Arranque da segunda fase da campanha de educação cívica

Arrancou a segunda fase da campanha de educação cívica da Comissão Eleitoral Nacional (CEN), , denominada “Todos lado a lado, queremos ser felizes no nosso país”, começou na última terça-feira numa cerimónia presidida pelo Presidente da República, Dr.Manuel Pinto da Costa.

Tudo aconteceu no Palácio dos Congressos, com a presença dos membros do Governo e elementos da sociedade civil organizada.

O chefe de Estado manifestou o seu total apoio à referida campanha, dizendo “A minha presença aqui enquanto Presidente da República, pretende, sobretudo, dar um testemunho público da importância que tem a promoção da campanha deste tipo para permitir uma verdadeira mudança de comportamento orientadas por valores éticos de cidadania em São Tomé e Príncipe”.

Nesta segunda fase os adultos é que vão ser o rosto desta campanha, que conta com o financiando do PNUD e que será realizada em em parceria com o poder local. “Não foi em vão a escolha do poder local nesta segunda fase da campanha, porque como elemento dinamizador, os autarcas são o centro do poder funcional do povo. Nós estamos mais perto e sabemos onde existe as verdadeiras necessidades”, acrescentou Amâncio Viegas, representante da Câmara distrital de Água Grande.

Arlindo Ramos em ministro dos Assuntos Parlamentares e da Descentralização em representação do governo disse: «reconhecemos que é possível vivermos unidos apesar das nossas diversidades e das opções de vida que cada um fizer, juntos podemos fazer a diferença no mapa mundial»-. A campanha terá o seu termino em Dezembro deste ano.

Sónia Lopes

  1. img
    ANCA Responder

    Necessário se torna;

    a modernização da instituição –A FAMíLIA SÃOTOMENSE- que antes, deve servir de base para integração social dos cidadãos nas diferente classes sociais- crianças, jovnes, adultos e idosos- para arrecadacadar-mos, o assegurar de valores sociais, culturais e de dignidade Humana, de desenvolvimneto Humano e Social, para a educação/formação primeiro dentro da instituição FAMÌLIA SÂOTOMENSE, de modo a incutir desde de cedo, a assunção dos valores como -o sentido da honestidade, o sentido da responsabilidade, do sentido de organização, do sentido de rigor, da conduta social, cultural correta(ser, estar, modo de pensar e fazer) para integração no presente e no futuro, de modo à que todos possamos viver lado á lado com confiança, segurança e espectativa real da sociedade da qual fazemos parte.

    A intituição -FAMÍLIA- a sua integração, organização, estruturação, mediante a códigos de conduta legal, é fundamental para evolução e modernização da nossa Sociedade/Comunidade, para a formação dos cidadãos, para o combate á fome, á miseria, á pobreza, e ao mesmo tempo o combate á corrupçaõ, á criminalidade, a promiscuidade sexual…

    Pensemos por exemplo, no enquadramento legal, nos processos de casamento, união de facto, na exigência Legal para impor aos conjuge o assumir da responsabilidade Parental, na exigência Legal para a assunção da responsabilidade da Paternidade/Maternidade( imposição de uma pensão aos filhos), na efectiva imposição Legal dos conjuges em relação á educação dos filhos, etc, etc

    Isto ajudaria, a justiça e paz social.

    Mudaria o quadro de promiscuidade existente na nossa sociedade(um dos grandes males sociais no nosso País), a Poligamia, com a agravante de aumentar á fome, á miséria, á pobreza extrema, com o aumento de nºs de filhos que jamais são efectivamente assumidos, pelos Pais, aumentando deste modo, os números de meninos de rua, mendigos, deliquentes, a exploração do trabalho infantil, a prostituição infantil, etc, e mais, quando sabemos, que a promiscuidade sexual, a poligamia, agrava a situação da saúde sexual da nossa população, como é o caso de aumento das deonças venereas, a AIDS, a Tuberculose, a Hepatite, dentre outras,…

    Fazer enquadramento Legal da instituição base da sociedade – A Família- os seus deveres e direitos, para os conjuges implica também combater a violência domestica, procurar a igualdades de direito e deveres entre conjuges, proteger os filhos, proteger o direitos das crianças, durante o seu processo de formação de caracter, infância e adolescência, etc, etc…

    Devemos nudar este quadro legal, social cultural, na matérias ligadas aos processos da constituição da instituição base da sociedade SãoTomense, -A FAMÍLIA- é para nós fundamental moderniza-la enquanto País, sociedade, comunidade e cidadãos SãoTomenses.

    Acreditem

    Pois que os valores(ou a falta deles numa sociedade/comunidade/nos cidadãos) começa no berço onde nascem, no meio onde convivem e aprendem a ser, estar, pensar e fazer.

    No fundo significaria, organizar, estruturar, e planear a sociadade, para que o investimento, crescimento e desenvolvimento e amadurecimento social, cultural, desportivo, político, ambiental, económico e financeiro do nosso País(Território, Mar, População) seja mais celére e sustentável, no futuro.

    E preciso tomar consciêcia da importância da -FAMÍLIA- fazer o seu enquadramento legal, do modo a acrescentar valor a nossa sociedade.

    Gerir População é também gerir FAMÍLIAS, pois é dentro delas que encontra-mos cidadãos, que formam por sua vez á sociedade em que vivemos.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  2. img
    vugu vugo Responder

    Ó “ANCA” não tens mais que fazer ou quê?

    • img
      ANCA Responder

      Caro Irmão/Irmã Sãotomense

      Ao contrário de ti, tenho muito, mas muito que fazer,agir, pensar pelo nosso País.

      Umas das coisas que tenho feito, ao contrário de ti, é contribuir, com o meu pensamento e opinião para o bem e modernização do nosso País.

      Um grande abraço, irmão/irmã SãoTomense

      Faz a tua parte

      Nunca cales, nunca fiques mudo e surdo, nunca te conformes, perante a realidade que nos rodea.

      Acredita

      Pratiquemos o bem

      Pois o bem

      Fica-nos bem

      Deus abençõe São Tomé e Príncipe

Deixe um comentario

*