Política

Patrice Trovoada não conseguiu visitar Venezuela

O périplo que o Primeiro-ministro pretendia fazer na América Latina começou e terminou em Cuba. A visita a Venezuela foi cancelada. O Chefe do Governo anunciou reforço da cooperação com Cuba no sector da Saúde e abertura de oportunidade para incremento da cooperação bilateral no sector da agricultura.

Desenvolvimento da agricultura nas zonas suburbanas, é o novo capítulo da cooperação bilateral entre São Tomé e Príncipe e Cuba. Garantia de Patrice Trovoada no regresso esta quinta – feira de Havana.

Segundo o Chefe do Governo, uma equipa técnica cubana deverá vir a São Tomé para estudar com as autoridades nacionais a possibilidade de desenvolvimento da agricultura nas zonas suburbanas. Patrice Trovoada recordou que cerca de 80% da população são-tomense vive nos arredores das cidades. Daí a importância do projecto que poderá incentivar a grande quantidade de mão de obra citadina a cultivar o solo fértil são-tomense.

Saúde é o sector tradicional da cooperação entre São Tomé e Príncipe e Cuba e vai ser reforçada. «Cuba vai apresentar uma proposta concreta de médicos e enfermeiros, para ver se a cobertura nacional do serviço de saúde se faça da melhor maneira possível», afirmou o Primeiro-ministro.

De Cuba Patrice Trovoada tinha intenção de visitar Venezuela, para dinamizar o projecto assinado pelo anterior governo, no sentido de construir uma escola de medicina em São Tomé, com fundos da Venezuela e a nível de quadros académicos seria Cuba a garantir. «Falamos com Cuba sobre esta matéria. Com relação a Venezuela por razões alheias a vontade das autoridades venezuelanas e da nossa, adiamos a visita. Mas as autoridades cubanas estão a falar com as autoridades venezuelanas sobre o assunto e vamos trabalhar», explicou Patrice Patrice Trovoada.

No regresso a casa, num avião privado, o Primeiro Ministro, escalou Cabo Verde, onde segundo Patrice Trovoada conversou durante 2 horas com o seu homólogo José Maria Neves. A cooperação entre os dois arquipélagos africanos, vai evoluir para o fomento de parcerias entre homens de negócios dos dois países.

Segundo Patrice Trovoada, já no primeiro trimestre de 2012, uma grande missão empresarial cabo-verdiana vai visitar São Tomé e Príncipe, com vista a concretizar novas parcerias com o sector privado são-tomense.

No que concerne ao acordo trilateral de desenvolvimento de agricultura em São Tomé e Príncipe, promovido por Cabo Verde com fundos de Luxemburgo, o Chefe do Governo disse que o valor financeiro do projecto conheceu uma ligeira redução, em consequência da crise internacional. No entanto assegurou que os dois países estão a trabalhar no sentido de o mais breve possível começar a executar o projecto de desenvolvimento da agricultura.

Abel Veiga

    30 comentários

30 comentários

  1. Irmão do Bailundo

    18 de Novembro de 2011 as 14:22

    Agora sim acredito!!!!!!!Muitas ideias para poucas soluções.Este P.M fala muito e resolve nada.
    É bom de ideias e mau em solucionar os problemas primários da população.
    Recordo-me que o seu “slogan”tem sido:”Deixem-nos trabalhar”Mas este governo ja teve tempo mais que suficientes para mostrar trabalho mas até agora NADA.
    O povo Santomense está cansado de promessas e mais promessas.Queremos sim a resolução dos nossos problemas primários e ponto final!!!!!!Água,Luz,alimentação e informação.São os nossos Direitos inalienáveis pautados na Constituição da República.

    • Teimosia

      23 de Novembro de 2011 as 19:21

      O povo já não quero Patrice Trovoada porquê que ele não vai embora?

  2. Ze Cangolo

    18 de Novembro de 2011 as 14:32

    Só pode ser brincadeira para quem é cego. Como é possível ser anunciada uma visita de Estado e depois dizer qu esta não se concretizou devido razões alheias aos países envolvidos? Isto é crdível? Isto é aceitável? Isto pode ser?
    Quanto à agricultura suburbana, este é um projecto que não deu resultados se quer em Cuba, quanto mais no nosso País. É uma forma mais de Cuba descongestionar a sua população desempregada mandando-a nas cínicas missões internacionalistas. Toda gente que esteve em Cuba sabe que os “organopónicos” são um fracasso. Por que é que se quer aplicar a nosso País?

  3. Mimi

    18 de Novembro de 2011 as 15:20

    Fico meio apreensiva em relacao a cooperacao cubana de hoje. Era bom que o governo estabelecesse bem a regras do jogo com o estado e com os medicos cubanos quando chegam em S. Tome. Estes sao muito facilmente alienados a corrupcao,chegando a distinguir doentes de acordo com as suas posses… Isto é facto!.

  4. luisó

    18 de Novembro de 2011 as 16:03

    os médicos são benvindos porque são bons e STP precisa deles.
    agora uma euipa de agricultura para estudar e ver o que se pode realizar nos terrenos sub-urbanos para quê se não há gente que os queira trabalhar, é mais fácil vender na rua cueca, lápis e pilhas…
    mão de obra há e quem saiba o problema é quem queira trabalhar e incentivos á produção nacional…

  5. aguido

    18 de Novembro de 2011 as 16:04

    abel reve o texto esta com muitos erros sera da pressa de publicar ou falta de correção reve o atepenultimo paragrafo regresso e ñ r4egresso, no ultimo paragrafo paises e não pises, mais breve e não meis breve obrigado

  6. Francisco Ambrósio Agnelo

    18 de Novembro de 2011 as 17:14

    Desta vez fui fintado pelo Primeiro Ministro. Partilho com outros a opinião de que se tratou do passeio.
    Que desilusão!
    Ao Tela Nom: O texto publicado precisa ser corrigido.

  7. tribunal de conta

    18 de Novembro de 2011 as 17:29

    e com isto quem sai a perder com custos de viagem como estadia aluguer de aviao especiais claro sera o pais a ter que cossar essa sarna dos viagens do primeiro ministro. esse nosso primeiro ministro e o mais que viaja em relacaos aos seus colegas dos paises da cumunidade dos PALOP
    enquanto o povo a sofrer. maldita hora que
    acreditei nas suas palavras. ADI que aproveite porque nada e eterno.

  8. boca calada

    18 de Novembro de 2011 as 19:54

    gostas é de viajar !

    • Até quando nosso São Tomé e Príncipe

      21 de Novembro de 2011 as 10:57

      Não só, viajar e voltar sempre em voos privados. Isso sim é o grande problema.

  9. eu

    18 de Novembro de 2011 as 20:51

    fancamente.
    Parece que tem espinha na nadega. Não consegue sentar. Foi tratar da sua vida e inventou que foi em missão de Estado.
    Viagens sóóoóoóoo, trabalho que é bom -nadaaa!
    Triste sina a nossa!

  10. luisó

    18 de Novembro de 2011 as 23:14

    até o chavez já percebeu que dos governantes de stp é só pedir para gastar á maneira deles…

  11. vava sovietico

    19 de Novembro de 2011 as 2:51

    o CHAVEZ não quis reçeber o PM de SÃO TOMÉ E PRINCIPE? tamos mesmo sem credibilidade internacional meus amigos,uma pena

    • Gaspar

      19 de Novembro de 2011 as 14:21

      Alguém tem dúvidas que estamos em presença de um governo de brincadeiras?! Mas como é possível tanta humilhação para um povo, que, já não basta, anda há dezenas de anos a ser maltratado pelos disparates que os diversos governos vêem cometendo. Para quê que temos um ministério dos negócios estrangeiros com um ministro paga a preço de ouro? O que anda este ministro a fazer que não consegue organizar uma visita do primeiro ministro a um país? Por favor, mandem esta gente para casa, eu estou farto de incompetentes e burros. Num mundo cada vez mais competitivo mais global o país não pode ter na sua governação incompetentes, ignorantes e burros. Não vamos a lado nenhum com esta prática que já perdura há muito tempo. Mande todos os incompetentes estudarem de novo, fazerem estágios, cursos intensivos ou tarefas menos complexas para o país dar oportunidade àqueles que, de facto, estão mais preparados para o dirigirem. Nós não estamos em condições de competir com ninguém se o caminho a trilhar for este: incompetência, ignorância, burrice e estupidez. Os outros vão fazendo o seu caminho de desenvolvimento e nós vamos perpetuar na pobreza, miséria, ignorância e incompetência. A selecção, escolha e designação ds ministros e outros governantes, para o nosso país, nesta fase do seu desenvolvimento, deveria ser uma tarefa complexa e com contornos de rigor na sua execução. Os tempos actuais não estão para amadorismo ou gestos de amizade ou outras cumplicidades quando se trata da missão de defesa da coisa pública. Os países que escolhem este caminho estão condenados ao atraso, à miséria e a ignorância. Não pode ser este o caminho a trilhar por nós. Porquê que este governo é tão fraco e incompetente na sua formação? Quem conhece, por exemplo, o Carlos Stock sabe de antemão que ele, em condições normais, nunca seria governante deste país numa pasta tão complexa. Quem conhece o Salvador Ramos sabe que ele não tem competências para ocupar um lugar tão exigente, nesta fase do nosso desenvolvimento em que a diplomacia deve criar condições para atracção do investimento estrangeiro e contribuir para a melhoria da imagem externa do país. Quem conhece a Ângela Costa sabe que ela não tem condições técnicas nem políticas para uma tarefa tão espinhoa como a implementação de reformas que melhorem e dignifiquem parte do nosso sistema social, designadamente a Saúde. Quem conhece o padre Olinto sabe que ele tem alguma cultura geral mas desprovida de alicerces que suportariam o conhecimento e exigências, de ponto de vista político e técnico, para dar um rumo certo e coerente ao nosso sistema educativo. Portanto, estamos no domínio de experiências e profissões de fé que nos vai acabar por matar como sociedade daqui por alguns anos. Quem está minimamente informado sobre estas coisas de governação sabe perfeitamente, que,se a escassez técnica, ao nível intermédio de organização do Estado, é grande para atender as exigências do seu funcionamento é, provavelmente, ao nível decisório que se deve deslocar a vertente técnica para contornar este constrangimento. Mas, infelizmente, cá em S.T.P faz-se o contrário. Por isso, não querendo ser pessimista, acho que não tempos salvação neste mundo tão competitivo e global. Quem viver verá.
      Fui
      Gaspar

  12. Dialoa

    19 de Novembro de 2011 as 7:32

    Esses primeiro ministro gosta muito de eprovisar então mete muitas vezes o pés pelas mãos, como é possível chegar a Cuba depois procurar audiência com Venezuela penso k Cuba iria interceder por ele.
    Falando das razoes básica desse governo o PT pensou k lideraria um povo apenas com o seu falso sorriso então foi simulando, deixa o P T acabar o seu mandato nunca mais há de assumir um cargo de verdade nesse pais se lá esse povo é como o pai do PT o MT disse é como Carneiro

  13. Jójó

    19 de Novembro de 2011 as 9:06

    Agora é que são elas….

    Este PM já notou que a conjuntura internacional afecta a STP. Só agora?

    Todos os seus parceiros viraram-lhe as costa….

    Que pena. Abandone o poder pque contigo STP não terá soluções de certeza.

    És sim um rancoroso e vieste para resolver o problema do teu grupo, dos teus familiares e o próprio teu problema..

    Viva a Democracia.
    Via STP

  14. ESMERALDA

    19 de Novembro de 2011 as 14:59

    VIVA PINTO DA COSTA
    VIVA EVARISTO DE CARVALHO
    VIVA PATRICE TROVOADA
    VIVA SILVESTRE LEITE
    VIVA A DEMOCRACIA
    VIVA STP

  15. ESMERALDA

    20 de Novembro de 2011 as 4:55

    VIVA ADI
    VIVA MLSTP/PSD
    VIVA PCD
    VIVA MDFM
    VIVA OS PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR
    VIVA A SOCIEDADE CIVIL
    VIVA O POVO DE STP

  16. Paparazi

    20 de Novembro de 2011 as 10:33

    E mesmo impossivel esse negocio do sr 1ministro pq todos nos sabemos que Cuba e bom na medicina mas agricultura hoje e um fracasso Cuba nao tem tradicao na cultura de cacao e entao vai plantar o que Cana de acucar 1 ministro esta a passear para evitar estar com o presidente da republica

  17. Respeito

    20 de Novembro de 2011 as 10:36

    Até agora tem boas perspectivas, com uns bons projectos em carteira. Penso que com a estabilidade esse governo pode ser muito util para levantar o pais. Mas uma coisa é falar outra coisa é praticar.

    Haver vamos!

  18. Eperanças Renovadas

    20 de Novembro de 2011 as 15:19

    Pois é,mas sem excluir ninguém!Porque todos somos poucos para erguer este País.Apoio a diplomacia empresarial que está a ser levada a cabo por sr.1º.Ministro,mas sugiro-o a delegar responsabilidades,em vez de ser sempre ele.Ex:Enviar o Ministro de Estado dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades.Afinal pensar em grande compensa!E.R.

  19. Digno de Respeito

    20 de Novembro de 2011 as 17:26

    Meus caros,

    Depois de lêr essa noticia carregada de erros ortográficos e pequenas “gralhas” (é normal de um bom trabalhador dedicado como o Abel, fico bastante apreensivo com a interrupção da visita. Das duas uma:

    – a visita não devidamente planificada e avalizada pela a Assembleia Nacional);

    – a visita foi surpreendente, e por questões éticas e protocolares o País anfitrião não teve uma “agenda seting” consertada com os interesses da autoridade nacional.Ou na pior das hipóteses, é o desinteresse de Venezuela face aos pressupostos interesses a apresentada. Talvez um pecado pela antecipação aceleração da visita. É essa a ideia com que fico depois de ler essa notícia. Para qualquer uma das hipóteses por apresentadas ou mesmo pelos reais motivos de Estados (interesses partilhados), entendo que houve discordenação essa imagem é desfavorável para São Tomé e Príncipe. Dai, que defendo a criação de uma Instituição que redimensione a imagem de nosso País.

    Outro aspecto da análise que faço, relaciona-se com a influência dessas viagens frequentes para a economia do País.

    Considero frequente e inesperadas as viagens feitas embora também reconhecesse que o “barco parado não faz viagens” mas, é preciso o bom senso para reconhecermos a fragilidade económica e financeiramente de São Tom+e e Principe. Cada viagem de Estado, implica delegação (de)composta por elementos pouco influentes e capacitados tecnicamente para convencimento externo a fim de compra o “peixe” que queremos vender para os outros.

    Eu que nada entendo de diplomacia, sugiro que deve existir maior seriedade na imagem interna e externa do País.
    Contudo, estou aberto melhores esclarecimentos e ajuda.

  20. paparazzi

    20 de Novembro de 2011 as 18:01

    1ºministro de sao tome agora e ministro dos negocios estrangeiros e comunidades ele viaja muito ate final do ano qual sera o proximo pais a visitar?

  21. ESMERALDA

    20 de Novembro de 2011 as 18:21

    ATENÇÃO ESPERANÇAS RENOVADAS, A RESPONSABILIDADE NÃO SE DELEGA, A AUTORIDADE SIM. VIVA STP.

  22. luisó

    20 de Novembro de 2011 as 22:25

    não conseguiu ou não o quizeram ver…

  23. Mimi

    21 de Novembro de 2011 as 9:56

    14 meses de promessas, sem realizacao nenhuma. E desta vez trouxe mais? Dá para acreditar?…..

  24. maria chora muito

    22 de Novembro de 2011 as 12:20

    Esse senhor só passa a vida a dizer. Vamos “trabalhar”. Mas, na realidade ele passa todo o seu tempo a viajar com bons subsidios do Estado.

  25. Free Expression

    22 de Novembro de 2011 as 23:29

    Viva liberdade total e completa!

  26. ALEIXO.........

    24 de Novembro de 2011 as 0:35

    Deixam o Ministro trabalhar seus inventores de mentiras ………..criam orgulho de ajudar para que o País desenvolva o mais rápido possível ………..Tentam ao menos de fazer uma critica construtiva e deixam o 1-Ministro fazer o deve ser feito …….

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo