos ou líderes de grupos étnicos ou líderes de grupos de interesse) que buscam aumentar seu poder político e financeiro em relação ao poder político de seus concorrentes do resto da sociedade.”
    “Nem sempre o agente privado é aquele que inicia o acto de corrupção.” “As leis e normas do serviço público às vezes são usadas pelo agente público para dar início ao ato da corrupção.” “Por exemplo, o agente público pode não aprovar um pedido de alvará de comércio de um comerciante até que este se disponha a pagar um valor monetário determinado.”
    “Consequentemente, dentro da lógica de uma economia de mercado falseada, este conceito pode tornar-se muito mais complexo.” “Em países especialmente marcados pela corrupção, frequentemente são os próprios detentores de cargos públicos a tomar a iniciativa de se aproximar, directa ou indirectamente, dos agentes económicos, propondo a concessão de contratos, mediante o pagamento de uma “comissão”, em dinheiro ou em espécie.”
    “Em tal contexto, a noção de activo ou passivo ficará claramente distorcida.” “Com efeito, já não se trata apenas de alguém a tentar viciar, pontualmente, as regras do mercado, obtendo para si ou para uma determinada empresa benefícios especiais, face aos concorrentes.” “Pelo contrário, antes se trata agora de uma acção encetada por figuras detentoras do poder de decisão, que seleccionam e convidam as empresas de acordo com o nível dos pagamentos que intentam extorquir.” “No primeiro caso, as regras do mercado são violadas. No segundo, o mercado deixa de funcionar, acabando, em situações extremas, por se verificar o desaparecimento de empresas concorrentes.”
    “Passa, assim, a existir uma espécie de “sociedade” que engloba um reduzido grupo de empresários e os detentores de cargos públicos.” “De salientar que corrupção não é um crime sem vítimas.” “De facto, quando esta se torna endémica, os dinheiros públicos deixam de ser investidos em projectos ou infra-estruturas realmente necessários, susceptíveis de melhorar a qualidade de vida das populações, antes ocorrendo em áreas da economia de interesse marginal.” “As empresas não beneficiadas perdem, os cidadãos sofrem as consequências de investimentos estéreis e, numa óptica global, a sociedade fica mais pobre.”
    “Este tipo de corrupção pode conduzir a fortes distorções do mercado, violando, pelos seus efeitos,as boas práticas de concorrência.” “Nos países em que a corrupção é mais endémica, práticas…( acordo entre empresas e o poder público, que permite a um grupo reduzido de agentes ganhar, rotativamente, os concursos), ou,… condicionam fortemente o desenvolvimento económico das regiões.”
    “Em última análise, o fluir da actividade económica não vai ao encontro das reais necessiades das populações, mas sim dos interessses ilícitos dos agentes políticos, em conluio com um reduzido número de empresários – pelas razões óbvias, geralmente no âmbito das obras públicas.” “Em vez de se fomentar um empreendedorismo criativo e salutar, são antes favorecidas intervenções que trazem um reduzido valor acrescentado ao bem-estar das populações.”
    “Só mediante um efectivo funcionamento das instituições democráticas, de um direito da concorrência implementado de forma rigorosa e, naturalmente, de um controle efectuado por instituições supervisoras, pelos “mass-media” e pela população, em geral, se poderá combater uma tão nefasta prática.”
    “O nome que tem se firmado no mundo ocidental para os crimes desta natureza é “crime de colarinho branco”, em função de seus agentes envergarem, geralmente, os trajes que caracterizam o mundo dos negócios ou da política, como terno, gravata e camisa com colarinho branco.”
    “A corrupção política pode ser grande ou pequena e organizada ou desorganizada.” “Pode se iniciar nos escritórios de agentes políticos e seus partidos, nos escritórios das grandes ou pequenas empresas, nos escritórios de agências governamentais.” “Pode também se iniciar até mesmo em reuniões sociais como festas de aniversário, de casamento ou de velhos amigos da escola.”

    “Tipos de crimes de corrupção”

    “Os tipos mais comuns de corrupção são:”
    “Suborno ou Propina”
    “Nepotismo”
    “Extorsão”
    “Tráfico de influência”
    “Utilização de informação governamental” privilegiada para fins pessoais ou de pessoas amigas ou parentes”
    “Compra e venda de sentenças judiciárias”
    “Recebimento de presentes ou de serviços de alto valor por autoridades”
    “Presentes de alto valor também são considerados uma forma de suborno.” “Qualquer presente acima de 200 dólares dado ao Presidente dos Estados Unidos da América é considerado um presente ao Gabinete da Presidência e não ao próprio presidente (ou a membros de sua família).” “A lei diz que o Presidente pode comprar o presente do Gabinete se quiser levá-lo consigo quando acabar seu período como funcionário público.”

    • img
      Anca Responder

      In Wikipédia

      Ao mesmo tempo deveria haver outra campanha de educação e formação de qualidade, para a cidadania,conhecimento de direito e deveres sociais e politicos.

    • img
      Anca Responder

      Os factos que prejudicam, questão que de valores sociais, valores moral, questões de direito e justiça social, distribuição justa da riqueza, questões de iliteracia social,questões de acesso a saúde, educação/formação, segurança,questões de inclusão social, questões de organização, estruturação e gestão do estado.

      Devem ser debatidas, e implementadas medidas de correcção e melhoria à social.

      Passar à pratica, a acção, agir, e não ficar só pelo debate e estudos.

      Percepção do mal social, é fundamental para o seu combate, desde que, os agentes sociais o queiram, mesmo em contrariedade a uma minoria que beneficia dos bens estado, para o bem de todos os cidadãos e do próprio estado de direito democrático.

      Pratiquemos o bem

      Pois o bem

      Fica-nos bem Santomenses

      Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  10. img
    sulila miranda Responder

    Mas que ideia! Estou segura que essa iniciativa vai fazer também com que os ” fazedores de justiça” na nossa terra se ponham ” À PAU “, porque é isso que nos tem faltado.
    Sabemos que infratores e corruptos sempre existiram na nossa praça, mas a justiça tomava posição, hoje, eles continuam lá a actuar a seu belo prazer e inpunes, porquê?
    Bem haja TELA NON! Façam a vossa parte para que se saiba quem é quem !

  11. img
    Matabala Responder

    Bom projecto…mas fiquem sempre atentos a alterar algumas regras em função da evolução das coisas…pq vai sirgir muita crítica e abusos e brincadeiras de mau gosto nas possiveis denuncias…ha muitos que não usam mas sim abusam…

  12. img
    ZE Mulato Responder

    Vou desistir em participar. O Tela Non nao publicou nem respondeu as perguntas que fiz. Parecer ser brincadeira, nada serio…
    Tchau

  13. img
    JOSE TORRES Responder

    Pelo menos os orgaos competentes terao um suporte para como se ingles se diz “let’s investigate”
    Fico feliz com a iniciativa e se tiverem uma conta para eu por uma contribuicao monetaria de forma desinteressada , agradeco.

  14. img
    Luis Dondoia Responder

    Não basta denunciar é preciso criar uma corrente para que consigamos combatê-la.

    Comecemos por uma sindancia a todos membros do governo deste 1990 e directores gerais.
    Tentar saber como é que algumas pessoas estando no poder ficaram ricas.

    Encetar uma luta para moralizar os Tribunais e tornar – los apartidarios e sem amiguismos .

    Propor uma “task force ” que obrigue os futuros membros do governo , deputados e demais agentes do Poder que faça uma declaração da sua fortuna pessoal prévia e com a arranjaram com documentos comprovativos junto ao Tribunal Constitucional.

    Propor aos Deputados , em modos de petição pública, que alterem a legislação no sentido de imunidade Parlamentar , podendo está também que o Supremo Tribunal também o possa fazer desde que haja indícios

    Todos os indivíduos que ocupem cargos Públicos indiciados ou condenados devem abandona-los e/ou ser banidos da gestão da coisa pública não podendo jamais concorrer a cargos.

    Plafonar os gastos com as campanhas e a proviniencia dos fundos devem ser públicas

    Criar 5 anos de carência dos titulares de cargos públicos encetarem negócios com o estado .

    Abrir as actividades e obras governamentais a concurso e punir pecuniariamente os incumpridores adjudicados.

    Como vêm a tarefa é longa e dura , mas cabe a nós cidadãos de STP inicia-la .

    Desde logo Repudiar o Banho e a Boca de Urna como pratica comum porque isto é comprar as nossas consciências .

    COMECEMOS POR AÍ E JÁ TEREMOS DADO UM GRANDE PASSO .

    Viva RDSTP

    ACREDITO QUE TEREMOS A NOSSA DIGNIDADE DE VOLTA E COM ELA O DESENVOLVIMENTO .

    Finalmente , obrigado TÉLA NON por ter tido a coragem de iniciar essa campanha

  15. img
    Filipe Samba Responder

    Disse um antigo adepto: ” Se o homem errado usar o meio correcto, o meio correcto atuará de modo errado”
    O caminho e a direcção escolhidos pelo individuo; é o modo pelo qual o individuo atua nesse caminho que exprime verdadeiramente o seu ser.

  16. img
    Feijoada Responder

    Caros amigos e compatriotas de lutas contra corrupção.

    Quero aqui deixar a seguinte preocupação:
    Será eficaz este debate?
    Não será mas um daqueles ecos do tribunal e particularmente a procradoria?

    Sou optimista em qualquer inovação em STP, mas estamos habituados ao silencio dos orgãos competentes as verdades que nos afligem.
    Espero que neste debate os políticos não se aproveitem para as zangas das comadres.

    sou assim….

  17. img
    Ovumabissu Responder

    Vamos ver no que dá.

    Se (a corrupção) não mora aqui, qual é então a morada?

    Não sei se não ficaria melhor “Corrupção aqui? Não, obrigado!”

  18. img
    Malébobo Responder

    Corrupção não mora Aqui
    Sr.Abel Veiga, cuidado com este tipo de iniciativa e ideias, os ditos corruptos despois de lerem isso. tu podes ser grande bode espiatorio,esse malandros não gostam disto, vela onde estais a meter, recordas do caso do Zeca Trovoada como é coitado viveu sufocado até que a sua esposa tinha que fazer gelado para sobriviverem, obrigado, fui

  19. img
    Indignado Responder

    Uma pergunta : porque é que o logotipo faz aparecer uma tartaruga?? Será que a Tartaruga tem alguma coisa a ver com corrupção? Não entendi a mensagem que o logotipo quer transmitir. Parece mais adaptado ao um projecto de proteção das tartarugas marinhas, não é?
    Obrigado

  20. img
    rapaz de riboque Responder

    vai haver mais ainda só quem não tem memoria do passado é que cai nesta

  21. img
    madalena Responder

    Corrupçao mora aondè?
    STP a corrupçao tornou-se endemica, leva tempo e muito tempo. Como resgatar os valores da cidadania? as boas praticas.
    Iniciativa louvavel mas pouco ratica sd ficarem apenas pela denuncia. Australia o filho do ladrao
    se calhar tem mais prestigio que filho de um intectual e nos estamos quase como Australia.

  22. img
    Hélder Deus Lima. Responder

    Antes de mais, felicito aos mentores da iniciativa.

    Trata-se de uma iniciativa plausível. Contudo, é importante saber antecipadamente a forma como a “Sociedade Civil” pode promover e gerir a campanha de forma imparcial, “profissional” e coerente com os princípios da sua criação.

    Neste contexto é fundamental que,antes do início da campanha, se possa analisar os regulamentos do funcionamento da campanha, da conduta espetável dos administradores e de todos os particimantes, pois, trata-se de algo sério em que todos seremos responsáveis, onde, na minha opnião, devemos cingir nos fenómenos e não nas pessoas, independentemente da ligação do(s) fenómeno(s) à(s) pessoa(s).

    Sugiro que sejam disponibilizados os regulamentos e as estratégias da campanha ou dada a possibilicade de participação na sua criação, para que, antecipadamente cada um possa avaliar o nível de confiânça da campanha e decidir quanto a sua participação ou não.

    Aguardo uma resposta do Tela -Non.

    Obrigado.

  23. img
    Madalena Responder

    Aqui se recordam alguns dos principais:

    Caso GGA– Gabinete de gestão de Ajuda. Desvio de recursos da ajuda alimentar para fins particulares. Mais de 3 milhões de dólares. A antiga primeira-ministra Maria das Neves foi indicada em tribunal como tendo retirado dos cofres do organismo vários milhões para reabilitar a sua residência privada e a sua empresa agrícola Vila Graciosa.

    Caso STP-Trading – Desvio de recursos destinados a ajuda alimentar. 5 Milhões de dólares doados pelo governo brasileiro. Delfim Neves era administrador financeiro da empresa que acabou por ir à falência. Produtos alimentares importados impróprios param consumo ou de fraca qualidade e fora do prazo de validade.

    Caso dos 30 mil barris de petróleo – Desvio de verbas da venda de 30 mil barris de petróleo, cedidos pela Nigéria, contrato assinado em 2009, e cuja receita deveria servir para pagar as bolsas de estudantes santomenses no estrangeiro. O rasto do dinheiro nunca foi encontrado. Houve acusações de envolvimento no caso da presidência da república.

    Caso da ajuda de Marrocos – O antigo ministro dos negócios estrangeiros, Ovídio Pequeno foi acusado do ter transferido para uma conta no Gabão quase meio milhão de dólares provenientes da ajuda marroquina. Pequeno era uma figura chave no conselho ministerial encarregue de gerir a zona de exploração conjunta São Tomé e Príncipe e foi líder da delegação nacional que aprovou os prémios de assinatura de contratos com a ERHC Energia sobre os direitos de exploração de blocos de petróleo na zona conjunta.

    Caso dos 5 blocos de petróleo na zona conjunta – São Tomé e Príncipe terá perdido cerca de 58 milhões de dólares na concessão em 2005 dos 5 blocos de exploração de petróleo na zona conjunta atribuídos à ERHC Energia, empresa registada nos estados Unidos mas controlada pela Nigéria. Uma situação denunciada por várias organizações internacionais, nomeadamente o movimento “Publiquem o que pagam”.

  24. img
    luis dondoia Responder

    Como vê meu caro compatriota é preciso uma verdadeira , sindicancia as contas e negócios de STP e quem foi o rosto que negociou todos esses contratos .e mais como é que ainda temos o descaramento de comemorar o dia das Nacionalizações quando os bens sairam das mãos de uns para outros deixando o País na miséria absoluta e sendo eles “compradores” de um bem público a que chamam sua propriedade ?
    Meus Compatriotas aquelas Terras Nacionalizadas são propriedade dos naturais de STP .

    Quando respondi ao SR PR sobre a miragem do pretróleo foi na perpectiva de que ele existe e a empres EHRC Energy Também .

    Quando falo da reestruturação do aparelho do Estado e dos Tribunais irá no sentido de dar seriedade e isenção .

Deixe um comentario

*