Política

Decisões do Conselho de Ministros

O Governo reunido em Conselho de Ministros decidiu implementar as decisões do Conselho Superior de Defesa Nacional, sobre a reforma das Forças Armadas. Felisberto Maria Segundo tenente coronel com alcunha “Jaka”, foi nomeado como primeiro chefe de estado maior das forças armadas de São Tomé e Príncipe.

Seguindo as formalidades, a nomeação do tenente coronel conhecido nas fileiras do exército pelo nome de Jaka, foi feita pelo ministro da defesa e segurança publica Carlos Stock. O tenente coronel no activo Felisberto Maria Segundo(a foto), foi nomeado ao abrigo  da lei 8/2010 que cria este novo cargo  na estrutura  das forças armadas.

Felisberto  Maria Segundo tem  agora uma missão ao abrigo da referida lei  8/2010,a lei da defesa  nacional e das  forças armadas  que propõe a  nomeação  do comandantes do exercito e da guarda  costeira. Mais antes terá que aguardar  pela publicação do decreto e a sua promulgação pelo presidente da republica para ser empossado no cargo.

Empossamento que será também marcado pela sua ascensão a patente de brigadeiro de acordo  com a referida lei.

A outra medida também tomada pelo governo  é a promoção e graduação  de diferente agentes no ramo da defesa e segurança publica.  O executivo de Patrice trovoada  começa a implementar a nova lei da defesa nacional e das forças armadas criada em 2010.

O conselho de de ministros decidiu também demitir o Conselho de Administração do instituto Nacional de Habitação, tendo nomeado novo conselho sob liderança de Ana Torres.

O executivo justifica a demissão  da anterior administração, pela total inoperância do sector  que era dirigido por Cipriano Barreto. Ana torres é  tem pela frente muitos desafios sobre  tudo o procedimento  de  uma auditoria  geral naquele sector.

Sónia Lopes

    21 comentários

21 comentários

  1. XYZ

    23 de Agosto de 2012 as 15:27

    Num pais tao pequeno. Pra que tudo isso? Suica, Suecia nao tem exercito. Deviamos investir mais e em Guardas costeiras e reduzir o No. de militares no quartel de forma a pouparmos mais dinheiro. Vosso Meces acham mesmo que com isso estamos a melhorar a nossa defesa.

  2. luisó

    23 de Agosto de 2012 as 15:40

    Caro amigo a Suécia tem forças armadas mas esse País pode tê-las mas nós não.
    Em vez de forças armadas ( somos ilha com 160 mil)não seria melhor acabar com os 500 militares e a policia nacional e formar e equipar como deve ser uma especie de guarda nacional que faria de policia e de defesa interna e se calhar com metade dos efectivos que há agora? Ex: da GNR, GUARDIA CIVIL, CARABINIERE, POLICIA MILITAR BRASIL, ETC.
    Mantinha-se a guarda costeira e com mais meios (vedetas ou patrulhas) e com 500 homens fazia-se policia e defesa.

  3. Maiker

    23 de Agosto de 2012 as 16:03

    Este governo de Patrice Trovoada anda a fazer caça a bruxas, anda a persiguir os quadros do PCD.
    O concelho de administração do instituto de Habitação que foi demitido é pessoa séria, um grande profissional , um homem compitente e estava a fazer um optimo trabalho.

  4. Paulo

    23 de Agosto de 2012 as 16:09

    O Patrice Trovoada demitiu o concelho de administração do instituto de habitação só com um motivo que é atingir o PCD, o governo não está a preocupar com o desenvolvimento de País o governo está sim preocupado com o PCD.
    Patrice Trovoada passa tempo a viajar enquanto os estudantes passa fome em Portugal sem bolsas de estudo.
    Esse governo entrará na história como um governo falhado.

    • joao pinto braga

      24 de Agosto de 2012 as 2:39

      Meu amigo, se os estudantes estao a pssar fome em portugal nao e so por culpa desse governo mas tambem porque temos na nossa terra um lider parlamentar que delapidou os cofres do estado com pelo menos 10 milhoes de dolares 5 da stp trading mais 5 do edificio que comecou para ser docas de peixe e acabou como lota de peixe so para encubrir o vice presidente fraudulento.

  5. maria chora muito

    23 de Agosto de 2012 as 16:48

    Estou de acordo. Tudo isso é fantasia para americano ver. Nós não precisamos disso. Manda tuda essa gente que fica dias e dias sem fazer NADA e somente a espera do salario no fim do mês irem trabalhar ROÇA.

  6. Kebla

    23 de Agosto de 2012 as 17:15

    Deviamos reduzir despesas e não aumentá-las. Mas que raio de dirigentes são vocês? Ainda inventam cargos e nomeações para aumentar ainda mais as despesas? Assim não dá.

  7. Francisca Delicia

    23 de Agosto de 2012 as 17:19

    Realmente, a necessidade de forças armada aqui em São Tomé e Príncipe faz parte de um passado muito longínquo.
    Agora já não se justifica. Deveríamos sim investir em verdadeiros profissionais de combate ao crime organizado, policias e em guardas fronteiras.
    O Kim Orbe daria um grande contributo.
    Andar por ai a distribuir patentes é só aumento de despesas do estado em algo que nada contribui para o bem da nossa economia.

  8. Zeme SOOO

    23 de Agosto de 2012 as 17:27

    Meus senhores, o Governo apenas está a cumprir a Lei aprovada em 2010, anterior ao seu mandato. Se o Governo não procedesse a nomeações estaria no incumprimento da Lei. Portanto, entendo que são legítimas as contribuições e que devemos reduzir as despezas. Mas isso passa pela reforma inclusive no sector da Defesa. Do meu ponto de vista:
    1. Reduzir o tempo de serviço militar obrigatório.
    2. Formar, especializar e profissionalizar a guarda costeira e petrechá-los com mais meios.(Nesse particular, lembrem-se que também não é barato mantermos uma instituição dessas, basta ver na nete quanto custa cada lanha própria para essa op+eração, comustivel a ser gasto e subsídio de risco). Com tudo são desafios que não devemos nos perder.

    7
    Fui

  9. malebobo

    23 de Agosto de 2012 as 17:30

    no meu ponto de vista,é tão absurdo nomear, alguem como brigadeiro neste pais, que não faz sentido, onde meia duzia de militares que se calhar, ja deviam estar na reserva,o governo devia pensar em criar policia militar, e depois mandava este grupo de parasitas para reforma, em vez de estar gastar dinheiro para pessoas que não produzem nada, obrigado, fui

  10. pida

    23 de Agosto de 2012 as 17:48

    Chefe de estado maior das forças armadas?
    porque isto agora numa ilhota?Nao estaria o governo a partilhar o poder como forma de prever um golpe de estado reforcando assim o poder judicial como forma de dar resposta a esta possibilidade acima levantada? ou estara o governo a priveligiar os seus”amigos”?Com certeza serao eles gentes que so sentarao uma a duas vezes no gabinete de passagem por semana e receberao mas do que o senhor”Male” que tem que levantar das cinco ate as dezoito para fazer um trabalho que lhe rendera um vigezimo daquilo que ele ganha. E bom que o governo tome cuidado com isto porque criar estes tipos de poderes desnecessarios pode por em causa os ideais da democracia.

  11. pagagunu

    23 de Agosto de 2012 as 18:17

    A estabilidade tambem passa por ter o execito controlado.

  12. coitado dele

    24 de Agosto de 2012 as 7:34

    Vejam e revejam a historia da Guiné Bissau.
    Tem td a ver com poderes excessivo por parte dos militares.
    O nosso estado por si so ,ja é um estado falhado,tomemos cuidados para que não falhe pior do que ja esta.
    Isto td é sinal mais do evidente que a intenção do sr. P.Trovada é por em causa a nossa democracia.O gajo quer manipular o poder todo.
    atenção os santomenses pois coremos sérios riscos de ver a nossa democracia indo pelo ar.

  13. António Medeiros

    24 de Agosto de 2012 as 8:11

    O governo devia explicar ao povo aonde está o Sr. Patrice Trovoada. O Sr. PT viajou na Terça Feira dia 21 para onde? Ele e o seu governo deviam dar explicação ao povo que eles dizem terem votado neles. Que vergonha, um governo que diz ser transparente, o seu 1º ministro abandona o país sem informar ao povo.

  14. Santosku

    24 de Agosto de 2012 as 9:29

    O 1.º Ministro tem razão, oposição tem medo de fazer deixar cair este governo de meia tigela.Partidos de oposição são a maioria no Parlamento, porquê deixar este senhor a fazer estas alfacatroas e ainda ameaça. Deixa o cair e forma-se um Governo de salvação nacional e prepara-se outras eleições e ponto final.

  15. Verónica

    24 de Agosto de 2012 as 10:11

    Senhor Sntosku!
    Meu amigo tem razão, deixa o governo cair. Viste o que aconteceu, qdo o MLSTP introduziu a moção de censura? Acto legal na Democracia? Deixa o homem governar. Deça fluta bôbô ni pó pá pia ken ká bá cumê. bobodu potodu.
    Meus caros, vcs falam da nomeação do Jaka que realemente só vem aumentar as despesas do Estado. Mas enfim!!
    A nomeação da Ana Maria como Presidente do Cons de Administração de um Instituto, qual seja o seu tamanho? Sopode ser em S.Tomé esóem S.Tomé. Nem no Príncipe. Só quem não a conhece. Bôôôa, Autoritária, Sabe mandar e bem, Sabe dar ordens. Maaaaas para fazer? Executar? Quidalêôôôôô. Pleguiçosoooooooooo? Não sei não em!!!!! Vamos esperar pra ver.
    Esperemos que o Ministro não lhe peça nunca um relatório e se a pedir, peçaa ela para fazer a defesa do documento. Não sabe nem um pedido de férias.

  16. TVSA-Televisão Santomense Aberta

    24 de Agosto de 2012 as 11:12

    Esta foto foi copiada da Capa da História de: “ALY BABÁ E OS SETE LADRÕES” ,de certeza.Está parecer muito mesmo!

  17. António Medeiros

    25 de Agosto de 2012 as 6:42

    Agora já sei aonde está o Sr PT. O sr. Patrice Trovoada está nos Estados Unidos de América. Obtive a informaçao através de um alto dirigente do ADI e que me foi confirmada pelo meu primo Oscar Medeiros. Ele viajou para ir buscar a sua esposa maliana. Por que é que ele e o governo nao informou a populaçao aonde ele está? Nao era necessário que dissessem que ele foi buscar a sua querida esposa. Deviam dar satisfaçao ao povo dizendo que ele está em viagem privada, pelo menos.Será que este povo meresse este tratamento? Será que assim é que um governo autointitulado transparente e honesto actua. Que vergonha! Sr Presidente Pinto da Costa faça qualquer coisa.

  18. Bodon Kulu

    25 de Agosto de 2012 as 9:41

    O homem nomeado não se chama Jaka, mas sim Jaká. Ele como chefe de estado maior pode apresentar propostas ao governo das reformas que a FA precisa, nomeadamente a reestrutução e readaptação em Guarda Costeira e Defesa Nacional.
    Bom rapaz e homem muito respeitado.
    Parabéns e bom trabalho.

  19. David Guimarães

    28 de Agosto de 2012 as 14:02

    Gostei da nomeação, é uma mais valia para o nosso exército. Espero que com esse progresso, se lembram dos militares bolseiros estudante da Academia Militares, porque tambem somos uma mais valia para o nosso exercito, e seremos o futuro do exercito, lembrem-se de nós cá em Portugal e aos outros meus camaradas em Angola e Brazil e mais…………………….

  20. Antonio Neto

    31 de Agosto de 2012 as 16:12

    A mina visao acho que S.Tomé e Principe nao precisa de tantos oficiais, e alias a nossa terra é tao pequena e por outro lado uma ilha deverias investir mais nos Guardas Costeiras para garantir protegida a nossa Costa.
    Ainda sailento; no meu intender S.Tomé e Principe deveria transformar o Guartel General das Formas Armadas no Comando da Policia Nacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo