Política

Irão disponibiliza 50 milhões de dólares para São Tomé e Príncipe

O embaixador do Irão que foi acreditado junto ao Estado são-tomense na última semana, anunciou a política de aproximação da República Islâmica, para com os países africanos. São Tomé e Príncipe está na lista, e deverá receber uma linha de crédito de 50 milhões de dólares.

O diplomata iraniano, reconheceu que desde a independência de São Tomé e Príncipe em 1975, não houve qualquer acção de cooperação bilateral visível entre os dois países. Na nova política Iraniana de expandir a sua representação diplomática no continente africano, São Tomé e Príncipe, é um dos alvos.

A República Islâmica que está sob forte pressão do Ocidente, por causa do seu programa nuclear, decidiu segundo o embaixador, reforçar a aliança com os países africanos. Gabão, Camarões e Senegal, já receberam importante injecção de capital iraniano. «Concedemos, uma linha de crédito para vários países africanos, camarões, Senegal, e o Gabão receberam cada um 150 milhões de dólares, e nesta linha de orientação Sã Tomé e Príncipe vai beneficiar de uma linha de crédito do Irão», assegurou o diplomata.

Na entrevista concedida aos órgãos estatais de comunicação social, após encontro com o Primeiro-ministro Patrice Trovoada, o embaixador do Irão, anunciou 50 milhões de dólares para São Tomé e Príncipe. «Tudo vai ser definido numa reunião da comissão mista, e acho que o crédito pode atingir os 50 milhões de dólares», disse tendo acrescentado que a reunião da comissão mista entre os dois países, deverá ser realizada ainda este ano.

Para além de conceder bolsas para estudantes são-tomenses em universidades iranianas, a República Islâmica do Irão, pretende apoiar o desenvolvimento dos sectores da agricultura, construção civil e da Saúde. O embaixador garantiu que o seu país pode financiar a construção de clínicas privadas no país.

Abel Veiga

    42 comentários

42 comentários

  1. Carlos Minimal

    12 de Maio de 2012 as 15:39

    Querem maze eh transformar a nossa terra num país mulçumano.
    É bom colocar na mesa de negociações a condição desses empresários ou paíse de respitar a nossa forma de ser e de estar e não vir impor a sua fé no nosso país. Tudo quanto é acordo que não coloca em risco a nossa forma socio-cultural será sempre bem-vindo ao contrário desses que têm outras intenções.

    • Armenio Sousa

      14 de Maio de 2012 as 9:29

      Tive informações que esse tal embaixador do Irão encontrou-se também com responsáveis da agência santomense de notícias STP-Press, e que do encontro havia ficado a promessa de uma cooperação segura e acelerada com a IRNA que é agencia de notícias do Irão, uma das maiores agencias de notícias do mundo.
      Pelas informações disponibilizadas, os responsáveis da STP-Press surpreenderam o embaixador iraniano com questões que dizem respeito a cooperação entre os dois países e o homem terá ficado muito impressionado com a capacidade dos seus interlocutores, chegando mesmo a ponto de dizer que dos melhores encontros que teve em STP. Pelo menos é o que o embaixador deixou transparecer no Pestana Hotel S.Tomé.

    • filhodeterra

      17 de Maio de 2012 as 3:10

      Este país está com muitas segundas intenções, vão muito para além do que é económico, o seu líder é um obcecado com sede de guerra, sonha com um mundo islamizado, usa e abusa da força para conseguir o que quer…podemos não ter dinheiro, ter politicos corruptos ou incompetentes mas fazem parte daquilo que somos …nessas misturas a nossa cultura fica em risco porque o irão ou outros paises semelhante n se metem nessas coias para brincar…vamos estar atentos as aliançãs que fazemos…muito preocupante.

  2. Ôssôbô

    12 de Maio de 2012 as 18:28

    Muito bem!
    A grana é sempre bem vinda ao arquipélago!
    O arquipélago agradece!
    Somente esperamos que tostão por tostão dessa grana seja empregue no crescimento e no desenvolvimento do país. Esperamos também que os tribunais não venham daqui há alguns anos julgar “CASO IRÃO”.
    Fui!!!!

    • rapaz de riboque

      14 de Maio de 2012 as 16:52

      queres grana vai trabalhar para as roças senhor malandro deixa de estar deitado a sombra das bananeiras a espera que os outros te deem ou que as mulheres trabalhem para ti

      • Ôssôbô

        14 de Maio de 2012 as 19:51

        rapaz de riboque!
        Tenha juízo e não fala atoa!
        Você não gosta de grana?
        Vives como? A custa alheia?
        Úsa a tua cabeça como instrumento de pensamento!
        Fui!!

        • rapaz de riboque

          15 de Maio de 2012 as 12:25

          gosto de grana mas ganho honestamente talvez o que não sabes fazer, eu para ter a vida que tenho tive cabeça e esforcei-me para ter o que o meu amigo talvez não sabe por isso trabalha como trabalhei honestamente não fiques a espera das migalhas dos outros ok mas se precizares alguma coisa da minha pessoa manda o seu numero da conta que ajudo no que precizar um abraço

  3. Papagaio

    12 de Maio de 2012 as 20:17

    Qualquer dia nosso ministro com esses acordos arabes-santomense comprará um paraiso e 70 virgens.

  4. Carlos Ceita

    12 de Maio de 2012 as 20:44

    Só um país petrodólares e num contexto de crise global pode se dar ao luxo disponibilizar este montante. É muito dinheiro (metade do orçamento geral do estado saotomense). Mas é prematuro manifestar contentamento com esta linha de credito. Basta ver a pouca informação que é posta ao público sobre estes negócios. E como já vem sendo hábito na nossa terra só pode surpreender quem anda muito distraído.
    1-Sabendo nós que não há almoços gratiz, qual a contrapartida do país vai oferecer ao estado persa do dinheiro que nos é emprestado?
    2-Como vai ser aplicado este montante?
    3-Quais são as áreas de actividade económica prioritarias que justificam a aplicação de uma parte deste montante? (Agricultura? Pescas? Turismo?)
    4- Tem o governo definido alguma área de actividade económica geradora de riqueza como prioritário?
    5- Qual o prazo para o pagamento deste montante? Foi estabelecido alguma moratória?
    Estas e outras questões não vão ter respostas já que estamos num país completamente desorganizados sem um plano estratégico de desenvolvimento a medio e longo para além de qualquer legislatura. Sem uma definição dos principais desígnios da nação sem uma orientação sobre os níveis de prioridades em termos desenvolvimento económico. Andamos e fazemos as coisas as cegas ora falamos de Centros comerciais ora Portos de Agua profunda.
    O que sei de poucos conhecimentos básicos que tenho de gestão quando um empresário empresta dinheiro ao banco para fazer um negócio um dos objetivos é obter lucro e mais do que isso é pagar as suas dividas de empréstimos ao banco. E se não acontecer o banco penhorara os seus bens e que não sendo suficiente ficara ainda endividado.
    Temo que isso possa acontecer na nossa querida terra

  5. Carlos Ceita

    12 de Maio de 2012 as 20:47

    Quais são os mecanismos de fiscalização? Estamos perante um grande desafio as autoridades do ministério publico e o tribunal de contas.

  6. Rosa preta

    12 de Maio de 2012 as 21:11

    Preocupada, mandar nossas crianças estudar numa republica islamica!!! Brincar com fogo!! E depois vamos ouvir que uma das nossas crianças participou num atentado qualquer…Assustada sera que nâo seguem actualidades internacionais no nosso pais? Quem nos garante que esses estudantes nâo vam ser manipulados para fins de endotrinamento istremista etc…
    Bom fim de semana.

  7. Vane

    12 de Maio de 2012 as 22:57

    Nada é por acaso, vale lembrar que nas relações políticas entre países sempre há interesses, portanto fiquem de olho e muito cuidado com as alianças, pois em caso de guerra esses países sempre pedem apoio caso contrário pode trazer muitos problemas!

  8. luisó

    12 de Maio de 2012 as 23:36

    há cada maneira de comprar apoio internacional para o programa nuclear!!!
    bem no outro dia foi uma empresa do kosovo…
    que mais se seguirá?

  9. rapaz de riboque

    13 de Maio de 2012 as 9:39

    qualquer dia a nossa terra torna-se uma base de treino do terror o que chegamos meu Deus IRÂO ajudar grande interesse esta por traz

    • Ôssôbô

      14 de Maio de 2012 as 19:55

      Nada disso vai acontecer! Tenha Juízo, Rapaz do riboque!
      Teremos que ser confiantes e acreditar em nós mesmos! Qual guerra? Qual centro de treino? A tua cabeça é que é uma guerra!! aaaaaaaaaaUUUUUUUUUUUAAAAA!!!!

      • rapaz de riboque

        15 de Maio de 2012 as 12:12

        sabes amigo não perco tempo contigo

  10. Carlos Ceita

    13 de Maio de 2012 as 21:39

    Meus caros amigos lamento pelo preconceito que fui denotando em alguns comentários. Lamento ainda mais o facto de sermos nós saotomenses a alimentar este tipo de preconceito. Não sei se tem a ver com a lavagem cerebral que nos foi imposta pelas maravilhas das democracias neoliberais ou coisa pior. É que aqueles que causaram a crise global são tao terroristas que aqueles que atam explosivos a cintura. Estamos a falar de uma nação secular o império persa. Generalizar actos isolados a todo um povo que merece respeito e demais perigoso. Terroristas há em todas as raças e credos. O homem de olhos azuis da Noruega um tal de breivik não é iraniano e não representa o sentimento da maioria norueguesa. Mas também fez explodir uma bomba. Meus amigos cuidado com as aparências. Analisem,estudem, investiguem.

  11. yure

    13 de Maio de 2012 as 22:26

    Fogo acho que vocês precisam de uma boa lavagem celebrar vamos parar com essas substimações e maldezer do outro aquilo que nos não queremos que nos façam,nos temos que deixar de ser piegas e ser mais confiantes e determinante vamos abrir nossas portas para quem venhe com boa fê isto porque estamos a precisa de um apoio-zinho para sairmos nessa aflição financeira.

    • Ôssôbô

      14 de Maio de 2012 as 19:58

      Assim é que se fala meu caro amigo Yure!
      Deixemos de preconceitos e de discriminação! Olhar confiante e certeza de que o gesto do irão é bom para nós!

  12. Aristides Barros

    14 de Maio de 2012 as 8:24

    Que temos que ter uma diversidade de parceiros, é verdade. Mas que temos que escolher muito bem os nossos parceiros, também é verdade.Não estamos em condições de desafiar a comunidade internacional. Se as NU propõem sanções, não devemos ser nós a fazer o contrário.Parceiros sim mas temos que ter cuidado.

    • Ambrosio Barros

      14 de Maio de 2012 as 11:03

      STP pode muito bem desafiar comunidade internacional e ONU.Porque a comunidade internacional e a ONU nao esta a dar o que STP precisa. STP esta a procura de meios para desenvolver, e se um parceiro estiver interessado em ejuadar STP com uns milhoes de Dollares, claro que o governo de STP nao deve pensar duas vezes. Por outro lado, STP deveria propor o Irao para financiar a construcao de um aeroporto novo, em vez de 50Milhoes de Dollares e a construcao de uma clinica, porque a uma clinica nao podera ter impacto directo na economia ao passo que a construacao de um aeroporto com todas as caracteristicas modernas podera estimular a economia principalmente quando se fala do turismo.
      O Irao ja financiou construcao de uma autoestrada no Senegal, tambem financiou a construcao de um aeroporto na Gambia.Agora, porque que STP nao propoe isso ao Irao?
      STP tem que ser mais exigento. O Irao neste momento esta a procura de votos internacionais para fazer passar alguns diplomas na ONU com relacao ao seu programa nuclear,e STP por sua vez esta a procura de meios para relancar o desenvolvimento. Portanto esta e uma boa altura para aproveitar.

      Um abraco!

  13. Mimi

    14 de Maio de 2012 as 8:31

    Enquanto o mundo foge deles nós, mais espertos, nos aproximamos. A troco de quê?

  14. Lévé-Léngue

    14 de Maio de 2012 as 8:39

    Rejeitam dinheiro disponibilizado pelo país vizinho, amigo e irmão: Angola, e logo de seguida pretendem receber do Irão??? Que interesses legítimos estão por detrás dessa parceria??? Cuidado com mafia, meus senhores!!!

  15. Carlos Fino

    14 de Maio de 2012 as 8:52

    Acho correcto a dinâmica do primeiro ministro.

  16. manucho bubu

    14 de Maio de 2012 as 9:13

    porque nao se constroi uma faculdade ou universidade em sao tome para nossos jovens estufarem memso em casa, construir hospital com mais qualidade, construir centro de ionvestigaçao para agricultura, pescas, fabrica de medicamentos, um centro de conservaçao de produtos produzidos, e sua tranzforçao isso que queremos, construçao de mini idricas em cada distrito, esses financiamentos teem que ser direccionados para os lugares necessitados evitarmos a depender do exterior em tudo

  17. jamaicano

    14 de Maio de 2012 as 10:37

    Rejeitam dinheiro disponibilizado pelo país vizinho, amigo e irmão: Angola, e logo de seguida pretendem receber do Irão??? Que interesses legítimos estão por detrás dessa parceria??? Cuidado com mafia, meus senhores!!!Concordo plenamente consigo meu amigo. O Sr.Patrice Trovoada vai surpreender o povo de S.Tomé e Principe, até JUVÊ sabe disso os que divergem como recebem contra-partida e como tbm fazem parte da tal máfia é por isso dão opniões absurdas…. Atenção povo de S.Tomé e Principe.

  18. Paracetamol 500mg

    14 de Maio de 2012 as 10:57

    Se o Irão precisa tanto do voto de STP, e stp está disposto a vender o voto que venda de modo explicito. Irão entrega o dinheiro e stp vota. Agora linha de empréstimos ao meu ver só vai endividar mais o Pais.
    Quem quer é o irão, e stp tem aqui a oportunidade de arrecadar dinheiro sem obrigações.
    Irão quer comprar voto, paga e não empresta.
    E Stp deveria receber 150 milhões como os outros países africanos, alias STP também é um Pais e uma nação.
    É uma boa oportunidade para avaliarmos a capacidade de negociação dos nossos lideres, se os mesmos querem o bem do seu pais.
    Há que saber jogar, nessas questões de politica internacional, senão vai ser um outro tabu China vs Taiwan.

  19. madalena

    14 de Maio de 2012 as 13:13

    Mas o que vale afinal ser DONO da terra e viver numa eterna pobreza. Toda a vida mais seis meses.
    São Tomé poderoso e o senhor Paludismo não deixa ninguem comprar nossa terra.

  20. madalena

    14 de Maio de 2012 as 13:16

    Vieteman, venceu a guerra só com infecções, flechas, setas de madeira contaminadas com fezes de humanos.
    A nossa terra é abençoada por DEUS.

  21. dPires

    14 de Maio de 2012 as 15:05

    Desta vez, se calhar não pedimos, mas temos que deixar de ser pedintes. Já pedimos demais, é hora de trabalhar e aplicar essas esmolas que catamos, na porta das igrejas, nas resoluções das nossas mais básicas necessidades. Todos sabemos que «HOMEM QUE NÃO TRABALHA TORNA VADIO E LADRÃO, E MULHER QUE NÃO TRABALHA, TORNA BANDIDA E PORCA». Já entraram muitos euros e dólares a título de empréstimos e futuramente perdoadas as dívidas. Partindo do princípio que estes constituíam créditos de investimentos, aonde estão os frutos gerados deste investimento e o próprio montante investido?

    Seria melhor um projecto prático do que ofertas em dinheiro porque para povo isso continuará sendo um investimento teórico.

    Não vejo preconceitos em comentários nenhuns, apenas vejo preocupações de quem conhece a realidade do mundo actual e a soberania que os países fortes podem exercer sobre os países mais desfavorecidos. Por outro nome, podemos chamá-lo de medo de neocolonialismo. Todos sabemos que ninguém dá nada de graça, ou melhor «Quem quer coisas de graça, peça ao diabo que o faça»
    CUIDADO COM AS CLÁUSULAS DESSA NEGOCIAÇÃO.

  22. N C

    14 de Maio de 2012 as 15:09

    So nos falta associar a Paquistao,Afeganistao,Egipto e Somalia, para que o nosso Pais seja um campo de treinamento e de esconderijo de Terrorristas.Ja nos associamos a Marrocos,Libia e agora Irao.Temos que ser coerentes na nossa politica Internacional e estabelecer e encontrar parceiros serios que nao nos comprometa internacionalmente e que nao poem em causa a nossa imagem

  23. iazalde sts

    15 de Maio de 2012 as 9:52

    Com td que le pode entender seria uma bõa neciativa para s.tomé.Mais fico um pouco triste sabendo que os ladroes não deixa.

  24. Colomba

    15 de Maio de 2012 as 12:54

    Vejam lá se “com um bocadinho de sorte”, não ficam no meio de uma guerrinha entre o Irão e os EUA.
    Cumprimentos.

  25. madalena

    15 de Maio de 2012 as 12:57

    Porque não colocar dinheiro num BAnco com juro de 1 a 2 %?
    Esmola não!!

  26. Carlos Ceita

    16 de Maio de 2012 as 8:25

    Respeito muito as opiniões aqui veiculadas. Mas qual mundo qual quê que fogem deles. Será o que o mundo é aquilo que os EUA e a Europa representam? Felizmente estão a emergir outros mundos alem dos EUA e da Europa. Um mundo multipolar. Não podemos esquecer que dois países (China e Rússia) com direito ao veto na ONU nem sempre alinham com prepotência dos EUA. Concordo com Ambrósio Barros. São Tome e Príncipe só tem que ir buscar os seus interesses sem complexos e se os EUA e a União Europeia não gostarem então que avancem com um montante igual ou superior ao que o Irão disponibiliza. Ou será que algum saotomenses prefere que a Uniao Europeia continuem a pescar toneladas de atum nas nossas águas a troco de 600 mil euros anuais?
    Se até governo português da direita negoceia com a China comunista para compra de Edp não entendo porque que São Tome e Príncipe soberano não diversifique os seus parceiros de desenvolvimento sem que para isso estejam envolvido em coisas que só podem estar em cabeças paranoica com do ex presidente americano (GWBush). Sei que por ai vao aparecer os genuínos e destacados defensores da democracia americana acusando-me de antiamericanismo primário e mais não sei o quê. Previno-os desde já que não estou nem ai. Habituei-me a processo de intenção desde a tenra idade.

  27. safu pontado

    16 de Maio de 2012 as 9:37

    Muito bom dia antes de mais queria dizer um bom dia a todos os santolas , e a minha preocupacao e seguinte em vez de nos receber mos os tais 50 milhoes porque nao tentar explorar o tal petroleo que dizem que existe nas nossas aguas o nosso governo nao da nada nem dara alguma coisa esta e a minha preocupacao e visto que so temos uma economia fraca e um sistema de justica viciado e uma sociedade corrupta seria bom sentarmos e arrumar as nossas casas.

  28. barros

    16 de Maio de 2012 as 15:33

    O k o irão pretende de STP????…..tal como embaixador disse, desde a nossa independencia que não ouve qualquer ligação entre esses dois países, e agora que querem aproximar de africa íniciam num dos países mais instaveis politicamente, num dos países mais pequenos de africa? .?? O que realment ests por d traz desse interresse? O petroleo? Sera?……preocupante

  29. Ana de Ceita

    17 de Maio de 2012 as 9:05

    Deixem interesses politicos para tras ,os senhores e senhoras que estão contra a ajuda de Irão são de MLSTP/PSD E PCD estão com medo. Sabiamos que este governo depois de acabar com saca fácil do cofre do estado pelo PCD E MLSTP/PSD e que o sistema finaceiro estivesse mas seguro, e com a corrupção controlada, os paises amigos mostravam interesse em ajudar. Essas ajudas são resultado de organização e honestidade finaceira do Estado. Quando disseram DEIXEM NOS TRABALHAR QUEREMOS AVANÇAR ERA COM ESSE PROPOSITO. Sabiamos que Patrice trovoa e ADI iam mudar e desenvolver este pais não acreditavam, agora luta entre voces ADI vai ficar a assistir. porque esta ajuda de irão só é ensaio falta teatro e filme amigos. pediram dinheiro e o governo esta trazer. Pediram investimento vão rasgar esse pais de norte a sul com estradas. É pena que o MLSTP/PSD esta a preparar para destruir mas uma vez. alerta

  30. Ilum Iname

    17 de Maio de 2012 as 11:31

    STP escolhe párias, mas a que preço no longo prazo? Preferiu Taiwan à RPC, agora escolhe Irão contra UE e USA. Tudo isto tem consequências. Uma política realista, alinhada com o mundo em que se insere, é do que STP precisa, não de opções rebeldes mas que não têm pés para caminhar, pelo contrário são um entrave a um desenvolvimento sustentado de longo prazo.

  31. XYZ

    18 de Maio de 2012 as 10:03

    Gostaria de saber qual credulo do Senhor Carlos Ceita. Este so pensa em dinheiro, sujo ou lavado. Temos potencialidade para fazer crescer o Pais, Trabalhando, com boa Governacao, Coerencia e Boa gestao de coisa Publica. Pense Bem.

  32. Carlos Ceita

    18 de Maio de 2012 as 21:01

    Ó senhor xyz o senhor é x, y ou z. Vamos supor que são a mesma pessoa como a Santíssima Trindade. Ao invés de insultar e faltar respeito a quem tem opinião contraria a sua. Tente contrariar com argumentos válidos pois só assim poderá pelo menos convencer o auditório. Caso contrario vira aqui apenas fazer o papel do bobo da corte.
    PS: Gosto muito do dinheiro que ganho com muito trabalho e esforço e quanto ao credo que eu professo também não é da sua conta. É uma curiosidade própria de gente intriguista e fofoqueiro um péssimo hábito que infelizmente alguns saotomenses vem adoptando.

  33. Vargas Cardoso

    28 de Junho de 2012 as 15:42

    Mais uma ajuda financeira ao país que é muito bem vindo.
    Agora apliquem-no com lealdade em prol do povo e do país, não vamos ouvir mais tarde que o dinheiro ganhou asas.
    já imaginaram quando estes caridosos vierem dizer um dia que vocês não aplicam o dinheiro para aquilo que pedem e decidem deixar de vos dar?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo