Política

“O país já perdeu demasiado tempo com querelas inúteis e problemas artificialmente criados”

É um recado do Presidente da República Manuel Pinto da Costa, na inauguração na quinta – feira, da reunião do Conselho Nacional de Luta Contra o Paludismo. Um recado que vai de encontro ao momento actual de crise parlamentar.  
No discurso de três páginas que Pino da Costa, abriu a primeira reunião do Conselho Nacional de Luta Contra o Paludismo, 4 parágrafos foram realçados com letras pretas. «O paludismo existe e enquanto existir é um problema concreto das pessoas e do país», refere o Chefe do Estado no primeiro parágrafo.

Um problema concreto, que deve concentrar o esforço e a atenção de todos os actores do país, sejam políticos ou económicos.

Com o paludismo no centro da reflexão, estes parágrafos do discurso de Pinto da Costa, foram uma chamada de atenção, para o que está a acontecer no outro órgão de soberania, no caso a Assembleia Nacional, que vive mais uma crise, por causa de um deputado, por sinal homem de negócios. «É na resolução dos problemas concretos das pessoas e do país que constantemente devem fundar-se as nossas principais prioridades», disse Pinto da Costa no segundo parágrafo da parte do discurso que serviu para mandar recados.

Posição que o Chefe de Estado, reforçou no terceiro parágrafo. «É a resolução dos problemas concretos do povo que deve estar sempre na primeira linha da nossa atenção, do nosso esforço, da nossa competência e, sobretudo, do nosso trabalho», precisou Pinto da Costa.

O recado do Presidente da República à casa parlamentar,  ficou mais evidente no último parágrafo. «O país já perdeu demasiado tempo com querelas inúteis e problemas artificialmente criados que, no fundo, apenas contribuem para continuar a adiar a solução dos reais problemas e o desenvolvimento ao serviço das pessoas», conclui o recado presidencial subjacente no discurso da primeira reunião do Conselho Nacional de Luta Contra o Paludismo.

Abel Veiga
.

    14 comentários

14 comentários

  1. economista

    17 de Fevereiro de 2012 as 11:05

    Concordo com o PR.
    Porque a questão é simples:
    O Amândio é um chu…, gosta de mudar de pares a troco de dinheiro. Se não vejamos: Ele era do MLSTP e mudou para o MDFM, por motivos óbvios – money; depois mudou de lá para o PCD, quando o Fradique quis fechar a torneira; Agora o PCD não tem grana, não está no poder para lhe dar obras que ele nunca termina. Consequência natural, ele começou a namorar com o ADI. E como “faca kohídu ni ‘stláda, ka plêdê ni ‘stláda” um dia ele sairá do ADI.
    Portanto a solução para a crise é: a) O tribunal constitucional retirá-lo o mandato por negociar votos no parlamento a troco de dinheiro; b) Proibi-lo de voltar a candidatar-se nos próximos 30 anos;
    Essa medida deve ser válida para todos os outros que assim procedam.
    Kuá cê máthi!

    • esquipa

      19 de Fevereiro de 2012 as 10:15

      Nao só o bodim mas ja dizia carnelutche que a soberania esta no povo do territorio.

  2. conterrâneo

    17 de Fevereiro de 2012 as 11:06

    Boa Pinto!

    Manda aviso à esses Politiqueiros que pensam que o país gira a volta deles.

    Deixam de fazer espectaculos no parlamento como se de palco teatral tratasse!

    Pinto é homem de muita experiencia e por sinal grande observador (durante 20 anos a observar) de enormes barbaridades politicas” encenadas nessa nossa Assembleia para forjar crise politica e deixar cair o governo e retardar o desenvolvimento do nosso país.

    Tudo por interesses de “grupinhos” que só sabem estar no poder, porque é ali que conseguem fazer negociatas e enriquecerem.

    Não pensam que o Pinto vai na vossa cantiga!

    O homem é altamente maduro!

    Está na hora de pensarmos nos grandes problemas do país e não nos joguinhos politicos.

  3. Pedro Cravid

    17 de Fevereiro de 2012 as 11:33

    Muito bem senhor presidente,mas é bom que o senhor presidente não se esqueça das promessas que fez contra a corrupção,justiça,etc…já foram trinta e seis anos que se combate o paludismo desde o tempo em que o senhor era presidente quando se purvirizava em casa de casa cidadão um veneno de seu nome DDT e Maraquion,não sei se sua excelencia recorda?…que nada resolveu.Graças a China Taiwan que muito têm feito.

  4. "Nós por cá e a nossa maneira"

    17 de Fevereiro de 2012 as 11:33

    ….concordo e assino em baixo…..

    ..haver vamos…..

  5. truquim deçu

    17 de Fevereiro de 2012 as 11:40

    O ADI quer mais uma vez com a sua tecnica de adrabice, conforme fez o Miguel trouvoada ao respeito de senço, contra Pinto, mas desta vez o pinto tem que estar alerta, é verdade que o país ja perdeu tanto tempo nesta confusão e que n trouxe beneficio para o povo vamos deixar destas brincadeiras meus senhore de ADI e os outros vamos ajudar o Pinto da Costa ao fim de devolvermos aos santomenses os seus valores.

  6. N PARA POR AI

    17 de Fevereiro de 2012 as 13:52

    Senhor Presidente tá no bom caminho força ……

  7. Maria Fonseca

    17 de Fevereiro de 2012 as 14:21

    Sabe,um dia em que, para se ser DEPUTADO/MINISTRO OU OUTRO ALTO CARGO, a nível nacional,fazer-se um EXPURGAR de cabeça aos pés, para se saber de facto se a pessoa reúne perfil para o referido CARGO,então todos mas todos começarão a se portar melhor, sobretudo aqueles que tenhem aspirações POLITICAS. Há muito lixo a ocupar cargos nesta sociedade que tem que ser purificado.
    Os CORRUPTOS/LADRÕES que se encontram a solta ou munido de imunidade, terão que parar na CADEIA. Quando assim fôr, irão ver como esse PAÍS Entrará na LINHA.

  8. Luís Dondoia

    18 de Fevereiro de 2012 as 5:09

    Embora formalmente concorde com o Sr PR em termos materiais existem coisas que devem ser explicadas para que não caiamos sempre no mesmo.
    Senão vejamos o que faz correr o sr A.Ponheiro .Foi ou foi eleito deputado da nação?
    Poderá embora esteja num regimento obscuro querer passar a deputado independente por contradições diversas ?

    O que impede o Sr deputado Delfim Neves aceitar o levantamento da imunidade diplomatica se diz-se inocente .

    Sr PR não são questiunculas são razões de fundo que devem ser pensadas a fim refundar-se todo o nosso ordenamento politico e admnistrativo .

    O Sr PR mostrou alguma sensatez mas com as leis e regulamentos (Constituição incluida)não iremos a parte alguma.

  9. Luís Dondoia

    18 de Fevereiro de 2012 as 5:17

    Tela non…
    Os senhores têm pautado a vossa existencia no pluralismos de opiniões,daí a vossa popularidade enorme na diaspora .

    Não posso deixar de lamentar o facto de que em dois artigos públicas digam que os comentários estão encerrados sem mais explicações .
    O que se passa na Vossa redação ?

    Mantenham-se com a vossa politica editorial como até hoje a bem de todos e do pluralismo democrático .

    • Téla Nón

      18 de Fevereiro de 2012 as 13:24

      Dondoia, há momentos em que o servidor do jornal “satura”, por causa da pressão dos comentários. Por isso o fecho que é momentâneo, para alargar a banda. Logo abre-se para receber mais..

  10. Nando Vaz (Roça Agostinho Neto)

    18 de Fevereiro de 2012 as 13:21

    O que esta em causa é a suberania da república,como um cidadão da cidadania ativa, sempre comento com os colegas universitários dezendo o seguinte a solução está no precidencialismo. Estinguir mais rapido possivel o regime semi-precidencialista, realizando o referendo e mudar radicalmente a atual constituição que não tem nada haver com reais necessidades deste povo humilde (os santolas) do nosso pais1.. “La soberanía, según la clásica definición de Jean Bodin en su obra de 1576 Los seis libros de la República, es el «poder absoluto y perpetuo de una República»; y soberano es quien tiene el poder de decisión, de dar leyes sin recibirlas de otro, es decir, aquel que no está sujeto a leyes escritas, pero sí a la ley divina o natural. Pues, según añade Bodin, «si decimos que tiene poder absoluto quien no está sujeto a las leyes, no se hallará en el mundo príncipe soberano, puesto que todos los príncipes de la tierra están sujetos a las leyes de Dios y de la naturaleza y a ciertas leyes humanas comunes a todos los pueblos».”

  11. Santosku

    20 de Fevereiro de 2012 as 7:57

    Meus senhores Presidente da República tem toda razão. Deixam de brincadeiras se o homem renunciou o seu mandato, então está renunciado ele qque vá apara casa. Parlamento não é espaço para negociatas mais sim para trabalhar. O presidente da Assembleia Nacional é um banana ao mando do senhor Patrice e seu pai Miguel Trovoada. Ainda bem que o povo não lhe escolheu para Presidente da República. O tipo é um banana.

  12. Espirito Santo

    20 de Fevereiro de 2012 as 8:36

    Adrabice e PCD.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo