Patrice Trovoada e o zum, zum, zum… de São Tomé e Príncipe

Na última jornada de reflexão do seu partido ADI, na capital do distrito de Mé-Zochi, Trindade, de forma espontânea o Primeiro-ministro Patrice Trovoada, decidiu tecer considerações a respeito de uma alegada ajuda financeira, que terá chegado ao país e que ele teria recusado.
Na jornada em que o ADI, debateu as estratégias para o desenvolvimento sócio económico de São Tomé e Príncipe, a questão do financiamento à economia nacional, tinha que estar na agenda do debate, ou então, da conversa entre os militantes do partido com a sua direcção.

A dado momento da sua intervenção, o Presidente da ADI e Primeiro-ministro, revelou ao público o teor de rumores que chegaram aos seus ouvidos. «Oiço aí um zum, zum, que quando se traz dinheiro para o Governo, o Governo diz que não quer. O Governo é responsável. Se temos que pedir dinheiro emprestado, temos que saber o que vamos fazer. Dinheiro emprestado não é para comprar carro, não é para viajar para cima e para baixo, não é para comprar mobília, e quando se deixa de ser ministro levar a mobília para casa. Eu vi facturas que o Estado tem que pagar de roupa de cama. Ah, ah, eu tenho cama no meu gabinete?», interrogou.

O zum, zum que Patrice Trovoada divulgou na reunião do seu partido na cidade da Trindade, tem circulado um pouco por São Tomé. Os rumores indicam que um país amigo de São Tomé e Príncipe, terá disponibilizado importante verba para financiar projectos de desenvolvimento, mas que o Chefe do Governo, disse que só aceita cerca de 10% do montante amigavelmente disponibilizado pelo país que é parceiro tradicional de São Tomé e Príncipe. «Suponhamos que eu vou pedir 100 milhões. Se alguém me der 200 ou 300 milhões, eu digo não. 100 milhões chegam. Eu tenho que saber o que vou fazer com dinheiro», acrescentou Patrice Trovoada na sua intervenção na cidade da Trindade.

Ao longo da sua intervenção sobre a política de financiamento da economia são-tomense, Patrice Trovoada destacou o investimento privado estrangeiro, como a melhor via para relançar os sectores da agricultura, turismo e pescas. Por isso fez questão de sublinhar o acordo que o seu governo assinou com a empresa SATOCAO para reabilitação da produção do cacau.

Outros acordos para investimento privado directo, foram recentemente anunciados pelo Governo. Com a empresa Russa Gunvor para construção do porto petrolífero na roça Espraínha na ordem de 200 milhões de dólares. Por outro lado veio também ao público acordo entre o Governo e uma empresa do Kosovo, avaliado em 800 milhões de dólares, para alimentar negócios de produtos petrolíferos etc. «Pessoas de má fé, vêm com xenofobia criticar estrangeiros, dizer que estamos a vender o país. Isso tudo é para ver se o pais não avança e ver se o povo revolta contra o Governo, e verem se regressam ao poder», reclamou, o Primeiro Ministro.

O Chefe do Governo disse na cidade da Trindade que o desenvolvimento não vai acontecer em São Tomé e Príncipe, enquanto acontecerem situações como essas que descreveu. «Não vai acontecer quando o Governo assina compromissos e as pessoas estão aqui a lançar panfletos ou na internet, a caluniar sem razão sustentável. Não vai acontecer enquanto a Justiça não quiser fazer inspecção e auditoria para sabermos aquilo que não está bem e corrigirmos o sistema de Justiça», frisou.

Com o mandato do seu governo já a meio, Patrice Trovoada disse aos militantes da ADI que «alguma coisa nós fizemos, e dentro de alguns meses poderemos fazer mais», pontuou sem dizer o que o executivo já fez, e o que fará nos próximos meses.

Ao mesmo tempo o Chefe do Governo e Presidente da ADI, reconheceu que o tempo do mandato governamental de 4 anos, é muito pouco para dar resposta às antigas e novas promessas feitas ao país. «Em 4 anos o que é que podemos fazer no primeiro ano. No primeiro ano temos que descobrir as coisas. Temos que organizar, reformar e saber com quem estamos a trabalhar. Tudo isso demora no mínimo 1 ano», explicou.

Segundo Patrice Trovoada o segundo ano de mandato, também não permite realizar  grande coisa. «Temos que fazer estudos, assinar contratos e procurar financiamentos. Isso demora mais um ano ou um ano e meio. E depois temos que lançar as obras que demoram 2 à 3 anos para serem realizadas», sublinhou.

Pelas contas do Chefe do Governo são-tomense, os 3 primeiros anos de mandato se esgotam em estudos. No entanto no quarto e último ano, pouco ou nada é realizado, porque o país estará concentrado na campanha política para as legislativas.

As declarações de Patrice Trovoada, na Trindade deixaram entender que os novos e grandes projectos anunciados recentemente pelo Governo, só poderão ser executados no próximo mandato de 4 anos.

Com o tempo para dar resposta às promessas a esgotar-se, o Chefe do Governo, desafiou os são-tomenses para o trabalho. «Trabalho, trabalho, trabalho e mais trabalho, caso contrário não chegaremos ao fim da caminhada. Sabemos onde é que o país está, e toda gente chora e com razão», concluiu.

Abel Veiga
.

  1. img
    caboverdiano Responder

    pronto este primeiro ministro ta com muita lata ja fui de ADI agora vir com lata de dizer que nao consegue fazer tudo que prometeu nas ultimas campanhas se na realidade nao vemos nada que o o mesmo faz e fez para o pais a nao ser viajar e viajar com estadias 2 semanas e meias no estrangeiro a pala do dinheiro do pais nunca vi em lado nenhum um pais que tem primeiro ministro que constantemente ta ausente do pais em 30 dias por mes so fica 12 a 14 dias por mes porra mesmo assim diz que nao ha dinheiro a a mim nao metem mao no olho es um primeiro ministro que diz muito e nada faz por exemplo como e que ficou a situacao de contratar os juiz de portugal e angola para fiscalizar o sistema da justica de s.tome e principe assunto andou pela agua esta em deriva farto de bla bla bla este povo ja ta nas proximas campanha legislativa vamos derrotar o ADI este partido tem faca e garfo para fazer algo diferente pra STP mais se nao aproveitar o tempo que resta para agir vai ser penalizado nas urnas podem vir com milhoes de dolares k agora ja tamos de olhos abertos.

    • img
      Calibre-12 Responder

      Verdade seja dita. Patrice bate record em papo furado.
      O homem tem um geito terrivel de enganar as pessoas como o caraças.
      Ele primeiro envia aquele medricas e analfabruto do Abnilde Oliveira ler uns “comunicadozãos” como sendo decisões do conselho de ministros, mas que nunca são, pois tem sido apenas decisões do Patrice que bate a mão na mesa e ninguem mais fala, nem mesmo o tal Varela que dizem ser jurista. Depois esse mesmo Patrice vai a umas reuniões publicas convidando apenas os menos lucidos e vai-lhes fazendo lavagem de cerebro.
      Francamente.
      Meus senhores, onde é que está a oposição. Se não sabiam, fiquem a saber que os partidos da oposição mesmo não sendo governo fazem parte da governação do país.
      Tenho dito.

    • img
      Sun-Zaquim Responder

      Eu que o diga.
      Já se esperada por esses sinais de desculpas ou de subterfugios do Patrice Trovoada e do ADI em relação à Governação.
      Digo mais, o secretário geral do MDFM havia dito em entrevista à nossa televisão que o país não conhecia sinais de arranque.
      São dois anos que o Governo já tem, e na verdade tudo está na estaca zero. Alguma coisa visivel deve-se á projectos herdados dos governos anteriores.
      O patrice está fragilizado e o seu partido também. Basta ver as reuniões distritais que ADI tem organizado!?
      Muito ainda há para comentar e para se assistir na politica santomense nos proximos tempos.

  2. img
    kuali tassondu Responder

    Senhor Primeiro -Ministro realmente todos nos sabemos que 4 anos nao e suficiente para muita coisa ,ainda mais em stp e em situacao k se encontra numa miseria extrema, mais pelo menos mostranos k realmente o senhor tem estado a trabalbar!
    Nisso tudo so tenho a dizer kuidado cu ma cunxesa eee.

  3. img
    COMENTARIO Responder

    O MLSTP que faça mudanças internas para assumir este País em 2014

    • img
      Estudante Responder

      MLSTP, meu caro já esteve lá. Não fez porquê? Deixa o Governo terminar o seu mandato e depois faremos as avaliações nas urnas.Isso, de um Governo hoje e um amanhã em nada irá beneficiar o nosso belo País.
      O que MLSTP devrá fazer nesse momento é preparar as bases para a quando chegar no poder possa ter bagagem para governar com precisão.

      • img
        JOVEM ACREDITADO Responder

        CERTAMENTE…este primeiro ministro é mais um latista doque um governante, andou a fazer varias promessas aos jovens e não cumpriu, fez promessas aos jovens da região aut. do principe e nada feito… é mais um governo para puchar brazas para sua saldinha… vejo que o mesmo veio para recoperar a sua grana que foi gasta nas eleições passada em que foi brutalmente derrotado….esperemos que o povo possa junta mom… de forma exigir o melhor para o país.

  4. img
    The Politics Responder

    Entendo e concordo que 4 anos não chega, mas no momento da campanha se faz promsessa de 16 anos. Sejamos serios. Si sabe que 4 anos não chega nã prometa.!!!!

  5. img
    Aristides Barros Responder

    A esse passo somos capazes de alterar a Constituição para aumentar o mandato dos Governos para 8 ou 10 anos. Com um mandato de 8 ou 10 anos talvez o tempo seja suficiente para que o Governo consiga fazer alguma coisa.

  6. img
    Carlos Ceita Responder

    Meus amigos. É impressão minha ou o Primeiro-ministro está a tentar imitar o Governo Regional do Príncipe. Agora já vem ao público discutir com as pessoas o plano de desenvolvimento do país? O que me preocupa é saber se as pessoas que estiveram nesta jornada de reflexão poderão e em liberdade fazer perguntas incómodas ao senhor Primeiro Ministro como por exemplo a construção de um centro comercial sem sofrer represálias e perseguições como fazemos aqui no fórum. Preocupa-me ainda ver um Primeiro-ministro e um Governo vitimando-se com as críticas que confunde com calúnias
    Quem quiser caluniar o senhor Primeiro Ministro e o seu Governo deve buscar o espaço próprio para o fazer. Mas se for critica terá de conviver com ela enquanto homem do estado com responsabilidade na gestão do país. E a boa critica nunca e demais dize-lo é saudável para o próprio engrandecimento das acçoes do governo. Não serão essas criticas que fez com que o senhor saísse do seu gabinete e ir ao encontro das pessoas da Trindade como se estivesse já em campanha?
    É depois vem dizer que é preciso tempo para por o país nos eixos? Francamente Vossa Excelência não sabe que a legislatura dura 4 anos? Quem quer ser Primeiro-ministro de um país com problemas estruturais sérios e delicados não pode pensar em sê-lo nas vésperas das eleições. Corre sérios riscos de ser acusado de impreparação. Um Governo Central em São Tome (porque Príncipe já tem um plano) mais cedo ou mais tarde terá de pensar seriamente na organização politica, económica ( plano estratégico de desenvolvimento que respeite o ambiente) e que tenha suporte jurídico constitucional de forma a ter continuidade independentemente da cor politica do governo que for eleito para governar.
    Se não quisermos a fazer as coisas as cegas e em cima do joelho.

  7. img
    Santosku Responder

    Prometer e não cumprir é ridiculo e agora vem com desculpas que o tempo é pouco. Na campanha o sr. não sabia do tempo que eram 4 anos. Agora com bla bla bla, na urna vamos mostrar o ADI o caminho do Inferno.

  8. img
    Anca Responder

    Imperioso se torna a sociedade civil Santomense, os cidadãos, bem como aos responsáveis e dirigentes sociais, culturais, desportivos, políticos, ambientalistas, económicos e financeiros, pensar e reflectir o país, numa dimensão mais ampla do paradigma desenvolvimento sustentável, pois que o mundo hoje enfrenta desafios, que modificam a paisagem a geografia, a nível local, regional, e mundial em termos geo-estrátegico sociais, culturais, desportivos, políticos, ambientais, económicos e financeiros, no delinear de um novo paradigma de desenvolvimento sustentável.
    Assim sendo, uma nova postura e cultura de compromisso, de responsabilidade, de verdade, de investigação para o desenvolvimento qualitativo e sustentável se faz sentir urgente, para países, que se encontram na periferia do desenvolvimento social/cultural/político/ambiental/económico e financeiro.
    Hoje muito já se conhece a nível da evolução desenvolvimento das tecnologias, sejam elas agrícolas, das tecnologias para benefícios sociais, culturais, como por exemplo na medicina, nas comunicação, nos transportes, etc, etc,…entretanto ainda continua subsistir à patamar local, regional e mundial, discrepâncias, no acesso de bens e serviços favoráveis ao desenrolar da vida das pessoas e das populações, aumento da pobreza e miséria, mudanças climatéricas, mudanças económicas e financeiras, que nos devem fazer reflectir sobre a nova conduta e postura enquanto seres humanos.

    O país(território/população), tem pela frente, desafios sociais, culturais, desportivas, políticos, ambientais, económicos e financeiros, árduos, desengane-se quem pensar, que é somente tarefa duns meros governos, deste ou de outros, ou de uns meros Presidentes da República, deste ou de outros, desengane-se que a este pensar é mera politiquice e dividir para reinar, pois que a tarefa de construção de uma nação que se quer desenvolvida sustentável, tanto para esta como para a geração futura, é labuta antes nossa primeiro enquanto cidadãos da sociedade Santomense, mediante a nossa Unidade, Disciplina, e gosto pelo Trabalho, muito trabalho árduo, mediante a sinceridade para connosco mesmo, mediante o assumir da verdade da realidade que se encontra a nossa volta, interna, externa, quer local, quer regional, quer mundial, quer a curto, quer a médio e ou a longo prazo.

    A objectivos exequíveis que estão a nosso alcance, a deslumbrar da nossa vontade e paixão, mas que devem ter como ponto de partida o serrar de fileiras, para o compromisso, para a responsabilidade na gestão de um território e população, que deve ser antes tarefa e compromisso de todos;

    na educação/formação/ investigação de qualidade, na saúde, na agricultura, no desporto, no turismo, na comunicação e transporte, na urbanização e no ordenamento do território, nas pescas, na economia, nas finanças privadas e públicas, no acesso a água e energia, no ambiente, na segurança social, na justiça, na repartição equitativa dos recursos, na transformação de Instituições da República, em Instituições fortes e capacitadas, reposição e o compromisso da Autoridade de Estado etc, etc,…

    objectivos estes, que dependem tão somente da vontade, do querer, da ambição de todos em conjunto de transformar o território/população, qual todos fazemos parte integrante, mediante a mobilização dos recursos internos, externos, para a engrenagem do desenvolvimento sustentável social, cultural, desportivo, político, ambiental, económico e financeiro, porque hoje está ao nosso alcance, basta queremos, na unidade, disciplina, e muito trabalho, árduo acreditem…

    Com a cultura da responsabilidade, com cultura da seriedade, com a cultura da verdade, com assumir da cultura pela justiça e paz, na cultura para e pelo o compromisso sério e honesto, para como território população e todo seu envolvente, para o desenvolvimento sustentável, podemos transformar o território e população, acreditem…, deve ser tarefa e objectivo de cada cidadão Santomense, para com o seu país.

    Acreditem

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • img
      mezochi sa gi non tembeten! Responder

      Poraaaa!
      Tou a gostar como nosso patrícios ta abri olho di dize cuesa avontadi. Patricio ta observa governo e politicos e ta atento que algo tem que nser como se fala, nao é so enagana com dnhero un campanhah, e non fazeh nada cuando nganhou e ta npoder pa! assm memo me povo de coração todo stome e principe! abri olho cuesses malvados mandriao sabotadores de país pa! exige eles mesmo, abre olho cueles e pede eles explicaçaõ de tudo na hora! nem espera eleição senão os gajos engana muinto pa! efan!
      promete promete promete, nad sóh pa! nao pode ser…
      então eh to ih toma um trabalho e dize q eh to faze ele, eh tenho cu sabe con qui eh faço ele bem, conheceh bem este trabalho, antes de toma ele, que é pa cuando eh foh pa esse trabalho peh fazeh ele bem e sabeh con que ele fica fetuh nao eh!? os gajos sobe pulero sem saber se é ocah!??? con pode isto seh??? non pode pa!!! se eh sape-sape eh sei que é mole mas eh posso subi ele de conoh… se é ocah eh nan subo ele pa conoh cuesan de cumeh, a nan seh esses fitichero cu gen diz sobe ocahs pa!!!! sossossooooh quen nan ten competencia antes de subih gorvernuh nan vai la nan eh! melhor fazer cuesa ben conheceh estado de pais ben e depos gorvernah. faze porgetus antes de assumih gorvernuh pa podeh c«governar con credibilidade conpitencia e pusiçan!
      ta ditoo!
      vva stome
      viva principe
      viva todo santomense éh! avante nossa terrra pa!

  9. img
    Vanessa Responder

    Muita fala e pouca obra!

    • img
      Chacra, Madre Deus, Almerim, Bombom Responder

      O que entristece não é pouca ou nula obra paara mostrar. O que me entristece é ausência de um caminho, de um ramo traçado, de uma direcção que permita ao povo ter esperança, para além de promessas e mais promessas sem sentido. Nós não sabemos para onde vamos; com quem vamos; o que é que temos da fazer para lá chegar; quem são os parceiros da caminhada; que obstáculos temos que ultrapassar; etc. Se ao menos tivessemos este desafio discutido, reflectido e traçado eu estaria mais confiante mesmo que o senhor primeiro-ministro não tivesse feito quase nada ainda. Agora, nem isto temos definido, como é que podemos ter esperanças? Umas vezes fala-se em Centos Comerciais; outras vezes em Portos de Água Profunda; outras vezes ainda, em Portos de acondicionamento de produtos petrolíferos; outras vezes em Agricultura e Turismo; outras vezes em projectos de Cacau; outrras vezes em projectos de Azeite Palma. Em que ficamos? Vamos apostar, de forma definitiva, em quê? Em Turismo de qualidade? Num país de Serviços? Num país com forte componente de produção agrícola? Num país com forte componente industrial?
      Só depois de se saber o que é que queremos é que se pode falar em Porto de Águas Profundas, em Centros Comerciais maiores de África ou nos Portos de acondicionamentos de Produtos petrolíferos e outras coisa. Agora, falar numa coisa hoje, outra amanhã e outra depois de amanhã não tem credibilidade nenhuma. Agindo assim o país só estará a gastar dinheiro e não estará a preparar o seu futuro. Neste caso não havará ajudas que nos possa ajudar. Devíamos estar preocupados com criação de condições que diminuisse a nossa dependência externa e isto pressupões a aposta em sectores que contribuem para criar riqueza.

      • img
        Voz da Razão Responder

        Meu caro, Chácara, Madre de Deus, Almeirim, Bom Bom

        Os nossos Governantes sabem tudo isso que o Sr. está a referir. O problema não é o que fazer para o País, ou para onde vamos? Já fizemos fóruns, colóquios, workshops, conferências, estudos, etc, etc, etc.O nosso problema é falta de vontade em desenvolver o País. Eguismo, maquiavelismo,inveja, ódio, rancor, miopia intelectual e arrogância. Só isso!..

  10. img
    ze Responder

    O Governo de Posser da Costa em 2 anos provou que era competente e fez algo…. como não é possivel !

  11. img
    Trinta Mil Barris de Petroleo Responder

    Este 1º Ministro está governando bem! Lembra de ter dito que o kadafi devia deixar o poder, muito antes da maka, mesmo sendo amigo de um dos filhos, etc. Não sou do ADI, sempre do PCD, este PCD de 90. Por isso, deixem o governo fazer o seu mandato tranquilo.
    Tanta pressão. Agora espero que consigamos produzir peixe na Baia, aquacultura(para ajudar povos com fome), Construção de uma marina, de qualidade.
    Formação de guarda costeira, educação com valores.
    O resto ver-se – á!
    Sempre a subir.

  12. img
    Trinta Mil Barris de Petroleo Responder

    Quem desviou 30 mil barris de petroleo?
    Ainda se lembram desta polémica ou não interessa mais.

  13. img
    José João Responder

    Estimados leitores encontro neste Senhor as características de um responsável e um lider, que na realidade sabe o que quer para São Tomé e Príncipe. Se eu te peço emprestado 10 mil dobras é porque sei que posso devolvê-lo com ou sem juros. Como é tradição em São Tome e Principe, os dirigentes pediam e recebiam apoios em nome da população mas infelizmente era canalizados para outros objectivos que todos nós sabemos, querem que este siga o mesmo caminho, para apelidá-los também de corruptos, NÃO. Vejo neste Governo uma responsabilidade total com o bem do Estado. Tantos apoios recebidos deste parceiro até que não é em vão de chama-lo de tradicional, mas na pratica não se vê nada que os antigos dirigentes de STP fizeram. Por outro lado o Governo é eleito para 4 anos. E os 4 anos são para trabalhar. Mesmo no 1º ano do mandato deste Governo embora andou a descobrir coisas, organizar e advinhar coisas deixada pelo anterior governo,mesmo assim, emitiu um sinal, sinal de credibilidade, de querer fazer, sinal de organização. Todos sabem também que um país não desenvolve com projectos de curto prazo, esses projectos são para dia-a dia. Projectos de médio e longo prazo sim e esses não são concretizadas apenas em 4 anos. Com menos 2 anos da governação deste país acredito que este governo sabe o que quer, DESENVOLVER ESTE PAÍIS. Porque há sinais para acreditar.

    • img
      Voz da Razão Responder

      Ohh meu caro José João
      Abra os olhos!…

  14. img
    luis Responder

    Para haver investimento estrangeiro privado, é necessário estabilidade politica e social.
    até aí estamos todos de acordo :)

    mas por outro lado, também é necessário responsabilidade quando se rubrica documentos/projectos de $ milhões $, em nome do Estado de STP

  15. img
    pedro santos Responder

    Senhor 1º Ministro e Ministro das Finanças e da cooperação Internacional

    - Que adianta as parcerias com os investidores estrangeiros, se depois dizem que não podem cumprir porque as verbas são avultadas?

    daqui adiante mais vale afirmar que só são viavéis projetos 100% financiados pelo exterior

  16. img
    santomense Responder

    Mr,Trovoada,Junior!!!(diz o velho ditado: tal pai, igualzinho o filho}
    Desta vez vc ratificou tudo o q. nos ja sabiamos. Total INCOMPETENCIA Socio-Politica e Administrativa p/ gerir um pais q. muito necessita de ajuda.(nao e q.o Pinto esteja ajudando a Nacao).

  17. img
    Original Responder

    Patrice já viu que o País não se constroe com blá,blá,blá e deve-se fazer uma coisa de cada vez e não misturar tanta coisa ao mesmo tempo.O que 1º Ministro está fazer é preparar a sua fuga alegando que não teve tempo.Quando é que a Legeslatura foi para além de 4 anos?

  18. img
    DA e DOI Responder

    se 4 anos não chega pelo menos para dar sinal de mudança, então o senhor terá que propor um reeferendo para alterar a constituição, de modo que os mandatos fossem internamente. Isto já vai ser lema da campanha, 4 anos é pouco quero mais 4 anos, como dizia o Fadrique mais 5 anos, para manter inutil no poder. Fui….

  19. img
    ele Responder

    Viva STP.
    Viva democracia
    Viva estabilidade politica
    Viva investimento externo
    Viva ADI
    Viva MLSTP
    Viva PCD e MDFM
    Viva a paciência da oposição em contribuir para que inauguremos uma nova página na históri: “Primeira vez um governo cumprir o seu mandato.” Vamos meu povo, acreditem que é possível.

    Acreditem que é possivel termos outro governo, mas a aprtir de 2014.

    Acreditem que também é possivel este fazer alguma coisa.

    Acreditem que outros poderão fazer melhor!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Viva eu, viva você, viva nós.

  20. img
    assis mata Responder

    sr.primeiro ministro,eu sei k para haver investimento estrangeiro,é necessario ter uma boa estabilidade no país,mas isso ñ ker dizer,k os 4 anos são poucos para fazre o k deve ser feito.o povo santomense esta cansado destas conversas. o povo te deu um voto de confiança,por favor ñ se marteríse. para dessas ladaínhas e seja um verdadeiro senhor. keremos acção e ñ conversa pra boi dormir.

  21. img
    Voz da Razão Responder

    Eu já esperava isso!…O partido ADI vai precisar de mais 4 anos. Já viram? Sentem-se impotentes em fazer coisas no tempo que a legislatura lhes dá e agora já vêm com pré-campanha. É preciso 1 ano prá conhecer o estado do País? Porque não fizeram isso quando estavam na oposição? Precisam de 1+1 ano para fazer estudos? Que estudos para um País que já gastou milhares de USD em estudos e projectos? Perderam tempo fazendo caça às bruxas, a (não) fazer coisas pouco interessantes para o País e agora querem se desculpar. O Povo que abra os olhos!…Vamos lhes dar o tempo que precisam, se não fizerem nada, RUUUUUUUUUUUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!….

    • img
      Anca Responder

      Não pretendo aqui defender nenhum partido político, pois que são constituídos, por cidadãos SãoTomenses.

      Se estivesses lá farias melhor?

      Falar é bom e fácil quando se está de fora.

      Típico, de casa onde não há pão.

      Pois todos ralham e ninguém tem razão.

      Mais empenho no trabalho, mais unidade e disciplina.

      Necessitamos pouco de concorrência entre partidos políticos, pois todos são constituídos, de Homens e cidadãos SãoTomenses, precisamos sim de concorrência em políticas, debates de ideias e soluções para enfrentar-mos com altruísmo, com responsabilidade, com compromisso, com seriedade os problemas que afectam a nossa sociedade, precisamos de modo de saber ser estar, de saber, e saber fazer, precisamos de organizar, e estruturar melhor o país, território população, mediante o trabalho de todos.

      Não é meter cabeça na areia e ficar com o rabo de fora, pois antes deve ser tarefa de todos cidadãos SãoTomenses, ou que pelo menos dizem ser SãoTomenses.

      Lutar pela estabilidade, na gestão do país, território/população.

      Tornar instituições e líderes mais capacitados e fortes.

      Repor a ordem e autoridade do Estado de direito democrático.

      Combater a corrupção, o deixar andar social, cultural, político.

      Combater a pobreza e miséria extrema que afecta mais de metade da nosso território/população.

      Pratiquemos o bem

      Deixemos de ódios, de inveja, apreenda-mos a amar o que é SãoTomense, desde de crianças a idosos, dos símbolos a moeda.

      Porque o bem

      Fica-nos bem

      Bem haja Irmão SãoTomense

      • img
        Voz da Razão Responder

        Faria melhor sim.
        Pelo menos não passava tempo a anunciar projectos. Dava início a pelo menos um deles e depois anunciava a sua conclusão, como têm feito os nossos irmãos de Angola e Cabo Verde.É só propagandas…

        • img
          Anca Responder

          Deves conhecer pouco a realidade da estrutura económica e financeira, o défice e o atraso estrutural, social, cultural, desportivo, político, ambiental, económico e financeiro, do território, da população.

          • img
            Voz da Razão

            Meu (minha) amigo(a) ANCA
            Sou um cidadão comum como qualquer outro. Não tenho que conhecer de forma global a realidade politica, económica, financeira, cultural etc,etc, como diz. Quem deve conhecer isso é o governo, até porque foi eleito pra isso. Conhecer os problemas e resolvê-los. Eu, cidadão comum assim como o resto da população está a espera de um turismo de verdade, uma agricultura e pesca sustentáveis que gere emprego e autoemprego de maneira a dar cada santomense no mínimo 2 refeições por dia, construção e melhoria de infraestruturas, formação básica para todos,dinamização de formação profissional, construção de escolas superiores de forma a alavancar a economia e finanças. Só assim poderá haver melhor desporto e promoção da nossa cultura.Vai me dizer que falar é fácil, não. O nosso problema é que temos medo de tomar medidas, somos impotentes a penalizar os prevaricadores, não cumprimos prazos, não somos sérios, não temos visão e somos mesquinhos. Fui

  22. img
    Critica Responder

    Neste momento o mundo tem muito boa imagem do Principe, de São Tomé?… não me parece!

  23. img
    preto Responder

    Ó Patrice és um turista à custa do povo. Como politico não serves para STP. Rua….

  24. img
    desgraçado Responder

    Patrice esta com a mesma historia do fradique, fradique antes de ganhar 1.º eleição disse que 1 ano ja era suficiente e governou 10 anos e mesmo assim nem soube o que é ser presidente da republica, agora vem patrice com a mesma conversa, espero que povo abra os olhos e não iludem por banho deste desgraçado nas proximas eleições, sabe que não tem competencia, não promete desgraçado!

  25. img
    Liberdade Responder

    Não deve comentar rumores, desta vez passa de outra vez censuramos-lhe.
    Rumores não se comenta, sobretudo quando se está em função nobre como a do chefe de Governo.

    • img
      Conóbia cumé izê Responder

      O ADI está o comemorar os 20 anos da sua existencia !Quantos anos precisa mais o Pratíce Trovoada para mundar STP.É ou não fundador do ADI ? Exerceu ou não o cargo de Acessor do Presidente Miguel Trovoada? Foi ou Ministro dos Negócios Estrangeiros de Fradique de Menezes ? Colocou ou não Fradique no poder para servir os seus interesses e do pai em matéria de petróleo? Como economista,sabia ou não que o ADI deveria ter contribuido ao longo 20 anos enquanto partido parlamentar, deveria ter a sua contribuição na criação de um PLANO DE DESENVOLVIMENTO NACIONAL que refletisse os grandes eixos do desenvolvimento nacional. Porque não o fez? Este instrumento fundamental ADI preocupou com o País? Não !!!… O Patrice Trovoada quer é seus negócios… Deixe de mentir porque seremos forçados a colocar na praça pública,aquilo que é defacto o Pritice Trovoada.Se não tem saídas para STP,saía.20 anos de mentiras de manobras dilatórias,chega. Os santomenses de hoje, já não são de ontém.No tempo da vaca gorda, os Trovoadas, nunca preocuparam com STP. BASTA ! O que é preciso é que resolvamos os problemas do POVO e de STP.Se não tem saídas,saia ! Não mintas mais;porque se assim for,seremos forçados a confrontar-lhe com documentos e factos !!!..Fui

  26. img
    El Choco-Cuba-STP Responder

    Apenas pergunta a este senhor chefe do governo:Para quandos vais pagar todas a dividas que prometeste,nós estudantes em Cuba a quando da sua vinda cá?O senhor prometeu que ainda no ano 2011, o governo estava a negociar com parceiros internacaional o pagamento de todas as bolsas em atrasos de forma a começarmos o ano 2012 com todas as contas em dia.Será que esta promessa ficou no Aeroporto Internacional José Marti de Cuba….UUUHHHHHHHH

  27. img
    Dezenformado Responder

    4 anos nao chega realmente para fazer algo para povo,ai que pena!… Mas sim para fazer somente para os membros do pardido chega.

  28. img
    José Cravid Responder

    O Sr. Primeiro-ministro fala como se fosse o primeiro homem a governar o país, esqueceu-se (quiçá propositadamente) da continuidade da acção governativa, ele deu continuidade, e muito bem, as acções do anterior governo do Sr. Rafael Branco, no dossier da ENASA, por exemplo, e no próximo mandato se não for ele a governar outro Primeiro-ministro terá, igualmente, que dar continuidade as acções desenvolvidas por ele, por favor Sr. Primeiro-ministro a bem da nação não atire a toalha ao chão!

  29. img
    Flogá Responder

    O que mais me espanta neste artigo é a explicação do PM quanto ao montante de empréstimo que o país deve receber. A sua lógica é válida se todos os problemas de STP fossem resolvidos com a quantia pedida. Ora, considerando que existem imensos projectos a precisar de fainanciamento tais como um Banco de fomento para a Agricultura ou habitações para jovens não compreendo o raciocínio do Sr. PM uma vez que precisamos de muito mais do que pedimos e acabamos por rejeitar justamente o que precisamos. Tou parvo!

  30. img
    BRUNO DAS NEVES Responder

    Se este primeiro ministro soubesse fazer cada coisa no seu devido tempo ele teria margens pra governar por mais algum tempo este pais, mas como ele quer fazer tudo duma so vez, ahh ahh ahh, isto lhe custara muito na sua governacao! Ai do nosso lado tem o Cabo Verde, sera que os policos ca da terra nao sabem copiar modelos de governacao destes? De tanto viajar conhecer este mundo fora nao lhe serviu de nada? Do meu ponto vista, os politicos devem difinir estratejas, pontos focais, porque nao basta so fazer OGE dizendo que cada ministerio vai receber isto ou aquilo, isto ja se tornou num ciclo vicioso de todos que ai passaram, porque nao tirar proveito do modelo da governacao Caboverdiana? Sera assim tao dificil isso? Acho que naoE tao dificil assim ser um bom governante!

  31. img
    ele Responder

    Falamos tanto de Cabo Verde!
    FAlamos tanto de Angola!

    Meus senhores, o negócio público/de Estado, antes do arranque deve ser anunciado(tornado público).

    CAso o Governo faça as coisas as escondidas e no lançamento de pedra é que o país toma conhecimento isso não é transparência.

    Logo, não vejo problema algum, o Governo anunciar projectos/intenções ou estudos.

    O nosso problema é que parece que sabemos tudo, discutimos tudo, os outros não sabem nada.

    Vamos ser sérios. Vamos criticar mas com sentido de São-tomenses lúcidos e esclarecidos.

    Este forum, desculpa, com algumas excepções revela o nível de intelectualidade e de conhecimento que muitos cidadãos têm. Ao não ser que algumas pessoas menos esclarecidas multiplicam-se em várias pessoas e tentam comentar.

    Seja como for isso é democracia. O país está no bom caminho, comparativamente ao ano 2018/09/10.

    O Governo dá sinais de credibilidade.
    O Presidente dá sinal de maturidade, de postura e Homem de Estado.
    Os investidores acreditam que o país tem potencialidades.
    Faltam os políticos e oposição ser mais sérios.

    Fui

  32. img
    ele Responder

    Queria dizer o ano 2008, 2009 e 2010

  33. img
    deixenos.trabalhar Responder

    Ouviram bem!!!Segundo palavras de Patrice Trovoada…,os Santomenses para “TRABALHAREM”,só com “CHICOTE”. Ocacá ô.Agora é que vai.Nón molê!!!

  34. img
    Mimi Responder

    Para quem destruiu o pouco que havia em menos de dois anos, entende-se que precise de muitos mais quatro anos para “repor os valores de origem”…

  35. img
    deixa governo trabalhar Responder

    FLASÓÓÓÓÓÓÓÓÓ

  36. img
    Nando Vaz (Roça Agostinho Neto) Responder

    Acho descabida, a desculpa do Sr. P.M,no que tange ao tempo.Porque quando se candidata, os candidatos normalmente devem apresentar ao eleitorado uma monção de estrategia que demostra as políticas orientadora do seu Staff.Falta de ética de responsabilidade política.

  37. img
    deixe - nos trabalhar eternamente Responder

    Senhor mau tempo Júnior, o país, não lhe exigiu que fizesse o maior centro comercial de África Central, aliais, nenhuma marca mundialmente conhecida ira estalar – se no mercado Santomense e o senhor sabe muito bem disso; o país não necessita de uma autoestrada até Guadalupe quando o transito para essa zona é incipiente e temos quase toda estrada do país esta esburacada, o senhor podia começar com pequenos projectos que tenham impacto na vida das pessoas, como por exemplos um dentro de hemodiálise, para evitar o desterro e sofrimento de muitos santomenses como teu tio que morrem fora do seu país sem possibilidades de algum dia regressar, e se ajuntasses ao Pinto e acabasses com o acordo de partilha que o teu pai assinou com a Nigéria darias te por feliz, mais duvido que o faças porque és um negociante de meia tigela e mentiroso compulsivo.

    • img
      Filho da Terra Responder

      Devo me render…e concordar plenamente contigo, meu caro.

  38. img
    frantz cassandra will Responder

    povos da terra eu estou apar dos acontecimentos do dia a dia do nosso rico mas triste país para dizer que se na realidade é a paz e estabilidade que precisamos devemos fazer confiança eu acho que o povo de S.T.P ja deveriam entender o que é a politica porque pelo menos os que votam são os maiores de 18 anos que sabe também como namorar uma moça para a conquista de qlp coisa pode-se recorrer mesmo ao impossivél tornando-o possivél não obstante os riscos assim é a politica e assim sabe-se que ninguem é perfeito porquê culpabilizar o PM sabendo nós que antes havia outras pessoas porque mesmo nas nossas vidas muitas coisas de mal que acontece é por vezes culpa dos nossos antepassados por isso eu que na realidade os 4 anos de mandato é insuficiente para satisfazer as necessidades de um povo nós num país como o nossos nos calculos do PM nos leva entender que para a realização de pelo menos 70% do seu prometido precisa de mais 4 anos que o demos e so dai é que poderemos reclamar é verdade que talvez será tarde para nossa geração porque o tempo não ,mas é melhor tarde do que nunca a esperança é a ultima coisa a morrer,qual é o homem que incumbe as suas responsabilidades matrimonial a 100% mesmo se seje ele milhonário avizinha ai as campanhas é pena que nós da diaspora não temos direito por enquanto a este escurtinio mas de forma a vivermos na paz e estabilidade que embora a distancia estamos constatando nós também como filhos da terra estamos sofrendo também temos problemas nos transportes na educação na integração tanto aqui como la ,na saude e mais mas não gostariamos de atirar toda a pedra ao Sr.PM porque ele não é só ele o protagonisto de toda essa mixarada e o que devemos procurar agora é a solução não ha complicação

  39. img
    joao tome Responder

    Meus cambadas de idiotas,
    que so sabem criticar, fazer melhor nao fazem. O telanon transformou-se no centro de bisbilhotice e parvoices e o culpado e o sr abel veigas. Por favor ponha ordem nisso. Abraco da camada londrina.

  40. img
    antonio Responder

    Já é tempo de sermos honestos connosco,e para com o nosso povo,e não deixar que a ambição desmidida nos faça difamar os outros,chamando de nomes que pretender mesmo sabendo que não conseguiremos resolver aquilo k prometemos durante a campanha.So pra chamar a atenção do nosso 1º Ministro,que andou prometendo durante a campanha que vai melhorar isto aquilo,e que o partido MLSTP só destruiu o Pais ,prometendo o Senhor construir um S TOMÉ E PRINCIPE prospero pra todos,passando 2 anos e meio nada foi feito ,nem sequer esta em vista de ser feito,não venha implorar querendo se defender culpando o tempo de mandato que é demasiado curto,pois isso ja era sabido ,ninguem mais do que o senhor sabia que em 4 anos seria possivel fazer-se coisa rumo ao desenvolvimento.acho que o mais digno seria o senhor dizer aos S.tomenses de que, o senhor e o seu partido ADI não foram capazes de fazer algo diferente do Partido MLSTP PSD.
    Em nome do povo ,peço que não venha forjar uma crise politica de forma a escapar dessa ileso,pois o povo esta de olho,em vcs (ADI),acompanhando tda as cenas triste instalada na nossa Assembleia Nacional por intermedio do seu partido (ADI)
    Viva a democracia
    Viva stome e principe
    Viva o MLSTP PSD
    Um bem haja a todos

Deixe um comentario

*