Política

Rádio Nacional parente pobre e TVS caixa de ressonância do Governo ao serviço particular do Primeiro-ministro

A denúncia é do partido MDFM-PL. Reagindo a greve sem fim a vista na Rádio Nacional, devido a falta de diálogo por parte do Governo, o partido de Fradique de Menezes, diz que o governo esta a ser arrogante, e alerta para o facto de estar em causa, um dos alicerces fundamentais do regime democrático.

«Para que o povo não continue privado de um direito que lhe é reservado pela Constituição da República que é o de ser informado e ter acesso a informação, para que a nação são-tomense continue a dar sinais claros de fazer progredir o processo democrático iniciado em 1990 e que vem sendo bem sucedido desde então, o MDFM-PL exorta o governo no sentido de aceitar o diálogo como forma de evitar a proliferação de greves no país, e para o caso particular da Rádio Nacional, que se estabeleça o mais rápido possível um diálogo franco, aberto e transparente com a comissão dos grevistas», diz o partido MDFM-PL no seu comunicado.

Demonstrado o défice de diálogo que caracteriza o actual governo, o que põe em perigo a convivência no sistema democrático, o MDFM-PL acrescenta que a arrogância do Governo, está a conduzir o país para uma situação inadmissível. «Inadmissível é o facto de a greve já durar quase uma semana, o povo estar privado dos serviços da única Estação Pública e os trabalhadores da Rádio Nacional não receberem da parte do Governo qualquer proposta credível de negociações, já que em tempo útil a Comissão dos Trabalhadores da Rádio fez chegar um documento reivindicativo ao Governo», refere o MDFM-PL.

A Força Política com assento parlamentar, condena a postura do Governo de Patrice Trovoada. «O MDFM-Partido Liberal, condena assim e de forma veemente a atitude arrogante do Governo e manifesta a sua mais elevada preocupação pela falta de diálogo para com os trabalhadores em greve», sublinha o comunicado.

A diferença de tratamento do executivo em relação a Rádio Nacional e a TVS, merece atenção do MDFM-PL. «Na sua estrutura organizativa, o Governo do Doutor Patrice Trovoada não vincula a Comunicação Social à responsabilidade alguma, o que deixa bem claro que a Comunicação Social é relegada à um plano de insignificância total, salvo o caso particular da TVS que sendo eleita como caixa de ressonância do Governo e ao Serviço particular do Primeiro Ministro vem tendo um tratamento de amigo particular da ocasião e não institucional», declara o MDFM-PL.

Abel Veiga

    34 comentários

34 comentários

  1. A.G Brasil

    9 de Novembro de 2011 as 13:59

    coisa esta feia

    • Vida Dura

      9 de Novembro de 2011 as 15:07

      Viva o MDFM/PL.
      É assim que se deve fazer política. Dizer-se as coisas de forma clara e não procurar subterfugios.
      Finalmente o MDFM está a dar provas de ser um partido político que elege o dialogo como forma se fazer sair esse país do marrasmo.
      Que o Senhor Primeiro minsitro comeca a dar provas de ser um democrata e procure conversar com os homens e mulhers da Radio nacional.
      É triste, é sintomatico ver a nossa radio nacional paralizada durante todo este tempo.
      Em S.Tomé e Principe a nossa rádio tem um significado particular e ima importância particular porque é o grande veiculo de informações dos pobres. Com a greve os pobres é que estão a ser o principal alvo.
      Senhor Patrice, pare analisa o país, deixa de ser arrogante e converse com os homens.
      E para o MDFM os maus parabens pela retoma com verticalidade das suas actividades.

      • cumade

        9 de Novembro de 2011 as 20:35

        O partido MDFM/PL nao tem moral de condenar nem orientar nenhum partido pela actual crise de greves que , infelizmente, atingiu o pais. Este partido governou o pais em comunhao com outros partidos e chegou mesmo a governar o pais juntamente com ex-presidente Fradique. A situacao degrante da radio nacional e fruto de desgovernacao durante o reinado de FM. Qual o legado que FM deixou para o pais? Durante os 10 anos do seu mandato so surgiu motoqueiros, delinquencia juvenil, novos ricos desmerecidos, etc. MDFM quer agora ser poder? Mantem em silencio como estavam, assim estao a contribuir melhor para a democracia. Mantem calados.

  2. Mimi

    9 de Novembro de 2011 as 14:29

    Por mais irrealisáveis que sejam as reinvindicaçoes, nao e permissível que o governo pura e simplesmente vire as costas aos trabalhadores. Tambem nao se entende o tratamento diferenciado e a olhos vistos que e dado a TVS em relacao a Radio Nacional. Vê-se claramente o interesse do Governo de satisfazer cores e clientelas que, aliás, faz parte dos objectivos nao declarados da governaçao actual deste país. As greves sao o resultado natural desta descriminacao do homem santomense, para cuja libertacao se lutou no pre 25 de Abril. as greves sao sinais de revolta naturais da insatisfacao pelas injusticas reinantes nesta terra.

  3. Vida é P'ra viver, é Preciso Saber......

    9 de Novembro de 2011 as 14:46

    ó kakaôÔOÔOO… Xê Fradique virou contra Patrice… coisa virou fuba com bicho…

  4. Adilino frustrado

    9 de Novembro de 2011 as 14:57

    olha o drama o horror tambem se passa na Ilha do principe onde o presidente so deixa passar na radio o que ele quer e mais nada.

    • Jujú

      9 de Novembro de 2011 as 19:42

      Adilino fruatrado

      deixa de inveja e má língua. vai trabalhar. você é muito preguiçoso. já que este teu negócio está falido você e quer ir também para o governo. Cuêça…
      tomara a Deus se todos os lugares do país estivessem como o nosso príncipe. Você não assistiu a apresentação dos negócios de investimentos estrangeiros que foram anunciados para o príncipe, graças ao nosso Tozé? Onde é que voc~es estava? A dormir? Acorda rapaz…Credo…
      Viva a ilha do príncipe.
      Jujú – ilha do Príncipe

      • Nicolau

        10 de Novembro de 2011 as 10:10

        muito bem Jujú, meu primo.
        O Príncipe tem que avançar sempre e o nosso presidente do governo regional está a fazer um óptimo trabalho. parabéns senhor presidente. Deus lhe dê vida e saúde.
        Nicolau – natural da ilha do Príncipe

        • Graça

          11 de Novembro de 2011 as 13:22

          Concordo contigo Nicolau.
          O Príncipe tem de avançar, rumo ao progresso.
          Estes investimentos serão importantes para a nossa ilha.
          Temos de deixar de criticar por inveja e ódios e deixar as pessoas trabalharem. Se existe pessoa que fez alguma coisa pelo Príncipe foi o Tozé Cassandra. Nenhum outro dirigente fez mais pelo Príncipe do que ele. Neste momento o Príncipe precisa muito dele.
          Graça

        • António

          11 de Novembro de 2011 as 13:34

          eu sou do MLSTP mas tenho de reconhecer que o Tozé está a fazer um magnífico trabalho. está de parabéns. Este investimento na ilha do príncipe vem criar muitos postos de trabalho para os nossos trabalhadores. príncipe vai modificar muito.
          António natural de s.tomé na ilha do príncipe

  5. santa catarina

    9 de Novembro de 2011 as 15:54

    Agora o MDFM-PL já fala.Já tem voz. Quando andavam no poder o que fizeram para melhorar a situação.Muita cara de pau e de pouca vergonha.
    Os trabalhadores da radio não conhecem o chefe , é mesmo bricadeira de mau gosto.
    O momento não é para brincadeira como alguns ditos politicos da praça querem. Vamos ser serios e honesto.

  6. Quilixe Furtado

    9 de Novembro de 2011 as 15:57

    Boa MDFM-PL, já está copiar MLSTP-PSD. Mas nao será q e fingido. Você o MDFM-PL, tb nunca se importou com o povo sofredor. O Liberalismo é dos piores regimes com relaçao aos mais fracos. So se encostas aos grandes capitais e ao mercado.
    Oxala q estejas a ser sério desta vez.
    Estou cá pra ver pq parecia-me q voces tinham um acordo secreto com o Partido do Governo, tendo o permitido mesmo chegar ao poder, em troca de tachos!!!!.

    • Bornito Sousa

      10 de Novembro de 2011 as 11:57

      O que se passou entre o MDFM de Fradique de Menezes e o ADI de patrice Trovoada, foi uma espécie de acordo de cavalheiro. O MDFM virou suas batarias e seus militantes para apoiar ADI de forma a que o MLSTP não voltasse a ser governo depois do proprio Fradique ter dado o poder executivo de bandeja à Rafael Branco. Ora, depois das eleições, o patrice matreiro como é foi pregando partidas ao Fradique. Todavia a posição do MDFM em relação às greves que o país conhece é uma posição salutar tanto mais que o MDFM propõe negociações entre o Governo e os grevistas. Reconheço no entanto que a nova direcção do MDFM é promissosa, é uma direcção que em termos de caracter nada tem a ver com a anterior. Por isso, força ao MDFM.

  7. Tinito

    9 de Novembro de 2011 as 15:57

    Caros Amigos do MDFM

    A rádio nacional está em greve, pedindo melhorias salariais.
    O vosso Presidente Fradique de enezes, esteve 10 anos a frente do país. O que é que ele fez para que a Rádio Nacional não fosse op parente pobre da nação.
    O salário que os técnicos da rádio auferem, está em vigor à um ano? Ou está a mais de 10 anos.
    Vocês e todos os outrols politicos deste país deveriam ter vergonha
    Tinito

    • Saber Dizer

      10 de Novembro de 2011 as 11:08

      Você deve ser mesmo burro. O Fradique foi Presidente da República sim, mas não compete a um Presidente da Repúblia resolver problemas de competência do Governo, como é o caso em referência da Rádio Nacional.
      Por favor, sejamos sérios procuremos agir com altuma maturidade e responsabilidade.
      Permita-me dizer também que o MDFM está apenas a fazer o seu papel de oposição e mais ainda, aconselhou o Governo para negociar com os grevistas e nada mais. Isso não quer dizer que o MDFM ou Fradique de Menezes está contra o Patrice Trovoada.
      Uma vez mais meus senhores, cuntribuamos com coisas positivas par o bem deste país.

  8. MÉ SOLO

    9 de Novembro de 2011 as 16:45

    Caro Amigo Tonito,

    Antes de comentares tens que conhecer a constituição do país, o Presidente da República não tem puderes para resolver as exigências dos profissionais da RN nem de outros sectores no país, quem tem puderes é o Governo. O Presidente da República, apenas pode usar a sua magistratura de influência .

    Devias sim é apelar o bom censo do Governo em rapidamente encontrar uma saída plausível para a reposição do funcionamento normal da Rádio.

    Todos sabemos e conhecemos as condições em q trabalham os profissionais da rádio nacional. A Rádio Nacional apenas tem cara limpa e lábios pintados, os dentes e a lingua estão podres.

    Apelo o Governo em encontrar uma saída urgente para a Rádio Nacional pq temos o direito de ser informado e ter acesso a informação o que já não acontece a uma semana.

  9. Francisco Ambrósio Agnelo

    9 de Novembro de 2011 as 17:11

    “Quando se quer, não há quem” Se reparar, está a ser aberta uma porta para a convulsão Política. Depois da exigência musculada do Secretário-geral do Sindicato da Função Pública ao 1º Ministro, razão pela qual, não se ter acautelado numa das suas declarações com o respeito a greve. Como se não bastasse, a forma encontrada para que a Sª excelência se desculpasse da linguagem menos própria, seria a sua humilhação «Pretendemos que o senhor Primeiro Ministro, ajoelhe e peça perdão»; coisa doutro mundo. Estrutura sindical instrumentalizada pelo partido político. MDFM-PL encontra a fresta para dar ar a sua graça, apontando a TV como sendo o sector do domínio do PM. Quanta estação de TV existe? Onde quer que seja, há o controlo dos serviços quer da Rádio ou da TV pela estrutura governamental no poder, salvo sejam mais do que uma unidade.

  10. lino

    9 de Novembro de 2011 as 17:17

    Amigo Tinito está coberto de razão.
    O sr.fradique não endou por lá 10 anos?!!
    o que fez ele durante esse tempo!?
    “NADA”.
    Esses senhores do MDFM deveriam ter vergonha nessas caras.
    É preciso ter grande lata para vir aqui condenar , apelar e dar sugestões agora.
    Os homens estão em greve porque estão a ser injustos com eles.
    Eles tb têm familia para sustentar.
    É indesejável, mas penso que devem continuar , até serem recebidos e ficar tudo acertado.
    Esses gajos do governo andam a gozar com a malta.
    O sr. varela quer resolver uma coisa destas pelo telemóvel!!!?…Enviando mensagens?!….mas afinal que tipo de responsável é este senhor?!Inconpetência demais.

  11. NINA

    9 de Novembro de 2011 as 18:18

    ACHO QUE DE FACTO O GOVERNO DEVE REAGIR. HOUVE UMA GREVE DOS MÉDICOS E A SITUAÇÃO FICOU RESOLVIDA MENOS DE 48 HORAS. EM RELAÇÃO A RÁDIO NACIONAL JÁ LÁ VÃO 7 DIAS. PARA O BEM DE TODOS O BOM SENSO DEVE PREVALECER. AS PARTES DEVEM DIALOGAR E ACREDITO QUE HAVERÁ UMA SOLUÇÃO.VIVA STP

  12. gostoso

    9 de Novembro de 2011 as 19:05

    Apelo o Governo para o diálogo. Seria muito bom e razoável se encontrasse um consenso.É possível, basta os homens quererem. São os homens que geram conflitos pois serão eles a resolverem.Sejamos humildes.

  13. fexa pata

    9 de Novembro de 2011 as 19:24

    santomense abra os olhos eles estao a matar o povo sem arma sem faca, por outra maneira querem matar os pobres so tem uma maneira parem de votar o pais so precisa de um governador ou so de uma pessoa como a ilha da Madeira em Portugal e maior e esta melhor organizado voces tem que matar policos porque eles querem acabar com raca mais fraca alguem tem que morrer para essa merda possa ir a frente

  14. Chocolate-Biológico

    9 de Novembro de 2011 as 19:29

    Meus caros…,

    o Sr. Fradique de Menezes e o seu partido, buscam – momentaneamente – como ganharem um quadro de relevo, junto as populações de São Tomé e Príncipe; por isso, nada tão bom como utilizarem situações como estas – por eles ajudadas a criar – para se colocarem como protagonistas e grandes defensores das classes desfavorecidas da nossa sociedade.

    Em vez de denúncias, eles deveriam antes lamentarem e se desculparem perante ao povo e aos técnicos da Rádio Nacional, pela situação por eles co-criadas, durante os últimos 10 anos, como Presidente da República e o partido com responsabilidades governativas, sem que nada fizessem para melhoria da situação em que nós todos hoje nos encontramos.

    Ao revés disso, vêm-se no direito de antes fortalecerem as acoes grevistas, através de atitudes populistas, mesmo quando os grandes países industriais se encontram em momentos deveras difíceis por causa da crise mundial financeira – gritando por mais produtividade – e onde seus governos se vêm na necessidade de aplicarem pacotes de austeridade uns atrás dos outros, triplicando e quintuplicando negativamente, o cotidiano dos seus cocidadãos, sobre tudo, das classes sociais mais desfavorecidas – como a única via para saída desta mesma crise – Nós, que VIVEMOS aqui, dos Bolsos deles, nos vejamos moralmente, ou melhor, nos damos ao luxo de exigirmos do nosso governo agora, 600% de aumentos salariais…!!!

    Viva Sr. Fradique de Menezes e o MDFM/PL;
    Viva Sr. Aurélio Martins e o MLSTP/PSD e Viva os demais aliados…!!!

    Um salve a todos
    Chocolate-Biológico

    • Papa Figo

      10 de Novembro de 2011 as 11:25

      Senhor Chocolate Biologico de uma figa.
      Se não sabia fica a saber que se o ADI de Patrice Trovoada é Governo, isso graças a atitude assumida pelo MDFM em declarar apoio a um outro partido de mudança como é o MDFM. Se não o poder voltaria a estar nas mãos do MLSTP. Por isso, são insignificantes as declarações segundo as quais o Fradique está contra patrice. Antes pelo con trário, eles são bons amigos ao ponto de um ajudar o outro a ganhar eleições deixando por terra o MLSTP. Ganhou o ADI, não ganhou o MLSTP e ganhou a mudança.
      Se não entende dessas coisas, o melhor é ficar calado, porque apenas perturbas.

      • Chocolate-Biológico

        19 de Novembro de 2011 as 14:52

        Senhor Papa figo,

        com os melhores cumprimentos, convido-o a reler o meu primeiro post desta peça. Permita-me cita-lo: – “Senhor Chocolate Biologico de uma figa. …/… são insignificantes as declarações segundo as quais o Fradique está contra patrice.” Fim de citacao.

        Quão infelizes são as suas afirmações…

        Se o Sr. estivesse em poder de argumentações valiosas, capazes de contrapor o por mim aqui postado, não teria a necessidade de me ter que “Insultar” ou de me “Acusar” de ditos, que em parte alguma das minhas declarações cá prestadas, se encontram.

        Permita-me ainda uma…, repense por favor a sua postura de defensor do Sr. Fradique de Menezes, pois que, das suas ajudas como assessor, o ex-PR deve-se excusar, se não quizer deixar-se sofocar por esse seu fraco NÍVEL analítico aqui demonstrado.

        Um salve a todos
        Chocolate-Biológico

  15. fradique

    9 de Novembro de 2011 as 19:39

    mas pk?

  16. Digno de Respeito

    10 de Novembro de 2011 as 3:19

    Perante todo o cenário, entendo que existe desrespeito pela dignidade humana e falta de coerência inter-institucional – fico com a ideia de que uns são filhos e outros são enteados, quando se sabe que todos as instituições públicas são geradas e geridas pelo um só governo que somando ao órgãos de suberana nacional, chama-se ESTADO. Sendo, todos o ESTADO, porque razão algumas instituições têm tudo e outras revelam-se desprovidos de meios e outros ainda mantêm-se em estado visível “obsoleta”?

    Onde está o princípio de direito, equidade e a igualdade? Se após a independência cada um conhecesse a razão da sua existência, se soubesem quem são, o que fazem e para onde querem ir? Hoje, todos saõ tomenses teriam o verdadeiro motivo de sorrir sem mágoas e felizes. Mas, o que acontece é preciso como disse a minha avó:

    “Bóca cá samá navi, blôa cá samá casá.” Punda cuá cu non scá bê, sélá zémé cá bóca”. O tempo é pai de todos os acontecimentos e o homem é o motor do tempo. Ele faz acontecer as tristezas e as alegrias… Aos trabalhadores da RNSTP desejo-vos um futuro mais saudável e felicidades………

    • Nando

      10 de Novembro de 2011 as 11:17

      Os pobres desejam a justiça e a igualdade social.Os ricos nem se preocupam com isso(Aristóteles). deste modo devem ser os pobres, os injustiçados a fazer reclamação e nao esperar pelos poderosos porque eles só entedem da pobreza teoricamente. Nunca experimentaram a fome.Uma coisa é saber que existe pobreza e outra é viver a pobreza. Caros amigos, não sejamos masoquistas. O país é de todos nós. Se há crise esta crise deve ser vivida por todos. Se o país é pobre não podemos admitir que uns vivam na luxuosidade e outros na miséria. Com este tipo de comportamento continuaremos pobres e também os nossos filhos netos bisnetos, trisnetos e tetranetos. O meu avô e o meu pai foram enganados pelos pais deles e eu que sou da nova geração não posso admitir ser enganado. Errar é humano mas consentir no erro já é burrice. Que isso sirva de lição para todos os que sonham para o sucesso deste maravilhoso país.

  17. Original

    10 de Novembro de 2011 as 7:28

    Não sei se é Pinto é que não sabe lidar com a democracia ou PT.

  18. sulila miranda

    10 de Novembro de 2011 as 10:19

    Ê ça cada cuá?!
    Que se saiba, a greve é um direito do trabalhador, previsto na lei mãe da RDSTP. Assim sendo, sempre que ela seja solicitada, depois de cumprida as formalidades, nada pode o patrono fazer para a impedir, salvo se quizer se sucumbir.Daí que não entendo a posição do governo.
    Só se ele quer com esta actitide arrogante, arranjar ALIBI para a sua queda! Porque por aí vem a queda deste governo, não tenham dúvidas!
    Uña cácá!

  19. paparazzi

    10 de Novembro de 2011 as 16:10

    sim sr e hora do presidente da republica chamar o sr primeiro ministro e perguntar se a radio nacional de sao tome nao faz parte das estruturas do governo.se calhar o 1ºministro nao ouve radio por isso nao se importa muito com a greve porem cabe o pr como chefe de estado chamar o governo para deixar de ser arrogante e partir para o dialogo e resolver o problema dos trabalhadores da radio

  20. paparazzi

    10 de Novembro de 2011 as 16:14

    se calhar so ouve rfi pq desde que este governo tomou posse ja deveria melhorar as condiçoes de trabalho da tvs rnstp e stpress e nada ate hoje faz.so melhora relactivamente a tvs para fazer passar a sua mensagem e mais nada.e hora de formar mais os trabalhadores mandado lhes para refrescamentos

    • Fijaltao

      10 de Novembro de 2011 as 23:47

      paparazi, o primeiro ministro quer imitar os países àrabes e francófonos onde o povo e os trabalhadores papagueiam para o ar e ninguém lhes dá ouvidos! por outro lado, a saúde, a rádio e outros meios de informação em S.Tomé pode acabar para o primeiro ministro, sabes porquê:
      O primeiro ministro quando estiver doente, tem táxi aéreo vindo do gabão para o levar par exterior! O primeiro ministro se quiser estar informado, tem antenas especiais só para ele, onde ele recebe informações, rádio, televisão e skape tudo visto no ecrã gigante via satélite no seu cobico.
      Por isso, a rádio só existe realmente para quando da campanha para as eleições.
      O poder para o primeiro ministro não é exercido com amor em servir, mas sim servr-se do poder!
      Olha: Agora cabe a Assembleia da República convocar uma reunião extraordinária e urgente com primeiro ministro, a fim de o mesmo dar uma explicação cabal de o porquê deste comportamento do seu elenco! Após esta reunião, o primeiro ministro nos seus encontros habituais com o presidente da república ou com o conselho de ministro, explicar ao presidente da república o porquê do comportamento que teve com os grevistas da rádio!
      Por outrolado o primeiro ministro deve vir ao público pedir desculpas aopovo por estarem sem informação durante esses dias, quando não o povo deve nas próximas eleições dar-lhe uma carta de despedimento!

  21. Nando Vaz (Roça Agostinho Neto)

    10 de Novembro de 2011 as 16:45

    Estamos perante um Primeiro Ministro “Pau mandado.” êça péna zé povinho!..

  22. Fijaltao

    10 de Novembro de 2011 as 23:27

    Independentemente do partido A ou b ou C, ter que intervir neste assunto, não interressa; o que interressa sim é que o governo de um país democrático, para não dizer civilizado, deve nestes casos, responder a parte que reclama ou decretar lei civil ou… enfim dizer algo!
    Isto fez-me e faz-me confusão como é que este país está a ser governado! Isto é muita falta de respeito pelos funcionários que reenvindicam os seus direitos e um desinterresse total pela vida quotidiana do povo em estar informado!
    Por outo lado se a TVS está apenas ao serviço do primeiro ministro, numa sociedade democrática só pode ter um culpado ou vários culpados: A assembleia e os partidos com assento parlamentar!
    Estar a reclamar essedireito que é uno ao primeiro ministro, faz-me lembrar o crocodilo!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo